A Casa de Ramos | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
Mais Recentes
>>> Livro Que Ninguém Vai Ler de Sylvia Orthof pela Ediouro (1998)
>>> Adega Imaginária - Formato Convencional de Armindo Trevisan pela L&pm (2013)
>>> Objeçoes de um Rottweiler Amoroso de Reinaldo Azevedo pela Tres Estrelas (2014)
>>> Awakening, The de Margo Culley pela Ww Norton (1994)
>>> El 8° Hábito de La Efectividad a La a Grandeza de Stephen R. Covey pela Paidós
>>> O Primo Basílio de Eça de Queirós pela Scipione (2013)
>>> Manifestação dp Partido Comunista - Sebo Tradição de Max Engels pela Martin Claret (2001)
>>> O Machista de Gilberto Moog pela Jose Olympio
>>> Eurico o Presbítero de Alexandre Herculano pela Mérito
>>> Direito do Trabalho (9ª Edição - Atualizada Com a Ec Nº 45/04) de Pedro Paulo Teixeira Manus pela Atlas Juridico (2005)
>>> Revista Brasileira de História - Espaços da Política de Vários Autores pela Geral
>>> O Leitor de Bernhard Schlink; Pedro Sussekind pela Record (2009)
>>> Servidores de Redes Com Linux de Craig Hunt pela Market Books (2000)
>>> Executivo Sincero de Adriano Silva pela Rocco (2014)
>>> Encyclopedie Extraits de Denis Diderot pela Bordas (1993)
>>> O Primo Basílio - Coleção Reencontro de Eça de Queirós pela Scipione (2015)
>>> O Portal do Escorpião de Richard A. Clarke pela Record (2007)
>>> Memoral de Aires de Machado de Assis pela Atica (2002)
>>> O Meu Primeiro Livro de Raquel Pinheiro; Pedro Reisinho pela Leya Didáticos (2012)
>>> Histórias de Sucesso de Fabiana Monteiro pela Global
>>> Sexo na Cabeça de Luis Fernando Verissimo pela Objetiva (2002)
>>> A Senhora das Vela de Walcyr Carrasco pela Arx (2007)
>>> Saúde e Prosperidade de Masaharu Taniguchi pela Seicho-no-ie (2004)
>>> Efeitos da Reprodução Humana Assistida de Ivelise Fonseca da Cruz pela Srs (2008)
>>> The Elder Scrolls, Vol. 2: o Senhor das Almas de Greg Keyes pela Benvirá (2017)
COLUNAS

Quinta-feira, 31/1/2013
A Casa de Ramos
Elisa Andrade Buzzo

+ de 3800 Acessos


ilustra: Renato Lima

É uma alta esplanada, ladeada por escarpa, que para os lados se esvoaça. Quase virgem de ocupação, tem algo de terra fresca, e a rua, ainda deserta, pedra a se revelar. Nessas tantas linhas que ladeiam o plano, estas infinitas linhas de montagem, capim que se corta, terra que se remexe e aterra, ponte que se alevanta, corte na montanha, aço e metal nas veias, a cidade vai se configurando como um organismo cujos fragmentos pudessem se reorganizar, e assim se instaurasse um dinamismo orgânico, uma inteligência alicerçada em vontades próprias.

O espaço é limpo de construções − estão elas no aguardo do momento de se esboçar, corporificar-se e tomar seu lugar: aquele que lhe é devido. Pecorro tal pedaço de chão destas cercanias remotas como quem descobre um traço que, determinado, se desmembra em capilares. De tal modo que os caminhos das ruas vão se desenhando, esta, aquela e ainda aquela outra serão as passagens entre os espaços de terreno, as delimitações naturais que o ser humano vai tratando de engendrar, chamando de patrimônio seu, como se uma cerca de madeira ou nobre grade de metal desenhado fosse um vinco, linha imaginária a delimitar desejos e propriedades.

Nesse tempo, a terra era mais próxima daquilo que ela era no início, contratuada e vasta, e de onde agora estamos se pode vislumbrar o recomeço. Da demolição se estraçalha o hoje, com mão dura a máquina despedaça histórias, mas chega-se mais perto da essência do terreno este desnudar-se forçado. Antes terra, aquele hospital volta a ser terra, no futuro, dela virá um grande e alto edifício, e antes que se eleve o gigante espelhado, muita gente virá à rua em comemoração. Enquanto isso, tem-se uma vaga ideia daquilo que era ainda antes do que viria a ser.

Divisão entre mundo terreno e celestial, o horizonte se desenha, e o homem trapaceia a paisagem em troca de caminhos otimizados, parca paisagem. De modo que, a escolha, para um arquiteto, é exata. Será ali, próximo à linha reta, um pouco abaixo desta bancada: o casarão, como um ente parado no tempo, testemunha a sucessão das pessoas e das existências na rua. Ele vem do tempo em que a escarpa era nua e funda, mantendo-se firme ao choque de um mundo colapsado, protegendo-se com seus aromas de mato e guarda-chuvas de roseiral de um vento constante que lhe incendeia.

Por ele já passaram carros e carroças. Pelo gradil, o leiteiro e o padeiro deveriam disputar seu espaço. Em seu interior resguardado de madeira e telhas, as histórias também se desenrolam nessa toada miraculosa: uma sucedendo-se à outra. De maneira que ele ata as pontas pelo tempo separadas. Abraçamos seu corrimão rijo, desgastamos os degraus da grande escadaria, espinha dorsal de gigante imóvel. Em cada andar batem corações, uma voz à outra vai se sobrepondo, imagens de gentes pairam como espantalhos. E a vida vai se tecendo frágil e bem-vinda, para nós, sólidos andarilhos em paisagem flutuante, a arquitetura das coisas nos restituindo uma porção de lugar no mundo.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 31/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Quem não gosta de uma boa história? de Ana Elisa Ribeiro


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2013
01. Reflexões de um desempregado - 11/4/2013
02. A Casa de Ramos - 31/1/2013
03. Tempo de nebulosas - 31/10/2013
04. A cidade do improvável - 16/5/2013
05. De tinta e fio é feito o homem - 14/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Moça Com Brinco de Pérola - 7ª Edição
Tracy Chevalier
Bertrand Brasil
(2004)



Cura
Francisco Candido Xavier
Geem



Equilibrio Em Pauta Manual do Professor - Capa Dura
Ana Cecilia Falcato Baldochi e Outros
Atualidades Pedagógicas



Internacionalização Das Empresas Brasileiras
Forum de Lideres
Cobreet
(2007)



Coleção Grandes Museus do Mundo 2 - National Gallery Londres
Daniela Tarabra
Mediafashion
(2009)



O Alquimista
Paulo Coelho
Sextante
(2015)



Gêmeas Não Se Separa o Que a Vida Juntou
Mônica de Castro
Vida & Consciência
(2009)



Os Saltimbancos da Porciúncula
Antonio Carlos Villaça
Record
(1996)



O Verdadeiro Segredo
Omair Cordeiro
Wca



O Par Perfeito / Teia de Amor - Especial Inverno
Charlotte Moore
Nova Cultural





busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês