Rock de raiz | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
>>> Risorama anuncia retorno aos palcos com grandes nomes do humor nacional em São Paulo
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Busca ao Santo Graal
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A Arte de Odiar
>>> Três Irmãs
>>> Sempre procurei a harmonia
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> O ensaísta Machado de Assis
>>> Entrevista com Claudio Willer
>>> Os narradores de Eliane Caffé
>>> 7 de Setembro
Mais Recentes
>>> Princípios de Marketing de Philip Kotler pela Afiliada (1995)
>>> A Arte de Desfrutar o melhor da Vida - Rico sem Dinheiro de Alexander Von Shonburg pela Gente (2007)
>>> Administrando o Stress de Maria Amélia Vallim de Oliveira pela Gente (1996)
>>> O Mal-Estar da pós-Modenidade de Zygmunt Bauman pela Jorge Zahar (1997)
>>> A Morte da Porta Estandarte e Tati, A Garota e Outras Histórias de Aníbal Machado pela José Olympio (1977)
>>> Ilustração de Moda Masculina de Chidy Waine pela Paisagem (2011)
>>> Deus no pasto de Hermilio Borba Filho pela Civilização Brasileira (1972)
>>> Brasil - O romance (2 volumes) de Erroll Lincoln Uys pela Best Seller (1986)
>>> A metamorfose de Franz Kafka pela Nova Época (1989)
>>> Diário Intimo de Franz Kafka pela Livraria exposição do livro (1964)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (2011)
>>> Paula de Isabel Allende pela Bertrand Brasil (1997)
>>> História de lince de Claude Lavi-Strauss pela Companhia das letras (1993)
>>> Vida, universo e sabe lá o que mais de Douglas Adams pela Brasiliense (1988)
>>> Nuvens de pássaros brancos de Yasunari Kawabata pela Nova Fronteira (1993)
>>> História de Mayta de Mario Vargas Llosa pela Francisco Alves (1984)
>>> O processo de Franz Kafka pela Círculo do livro (1963)
>>> Ilustrando o Cerrado de Geni ALexandria pela IPHAN (2002)
>>> Cartas aos meus amigos de Franz Kafka pela Nova Época (1978)
>>> Josefina, a cantora de Franz Kafka pela Clube do livro (1977)
>>> As idéias de Freud de Richard Wollheim pela Círculo do livro (1971)
>>> Estudos sobre teatro de Bertold Brecht pela Nova Fronteira (1978)
>>> A ilha de Aldous Huxley pela Civilização Brasileira (1965)
>>> Também o cisne morre de Aldous Huxley pela Livros do Brasil
>>> A situação humana de Aldous Huxley pela Globo (1982)
>>> O grande problema de Aldous Huxley pela Livros do Brasil (1989)
>>> As portas da percepção - O céu e o inferno de Aldous Huxley pela Civilização Brasileira (1971)
>>> Noite sobre as águas de Ken Follett pela Siciliano (1992)
>>> Na toca do leão de Ken Follett pela Record (1986)
>>> A colonia penal de Franz Kafka pela Nova Época
>>> Trump - Atrás dos bastidores de Jerome Tuccille pela Siciliano (1988)
>>> Nos ombros do cão de Miguel Jorge pela Siciliano (1991)
>>> Rei, valete, dama de Vladimir Nabokov pela Artenova (1976)
>>> O que esperar quando você está esperando: Um guia completo para a gravidez de Heidi Murkoff; Arlene Eisenberg; Sandee Hathaway pela Record (2012)
>>> Eminencia parda de Aldous Huxley pela Hemus (1978)
>>> A verdadeira vida de Sebastião Knight de Vladimir Nabokov pela Civilização Brasileira (1961)
>>> Ada ou ardor de Vladimir Nabokov pela Record (1969)
>>> Os Livros e a Camiseta Listrada: Crônicas e Memórias de um Torcedor de Thiago Ingrassia Pereira pela Cirkula (2015)
>>> Lolita de Vladimir Nabokov pela Civilização Brasileira (1959)
>>> O despertar do mundo novo de Aldous Huxley pela Hemus (1977)
>>> Adonis e o alfabeto de Aldous Huxley pela Hemus (1972)
>>> Viagem ao Centro da Terra de Júlio Verne; Walcyr Carrasco pela Moderna (2012)
>>> Satãnicos e visionários de Aldous Huxley pela Cea (1975)
>>> Geração devassa de Aldous Huxley pela Hemus (1974)
>>> Somos todos arlequins de Vladimir Nabokov pela Record (1974)
>>> O mago de Vladimir Nabokov pela Nova Fronteira (1987)
>>> Desespero de Vladimir Nabokov pela Record (1966)
>>> Fogo pálido de Vladimir Nabokov pela Guanabara (1985)
>>> Do Outro Lado do Muro de Maria Paula Roncaglia pela Escrita Fina (2010)
>>> Não se Desespere! Provocações Filosóficas de Mario Sergio Cortella pela Vozes (2014)
COLUNAS

Quinta-feira, 7/2/2008
Rock de raiz
Luiz Rebinski Junior

+ de 3900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A onda folk que tomou conta da música pop nos últimos anos, trazendo para os holofotes artistas como Devendra Banhart, parece ter encontrado eco na cena brasileira. Com uma mistura inusitada de música caipira de raiz e rock inglês dos anos 80, o quarteto curitibano Charme Chulo tem sido uma voz dissonante no cenário musical independente atual.

Banalizado no meio musical, o termo folk não raro é usado para rotular qualquer tipo de música que tenha entre seus elementos violão e harmônica (gaita de boca). Baseado na música popular de raiz norte-americana, o folk teve em Woody Guthrie seu grande herói, até que Bob Dylan subverteu a ordem colocando guitarras nas puras e calmas baladas do gênero. Mas, diferentemente do que se vê por aí, a alcunha folk parece se encaixar bem à banda dos primos Igor Filus (vocal) e Lenadro Delmonico (guitarra/ viola) ― o grupo é composto ainda por Rony Jimenez (bateria) e Peterson Rosário (baixo).

A inspiração para o som pouco usual a banda encontrou no próprio quintal. Foi a partir de modas de viola, muito comuns no interior do Paraná (em Curitiba existe um teatro que reúne tocadores de viola nos fins de semana), da chamada música gauchesca (feita no vizinho Rio Grande do Sul e também bastante presente no PR), e de alguns elementos do imaginário caipira, como o ícone Mazzaropi, que o Charme Chulo baseou seu som. A esses elementos, o grupo adicionou pitadas do que de melhor o rock inglês produziu nos anos 80, como The Smiths e Echo and the Bunnymen.

O nome do grupo representa bem o conceito que a banda desfila em seu repertório, já que tenta reunir no mesmo balaio o charme, representado por guitarras estilizadas à moda Johnny Marr, e o ― supostamente ― chulo, presente em letras que realçam figuras como o Jeca Tatu e o modo de vida intimista, bem ao estilo da capital do Paraná.

Há indícios de Zé Rodrix, Legião Urbana, Neil Young e Blindagem ― banda pioneira do rock curitibano que tinha em Paulo Leminski seu principal parceiro ― nas músicas do Charme Chulo. É possível perceber também influências que vão além dos limites da música pop, como a literatura de Cristovão Tezza e Dalton Trevisan. Mas há acima de tudo um grupo com originalidade e ótimo repertório.

O primeiro e homônimo disco traz verdadeiras odes a paisagens bucólicas tocadas em ritmo ligeiro, como a excelente faixa de abertura "Mazzaropi incriminado", óbvia homenagem ao anti-herói brasileiro, em que Igor canta: "É, você se sente o Mazzaropi incriminado/ um brasileiro que perdeu mais uma chance/ é enganado tanto quanto ele só". A capa do disco, com uma foto do Passeio Público de Curitiba com uma carroça à frente, não deixa dúvidas de quanto o cotidiano da capital do Paraná influencia o som do grupo. E aqui se estabelece outro êxito do quarteto curitibano, que não resvala no simples bairrismo, nem deixa brecha para que seu som ganhe a pecha de "regionalista". Ao cunhar um rock com pegada caipira, a banda se aproxima do rock gaúcho, que desde sempre soube mesclar com bastante precisão e habilidade a tradição do cancioneiro local com a música jovem.

"Polaca azeda" é outra faixa dominada pela viola rápida de Delmonico em que fica evidente a influência da ex-banda de Morrissey, com direito, inclusive, aos mesmos gritinhos de Mozz ao final de "Ask". Mas as explícitas influências do Charme Chulo não soam como cópia ou simulacro. As sonoridades são digeridas e se fundem a elementos próprios, dando ao som da banda singularidade. Porém o grande barato do Charme Chulo não está nas guitarras surrupiadas dos grupos ingleses, mas sim no resgate da cultura popular do Paraná, tal como a tradição oral, a recriação do cotidiano e, principalmente, do sotaque curitibano, incrustado em expressões peculiares como o famigerado "leite quente" e em outras menos famosas como "dolé" (picolé), "piá" (menino) e "polaca azeda" (moça muito branca com raízes no leste europeu, não necessariamente vinda da Polônia). Tudo isso embalado em um verniz pop, que dá às músicas um toque cool, como na ótima "Piada cruel", em que Delmonico destila sua gaita de boca entre um solo e outro. Mas a vocação da banda para transformar elementos da tradição local em bons rocks é percebida com mais intensidade em "Amor de boteco", um roquinho de levada dançante, cantada ao melhor estilo rádio AM por Igor. A quinta-essência do rock caipira do Charme Chulo é "Solito a reinar", em que a viola de Delmonico dá origem a uma deliciosa canção pop.

Para ilustrar o som singular da banda, há ainda o visual caipira, que inclui camisa xadrez e chapéu de palha ― o contraste fica por conta do baterista Rony, com seu chapéu de caubói e jeitão de punk. Igor é responsável por um desempenho bastante peculiar à frente do palco, com trejeitos exagerados que misturam Ian Curtis e Renato Russo.

Com uma musicalidade dinâmica e cheia de boas influências, o Charme Chulo fez de elementos desprezados pelo universo pop sua matéria-prima. Um grupo que deixa o efervescente, porém pouco conhecido, cenário de música independente de Curitiba ainda mais interessante.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 7/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Carnaval que passava embaixo da minha janela de Elisa Andrade Buzzo
02. O artífice do sertão de Celso A. Uequed Pitol
03. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
04. Claudio Willer e a poesia em transe de Renato Alessandro dos Santos
05. Submissão, oportuno, mas não perene de Guilherme Carvalhal


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2008
01. O jornalismo cultural no Brasil - 2/1/2008
02. Bukowski e as boas histórias - 15/10/2008
03. Despindo o Sargento Pimenta - 16/7/2008
04. O óbvio ululante da crônica esportiva - 27/8/2008
05. Dobradinha pernambucana - 23/1/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/2/2008
12h34min
realmente, Charme Chulo é uma banda surpreendente e interessante, ela é diferente sem se tornar enjoativa e forçada!
[Leia outros Comentários de Orlando Junior]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NEUROLOGIA - EM UMA PAGINA
JON BRILLMAN, SCOTT KAHAN.
GUANABARA KOOGAN
(2007)
R$ 60,00



PRINCIPAIS CULTURAS VOL II
INSTITUTO CAMPINEIRO DE ENSINO AGRARIO
INSTITUTO CAMPINEIRO
(1973)
R$ 7,90



OS TRABALHADORES DO MAR
VICTOR HUGO
PRINCIPIS
(2019)
R$ 14,50



ABC DA MPB
JORGE FERNANDO DOS SANTOS
PAULUS
(2005)
R$ 30,00



POLÍTICAS PÚBLICAS DE TRABALHO E RENDA NO BRASIL CONTEMPORÂNEO
MARIA OZANIRA DA SILVA E SILVA
CORTEZ
(2006)
R$ 36,00



PALSTIC AND RECONSTRTUCTIVE SURGERY OF THE FACE
FRANK W. PIRRUCELLO
THE WILLIAMS & WILKINS
(1982)
R$ 87,54



E AS ESTRELAS, QUANTAS SÃO?
GIULIA CARCASI
PLANETA DO BRASIL
(2011)
R$ 7,90



ROUBO DE ESPADAS - REVELAÇÕES DE RIYRIA - VOLUME 1
MICHAEL J. SULLIVAN
RECORD
(2011)
R$ 45,00



POR UMA NOVA CONCEPÇÃO DA SOCIEDADE * UMA ANÁLISE POLÍTICA ...
JOSCHKA FISCHER
SUMMUS
(2001)
R$ 6,90



POWER PIXELS
MIGUEL CHEVALIER
AEROPLANO
(2011)
R$ 18,00





busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês