As mulheres de Rubem Fonseca | Gabriela Vargas | Digestivo Cultural

busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Com 21 apresentações gratuitas, FLOW Literário aborda multi linguagens da literatura
>>> MASP, Osesp e B3 iniciam ciclo de concertos online e gratuitos
>>> Madeirite Rosa apresenta versão online de A Luta
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sou diabético
>>> 3 de Maio #digestivo10anos
>>> O Joca me adora
>>> A volta das revistas eletrônicas
>>> As duas divas da moderna literatura romântica
>>> Entrevista com Rogério Pereira
>>> Bafana Bafana: very good futebol e só
>>> Suspense, Crimes ... e Livros!
>>> Entrevista com Michel Laub
>>> Mensagem do Papai Noel
Mais Recentes
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
>>> Razão e Violência de R D Laing - D G Cooper pela Vozes (1976)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Principis (2021)
>>> A Revolução dos Bichos de George Orwell pela Principis (2021)
>>> A Decadência da Mentira e Outros Ensaios de Oscar Wilde pela Principis (2020)
>>> Histórias de Tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Turma da Mônica Contos da Carochinha de Maurício de Sousa pela Girassol (2019)
>>> Procura-se Lobo de Ana Maria Machado pela Ática (2010)
>>> Mensagem de Fernando Pessoa pela Principis (2019)
>>> A Ilha do Tesouro Em Quadrinhos de Robert Louis Stevenson pela Principis (2020)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Tronos & Ossos a Batalha Final de Lou Anders pela Jangada (2018)
>>> Tronos & Ossos o Enigma do Chifre de Lou Anders pela Jangada (2017)
>>> Tronos & Ossos Jornada no Gelo de Lou Anders pela Jangada (2016)
>>> Minecraft Guia de Criação de Mojang pela Abril (1500)
>>> Minecraft Guia de Exploração de Mojang pela Abril (1500)
>>> O Poço e o Pêndulo e Outros Contos de Edgar Allan Poe pela Lafonte (2020)
>>> O Corvo e Outros Poemas de Edgar Allan Poe pela Lafonte (2020)
>>> O Gato Preto e Outras Histórias de Edgar Allan Poe pela Lafonte (2020)
>>> A Interpretação dos Sonhos Parte I e II de Sigmund Freud pela Lafonte (2014)
>>> Manancial - Meditações Diárias 17 de Vários Autores pela Ufbb (2020)
>>> Marketing - O Que É? Quem Faz? Quais Tendências? de Carlos Frederico de Andrade pela Ibpex (2010)
>>> Manancial - Meditações Diárias 17 de Varios Autores pela Ufbb (2020)
COLUNAS

Quinta-feira, 28/6/2007
As mulheres de Rubem Fonseca
Gabriela Vargas

+ de 5900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Nascido em Minas Gerais no ano de 1925, Rubem Fonseca se formou em Direito e exerceu várias funções antes de dedicar-se inteiramente à literatura. Em 1952, iniciou sua carreira na polícia do Rio de Janeiro, no 16º Distrito Policial. Essa vivência fez com que ele se inspirasse e abordasse em seus livros muito dos fatos vividos naquela época, ficando famoso por uma ficção descontínua e agressiva, povoada de anti-heróis impulsionados por desejos carnais e efêmeros sendo, na maioria das vezes, movidos pelo ódio.

No seu mais novo livro, Ela e outras mulheres (Companhia das Letras, 2006, 176 págs.), Rubem Fonseca segue com sua temática violenta, sexual, compulsiva e forte, abordando um cotidiano cruel; porém, não tão distante da nossa realidade. Entretanto, cabe-se dizer aqui que o autor tem como forte característica a originalidade, não deixando seus contos caírem na mesmice, tornando-os muito bem sucedidos com suas típicas reviravoltas.

Nesse livro, são as mulheres as principais geradoras de tramas que, normalmente, sucumbem em finais pesados; ora infelizes, ora perversos. São 27 contos breves, cheios de impetuosos finais. Começamos a ler e é como se ficássemos presos a cada página do livro, em que o léxico nada rebuscado e pesado junto a cenas fortes aumenta intensamente o realismo dos contos, nos fazendo querer saber o final de cada um, como se deles participássemos.

Cada um dos contos leva o nome de uma mulher, que participam da história como protagonistas, vilãs, vítimas ou meras coadjuvantes. O conto "Ela" é o único que não leva nome, sendo um breve relato sobre o começo e o fim de um relacionamento, marcado pelo desejo carnal e que tem como frase principal e arrebatadora: "Na cama não se fala de filosofia".

O primeiro conto já chega como exemplo de uma série de ótimas construções, cheias de muitas surpresas, impulsos, e mulheres, é claro. A narrativa começa muito tranqüila. Um garoto gago e pobre, aluno exemplar em todas as matérias, com exceção do português. Uma nova professora, Alice, se dispõe a ajudá-lo. O garoto muda completamente, deixa de gaguejar e até Machado de Assis começa a ler. Com direito a aulas à noite na casa da professora. Tempos depois o pai do garoto recebe um telefonema de um comissário de menores dizendo que a professora fora acusada de abusar sexualmente de um menino de outra cidade. Surpresa! O comissário quer falar com o garoto, e se este confessar que a professora abusa dele, ela será processada. O pai busca o filho no colégio e o leva para conversar com o tal homem. Depois da conversa de quase duas horas o comissário diz que conforme sua experiência em interrogar menores, o menino falava a verdade quando dizia que a professora nunca havia sequer tocado nele, e vai embora. Pai e filho ficam sozinhos. O menino diz para o pai que seguira suas instruções, que gostava da professora e que não era nenhum pecado o que eles faziam na cama. Os dois se abraçam e não falam mais no assunto. E eu quase caio pra trás da cadeira ao ler esse final. Simplesmente brilhante, obra digna de um grande autor.

A temática de matadores de aluguel, presente em outros livros do autor, também aparece aqui, com um mesmo assassino em alguns contos. Ele primeiramente aparece como um namorado bandido, louco por sexo, que mata sem escrúpulos segundo as ordens do Despachante - o grande chefão -, até a namorada rica de dezoito anos pedir para ele matar o pai dela para eles ficarem com a herança do velho. Então ele mata a menina e acaba o conto dizendo: "Como alguém pode querer matar o pai ou mãe?". Aí notamos, mesmo que infimamente, algum tipo de ética, mesmo que suja.

Em outro conto, o mesmo homem aparece querendo deixar o trabalho de assassino profissional e o despachante manda uma mulher em um restaurante para seduzi-lo e depois matá-lo, mas ele acaba matando-a primeiro. No seguinte ele "salva" uma velhinha do seu prédio dos filhos interesseiros de seu falecido marido, e o final é a morte, novamente. No último conto o mesmo despachante envia uma matadora disfarçada de garçonete para tentar matá-lo, mas nunca dá certo. Ele sempre acaba matando alguém, mas diz que não gosta de fazê-lo com mulheres, embora seja seu ofício e tenha de cumpri-lo.

Os outros contos também são povoados de pessoas doentias, infelizes ou rancorosas: uma cleptomaníaca que começa roubando folhas de papel e acaba na prisão, um pai e um tio que torturam um bandido friamente após ele ter estuprado uma menina e a espancado até a morte, um homem que por um impulso sobrenatural abusa sexualmente de uma garota estrangeira até matá-la, além de muitas outras histórias surpreendentes.

Tudo isso, de certa forma, faz lembrar o real-naturalismo (movimento literário da segunda metade do século XIX), pois o autor usa bastante do psicologismo e de personagens patológicos, além do determinismo do instinto, em que o instinto está sempre a frente da razão, como nos casos de estupros, vinganças, assassinatos.

Essas são apenas algumas das muitas surpresas que esse livro pequeno; porém, denso, nos trás. Com uma capa verde e um design simples, mas sedutor, Ela e outras mulheres foi publicado no final de 2006 causando grandes rumores entre resenhistas, críticos, comentaristas, entre outros, não diferente de outras obras do autor como Feliz Ano Novo, por exemplo, que foi proibido de 1976 a 1989, sendo liberado somente após uma cansativa ação judicial.

Muitos dizem que Rubem Fonseca abusa de narração e linguajar com doses cavalares de brutalidade; entretanto, creio que essas sejam apenas técnicas para aproximar o leitor, fazendo-o andar conforme os passos da história, em que o desfecho dá sentido a tudo que o antecede. Além do mais, lembro aqui que o autor ganhou em 2003 dois prêmios de grande importância pelo conjunto de suas obras: o prêmio Camões e o prêmio Juan Rulfo de Literatura Latino-Americana. Com certeza, vale a pena conferir esse instigante livro tomando uma boa xícara de café num dia frio de inverno.

Para ir além






Gabriela Vargas
Porto Alegre, 28/6/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sabemos pensar o diferente? de Guilherme Carvalhal
02. Leitura, curadoria e imbecilização de Ana Elisa Ribeiro
03. Tons por detrás do rei de amarelo de Eugenia Zerbini
04. occupytheoffice de Lisandro Gaertner
05. Relendo 'O Pequeno Príncipe' de Sabrina Ferreira


Mais Gabriela Vargas
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/7/2007
00h26min
essa menina tem futuro!!! prodígia! um dia ocupará o lugar de Arnaldo Jabor, hein??? vai fundo, Gabi!
[Leia outros Comentários de Diego Augusto]
17/8/2012
11h16min
Rubem Fonseca? Precisa dizer mais alguma coisa...
[Leia outros Comentários de Rebeca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Paixão do eu lírico - Poesias, poemas, dores e amores
João Pedro Leal
Fross
(2020)
R$ 25,00



Testes Em Educação
Heraldo Marelim Vianna
Ibrasa
(1978)
R$ 5,00



A Invasão
Dias Gomes
Civilizaçao Brasileira
(1983)
R$ 6,00



Casa de Bonecas
Henrik Ibsen
Victor Civita
(1983)
R$ 39,90



Reinventando a Si Mesmo
Luiz Calainho
Agir
(2013)
R$ 15,00



Aconteceu Ontem
Odette de Barros Mott
Atual
(1987)
R$ 12,00



Cocaina... 1a Edição - 10946
Alvaro Moreyra
Pimenta de Mello
(1924)
R$ 65,00



Madiba, o Menino Africano
Rogério Andrade Barbosa; Renato Alarcao
Cortez
(2011)
R$ 20,42



Uma Família Feliz
Durval Ciamponi
Federaçao Espirita
(2002)
R$ 10,00



Encyclopédie Visuelle de La Science-fiction
Brian Ash (direction)
Albin Michel
(1979)
R$ 158,28





busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês