Literatura virtual | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
75847 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Boates
>>> A alegria de não ensaiar
>>> Tempo vida poesia 4/5
>>> The flow state
>>> O batom
>>> Como num filme
>>> Only time will tell
>>> Política - da filosofia à neurociência.
Mais Recentes
>>> Equipes: Gerenciando para o Sucesso - Série Profissional de Debra J. Housel pela Cengage (2009)
>>> O Golpe de um Bilhão de Dólares de Paul E. Erdman pela Círculo do Livro
>>> Simplesmente Eficaz de Ron Ashkenas pela Dvs (2011)
>>> Princípios de economia monetária - Vol. 1 de Eugenio Gudin pela Agir (1976)
>>> Homo Habilis Você Como Empreendedor de Luiz Marins pela Gente (2005)
>>> A Arte do Tempo de Jean-louis Servan pela Cultura (1991)
>>> Síndrome Poética de Francisco José Soares Torres pela Rumo Editorial (2018)
>>> A Pérola de John Steinbeck pela Record (1968)
>>> O Céu Está Caindo de Sidney Sheldon; Alda Porto pela Record (2000)
>>> Regime Juridico do Capital Disperso na Lei das S. A de Erik Frederico Oioli pela Almedina Brasil Br (2014)
>>> A Moderna Sociedade Anônima e a Propriedade Privada de Berle/means pela Abril Cultural
>>> Veia Bailarina de Ignácio de Loyola Brandão pela Global (1997)
>>> Logística Internacional um Enfoque Em Comercio Exterior de Nelson Ludovico pela Saraiva (2008)
>>> As Hortaliças na Medicina Natural de Alfons Balbach pela Vida Plena
>>> Como fazer Planilhas de Robert Dinwiddie pela Publifolha (2000)
>>> Raïssa de Regis Castro pela Vozes (1984)
>>> Curso de Fotografia de John Hedgecoe pela Circulo do Livro
>>> O Manuscritro Original - Ed de Bolso de Napoleon Hill pela Citadel (2019)
>>> O Solista de Steve Lopez pela Nova Fronteira (2009)
>>> Cem Homens Em um Ano de Nádia Lapa pela Matrix (2012)
>>> Loop English For Teens Students Book W/digital Book-starter de Denise Santos; Reinildes Dias; Elaine Hodgson pela Macmillan Education (2016)
>>> Como Usar a Calculadora Hp 12c de Rafael Paschoarelli Veiga pela Saint Paul (2006)
>>> A Imagem do Mundo de Arkan Simaan e Outros pela Companhia das Letras (2003)
>>> O Inverno das Fadas de Carolina Munhóz pela Fantasy (2012)
>>> Sustentavel Mata Atlantica de Clayton Ferreira Lino; Luciana Lopes Simoes pela Senac Sp (2003)
COLUNAS

Segunda-feira, 31/8/2009
Literatura virtual
Gian Danton

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Eu fui um dos primeiros escritores brasileiros a embarcar na onda dos livros virtuais. No início dos anos 2000. Também devo ter sido um dos primeiros a baixar livros virtuais. Na época, não se usava o PDF. Existia um programa que simulava a leitura de livros, inclusive o passar de páginas. Lembro que a primeira obra que baixei foi um de contos do H.G. Wells. Nada mais justo do que começar a ler e-books com um autor de ficção científica. Bem, se disser que fiquei empolgado, estaria mentindo. Fiquei empolgadíssimo.

Quando eu era criança, um dos meus seriados prediletos era Logan's run, sobre pessoas que fogem de uma cidade distópica. Em um dos episódios, eles encontram o que parece ser o Santuário, local mítico onde as pessoas podiam exercer o livre pensar e ser felizes. Em uma das cenas, um personagem está lendo um livro virtual. Ao ler o e-book de H.G. Wells, essa lembrança me veio à memória.

Na época, pipocavam livrarias virtuais. Muitos cobravam pelas obras. Outros prometiam dar grande visibilidade aos seus autores. Algo como: "Pague um pouquinho para publicar aqui, mas seja lido por todo mundo. Logo os editores estarão correndo atrás de você". Um livro virtual de Stephen King, Subindo na bala, ao ser disponibilizado no Amazon, teve tanta procura que tirou o site do ar.

King declarou que ia investir em livros virtuais como forma de não depender mais de editores. Empresas convencionais ficaram preocupadas.

Na época eu já tinha uma percepção que se revelou correta: por que alguém pagaria para ter algo que pode conseguir de graça? Entre todas as propostas, a que me pareceu mais interessante foi a da Virtual Books, justamente aquela da qual baixei o livro de H.G. Wells. A ideia era disponibilizar livros de graça e ganhar com anúncios. O autor ganharia em divulgação de seu nome e sua obra.

De fato, essa percepção, na época, era correta. Stephen King não ganhou quase nada com os livros virtuais e voltou às publicações convencionais.

Desde 2000 publiquei diversos livros pela Virtual Books. Todos disponibilizados de graça. Uma série infantil chamada Mundo Dragão, com vários desenhistas, chegou a ser lida por meio milhão de crianças.

O livro Como escrever histórias em quadrinhos tornou-se um clássico, orientando toda uma nova leva de roteiristas não só brasileiros, mas também portugueses e africanos. De vez em quando recebo e-mails dos locais mais remotos, de pessoas que pretendem escrever quadrinhos agradecendo por eu ter disponibilizado a obra na internet. A minha dissertação de mestrado "A divulgação científica nos quadrinhos", disponibilizada na íntegra no site, também chamou muita atenção e tem sido citada em vários trabalhos acadêmicos. Virou referência principal quando o assunto é divulgação científica ou ciência em quadrinhos.

Um fanfic de Perry Rhodan, O portal das probabilidades, fez com que eu ganhasse a simpatia e admiração dos fãs desse famoso personagem alemão de FC.

Juntando os downloads de todos os livros, são mais de um milhão e meio de leitores. Como muitos livros foram depois disponibilizados em HDs virtuais, é possível que essa conta chegue a dois milhões.

Isso significa que o resultado foi positivo? Nem sempre. Primeiro, eu nunca ganhei um tostão com isso. Se recebesse 50 centavos por cada livro baixado, é possível que já estivesse milionário. Além disso, toda essa popularidade na internet não parece fazer diferença alguma para as editoras. Uma vez, tentando convencer um editor a publicar um dos meus livros, eu informei que a obra já tinha sido lida por 200 mil pessoas na net. Ele me olhou como quem não entende e perguntou: "E daí?".

E daí? Meu argumento era de que, se 200 mil pessoas já tinham se interessado em ler na tela de computador, é porque a obra tinha boa aceitação. O editor discordava: para ele, o público de internet era um, e o de livros, outro.

Pesquisando na internet, eu acabei descobrindo outro aspecto negativo: alguns malandros simplesmente copiavam meus livros, gravavam um CD e colocavam para vender no Mercado Livre. Sério. Em diversas ocasiões tive que acionar o site para tirar o produto do ar.

Entre todos os aspectos negativos, esse foi o que mais me chateou. Afinal, se eu não ganho dinheiro com o produto, outras pessoas também não devem ganhar, certo?

Há muito tempo não publico livros virtuais. A principal razão é falta de tempo para escrever e formatar as obras. Entre aulas, edição de revistas, colaborações com sites e publicações impressas, tempo passou a ser um problema. Eu poderia dizer que essas novas oportunidades surgiram por causa dos e-books, mas estaria mentindo. Na verdade, os e-books contribuíram mais no sentido de me permitir burilar a escrita através do contato com os leitores. Ao contrário do que pensa a maioria das pessoas, a criatividade ao escrever é como um buraco: quanto mais você escreve, maior fica.

Continuo tendo uma relação com os e-books, mas como leitor. Agora que comprei um smartphone, tenho lido mais na tela do que nas páginas. Não, eu não deixei de comprar livros. Sou um leitor compulsivo, assim como um comprador compulsivo. Nada substitui o fetiche de folhear as páginas, de sentir o cheiro da tinta, do papel. Mas há situações em que um e-book é mais prático. Por exemplo: tenho aqui na estante o volume encadernado enorme de As Crônicas de Nárnia. Lindo, mas difícil de carregar. Quando estou em casa, leio no papel; na rua, continuo na versão digital. Existem também aqueles livros lançados unicamente na internet ou aqueles fora de catálogo, de pequeno interesse, que, não fosse o meio digital, estariam para sempre no ostracismo. Com o celular, posso ler a qualquer instante, mesmo quando espero em uma fila.

Hoje, quase dez anos depois de minha estreia nos e-books, eles voltam a ser assunto. De novo, alguns falam em ganhar dinheiro com isso. E, de novo, as editoras convencionais estão preocupadas. Talvez a única novidade é que hoje já existem aparelhos baratos e eficientes, que permitem ler em qualquer lugar (creio que a maioria dos meus leitores deve ter fruído meus livros em enormes e incômodos monitores de computador). Minha conclusão, hoje, é a mesma daquela época pioneira. Por maior que seja o sucesso da literatura virtual, os livros impressos vão continuar existindo, da mesma forma que as salas de cinema continuaram existindo, mesmo com o surgimento do DVD. Talvez só se tornem mais vistosos e bonitos. E talvez até ganhem mais leitores.


Gian Danton
Goiânia, 31/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cigarro, apenas um substituto da masturbação? de Jardel Dias Cavalcanti
02. 2006 e os meus CDs de Rafael Fernandes
03. Causos e coisas da internet de Daniela Castilho


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2009
01. Memória das pornochanchadas - 28/9/2009
02. O roteirista profissional: televisão e cinema - 26/10/2009
03. 10 grandes - 22/6/2009
04. O Gabinete do Dr. Caligari - 13/4/2009
05. A polêmica dos quadrinhos - 25/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/12/2009
12h07min
Quando o Kindle e seus agregados se popularizarem, o cenário para o livro de papel pode ficar feio. Imagine que com a evolução desses aparelhos, não só de texto e imagens estáticas serão feitos os livros digitais. Provavelmente poderemos incluir videos, slides, sons e todo tipo de experiência sensorial embutida nos livros. Pode acontecer que toda essa gente que hoje torçe o nariz para os livros digitais e o Kindle, acabe se rendendo à experiência de ler um livro assim, mais completo, mais divertido, e de maneira mais cômoda.
[Leia outros Comentários de thomas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Outro lado de mim - memórias
Sidney Sheldon
Record
(2005)



Inspiration Japon - 70 Coloriages Anti-stress
Les Blocs Anti-stress
Dessain et Tolra



Iniciação Básica À Astrologia Esotérica
Rosabis Camaysar
Pensamento
(1993)



Mad Nº 55
Vários Autores
Vecchi
(1979)



Mestiço é que é Bom
Darcy Ribeiro
Revan
(1997)



Por Trás do Véu de Isis
Marcel Souto Maior
Planeta



Bom Dia, Verônica
Raphael Montes
Darkside
(2016)



Encurtando a Adolescência - Orientação para Pais e Educadores
Alan Friedman
Record
(1999)



Medicina Da Reprodução e Bioética Reb 47
Frei Elói Dionísio Piva Org.
Vozes
(1987)



Socorro, Perdon
Frederic Beigbeder
Anagrama
(2008)





busca | avançada
75847 visitas/dia
1,8 milhão/mês