Ourivesaria fantasista: Saramago nas alturas | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
>>> Fup, de Jim Dodge
>>> Harry Potter e eu
Mais Recentes
>>> A Lei Universal da Atração - Psicologia de Esther e Jerry Hicks pela Sextante (2007)
>>> Coleção Biblioteca de Arte - Os Impressionistas - Degas de Editora Três pela Três (1973)
>>> Coleção Biblioteca de Arte - Os Impressionistas - Cézanne de Editora Três pela Três (1973)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Van Gogh de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Rachel O Mundo Por Escrito -Infanto Juvenil de Tercia Montenegro pela Democrito Rocha (2016)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Toulouse-Lautrec de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Tiepolo de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Ticiano de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Renoir de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Rembrandt de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Rafael de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Piero de la Francesca de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Sonetos de Luís de Camões pela Livraria Tavares Martins (1959)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Picasso de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Mondrian de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Miró de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Michelangelo de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Mantegna de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Manet de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Ingres de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Giotto de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Gauguin de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Frans Hals de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - El Greco de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Dürer de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Delacroix de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Courbet de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Caravaggio de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Volta ao mundo em 13 escolas: sinais do futuro no presente de André Gravatá; Camila Piza; Carla Mayumi; Eduardo Shimahara pela Fundação Telefonica (2013)
>>> Tensões na educação de Florestan Fernandes pela Sarahletras (1995)
>>> Empreendedorismo criativo de Mariana Castro pela Portfolio Penguin (2014)
>>> Políticas públicas e agricultura no Brasil de Sérgio Leite (organizador) pela UFRGS (2009)
>>> Contos Húngaros de Apresentação Paulo Rónai pela Biblioteca Universal Popular (1964)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Brueghel* de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Gramática da língua portuguesa para concursos, vestibulares, ENEM, colégios técnicos e militares de Nílson Teixeira de Almeida pela Saraiva (2009)
>>> Administração nos novos tempos de Idalberto Chiavenato pela Campus (1999)
>>> Ensino de empreendedorismo no Brasil de Rose Mary Almeida Lopes pela Alta Books (2017)
>>> Desperte o empreendedor que há em você de Michael E. Gerber pela M. Books (2010)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Botticelli de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Empreendedorismo e educação empreendedora de José J. Previdelli (organizador); Vilma Meurer Sela (organizadora) pela Unicorpore (2006)
>>> Roleplaying game e a pedagogia da imaginação no Brasil de Sonia Rodrigues pela Bertrand (2004)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Bosch de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> The strategy concept: a pragmatic approach de Arnoldo C. Hax; Nicolas S. Majluf pela Prentice Hall (1996)
>>> Análise sintática aplicada de Luiz Cadore pela AGE (2013)
>>> Chagall de François Le Targat pela Livro Técnico SA
>>> Crianças como você: um extraordinário mergulho na vida de crianças do mundo todo de Agop Kayayan pela Ática (2002)
>>> Crianças como você: um extraordinário mergulho na vida de crianças do mundo todo de Agop Kayayan pela Ática (2002)
>>> Enfermagem atual: o X da questão de Francisco Costa pela Revic (2003)
>>> AVES DO BRASIL de AUGUSTO RUSCHI pela VILA RICA (1991)
>>> Atlas dos Estilos Artisticos de R. Fradera Veiga pela Ediciones Jover SA
COLUNAS

Terça-feira, 21/4/2020
Ourivesaria fantasista: Saramago nas alturas
Renato Alessandro dos Santos

+ de 900 Acessos

Não é uma peleja que se compare à construção do convento de Mafra, mas o leitor sofre e sua para chegar ao fim das 347 páginas de Memorial do convento, um dos primeiros romances de José Saramago e dos mais recentes clássicos perenes da literatura portuguesa.

Em certa altura da narrativa, a velocidade de leitura torna-se tão lenta quanto os carros de boi que levam uma pedra de mármore ao convento ― pedra tão colossal como o romance em si ― em si bemol ― porque Saramago era um fantasista ― um fantasista tipo Messi ou o patrício CR7 – e, mesmo as-sim, muitos ficam pelo caminho; provavelmente, o escritor quis pagar o leitor com a mesma moeda, fazendo-o sentir a dificuldade que os bois têm para carregar tal pedra durante dias e dias. Nessa hora, há aqueles que, decerto, arremessam longe o livro, desistindo do romance, talvez, para sempre. O que seria uma pena. Por três motivos: o enredo é, literalmente, fabuloso; o par romântico, Baltazar e Blimunda, isto é, Sete-Sóis e Sete-Luas, vive não apenas uma lição de amor das mais cativantes, mas a história de uma vida inteira, e que sobeja em Blimunda; por último, Saramago: um grande autor em ação, naquele que tem tudo para ser seu romance mais instigante... Porém, como o homem compôs tramas prodigiosas e cravejou sua prosa das mais preciosas pedras, então, só o tempo mesmo é que vai trazer notícias, um dia...

Motivo 1, o enredo

No século 18, o rei promete erigir um convento em Mafra, caso Deus lhe dê um herdeiro. Além da construção faraônica do edifício, há também Blimunda e Baltazar. Ela é capaz de ver dentro das pessoas e das coisas; é um raio X, uma endos-copia. Ele volta maneta da guerra e, enquanto não encontra Blimunda, vaga sem norte. Juntos, vão se tornar mais um casal célebre da literatura, como Romeu e Julieta, Pedro Bala e Dora, Dexter e Emma, Elizabeth e Darcy, Scarlett e Rhett, Simão e Teresa, e, em meio à construção do convento e ao amor de Sete-Sóis e Sete-Luas (B & B), há ainda uma ‘passarola’, engenhoca vintage que, em Saramago, imprime o elemento surreal à trama: a nave voa, em pleno século 18.

Motivo 2, o par romântico B & B

Blimunda tem uma qualidade (ou uma maldição) que a torna especial, e essa mesma característica deixa Baltasar ainda mais curioso em relação a ela, que o ama e vice-versa. Baltasar Sete-Sóis é um homem simples, de tosco trato, d’expressões grosseiro, e cuida de Blimunda como o jardineiro que ao cultivar a flor é, ao mesmo tempo, cativado por ela. E quem chega ao capítulo derradeiro do romance ainda pode fruir de um dos parágrafos mais magníficos da literatura, em qualquer tempo e língua, trazendo justamente Sete-Sóis e Sete-Luas. Assim, como comparação apenas, é tão surpreendente como chegar ao final de outro grande romance, Terra sonâmbula, do africano Mia Couto. São dois momentos luminares da língua portuguesa. Agora, cuidado: se achar que um dia vai ler esse Saramago, então, não leia o trecho a seguir, que é o parágrafo final de Memorial do convento, mas, se você não se importa com spoilers, eis uma das mais bonitas passa-gens da literatura portuguesa contemporânea:

"São onze os supliciados. A queima já vai adiantada, os rostos mal se distinguem. Naquele extremo arde um homem a quem falta a mão esquerda. Talvez por ter a barba enegrecida, prodígio cosmético da fuligem, parece mais novo. E uma nuvem fechada está no centro do seu corpo. Então Blimunda disse, Vem. Desprendeu-se a vontade de Baltazar Sete-Sóis, mas não subiu para as estrelas, se à terra pertencia e a Blimunda."

Este “Então Blimunda disse, Vem” é coisa de outro mundo, não?

Motivo 3, Saramago

Autor, claro, não é narrador, e versa-vice; por isso, é Saramago quem sopra vida a seus personagens, enquanto lá no mundo ondem moram, o todo poderoso narrador segue aprontando das suas com eles, quando, por exemplo, surgem hete-rodiegéticos (3ª pessoa) e, de repente, debandam para o outro lado, tornando-se narrador e personagem, como se algo assim fosse a coisa mais normal em literatura – claro que, por esses dias, nada mais surpreende, e tudo é possível na literária arte, mas em 1982, nem todo mundo estava preparado para a criatividade do escritor. Parabéns, Sr. José! Tudo funciona muito bem, seja pela fábula, seja pela técnica narrativa. Há mais. Até mesmo um antepassado de Saramago é mencionado (como se fosse uma piscadela cúmplice ao leitor):

"(...) e este mulataz da Caparica que se chama Manuel Ma-teus, mas não é parente de Sete-Sóis, e tem por alcunha Saramago, sabe-se lá que descendência a sua será, e que saiu penitenciando por culpas de insigne feiticeiro (...)."

Saramago, esse argonauta da linguagem, já emitia sinais de originalidade e de frescor neste Memorial do convento. Vocês não acham, leitora e leitor?

A todos os amantes da literatura - aqueles que a amam, ancorados numa etimologia que traz um entusiasta apaixonado por algo que lhe é muito especial -, a chegada de um escritor como esse José é desses acontecimentos a ser comemorados. Até porque não é toda hora que um eclipse acontece, um feriado desponta no calendário, ou qualquer outra coisa assim, mas quando esse “evento” surge e ainda se manifesta na língua de Eça, de Gomes Leal, de Machado, de Craveirinha, de Rosa - Noel, Guimarães -, os leitores só podem agradecer e festejar. É que há algo de doce no país de Saramago, e sua literatura são pastéis de Belém com aquele sabor celeste que só os acepipes divinos têm.

Nota do Autor


Conheça meu mais novo livro LADO B: música, literatura & discos de vinil).


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 21/4/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mulheres de cérebro leve de Ana Elisa Ribeiro
02. José de Alencar revisitado de Gian Danton
03. A primeira hq de aventura de Gian Danton


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
02. Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest) - 16/6/2020
03. Meu malvado favorito - 22/9/2020
04. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020
05. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIVER A VIDA
FREI LUIZ CARLOS DO NASCIMENTO
VOZES
(2004)
R$ 10,00



FORÇA INTERIOR ENSINAMENTOS PRÁTICOS PARA UMA VIDA MELHOR
CARLOS FRANÇA
CÍRCULO DO LIVRO
(1988)
R$ 10,00



COMO CRIAR EM ILUMINAÇÃO
DESIGN MUSEUM
GUTENBERG
(2011)
R$ 10,00



SALVE-SE QUEM PUDER - O FANTASMA DO ESPELHO
KAREN DOLBY
SCIPIONE
(2013)
R$ 10,00



JÓIAS DE OURO PRETO
TOBIAS PINHEIRO
DO AUTOR
(1997)
R$ 10,00



TERRA ESPETACULAR - 4481
DIVERSOS
READERS DIGEST
(1997)
R$ 10,00



MENSAGEM DA BONDADE
P. EDUARDO PAVANETTI
PAULINAS
(1974)
R$ 10,00



OZANAM UM SÁBIO ENTRE OS POBRES
MADELEINE DES RIVIÈRES
LOYOLA
(1984)
R$ 10,00



A GRANDE TRANSIÇÃO PLANETÁRIA: E O EXÍLIO DO HOMEM
JOÃO ISAAC
JOÃO ISAAC
R$ 10,00



LITERATURA SEM SEGREDOS REALISMO (MACHADO DE ASSIS) VOL. 05 - 9063
CLENIR BELLEZI DE OLIVEIRA
ESCALA EDUCACIONAL
(2007)
R$ 10,00





busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês