Um conto de duas cidades | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
83745 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> Ele, Francis
>>> A crítica e o custo Brasil
>>> Manual prático do ódio
>>> Greatest hits em forma de coluna
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Jogando com Cortázar
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Diálogos de Platão, pela editora da Universidade Federal do Pará
Mais Recentes
>>> IL ÉTAIT UNE FOIS L'AMOUR de DANIELLE STEEL pela LIBRARIE GENERALE FRANÇAISE (1985)
>>> Tenda dos Milagres de Jorge amado pela Martins (2021)
>>> SINAL DA VITÓRIA de J. W. ROCHESTER pela FEderação Espírita Brasileira (1969)
>>> São Mateus Corrige seu Evangelho de J. Santos Silva pela Gráfica e Editora Edigraf S A.
>>> Respostas da Vida de Francisco Cândido Xavier pela Ideal
>>> Matemática 6º Ano – Projeto Athos de José Roberto Bonjorno, Paulo Câmara Sousa, Regina Bonjorno & Tânia Gusmão pela Ftd (2014)
>>> São Jorge dos Ilhéus de Jorge amado pela Martins
>>> O NOVO TESTAMENTO VIVO EM LINGUAGEM ATUALIZADA de MUNDO CRISTÃO pela MUNDO CRISTÃO (1973)
>>> Macunaíma: o herói sem nenhum caráter de Mário de Andrade pela Círculo do Livro (1988)
>>> O MUNDO E EU de JOÃO MOHANA pela AGIR (1964)
>>> Feuillets D' Automne de Andre Gide pela Le Livre de Poche
>>> Tereza Batista Cansada de Guerra de Jorge amado pela Martins
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela FEESP
>>> Apaixonados - Histórias de Amor de Fallen de Lauren Kate pela Galera (2016)
>>> NOVO TESTAMENTO PORTUGUÊS INGLÊS de pela
>>> Novo Testamento de Apóstolos De Jesus pela Casa Publicado Batista
>>> Novelas de Jerusalém de Sch. I. Agnon pela Perspectiva (1967)
>>> Não Vos Preocupeis de Leo Trese pela Quadrante
>>> Meditations de Tola Gynska pela Centro Espiritual Vahali - Brasil
>>> Matemática 6º Ano – Projeto Athos de José Roberto Bonjorno, Paulo Câmara Sousa, Regina Bonjorno & Tânia Gusmão pela Ftd (2014)
>>> Mananciais no Deserto de Lettie Cowman pela Editora Betânia
>>> Judas Traidor ou Traído de Danillo Nunes pela Gráfica Record Editora
>>> Chico Xavier dos Hippies aos problemas do mundo de Emmanuel,Francisco Cândido Xavier pela Lake
>>> O Irmão Maior de Welington Guimarães Filho pela Novo Século (2017)
>>> Matemática 6º Ano – Roteiros de Aprendizagem – Projeto Athos de José Roberto Bonjorno, Paulo Câmara Sousa, Regina Bonjorno & Tânia Gusmão pela Ftd (2014)
>>> CAMINHANDO COM A VERDADE de LUIZ SÉRGIO pela PANORAMA (2000)
>>> A Experiência do Lar de Devi Titus pela Central Gospel (2018)
>>> Boa Nova de Francisco Cândido Xavier pela FEderação Espírita Brasileira (1970)
>>> História Sociedade & Cidadania 6º Ano de Alfredo Boulos Júnior pela Ftd (2009)
>>> A BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE de SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL pela SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL (1975)
>>> Psicologia, as bases biológicas do comportamento de Richard E.,Norman M.,James L. Mcgaugh pela Livros Técnicos e Científicos Editora SA
>>> PSICOLOGIA DA ADOLESCÊNCIA de SAMUEL PFROMM NETTO pela LIVRARIA PIONEIRA (1973)
>>> O RELATÓRIO HITE SOBRE SEXUALIDADE MASCULINA de SHERE HITE pela DIFEL (1970)
>>> O RELATÓRIO HITE de SHERE HITE pela DIFEL (1996)
>>> Eu fui a melhor amiga de Jane Austen de Cora Harrison pela Rocco (2011)
>>> FUNDAMENTOS DE ESTATÍSTICA PARA AS CIÊNCIAS DO COMPORTAMENTO de EVA NICK & SHEILAH R. O. KELLNER pela RENES (1971)
>>> EXPERIÊNCIAS PSÍQUICAS ALÉM DA CORTINA DE FERRO de SHEILA OSTRANDER&LYNN SCHROEDER pela EDITORA CULTRIX
>>> Um Dia a Autenticidade de Ayrton Toledo pela T. A. Queiroz Editora LTDA
>>> POEMA DO NÉCTAR de LEANDRO COCICOV pela JOÃO ESCORTECCI EDITOR (1985)
>>> História 6º Ano - Das Cavernas ao Terceiro Milênio de Patrícia Ramos Braick & Myriam Becho Mota pela Moderna (2006)
>>> MOMENTO SEM TEMPO de MARÍLIA FAIRBANKS MACIEL pela EDITORA CUPOLO (1972)
>>> Martin Fierro Edicion Critica de Carlos Alberto Leumann de Jose Hernandez pela Estrada Editores
>>> I CONFINI DELLA MENTE de PIERLUIGI RUSSO pela IL POLIEDRO (1976)
>>> EU TE AMO de PROF ROBERTO SIMÕES pela PERON FILHO COMUNICAÇÕES (1998)
>>> Combo 2 Livros Físicos Arsène Lupin Seriado Netflix de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
>>> Livro Arsène Lupin contra Herlock Sholmes Seriado Lupin de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
>>> Administração contábil e financeira na pequena empresa brasileira de Milton Huppert Monte Carmello, Wolfgang Schoerps pela Fgv (1979)
>>> CEM SONETOS DE AMOR de PABLO NERUDA pela L&PM EDITORES
>>> Livro Fisico Arsene Lupin O Ladrão de Casaca Seriado Lupin de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
>>> Box 8 Livros Físicos Anne Whit An E Lucy Maud Montgomery + Diário de Aventuras Ciranda Cultural de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
COLUNAS

Segunda-feira, 7/5/2012
Um conto de duas cidades
Gian Danton

+ de 9200 Acessos

Comprei o livro Um conto de duas cidades, de Charles Dickens em maio de 1999. Era uma edição de banca, da Nova Cultural. Tirando a capa mole, era uma publicação interessante, com biografia do autor e muitas notas sobre o texto. Por alguma razão eu comecei a ler e abandonei antes de terminar o primeiro capítulo. Isso é comum para quem é professor: você começa um romance e logo uma outra leitura, mais urgente, geralmente um texto técnico, o obriga a abandonar a ficção.

O livro ficou lá, escondido na estante, por mais de 10 anos, até que mudei de casa e comecei a arrumar a nova estante. Colocar livros numa estante pode parecer uma atitude simples para quem não gosta de leitura. Para um leitor assíduo, é algo demorado. É difícil resistir à tentação de dar uma folheada e ler um parágrafo ou outro.

Foi assim que comecei a ler Um conto de duas cidades. Considerando-se o início, é difícil imaginar porque eu o abandonei da outra vez. O livro tem uma das melhores aberturas da história da literatura:

"Aquele foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos; aquela foi a idade da sabedoria, foi a idade da insensatez, foi a época da crença, foi a época da descrença, foi a estação da luz, a estação das trevas, a primavera da esperança, o inverno do desespero; tínhamos tudo diante de nós, tínhamos nada diante de nós, íamos todos direto para o paraíso, íamos todos direto no sentido contrário".

O livro apresenta uma trama que começa um pouco antes da Revolução Francesa e vai até a era de terror, em que dezenas, às vezes centenas de pessoas eram mortas diariamente, a maioria apenas pelo crime de serem nobres ou pela simples suspeita de serem traidores da pátria. As duas cidades do título são Paris e Londres, locais percorridos pelos personagens (embora os melhores momentos são aqueles passados na França revolucionária).

A trama inicia com o resgate do médico Manette, preso durante anos na Bastilha. Solto, sua filha, Lucie e um funcionário do banco Tellson seguem para Paris a fim de levá-lo para a Inglaterra, uma vez que ele pode vir a ser preso novamente se continuar em solo francês.

Dickens, baseando-se no livro de Carlyle, The French Revolution, aproveita-se do fato de que os nobres mais influentes da época tinham cartas que lhes permitiam capturar e encarcerar na Bastilhas qualquer desafeto para construir sua trama. O Doutor Manette teria sido vítima de uma dessas cartas, mas a razão pela qual ele foi preso só será revelada no final do livro, provocando uma nova tragédia.

Embora seja anterior a ele, Dickens parece ter lido o conselho de Edgar Alan Poe: imaginar primeiro o final e fazer todas as tramas e personagens se enlaçarem. Aliás, os últimos capítulos são uma aula de suspense. Como num filme de Hitchcock, acompanhamos as várias tramas avançando na direção da tragédia representada pela guilhotina.

Dickens tinha um olhar de fotógrafo: sua capacidade de ambientar o leitor através da visão de pequenos acontecimentos é única e pode ser bem apreciada no primeiro capítulo V, o primeiro em que aparece o bairro de Santo Antônio, onde é focada a maior parte da narrativa da era do terror. Um grande tonel de vinho tomba na rua e se quebra. O populacho se embriaga com o líquido, que escorre pelo calçamento acidentado: homens e mulheres cavoucam as poças com canecas de barro lascadas ou com lenços de cabeça das mulheres, que são torcidos para derramar gotas do líquido precioso na boca das crianças. O episódio, sem menor importância, torna-se um prenúncio do que virá quando um rapaz usando barrete vermelho usa o vinho para escrever no muro: "Sangue".

Dickens usa esses instantâneos para ambientar sua historia e criar expectativa, preparando o leitor para o que virá. Isso é feito de maneira lenta, própria de uma época em que se podia ler calmamente um livro: a narrativa avança aos poucos e há capítulos apenas com o objetivo de antecipar a carnificina que virá. O capítulo VI, por exemplo, é usado quase que só para descrever o local em que o Doutor e sua filha moram em Londres e um curioso efeito acústico, que lhes permite ouvir vozes e passos vindos de outras ruas, como se fossem uma multidão invisível: "Talvez vissem também a grande multidão de pessoas com seu ímpeto e seu rugido avançando sobre eles".

O leitor que resistir a essa narrativa lenta será recompensado não só pela bela prosa de Dickens ou pelo final de tirar o fôlego, mas também por uma análise interessante sobre uma época: "Liberdade, Igualdade, Fraternidade ou Morte; a última muito mais fácil de conceder do que as outras, ó Guilhotine!".

Suas descrições da carnificina são um verdadeiro estudo da natureza humana sob a influência da multidão. Em determinado ponto do livro, um dos prisioneiros é restituído à liberdade exatamente na noite em que os jacobinos decidem matar centenas de nobres que entulham as prisões. No meio da confusão, ele acaba sendo apunhalado. Chamado para atendê-lo, o doutor o encontra sendo atendido por um grupo de samaritanos sentados sobre os corpos de suas vítimas. Eles o ajudam com total solicitude, improvisam uma padiola e mandam uma escolta tirá-lo dali. Depois empunham suas armas e voltam a se dedicar à hedionda carnificina.

As notas do final do livro ajudam a entender melhor o sentido de algumas passagens ou acrescentam informações aos episódios. Sobre a noite referida, a nota cita Mercier, detalhando o assassinato da princesa de Lamballe: "Tendo os assassinos dividido os pedaços sangrentos do corpo dela, um desses monstros arrancou-lhe os pelos pubianos e fez um bigode para si mesmo com eles".

Dickens, que chegou a fazer uma reportagem sobre uma execução na guilhotina (na Itália) mostra a todo momento sua ojeriza aos crimes cometidos durante a era do terror. Mas não faz uma acusação cega dos revoltados. Ao contrário, deixa claro que tal estado de coisas só foi possível em decorrência da situação absurda em que vivia a França na época pré-revolução, com uma nobreza de poderes absolutos gastando fortunas em luxo enquanto a população miserável passava fome: "Seis carros mortuários rodam com estrondo pelas ruas de Paris. Faça-os regressar ao que eram antes, ó Tempo, poderoso mago, e eles serão vistos como luxuosas carruagens de monarcas absolutos, como equipagens de nobres feudais, como toucadores de mulheres deslumbrantes como Jezebel, como igrejas que não a casa do meu Pai, mas um covil de ladrões, como a choupana de milhões de camponeses esfaimados!".

A edição da Nova Cultural já está fora de catálogo, mas existe uma outra, da Estação Liberdade, para os que ficarem interessados.



Gian Danton
Goiânia, 7/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dilbert de Nemo Nox


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2012
01. Por que os livros paradidáticos hoje são assim? - 13/2/2012
02. O desenvolvimento dos meios de comunicação - 27/8/2012
03. Contos fantásticos no labirinto de Borges - 26/3/2012
04. Contos de imaginação e mistério - 2/7/2012
05. Um conto de duas cidades - 7/5/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SEQÜESTRO SANGRENTO
HOSMANY RAMOS
EDITORIAL GERAÇÃO
(2002)
R$ 10,00



O JEJUM DO CORAÇÃO DIVAGAÇÕES SOBRE O ÓBVIO ESQUECIDO
LUIZ CARLOS LISBOA (AUTOGRAFADO)- 8461
MG
(1983)
R$ 10,00



STAR ISLAND
CARL HIAASEN
SPHERE
(2011)
R$ 10,00



A CABALA E A ARTE DE SER FELIZ
IAN MECLER
SEXTANTE
(2007)
R$ 10,00



ATLAS GEOGRÁFICO ILUSTRADO
GRAÇA MARIA LEMOS FERREIRA; MARCELLO MARTINELLI
MODERNA
(2012)
R$ 10,00



SENHORA GRANDES LITERATURAS
JOSÉ DE ALENCAR
FTD
(1999)
R$ 10,00



A MÁQUINA CAPITALISTA
PEDRINHO GUARESCHI/ROBERTO RAMOS
VOZES
(1988)
R$ 10,00



A HISTÓRIA DE FERNÃO CAPELO GAIVOTA
RICHARD BACH
NÓRDICA
R$ 10,00



O HOMEM QUE SABIA JAVANÊS - LITERATURA BRASILEIRA EM QUADRINHOS
LIMA BARRETO
ESCALA
(2006)
R$ 10,00



CEM QUILOS DE OURO
FERNANDO MORAIS
CIA DAS LETRAS
(2003)
R$ 10,00





busca | avançada
83745 visitas/dia
2,4 milhões/mês