Mas se não é um coração vivo essa linha | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
77305 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
>>> MAB FAAP seleciona artista para exposição de 2022
>>> MIRADAS AGROECOLÓGICAS - COMIDA MANIFESTO
>>> Editora PAULUS apresenta 2ª ed. de 'Psicologia Profunda e Nova Ética', de Erich Neumann
>>> 1ª Mostra e Seminário A Arte da Coreografia de 17 a 20 de junho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Daslusp
>>> A essência de Aldous Huxley
>>> 80 anos de Alfredo Zitarrosa
>>> Dize-me com quem andas e eu te direi quem és
>>> 7 de Setembro
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Retrato de corpo inteiro de um tirano comum
>>> Você é rico?
>>> Podcasters do mundo, uni-vos!
Mais Recentes
>>> Free Riders de Luiz H. Rose; Maiza Fatureto; Tereza Sekiya pela Cambridge (2008)
>>> Difícil Decisão de Juciara Rodrigues pela Atual (1996)
>>> A História Vazia da Garrafa Vazia de Jonas Ribeiro pela Do Brasil (2004)
>>> A Cadelinha Lambada de Márcia Glória Rodriguez pela Icone (1997)
>>> Pra Você Eu Conto de Moacyr Scliar pela Atual (1998)
>>> Meio Circulante de Edison Rodrigues Filho; Walter Vasconcelos pela Melhoramentos (2012)
>>> The Big Picture Level 1 de Sue Leather pela Cambridge do Brasil (2001)
>>> The Big Picture Level 1 de Sue Leather pela Cambridge do Brasil (2001)
>>> A Dieta dos 17 Dias de Mike Moreno pela Sextante (2011)
>>> Atitude Vencedora de John Maxwell pela Cpad (2004)
>>> Os Adolescentes e o Sexo de Mary Kehle pela Mundo Cristão (1989)
>>> Sonhos Mais Que Possíveis de Odir Cunha pela Planeta do Brasil (2008)
>>> 101 Idéias Criativas para o Culto Doméstico de David J. Merkh pela Hagnos (2002)
>>> A Droga da Obediência: a Primeira Aventura dos Karas! de Pedro Bandeira pela Moderna (2003)
>>> Cinco Minutos / a Viuvinha de José de Alencar pela Atica (1995)
>>> O Homem do Bone Cinzento e Outros Contos de Murilo Rubião pela Companhia das Letras (2007)
>>> Sabor de Vitória de Fernando Vaz; Jean; Cris pela Saraiva Didáticos (2010)
>>> A Autêntica Cozinha Vegetariana de Rose Elliot pela Manole
>>> Pássaros Feridos de Collen Mc Cullough pela Circulo do Livro
>>> Setembro de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasil
>>> Campanhas Inesquecíveis - Propaganda Que Fez História no Brasil de Meio & Mensagem pela Meio & Mensagem
>>> História da Civilização de Will e Ariel Durant pela Companhia Editorial Nacional
>>> Vetor de Robin Cook pela Record
>>> Os Maias de Eça de Queiros pela L&pm
>>> Abc de las Naciones Unidas de Naciones Unidas pela Naciones Unidas
COLUNAS

Quinta-feira, 15/10/2020
Mas se não é um coração vivo essa linha
Elisa Andrade Buzzo

+ de 1400 Acessos

Um navio ancorado no cais próximo é onde se resguardam os corpos do vírus. Um navio ancorado é onde se esquece da navegação e por isso mesmo onde se pode lembrar da navegação, pensá-la e sonhá-la. É um navio ancorado um país inteiro, no esquecimento e no marasmo. Mas a vida marinheira não é por si só o contato com a água, mas o movimentar da água, por isso seu casco lá está, corroído e desusado.

Enganam-se os tripulantes que pensam estar a salvo de todas as pestes que assolam a humanidade. Lá mesmo ela grassa, e arde. Como em Benito Sereno, o que se divisa à distância é matéria diversa do que se representa no teatro do convés do navio. Há um enigma dentro de um enigma. Passado, presente e futuro reúnem-se na narrativa, há personagens palpáveis e reais, como o narrador Amasa Delano, outras na esfera do ilusório e do mistério, como Don Benito, um desvario da realidade, uma figuração fantasmagórica, de psicologia misteriosa e atormentada, hipotética. Ilusão e realidade esgarçam-se entre dois navios. Mortos e vivos estão reunidos; e quem está morto, vive, enquanto quem vive está morto.

A barcaça flutuante da vida cotidiana é uma fração dos conflitos da terra firme. Se os seus homens são vistos atravessando o píer, abrindo os portões, e assim que mergulharem no canal a continuidade de sua vida os perseguirão na solidez da cidade. Os cavalos do correr e do descansar estarão à espera.

Assim, vive-se na antecipação do drama esdrúxulo, com o pensamento dando mil passos à frente do momento presente do corpo, procurando assegurar-se de que o futuro trará o que se deseja, que proporcionará o conforto mental das conturbações do passado no compasso do momento. Um dia passará como um ano, um dia passará dentro de um minuto na corredeira dura em cujo sulco perpassa o flexível nervo. Do sortimento de veleidades retirar-se-á uma delas, como um bombom de uma caixa, e mesmo assim a insatisfação irá se infiltrar no sangue de toda a vontade já realizada.

Para-se, amaina-se, reflete-se, desespera-se, e a linha descompassada do coração sossega e desassossega. Mas se não é um coração vivo essa linha cujo tracejado de montanha sobe e desce contínua e desesperadamente?

Caso haja memória segura dos acontecimentos do mundo, esta se equilibrará em uma balança desfeita dos padrões até então conhecidos, nos quais o pensamento humano assentará sua escalada de progresso. Outras ideias, nunca antes pensadas, surgirão, a despeito do obscuro velcro que tenta fechar a liberdade, impedir o sentido de compaixão, a busca de conhecimento, a necessidade de dignidade. Essas ideias continuarão surgindo, primeiro como um borrão, pois o novo não consegue ser visto nitidamente de início, então elas parecerão uma imagem indefinida de uma cegueira, e irão tomando um formato inédito, seja em uma pincelada nova, uma nota musical, uma legislação, um movimento, uma ferramenta, uma fórmula, o verso de um poema.

Vive-se a cada passo pisando leve, pisando como quem não pode pisar, pois pode acordar do mundo as piores intenções. Como quem descansa a cada segundo iminente da próxima pisada. Vive-se nessa tensão diária, a quem lhe são colocadas pedras nas costas, a quem são enganchados demônios no pescoço. Vive-se como se a cada passo se ficasse mais próximo dos desejos e desígnios, alguns que ainda nem conhecesse, e então ao mesmo tempo se ficasse cada vez mais longe deles, pois no segundo iminente à chegada e alçada do troféu tudo se esbate mais uma vez em falta desoladora.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 15/10/2020


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2020
01. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa - 20/8/2020
02. Alma indígena minha - 14/5/2020
03. Na translucidez à nossa frente - 10/12/2020
04. Vandalizar e destituir uma imagem de estátua - 1/10/2020
05. Alameda de água e lava - 29/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Comics Starwars - Clássicos 1
Roy Thomas e Outros
Planeta Deagostini
(2015)



Leão de Chácara
João Antônio
Civilização Brasileira
(2002)



As Alegres Comadres de Windsor Medida por Medida o Sonho de U
William Shakespeare, Ivo Barroso (tradutor)
Abril Cultural
(1981)



La V Republique - 30 Ans
Pouvoirs, Nº 49 de 1989
Puf
(1989)



Communication Progressive Du Francais des Affaires: Corriges
Jean Luc Penfornis
French and European
(2013)



Cinco Aulas e Finanças e Política Fiscal
Aliomar Baleeiro
Jose Bushatsky
(1975)



Estilhaços
Eduardo Wotzik
Autor (rj)
(2011)



Iso 9000 Passaporte para a Qualidade
Heitor R. de Carvalho
Campus
(1996)



Os Limites da Legalidade Tributária no Estado Democrático De
Alberto Nogueira
Renovar (rj)
(1996)



Conocimientos Basicos para El Estudio de los Cuidados Esteticos
Humbert Pierantoni
Les Nouvelles Esthetiques





busca | avançada
77305 visitas/dia
2,7 milhões/mês