As Memórias de Viktor Frankl | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Até você se recompor
>>> Lobão e Olavo de Carvalho
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
Mais Recentes
>>> Aí vem o sonhador de Ronald S. Wallace pela Vida (2014)
>>> Cantando ao Senhor de D. Martyn lloyd- Jones pela Pes (2013)
>>> A vida crucificada de A.w. tozer pela Vida (2013)
>>> Relógio de Pandora de John J. Nance pela Record
>>> A Vinha do Desejo de Sylvio Back pela Geração Editorial (1993)
>>> Mana Silvéria de Canto e Melo pela Civilização Brasileira (1961)
>>> O Ladrão de Palavras de Marco Túlio Costa pela Record (1983)
>>> Belle Époque de Max Gallo pela Globo/ RJ. (1989)
>>> Sonetos (livro de Bolso) de Antero de Quental pela Edições Cultura/ SP.
>>> O Imprecador de René-Victor Pilhes pela Círculo do Livro
>>> Escola de Mulheres (Capa dura) de Molière (Tradução): Millôr Fernandes pela Circulo do Livro (1990)
>>> Vida Incondicional de Deepak Chopra pela Best Seller (1991)
>>> Poesias Escolhidas de Sá de Miranda pela Itatiaia (1960)
>>> Prosas Históricas de Gomes Eanes De Zurara pela Itatiaia (1960)
>>> Historiadores Quinhentistas de Rodrigues Lapa (Seleção pela Itatiais (1960)
>>> Os Oceanos de Vênus de Isaac Asimov pela Hemus (1980)
>>> O Vigilante de Isaac Asimov pela Hemus (1976)
>>> Today and Tomorrow And... de Isaac Asimov pela Doubleday & Company (1973)
>>> Como Fazer Televisão de William Bluem pela Letras e Artes (1965)
>>> Clipper Em Rede - 5. 01 de Gorki da Costa Oliveira pela Érica (1999)
>>> Para Gostar de Ler - Volume 7 - Crônicas de Carlos Eduardo Novaes e outros pela Ática (1994)
>>> londres - American Express de Michael jackson pela Globo (1992)
>>> Programando em Turbo Pascal 5.5 inclui apêndice da versão 6.0 de Jeremy G. Soybel pela Makron Books (1992)
>>> Lisa- Biblioteca do Ensino Médio -vol. 7 - Ciências - Minerais e sua pesquisa de Aurélio Bolsanelo pela Livros Irradiantes (1973)
>>> Ciências - Corpo Humano de Francisco Andreolli pela Do Brasil (1988)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1976)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1977)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1977)
>>> A World on Film de Stanley Kauffmann pela Harper & Row (1966)
>>> American Wilderness de Charles Jones pela Goushã (1973)
>>> Brazil on the Move de John dos Passos pela Company (1963)
>>> A Idade Verdadeira ( Sinta-se mais Jovem cada dia) de Michael R. Roizen M.D. pela Campus (2007)
>>> The Experience of America de Louis Decimus Rubin pela Macmillan Company (1969)
>>> Regions of the United States de H. Roy Merrens pela Nally & Company (1969)
>>> The Making of Jazz de James Lincoln Collier pela Company (1978)
>>> The Borzoi College Reader de Charles Muscatine pela Alfred. A. Knopf
>>> Architecture in a Revolutionary Era de Julian Eugene Kulski pela Auropa (1971)
>>> Asatru - Os Deuses do Tempo de Bruder pela Do autor (2018)
>>> Talento para ser Feliz de Leila Navarro pela Thomas Nelson Brasil (2009)
>>> Trappers of the West de Fred Reinfeld pela Crowell Company (1957)
>>> Familiar Animals of America de Will Barker pela Alastair (1956)
>>> Asatru - Os Deuses do Tempo de Bruder pela Do autor (2018)
>>> O Outro Lado do Céu de Arthur C. Clarke pela Nova Fronteira (1984)
>>> international human rights litigation in U. S. courts de Beth stephens pela Martiuns (2008)
>>> the round dance book de Lloyd shaw pela Caxton printers (1949)
>>> Fonte de Fogo de Anne Fraisse pela Maud (1998)
>>> The Story of Baseball de John Durant pela Hastings House (1947)
>>> Dicionário de Clínica Médica - 4 volumes de Humberto de Oliveira Garboggini pela Formar
>>> Modern artists na art de robert L. Hebert pela A spectrum book (1964)
>>> A Treasury of American Folklore de Benjamin Albert Botkin pela Crown (1947)
COLUNAS

Segunda-feira, 30/5/2011
As Memórias de Viktor Frankl
Ricardo de Mattos

+ de 3700 Acessos

"O que é, então, um ser humano?(...) É o ser que inventou as câmaras de gás, mas é também aquele ser que entrou nas câmaras de gás, ereto, com uma oração nos lábios".

Entre os livros escritos pelo centenário escritor luso-brasileiro José da Silva Martins ― pai do pianista e maestro João Carlos Martins e do tributarista Ives Gandra da Silva Martins ― encontra-se a biografia do compositor Johann Sebastian Bach. A despeito de ter um filho especialista na obra do músico, Martins preferiu escrevê-la às escondidas, para que detalhes técnicos não interferissem no texto do admirador. Ora copiamos seu exemplo e queremos expressar nosso contentamento por ter conhecido a obra do psiquiatra vienense Viktor Emil Frankl.

Viktor Frankl nasceu em Viena, no dia cinco de março de 1905. Lá formou-se em Medicina e, por influência da Psicanálise, optou pela psiquiatria. Ainda estudante, correspondia-se com Sigmund Freud, a quem deve o encaminhamento e publicação, em 1924, de seu primeiro texto científico na Revista Internacional de Psicanálise. Posteriormente, houve o afastamento ideológico, mas Frankl afirma textualmente que a oposição teórica não diminuiu seu respeito por Freud.

Frankl também esteve ligado a Alfred Adler, fundador da Psicologia Individual. A divergência e afastamento entre os dois, contudo, foi mais evidente. A partir do afastamento de Frankl da Associação de Psicologia Individual, em 1927, Adler nunca fez questão de esconder seu ressentimento.

Os 32 livros escritos por Frankl já foram traduzidos para 27 línguas, entre as quais o japonês e o chinês. Do que existe em português, empreendemos a leitura sequencial e sistemática. Para esta coluna, extraímos diversas informações d'O que não está escrito nos meus livros, a última obra que escreveu e a de publicação mais recente entre nós. Antes, lemos Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. Temos em mãos A presença ignorada de Deus e aguardamos a chegada de Um sentido para a vida. Felizmente há outros disponíveis como Sede de sentido, Logoterapia e análise existencial, Psicoterapia para todos... Bravo!

A grande experiência existencial do psiquiatra foi a passagem por campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Entre 1942 e 1945, passou por quatro: Theresienstadt, Auschwitz, Kaufering e Türkheim, este vinculado ao de Dachau. Sua família era constituída por pai, mãe, um casal de irmãos e pela esposa. Terminada a Guerra, sobrou-lhe apenas a irmã.

A experiência teve sobre o pensamento científico de Frankl o mesmo efeito da panela de pressão sobre certos alimentos. A pressão sofrida e testemunhada supera qualquer descrição, mas a base do que seria sua futura terapêutica estava pronta.

Ele propôs-se a dar à Psicologia, através da análise existencial, o sentido de "conscientizar o ser humano(...) de seu ser responsável, ou trazer perante sua consciência o caráter de responsabilidade da existência". Em suma, no indivíduo apresentado como um joguete de determinismos sociais e ambientais, movido por pulsos ou impulsos explicados de forma mecanicista e materialista, Frankl alertou sobe a necessidade de resgatar o ser espiritual.

Até onde chegamos, na leitura de sua obra, não encontramos sua definição de espírito. Caso isto ocorra, talvez explique-se por sua concepção de, como médico, não avançar o campo da teologia. Como cientista, reconhece a importância do espírito, mas delega ao teólogo a incumbência de defini-lo. Como médico, lembrou-se que um tratamento deve ser estendido a todos: crentes, ateus, materialistas, idealistas, espiritualistas e outras denominações mais que se queira encontrar. Todavia, lega-nos n'A presença ignorada de Deus o conceito de "inconsciente espiritual".

Sua teoria psicologica encontra sólido fundamento numa filosofia de cunho existencialista, por mais contraditório que isto possa parecer a quem não está familiarizado com a discussão. Si há pensadores dos séculos XIX e XX que pregaram a ausência de sentido para a existência, e culminaram no niilismo ― Nietzsche, Sartre ―, Frankl defendeu justamente o contrário e cuidou de pessoas baseado nesta convicção. Encontrado um sentido para a vida do paciente, todo o resto começa a "encaixar-se", conforme compreendemos até o momento. Na verdade, conforme vivenciamos até o momento.

Note-se que se falou acima em "um" sentido que acabe tendo finalidade terapêutica. Não se falou a respeito "do" sentido da vida. Para Frankl, a vida tem um sentido mais amplo que inclui, também, a doença, o sofrimento e a morte. O sentido de que ele fala é aquela meta que o indivíduo deseja alcançar e, por ela dispõe-se a suportar todas as dificuldades do caminho. Este sentido pode ser encontrado numa obra, no amor e no próprio sofrimento. Como dito, ele recorreu à própria experiência nos campos de concentração, onde sua teoria foi depurada.

Frankl encontrou sentido no trabalho, pois não queria "entregar os pontos" sem publicar um livro, o embrião d'A busca de sentido. Quanto ao amor, revelou que durante a lida forçada em canteiro de obras nos quais se aliavam o frio vários graus abaixo de zero e a gentileza dos oficiais e capatazes nazistas, sua sustentação vinha de diálogos imaginários travados com a esposa, presa em outro local. Já o sofrimento foi percebido como fonte de significado existencial, porque Frankl considerou desperdício passar por tudo o que passou e não extrair lições, não superar a dor e torná-la útil. Não seria pedir demais?

Quanto a isso, dois esclarecimentos podem ser encontrados em sua obra. Os prisioneiros que não encontraram sentido para resistir foram os que primeiro sucumbiram, seja por fraqueza, doença ou suicídio. O segundo é que não se trata de qualquer sofrimento, mas, sim, daquele que o indivíduo não pode escapar, como a doença grave, a deficiência irreparável ou a perda de alguém. Sofrer "voluntariamente", por inércia ou ignorância, perde o valor segundo Frankl.

"Ah, mas o que pode ser sofrimento para mim pode não ser para você". Certo. Então vá ler Crepúsculo, não os livros de Viktor Frankl. Creditamos este falso relativismo e precária visão de mundo à estimulada hipersensibilização contemporânea das pessoas. Parte de sua proposta é justamente ver o que nos causa dor, procurar o significado a ser extraído e eliminá-la, si não houver. De nossa parte, entendemos que a evolução faz o espírito encarar como dificuldade superável ― e até didática ― aquilo outrora lamentado como sofrimento doloroso. Há um Bem, e a capacidade de enxergá-lo é que varia.

As Memórias parecem ser o livro mais simples quanto à escrita, mas nele encontramos a palavra final de Frankl a respeito de questões abertas em outros textos. O volume de Em busca de sentido, por exemplo, possui dois anexos teóricos a respeito da Logoterapia, a chamada "terceira escola vienense de psicoterapia". Na autobiografia, Frankl reafirma sua preocupação em livrar o tratamento psicoterápico do que ele chamou "psicologismo" que parece mais um exercício de compreensão teórica e validação prática de doutrinas e afasta-se da função originária de ajudar. Citamos até exemplo ocorrido recentemente. Uma colega reclamou de coceira no anular direito, onde usa a aliança de noivado. O jargão veio pronto à mente: "manifestação psicossomática da rejeição inconsciente ao compromisso representado pelo anel". Tudo certo quanto ao jargão, mas dito em voz alta, quem lucraria com ele?

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 30/5/2011


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2011
01. Do preconceito e do racismo - 18/4/2011
02. Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo - 7/3/2011
03. A lebre com olhos de âmbar, de Edmund de Waal - 5/12/2011
04. Clássicos para a Juventude - 27/6/2011
05. Sobre um tratado chinês de pintura - 24/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BARBIE, A PEQUENA ESTILISTA - 1ª ED.
CIRANDA CULTURAL
CIRANDA CULTURAL
(2013)
R$ 9,89



UM DIA DAQUELES - UMA LIÇAO DE VIDA PARA LEVANTAR SEU ASTRAL
BRADLE TREVOR GREIVE
SEXTANTE
(2001)
R$ 4,00



SOMBRAS DE JULHO
CARLOS HERCULANO LOPES
ATUAL
(1994)
R$ 7,00



LA VIOLENCIA, EL SEXO Y EL AMOR
GILBERT TORDJMAN
GEDISA
(1981)
R$ 19,82



A REFORMA DA LEI S. A. - ATRAVÉS DA LEI Nº10. 303
THEMISTOCLES PINHO E ÁLVARO PEIXOTO
FREITAS BASTOS
(2002)
R$ 24,28



A ESCOLA E A AGRESSAO DO MEIO AMBIENTE
DEBESSE/ARVISET
DIFEL
(1974)
R$ 6,00



100 PRAIAS QUE VALEM A VIAGEM
RICARDO FREIRE
GLOBO
(2008)
R$ 15,00



OS AVENTUREIROS NA GRUTA DO TESOURO VOL 3
ISABEL RICARDO AMARAT
MULTINOVA
(1999)
R$ 39,60



NAVIO FANTASMA Á VISTA OS MEUS MONSTROS
THOMAS BREZINA
MELHORAMENTOS
(2005)
R$ 4,00



CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO
ÁLVARO PÔRTO MOITINHO
ATLAS S. A.
(1963)
R$ 11,00





busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês