O desenvolvimento dos meios de comunicação | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
Mais Recentes
>>> Santo Antonio das Grimpas de Marietta Telles Machado pela Atual (1987)
>>> Allan Kardec: o Grande Codificador de Martin Claret pela Martin Claret (1995)
>>> Letras 2 Lingüistica Aplicada de Ufsm pela Ufsm (1991)
>>> Dicionário do Inexplicado - Edições Planeta Nº 131 de Eduardo Araia Ed. pela Três
>>> Luz, Câmera, Gestão - a Arte do Cinema na Arte de Gerir Pessoas de Myrna Silveira Brandão pela Qualitymark (2006)
>>> Habeas Data de José Eduardo Nobre Matta pela Lumens Juris (2005)
>>> Fale Tudo Em Inglês nos Negócios - Com Cd de José Roberto A. Igreja pela Disal (2011)
>>> Como Llegar a Ser un Maestro de La Negociacion de Pierre Louis Criqui, Eric Matarasso pela Granica (1991)
>>> Biologia 6 - Ecologia, Origem da Vida e Evolução de Cqc - Sistema de Ensino pela Do Autor
>>> Curriculum Vitae e Memorial - Normas para Apresentação de Documentos de Universidade Federal do Paraná pela Ufpr (2001)
>>> Net Force Hidden Agendas de Tom Clancys pela Berkley Books (1999)
>>> Apostila de Direito Administrativo para Técnico do Mpu de Diversos Autores pela Do Autor
>>> Cândido Portinari a Vida dos Grandes Brasileiros de Marcos Moreira Afonso Arinos de Mello Franco pela Três (2003)
>>> A Fúria dos Reis - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Memórias de Vida de D Tinoca Emerentina Amorim da Silva pela Lunardelli (2001)
>>> Mercador de Versos de Lêda Mirowinski pela Da Autora (1995)
>>> Enquanto Estamos Crescendo de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2006)
>>> Quando Tudo Falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1987)
>>> Topografia Usual de E Liger pela Gg Barcelona
>>> Stupid White Men uma Nação de Idiotas de Michael Moore pela Francis (2003)
>>> Minha Vida Daria um Filme de Simona Toma pela Fundamento (2014)
>>> Entre Parênteses de Tonho França pela Komedi (2002)
>>> Amor Conjugal de Seicho Taniguchi pela Seicho-no-ie (1991)
>>> Presença Nº 1 de Vários pela Caetés (1983)
>>> Como Vencer na Vida Sendo Professor de Hamilton Werneck pela Vozes (1998)
COLUNAS

Segunda-feira, 27/8/2012
O desenvolvimento dos meios de comunicação
Gian Danton

+ de 13200 Acessos

Uma das ideias básicas do filósofo canadense Marshall McLuhan era a de que pouco importava o conteúdo dos meios de comunicação. O que era realmente importante era o fato desses meios existirem. Essa ideia foi resumida na frase "O meio é a mensagem". Para McLuhan, a forma como nos comunicamos determina a maneira como nos organizamos socialmente. Mais: a forma como nos comunicamos muda nossos processos mentais.

Uma análise da evolução mostra como se deu essa relação mídia-sociedade-cérebro.

No começo, vivíamos em aldeias. O tamanho da aldeia, segundo o McLuhan, é determinado pelo número de pessoas que podem ouvir a voz do líder. Em uma cultura oral, os grupos devem ser pequenos exatamente para facilitar a comunicação. Se o grupo se tornava muito grande, acabava se separando e formando outro grupo, com outro líder.

Nessa época o sentido mais usado era a audição. A comunicação era feita pessoa-pessoa, sem uso de qualquer plataforma além da própria fala. Era uma comunicação com envolvimento, pois normalmente se falava de pessoas conhecidas de todos e de fatos que muitas vezes tinham importância para a tribo. Não havia separação entre teoria e prática: aprendia-se praticando. As ações mais importantes dessa época, como plantar, caçar e pescar, eram aprendidas tendo como professores parentes, que ensinavam através da prática.

A invenção da escrita mudou o mundo.

Com a escrita era possível ao líder enviar suas ordens ou receber relatórios de locais distantes, razão pelas quais as cidades foram se tornando cada vez maiores. Esse processo permitiu a criação dos impérios, já que as ordens e relatórios eram enviados por mensageiros (não por acaso, a primeira coisa que os romanos faziam ao conquistar um território era construir estradas ligando o local à Roma, origem da expressão "todos os caminhos levam a Roma".

Outra consequência da invenção da escrita foi o surgimento da hierarquia e da mania de classificação.

Numa sociedade muito mais complexa do que a tribo, era necessário haver níveis intermediários de comando, o que dá origem à hierarquia. Esse processo, por outro lado, reflete o surgimento das primeiras bibliotecas. Com tantas mensagens indo e vindo, era necessário organizar as informações. As tabuletas de barro passaram a ser juntadas por assunto, de maneira classificatória e hierarquizada. Assim, as ordens dos reis precisavam ser separadas dos relatórios e mesmo os relatórios deveriam ser separados entre si: a produção de trigo em uma coluna, a produção de gado em outra.

Na época da tribo e do ouvido, lidava-se com a informação relevante e relacional e a memória era biológica: os mais velhos geralmente eram os detentores daquilo que se devia saber para sobreviver: como plantar, pescar, caçar.

O surgimento da escrita e suas bibliotecas organizadas privilegiou a informação classificadora em que tudo deve ser colocado em categorias mutuamente excludentes, dando origem à boa parte da ciência moderna. Assim, uma baleia é considerada um mamífero, embora se pareça com um peixe e viva na água.

Depois das tábuas de argila a escrita encontrou um novo suporte, o papiro, muito mais fácil de ser produzido, mas de pouca duração e difícil de ser carregado, já que os escritos eram unidos em rolos.

O cristianismo, uma religião proibida, encontrou em uma nova mídia a possibilidade de divulgação. O códex era um papiro dobrado para facilitar o transporte. Alguém teve um dia a ideia de juntar essas folhas dobradas, costurando-as e surgiu o livro como o conhecemos hoje. Muito mais fácil de carregar do que um rolo de papiro, esse novo suporte tinha mais uma vantagem: permitia abrir exatamente na página de determinado trecho que interessava. Além disso, enquanto um rolo só permitia reproduzir um evangelho, um códex podia incluir toda a Bíblia. Foi essa mudança midiática que permitiu ao cristianismo se difundir por todo o mundo ocidental.

Na Idade Média surgiu o pergaminho. Fabricado com peles de animais, o novo papel era muito mais resistente e apropriado para guardar as palavras de Deus. Mas a invenção tinha um custo: os novos livros eram muito caros. Além do preço alto do pergaminho, a maioria deles eram ricamente ilustrados com iluminuras e encadernados muitas vezes com capas em ouro. O livro passou a ser um tesouro que difundia a palavra de Deus, um objeto divino, ao qual a maioria das pessoas não tinha acesso.

Surge aí a ideia de que o que está publicado é verdade. Como duvidar daqueles livros luxuosos, aos quais apenas alguns monges podiam ler e interpretar. Vale lembrar que nessa época todas as Bíblias tinham de ser escritas em Latim e era proibido traduzi-las para as línguas nacionais.

A utilização do pergaminho marcou a transformação do conhecimento em algo divino, ao qual poucas pessoas deveriam ter acesso.

Essa realidade ia mudar completamente com a invenção da imprensa. Mais uma vez a mudança na forma das pessoas se comunicarem iria provocar grandes alterações nas relações sociais e até na mente humana. A invenção da imprensa iria marcar a era das revoluções, o individualismo e o nacionalismo.


Gian Danton
Goiânia, 27/8/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 50 anos a mil, a vida de Lobão de Jorge Wagner
02. Algumas leituras marcantes de 2009 de Luis Eduardo Matta
03. Guinga e sua Casa de Villa de Rafael Fernandes
04. Influências I de Gian Danton


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2012
01. Por que os livros paradidáticos hoje são assim? - 13/2/2012
02. O desenvolvimento dos meios de comunicação - 27/8/2012
03. A invenção da imprensa - 24/9/2012
04. Contos fantásticos no labirinto de Borges - 26/3/2012
05. Um conto de duas cidades - 7/5/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mensagens para a Vida Diária
Norman Vincent Peale
cultrix
(1955)



Rainhas da Antiguidade
Dirce Lorimier Fernandes
Letraselvagem
(2014)



Livro - While My Eyes Were Closed - Dare You Close Your Eyes For Even a Few
Linda Green
Quercus
(2016)



Intercambio. Coisas Que Todo Jovem Precisa Saber
Joao Marcelo de Melo Teles
Melhoramentos
(2001)



O Rato da Sacristia
Cláudio Martins; Lêdo Ivo
Global
(2000)



Amor é Prosa Sexo é Poesia - Crônicas Afetivas
Arnaldo Jabor
objetiva
(2004)



O Livro dos Espíritos
Allan Kardec
Ide
(2009)



Don Quijote de La Mancha - Clasicos a Medida
Miguel de Cervantes Saavedra
Anaya
(2008)



Representação e Complexidade
Org Cândido Mendes
garamond
(2003)



Um Caldeirão Chamado 1964 - Depoimento de um Revolucionário
Aristóteles Drummond
Resistência Cultural
(2012)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês