O que fiz com Tom Jobim | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Tom Jobim 80

Sexta-feira, 2/2/2007
O que fiz com Tom Jobim
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3500 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Música de cabeceira
Desde criança tenho uma fascinação especial pelas "Águas de Março". Embora eu deteste chuva e dirija mal em pista molhada, achava a música um primor.

Além de achar bonita aquela melodia, havia na canção um desafio que me intriga até hoje: decorar a letra. Coisa mais difícil para a memória guardar que pau e pedra são antes da peroba do campo. Ou que João e José estão lá pelas tantas. Nem sei o que é matita pereira. E onde fica mesmo o carro na lama? Letra linda, mas difícil de decorar. Como a melodia é repetitiva (claro, como a chuva), não fica fácil guardar na memória a carreirinha dos versos na ordem certa.

Até certa época, eu pensava que toda música tinha que ter refrão. Assim como há quem pense que poesia tem que rimar ou que a métrica ainda manda no ritmo. Tom Jobim me mostrava que refrão pode cair. E a canção, ainda assim, pode cair no gosto das pessoas. E pode ainda acontecer outra coisa: a música inteira se parecer com um refrão. Ser dessas que a gente assobia, mesmo sem saber direito o que é bossa nova.

Interpretações
Tom Jobim não era muito mencionado na minha casa, na minha rua, no meu bairro, nem no colégio onde estudei. Depois que ele morreu ficou mais famoso do que já era, como acontece com muito artista no Brasil. Com os especiais na tevê, descobri que era ele o compositor de muitas canções que sabíamos. E "Águas de Março" foi uma delas.

A célebre interpretação de Elis Regina, de arrepiar, ficou nos meus ouvidos. Em 2003, no entanto, um amigo, desses que querem aplicar cultura na gente o tempo todo, quis me converter e me deu um CD de presente. Assim, à-toa, um CD de jazz. Abri com curiosidade e ouvi aquela voz feminina durante meses no carro. Era Cassandra Wilson, uma americana meio dissidente do jazz, que gosta de percussão e canta com a garganta. Apaixonei-me pelo vozeirão atípico e, para minha maior alegria, estava lá uma versão de "Waters of March", com um percussionista brasileiro e uma interpretação que fazia supor que Cassandra ouvia Elis.

Marisa Monte também fez essa travessia. Dividiu "Águas de Março" com David Byrne, numa versão bilíngüe bastante interessante. Só consegui a versão na Internet, num desses programas que capturam MP3.

Discos
"Águas de Março" esteve sempre em minha vida, embora não tenha sido trilha de nenhum romance e nem de qualquer momento especial. Foi apenas uma música que me encantou. E há poucas nessa galeria das canções espontâneas, incidentais, essenciais. Acabei me tornando uma pequena colecionadora de versões.

Em minha discoteca há apenas um CD de Tom Jobim. Nem me lembro mais o nome dele. É difícil comprar os CDs do Tom porque há uma profusão de coletâneas e toda sorte de the best of. Mas certa vez, num affair com um poeta, ganhei um CD. Nunca ouvi inteiro. Para falar a verdade, não gostava daqueles coros femininos que as músicas de Jobim têm. Ainda não gosto.

Tom Jobim era um homem belíssimo. Das poucas vezes em que o vi na televisão, achei que via um charmosíssimo coroa. Mais novo, ele seria capaz de me despertar uma paixão platônica. Sim, porque namorar músico dá muito trabalho. Os poetas puros são mais administráveis.

Música popular?
As cenas de Jobim ao piano são todas antológicas e bonitas. São cinema, mesmo quando não o são. Mas não vou dizer que a morte dele me interessou. Lembro das notícias e da comoção mais ou menos nacional. O fato é que a bossa nova, sem tirar a importância do "movimento", não era propriamente "música popular". Há alguns anos eu lia um livro sobre o Tropicalismo (acho complicado quando essas coisas começam a ser chamadas de "movimentos") e o autor dizia lá: quem mudou os costumes da sociedade foi a fútil Jovem Guarda. Ele não dizia isso com essas palavras. Estou sendo bem mais tosca, mas a verdade inscrita nisso tinha fundamento. Com aquele papo machista e pequeno-burguês de carrão, baladinha e namoradinha, a Jovem Guarda é que alterou padrões que variaram do comportamento sexual ao tamanho da saia das moçoilas, dos cabelos do meu tio à atitude da minha mãe (que, aliás, é fã do Rei até hoje e compra aqueles CDs que ele lança no Natal).

Os engajados tiveram importância, claro, mas a mudança que eles provocaram não atingiu as massas, ou pelo menos não tão rapidamente. A Bossa Nova era algo semelhante.

Isso só afirma algo que já sabemos: que o "público" está ligado a uma espécie de "cultura" (no sentido antropológico mais aberto possível) que nem sempre é controlável e nem se garante pela qualidade. A Bossa Nova não era um "movimento" popular. Embora muitas pessoas saibam cantarolar "Águas de Março", não sabem o nome do compositor, se era homem ou mulher, sequer em que década fez sucesso.

As "Águas de Março" fecham o verão, movem moinhos e poderiam fazer milagres no senso estético de muita gente. Apreciar é algo que se aprende. Não é assim tão fácil, nem tão óbvio. É preciso ouvir lentamente, prestar atenção na letra, cantarolar sentindo. Promessa de vida.

Lembrança sem memória
A propósito, alguém aí sabe cantar "Stairway to Heaven" sem titubear?


Ana Elisa Ribeiro
Contagem, 2/2/2007


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2007
01. Dar títulos aos textos, dar nome aos bois - 27/7/2007
02. Leituras, leitores e livros – Final - 30/3/2007
03. Leituras, leitores e livros – Parte I - 9/2/2007
04. Leituras, leitores e livros — Parte II - 23/2/2007
05. Chicletes - 14/9/2007


Mais Especial Tom Jobim 80
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/2/2007
11h22min
Ana, devo admitir que nunca ouvi Tom Jobim, pelo menos não do jeito certo de ouvir, como você disse, prestando atenção, sentindo a letra. O que mais me atrai no estilo é a interação, às vezes surpreendente, de música e letra. Gostei do que fez com Tom Jobim. Abraços
[Leia outros Comentários de Arthur Alves]
6/2/2007
16h17min
Amei o que li sobre o Tom. Sou um apaixonado por Tom e sua patota. Embora arrisque meus acordes no violão, levo mais jeito para poeta. Amei quando você disse: "Sim, porque namorar músico dá muito trabalho. Os poetas puros são mais administráveis". Sinceramente, Daniel.
[Leia outros Comentários de Daniel Rubens Prado]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A JUSTIÇA ADMINISTRATIVA (LIÇÕES)
JOSÉ CARLOS VIEIRA DE ANDRADE
ALMEDINA MATRIZ
(2012)
R$ 188,00



ESCRITO NAS ESTRELAS - LEMBRANÇAS DA MEIA-NOITE - VIRA-VIRA
SIDNEY SHELDON
BEST BOLSO
(2011)
R$ 10,00



TRABALHANDO COM DISSERTAÇÃO
FRANCISCO MOURA
ÁTICA
(1992)
R$ 7,90



CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO INTERPRETADO VOL, 26
J, M, DE CARVALHO SANTOS
FREITAS BASTOS
(1963)
R$ 16,58



O ARREBATAMENTO DA IGREJA (AUTOGRAFADO)
ALEXANDRE DOS SANTOS
REFLEXÃO
(2013)
R$ 30,00



CANTIGA DE LIBERTAÇÃO
PE. ZEZINHO
PAULINAS
(1974)
R$ 5,00



TESTAMENTO POLÍTICO DE D. LUÍS DA CUNHA - 1
REYNALDO XAVIER CARNEIRO PESSOAS(DIREÇÃO)
ALFA-OMEGA
(1976)
R$ 13,00



ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS - PLT
ANTONIO CARLOS GOBE, CÉSAR HENRIQUE FISCHER, JOSÉ JÚLIO DE SOUZA, JÚLIO CÉSAR TAVARES MOREIRA E PERROTTI PIETRANGELO PASQUALE
SARAIVA
(2007)
R$ 10,00



TELEVISÃO
CIRO MARCONDES FILHO
SCIPIONE
(1994)
R$ 7,90



COURO DOS ESPÍRITOS
BETTY MINDLIN
SENAC
(2001)
R$ 28,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês