A cidade do improvável | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
Mais Recentes
>>> O Que é Psicologia Social de Silvia Tmaurer Lane pela Brasiliense (2000)
>>> Militia de Léon Degrelle pela ‎ Edizioni Di Ar (2003)
>>> Cenas Urbanas Dialogo de Júlio Emílio Braz pela Scipione (2012)
>>> Projeto Multiplo - Gramatica & Texto - Parte 2 de José de Nicola pela Scipione Didaticos (2014)
>>> Como se tornar rico de Hugo Bessone pela Solar (2003)
>>> Verdades de Fogo de Claudio Dias pela Palavra & Prece (2012)
>>> Antigamente era assim de Julio Capile pela Valci (2004)
>>> Empreendedores de Eduardo Glitz pela Gente (2019)
>>> A Segunda Pátria de Miguel Sanches Neto pela Intrinseca (2015)
>>> Desestórias de Márcia Denser pela Kotter (2015)
>>> Moderna Plus - Física 2: os Fundamentos da Física, Parte I de Francisco Ramalho Junior pela Moderna (2015)
>>> Os Pensadores: Leibniz, Vol. II de Nova Cultural pela Nova Cultural (1988)
>>> Descobrindo a História 5ª Série - Brasil Colônia de Sônia Mozer e Vera Telles pela Ática (2002)
>>> Porta Retrato - Poemas e Poemas de Luiza Clara Nogueira pela Aseel (2005)
>>> O último dos Moicanos - Clássicos Adaptados Larousse de James F. Cooper pela Larousse (2005)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink; Pedro Sussekind pela Record (2009)
>>> A Economia do Cedro de Carlos Alberto Júlio pela Virliae (2011)
>>> Loja Vivas de Edmour SaiNI pela Senac (2001)
>>> Antõnio Descobre Veredas de Deborah Kietzmann pela Biruta
>>> Caleidoscópio - Em busca de si mesmo de Terezinha de Jesus pela otimismo (1997)
>>> Socialismo Democracia de Roberto Amaral pela Fundação João Mangabeira (2011)
>>> O Massacre de Sabra e Chatila de Amnon Kapelopuk pela Veja (1983)
>>> Gol de Padre de Stanislaw Ponte Preta pela Ática (2003)
>>> O Vendedor de Armas de Hugh Laurie pela Planeta do Brasil (2010)
>>> Testes Psicométricos e Projetivos - Medidas Psico-educacionais de Goderdo baquero pela Loyola (1983)
COLUNAS

Quinta-feira, 16/5/2013
A cidade do improvável
Elisa Andrade Buzzo

+ de 3600 Acessos


ilustra: Renato Lima

Nesta cidade, você marca um encontro e ele, geralmente, sejamos sinceros, pode muito bem não acontecer. E tudo bem. Aí, você fica numa bolha, no vácuo, seja ilhado na cidade intransitável, seja em casa, indo pra debaixo do cobertor curtir a fossa do momento. São tantas as razões para se faltar em um encontro: o compromisso anterior atrasou, o trânsito, deu pane no metrô, tá tudo parado. Há sempre um bom álibi em São Paulo. Mas há alguns encontros que dão muito certo, meio que milimetricamente combinados, cafés que duram horas como se o papo pudesse se estender infinitamente, vinhos expectantes que marcam os vãos dos dentes. Até que, depois... se entra, não numa bolha, mas numa espiral de ausência.

Quando marcamos um encontro, não basta tê-lo marcado. O verbo da vez é "pré-marcar" pois, até o dia chegar, muita coisa pode acontecer e o compromisso poderá não ser honrado. Nossa informalidade está beirando a este ponto. As prioridades na vida de cada um, além dos imprevistos, mudam, correm soltas e livres ao sabor do desregramento, das frustrações e anseios de cada dia. A vida paulistana engana, parece que tem fortes amarras, ledo engano, um gesto basta para afrouxá-las, levar numa direção contrária tudo o que fora combinado ou jurado. Talvez seja bom assim: uma dose de imponderável, de aventura pouco violenta em nossos sentimentos tão carentes de emoção.

Ou então, um súbito mau-humor basta para que tudo seja des-marcado. Paulistano tá assim, de lua. Por isso, ele já sabe, deve fazer da confirmação de um encontro um ritual a ser seguido: um dia antes, ligar ou escrever perguntando se está em pé o que havia pré-marcado. Estando em pé, mais uma vez, no próprio dia do encontro, mais uma chamada para re-confirmar. E não é que em cima da hora muita gente desmarca ou pede para ligar dali a pouco para que elas confirmem? Fora os que nem se lembrar de ter compromisso ou, pior, se arranjam algo que mais lhe interessam no momento, tratam de desprezar o amigo de todas as horas. As variáveis da vida estão descompassadas.

Nesta cidade, você não marca um encontro e muita coisa acontece. Isso porque estamos na cidade do completo improvável. Não é 100% seguro nos precavermos de tudo, vestirmos a armadura do medo. Estamos expostos e por isso deve-se seguir o conselho da Danuza às mulheres e nunca sair sem rímel. Ademais, há sempre a possibilidade de um telefonema no meio da noite, um apelo inflamável, conquanto que não se espere por isso.

No encontro repentino, somos pegos despreparados, mas somos suficientemente bons para saber o que fazer. No impossível, sim, todos os bares estão fechados. As ruas, já desertas, estão todos em casa, recolhidos a sua vida submersa. A vida é surpreendentemente quente para ser preparada de véspera. Então, saímos em busca de qualquer coisa, não importa exatamente o que. As implicações, que elas fiquem para o amanhã, este amanhecer destituído de sentido, em que o lastro abandona o navio.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 16/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Por que HQ não é literatura? de Cassionei Niches Petry
02. As maravilhas do mundo que não terminam de Marilia Mota Silva
03. História da leitura (III): a imprensa de Gutenberg de Marcelo Spalding
04. Que espécie de argumento é uma bunda? de Alexandre Soares Silva


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2013
01. Reflexões de um desempregado - 11/4/2013
02. A Casa de Ramos - 31/1/2013
03. Tempo de nebulosas - 31/10/2013
04. A cidade do improvável - 16/5/2013
05. De tinta e fio é feito o homem - 14/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Ateneu - Biblioteca Folha 16
Raul Pompéia
Ediouro



Guia para Elaboração de Monografias e Trabalhos de Conclusão de C
Alexandre Lintz e Gilberto de Andrade Martin
Atlas
(2000)



Criando Você e Cia
William Bridges
Campus
(1998)



Black Rock Shooter Innocent Soul - Vols 1 ao 3
Huke e Sanami Suzuki
Panini Comics
(2016)



Tu Frankenstein III
Vários autores
Besouro Box
(2015)



Sénèque, sa vie, son oeuvre, sa philosophie
Pierre Grimal
Presses Universitaires de France
(1957)



Prehistoria de Suramérica
Juan Schobinger
Labor
(1973)



Cadernos de Leituras - Clássicos Brasileiros
Mariana Mendes (org.)
Companhia das Letras
(2015)



A Polegarzinha
Vários
Impala
(2000)



Memórias de um fusca
Orígenes Lessa
Global
(2013)





busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês