A Marie Antoinette de Sofia Coppola | David Donato | Digestivo Cultural

busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 15/3/2007
A Marie Antoinette de Sofia Coppola
David Donato

+ de 3600 Acessos

Conversando com uma colega antes da exibição de outro filme, ouvia óbvios elogios ao cinema do Almodóvar pela sua rara capacidade de criar personagens femininas complexas, mulheres de verdade, com sentimentos e atitudes realmente humanas e dignas de uma mulher de carne e osso, coisa que não acontece na imensa maioria dos filmes, inclusive nos muito bons. Perguntei a ela se isso também acontecia nos filmes escritos ou dirigidos por mulheres. Diante da negativa, só pude pensar que mesmo os cineastas mais talentosos simplesmente não sabem como funciona a mente feminina.

Sofia Coppola sabe. Não só por ser (obviamente) mulher, mas por ter a sensibilidade de transmitir o olhar feminino em todos os seus filmes. Marie Antoinette não é exceção. Na verdade, é possivelmente seu exemplo mais claro até agora.

O filme acompanha a protagonista, seus gostos, seu olhar e a maneira como ela se relaciona com a nova corte, desde o momento que sai da Áustria para se casar com o desinteressado Luis XVI até o início da Revolução Francesa e da derrocada de toda a pompa da corte mais extravagante da Europa.

Desde as primeiras informações sobre o filme, o projeto da diretora que vinha de uma indicação ao Oscar por Lost in translation gerou expectativa: seu primeiro trailer mostrava Kirsten Dunst como a protagonista correndo pelos imensos jardins de Versailles ao som de New Order. Ao ter sua primeira exibição em Cannes no ano passado, no entanto, dividiu opiniões, com tantas vaias quanto aplausos. As vaias (e as críticas ruins) vieram especialmente da crítica francesa, que, como era de se supor, não gostou de ver um ícone tão importante para a história do país falando inglês e dançando ao som de rock.

Felizmente, o filme não é apenas a rotina de uma garota fútil do século XVIII. Também não se resume à cinebiografia da última rainha da França.

É, na verdade, um retrato, se não completamente fiel à protagonista (como saber? Se nem de personalidades vivas conseguimos descobrir as verdadeiras intenções...), ao menos bastante complexo e verossímil de uma mulher atemporal vivendo em um tempo e espaço bastante específicos.

Ao acompanhar o olhar da jovem delfina sobre os costumes extravagantes, os aposentos suntuosos e a etiqueta irritantemente respeitada, sentimos a mesma estranheza que ela, não porque nós não estamos acostumados com a corte do rei Luis XV, mas porque ninguém está.

O desenvolvimento da personagem é tão notável quanto real. De início, a garota procura seu espaço na corte, jogando pelas regras ditadas por seu tutor e por sua preocupada mãe, sem arroubos de genialidade que seriam típicos de um filme onde a premissa é mostrar um personagem "a frente de seu tempo". Marie Antoinette sente insegurança, tédio, alegria, rejeição e carinho na mesma medida que qualquer ser humano (especialmente se for mulher) em suas circunstâncias. Tem qualidades e defeitos que vão muito além do mito "Não têm pão? Que comam brioches!". Ela fofoca, joga, sofre e é incoerente de um modo deliciosamente humano. Ela também cresce com o passar do tempo ao se dedicar aos filhos e ao enfrentar a impopularidade tanto na corte quanto entre o povo.


illustra por goiabazul


Ao redor de um personagem extremamente bem escrito, giram outros tantos personagens notáveis, como o delfim Luis XVI, tão garoto, como ela mesma nota, que se interessa mais por caçadas do que por trazer um herdeiro para o trono, mas que ganha contornos muito mais maduros frente a revolução que se instaura.

Colabora para o filme tudo que a influência da produtora American Zoetrope, de Francis Ford Coppola, foi capaz de conseguir para acrescentar ao filme: direção de arte apurada (nos banquetes, principalmente), figurinos dignos da corte excêntrica da época (e que, não por acaso, lembram muito os de Barry Lyndon, feitos pela mesma figurinista), fotografia quase kubrickiana, com pouca granulação e apenas alguns filtros de cor aqui e ali e, o mais notável, a autorização do governo francês para filmar in loco, no próprio palácio de Versailles, onde tudo realmente aconteceu.

Sofia ainda soma criatividade na escolha da trilha sonora, com os oitentistas (reais e em espírito) Gang of Four, The Cure, New Order e The Strokes, junto de uma montagem bastante competente, o que dá o tom e traz frescor ao filme.

A história real é interessante o suficiente para prescindir de muitas licenças poéticas, e muito do que parece ter saído da cabeça da diretora (e roteirista), é, na verdade, confirmado em qualquer enciclopédia.

Uma reclamação recorrente do filme é que ele não mostra o desenrolar da Revolução nem a execução de Marie Antoinette. Apesar de perder a oportunidade de mostrar a força de Marie durante esse período difícil, a diretora nos poupa de um final inevitavelmente maniqueísta que transformaria a rainha num mártir da guilhotina. Ao invés disso, ficamos apenas com símbolos da derrubada definitiva de um regime político e, principalmente, de um estilo de vida de excessos, mas que resiste, com menos pompa (mas não com menos excentricidade) nas festas das elites atuais, que geram uma infinidade de Maries Antoinettes e que, apesar das drogas e dos sapatos Manolo, são mulheres reais em circunstâncias irreais.


David Donato
São Paulo, 15/3/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. State of the art de Rafael Azevedo


Mais David Donato
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CRÔNICA DO SALÁRIO MÍNIMO - UMA JORNALISTA VIVE DURANTE 30 DIAS A DESV
ARCELINA HELENA PÚBLIO DIAS
RECORD
(1995)
R$ 6,00



OBRAS CIENTÍFICAS POLITICAS E SOCIAIS VOL 3 DE JOSÉ BONIFÁCIO DE A...
EDGARD DE CERQUEIRA FALCÃO - COLIGIDA
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(1965)
R$ 69,00



O ICONE
NEIL OLSON
LANDSCAPE
(2005)
R$ 10,00



CONECTE HISTORIA 3 - PRIMEIRA PARTE
RONALDO VAINFAS
SARAIVA
(2011)
R$ 6,50



COMO FUNCIONA - SISTEMAS - UTENSÍLIOS - EQUIPAMENTOS ATUAIS
SCIENTIFIC AMERICAN
VISOR
(2000)
R$ 10,00



MANUAL DE SEGURANÇA DO TRABALHO
WELLINGTON TAVARES DE ARAÚJO
DIFUSÃO CULTURAL DO LIVRO
(2010)
R$ 21,49



O CRIME QUASE PERFEITO
PERCIVAL DE SOUZA
IDEA
(2010)
R$ 22,00



DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE HIPOCONDRÍACO
AIDAN MACFARLANE E ANN MCPHERSON
34
(1993)
R$ 20,00



MORADAS DE DEUS
DOM CIPRIANO CHAGAS O. S. B.
LOUVA-A-DEUS
(1995)
R$ 10,00



SOCIEDADES ANONIMAS DEPORTIVAS DERECHO COMPARADO
ANTONIO MANUEL MORAIS
HUGIN
(2001)
R$ 74,70





busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês