A crise dos novos autores | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Viva a revolução
>>> AC/DC 1977
>>> As maravilhas do mundo que não terminam
>>> Nem Aos Domingos
Mais Recentes
>>> Romances de Oscar Wilde de Jeanette Marillier pela Livraria martins (1952)
>>> Jesus - O Maior Psicólogo que Já Existiu de Mark W. Baker pela Sextante (2005)
>>> As Lendas de Dandara de Jarid Arraes pela Cultura (2016)
>>> Prevenção e controle de risco em maquinas equipamentos e instalações de Armando Campos / José da C. Tavares / Valter Lima pela Senac (2014)
>>> Sam, o encantador de Henry A. Zeiger, Alexandre M. de S. Melo pela Mm (1974)
>>> A Aldeia Sagrada de Francisco Marins pela Ática (1993)
>>> O Ponto Zero da Revolução - Trabalho Doméstico, Reprodução e Luta Feminista de Silvia Federici pela Elefante (2019)
>>> 10 Dias que abalaram o mundo de John Reed, Armando Gimenez pela Global (1978)
>>> Inocência de Visconde de Taunay pela Ática (1980)
>>> O seminarista de Bernardo Guimarães pela Ática (1978)
>>> Vislumbres de la India de Octavio Paz pela Seix Barral (2014)
>>> Ah! Se eu soubesse de Rose dos Anjos pela Espírita francisco spinelli (1980)
>>> Poesia Completa e Prosa Escolhida -Volume Único de Gonçalves Dias pela José Aguilar (1959)
>>> Olga de Fernando Morais pela Companhia das Letras (2017)
>>> A Fôrça do Pensamento de William Walker Atkinson pela O pensamento (1978)
>>> Contra o Financismo - o Método Mais Prático e Eficiente para Investir de Felipe Miranda - Rodolfo Amsterden pela Empiricus (2016)
>>> Geografia da coragem de Jorge Macedo pela Edições asa (1988)
>>> Memórias do Aprendizado de Jorge Carvalho do Nascimento pela Edições Catavento (2004)
>>> O que todos devem saber sobre os Bancos de Roberto damasceno Pinto pela Ouro (1968)
>>> Pasquim apresenta Lúcia McCartney de Rubem Fonseca pela Codecri (1978)
>>> Trilogia de Mauro Rasi pela Relume dumará (1993)
>>> A Humanidade é Isenta de Pecado de Masaharu Taniguchi pela Seicho-No-Ie (2008)
>>> Amor de perdição de Camilo Castelo Branco pela FTD (1999)
>>> Plano Piloto de Victor Hugo G. Rodrigues pela Scortecci (1992)
>>> Curso completo de processo penal de Paulo Lúcio Nogueira pela Saraiva (1993)
>>> Prontuário de redação oficial de João Luiz Ney pela Dasp (1973)
>>> Intelectuais da Educação: Sílvio Romero, José Calasans e Outros Professores de Jorge Carvalho do Nascimento pela Edufal (2007)
>>> A Espada de Shannara de Terry Brooks; Ana Cristina Rodrigues pela Saída de emergência (2014)
>>> Insaciável de Meg Cabot pela Galera (2012)
>>> As Pedras Élficas de Shannara de Terry Brooks; Ana Cristina Rodrigues pela Saída de emergência (2014)
>>> Mordida de Meg Cabot pela Galera (2012)
>>> Tutor - um homem de olhar penetrante de Sue Hecker pela Harper Collins (2017)
>>> A tormenta de espadas - As crônicas de gelo e fogo de George R. R. Martin pela Leya (2011)
>>> Interação medicamentosa - 10A de Luiza cristina pela GEN Guanabara Koogan (2011)
>>> O símbolo perdido de Dan Brown pela Sextante (2009)
>>> Cuidado de Ferimentos Para veterinarios de equinos - 10A de Dean A. Hendrickson pela Roca (2016)
>>> Odontologia Veterinaria - 10A de Marco Antonio Gioso pela Manole (2007)
>>> Livros Série Gerenciamento De Projetos - Fgv de André Bittencourt do Valle, Carlos Alberto Pereira Soares, José Finocchio Jr. e Lincoln de Souza Firmino da Silva et al. pela Fgv (2010)
>>> Futebol e Futsal. Atividades, Jogos e Treinamento Para Homens e Mulheres. Fisiologia Aplicada -10A de Ivan da Cruz Picarro pela Phorte (2012)
>>> O Quarteto de Alexandria: Clea de Lawrence Durrell pela Ediouro (2006)
>>> Esporte e Educação Saúde e Cidadania na Escola - 10A de Adriana Brunstein pela Eureka (2015)
>>> Ensinando basquetebol para jovens - 10A de American S.E.P pela Manole (2000)
>>> Esporte e Educação - 9º ano: O esporte e a mente - 10A de Vários pela Mundial (2015)
>>> Ensinando tênis para jovens - 10A de American Sport Education Program pela Manole (1999)
>>> Esporte e Educação Saúde e Cidadania na Escola - 7º ano / Meio ambiente e atividade física - 10A de Denis Pierre Araki pela Eureka (2015)
>>> Esporte e Educação Saúde e Cidadania na Escola - 8º ano / Esporte e ciência - 10A de Denis Pierre Araki pela Eureka (2015)
>>> Esporte e Educação Saúde e Cidadania na Escola - 6º ano / Corpo em movimento - 10A de Denis Pierre Araki pela Eureka (2015)
>>> O Quarteto de Alexandria: Mountolive de Lawrence Durrell pela Ediouro (2006)
>>> Pedagogia do Esporte. Aspectos Conceituais da Competição e Estudos Aplicados - 10A de Riller Silva Reverdito pela Phorte (2013)
>>> Ensinando voleibol para jovens - 10A de American S.E.P pela Manole (1999)
COLUNAS >>> Especial Autores novos

Quarta-feira, 31/5/2006
A crise dos novos autores
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 3800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Existem dois problemas que assolam a mente dos novos autores no que diz respeito à criação de novas e significativas obras literárias (ou mesmo de outras artes). Os dois monstros assustadores são: o problema da angústia da influência e a idéia ou necessidade de se criar algo novo.

Essa angústia que atinge a produção dos novos autores talvez seja real. Ter em mente autores tão potentes como Proust, Dostoiévski, Tolstoi, Kafka, Joyce, Flaubert, Rilke, Balzac, Thomas Mann, dentre outros, deve ser castrante para quem quer vir a ser escritor um dia. Ao menos se o novo autor tiver o mínimo de senso autocrítico (e se, ao menos, conhecer essa tradição, está claro). Como superar experiências artísticas tão significativas quanto a da tradição literária? Como superar mentes tão inteligentes, tão informadas dos sentimentos, idéias e problemas da existência social e estética de seu próprio tempo e que conseguiram transformar isso em verdadeiras obras de arte? Não foi isso o que fizeram nossos grandes mestres do passado?

Realmente não é para qualquer um encarar tarefa tão elevada. Afinal, quem hoje em dia está disposto a consagrar toda a sua existência ao mergulho cego num projeto de criação da obra de arte como da própria vida? É preciso ter fé na arte acima de qualquer coisa para se dar o próprio sangue por ela. E poucos nas atuais circunstâncias estão dispostos a tanto. Não foi (apenas) isso o que fizeram nossos gigantes do passado?

Uma coisa é querer ser famoso, rico, venerado pela sua própria arte, outra é ir ao encontro do desconhecido, por uma questão absolutamente existencial (da arte como necessidade vital para a própria existência), sem mediação de valores apenas circunstanciais, como o prestígio social tão sonhado por uma geração de narcísicos e apáticos boçais. Quando a busca pelo prestígio se torna mais importante que a criação, estamos diante da dupla face demoníaca da incompetência: a imitação (o que está na moda fazer?) e o prosaico (se minha vida é superficial, minha arte também o será). E em arte, como sabemos, a imitação e o prosaico são venenos sem cura.

O outro problema que mencionei é o da tentativa de superação das grandes obras do passado através da criação do novo. Sabemos que, nos anos 30, Ezra Pound impôs aos literatos de seu tempo um dos mais famosos imperativos da literatura moderna: a ordem de tornar novo. Trata-se da concepção de que as artes modernas têm a obrigação especial, o dever vanguardista, de ir à frente de sua época, dinamitando o passado e transformando a própria natureza da arte. A tábua rasa do passado foi lançada nas palavras de Tchekhov: "Há necessidade de novas formas, e, se não há como encontrá-las, melhor ficar sem nada". E também Nietzsche não deixou por menos: "Todo aquele que quiser ser criativo no bem e no mal deverá antes ser um aniquilador e destruidor de valores".

Falar é fácil. Depois de mentes que, sem sombra de dúvida, correspondiam a esses ditames, como Joyce, T.S. Eliot, Kafka e o próprio Ezra Pound, depois dessas mentes inventivas, o que sobrou? A genialidade parou nos anos 30? Pelo visto, sim. Afinal, arremedos de tudo isso não param de se colocar como se pertencessem a essa tradição do novo. Mas copiar uma tradição e/ou ruptura não seria apenas macaquear em regrinhas o que antes era genialidade e congelar o processo criador que deveria ser algo profundamente individual para ser inovador?

No Brasil, salvos dessa perversão estão, entre outros raros talentos, apenas Guimarães Rosa, Drummond, Clarice Lispector e Hilda Hilst. Mas... e depois dessas nobres almas?

O mesmo acontece nas artes plásticas. Uma coisa é rasgar a tela pela primeira vez, como fez Fontana, outra é ficar copiando esse gesto (essa arte?) insistentemente e imbecilmente apenas para não querer estar fora de moda (na cultura também existe o estar na moda ou fora dela). Uma coisa é colar uma cadeira em uma tela na Alemanha vanguardista dos anos 20, outra é repetir isso inconseqüentemente num país atrasado e vanguardeiro como o Brasil a partir dos anos 60 (e os artistas ainda querendo se passar como pioneiros de sei lá o quê).

Dito isso, e sendo um pouco radical (ser radical é ir à raiz do problema, como dizia o velho Marx) creio que estamos longe de poder apontar qualquer coisa relevante nos últimos tempos. Não que não existam artistas de alto calibre. Eles apenas, sugiro, não interessam ao gosto médio, menor e ralo de uma geração de leitores que não são tão bem informados da tradição. E as editoras e galerias precisam sobreviver e suprir essas inteligências anãs.

Será que nossos artistas estão realmente dispostos a serem artistas no sentido mais alto que esta palavra possa ter?

As palavras de Rilke, no seu livro Cartas a um Jovem Poeta, ressoam agora na minha mente para definir o que seria o artista. "Investigue o motivo que o manda escrever; examine se estende suas raízes pelos recantos mais profundos de sua alma; confesse a si mesmo: morreria, se lhe fosse proibido escrever? Basta sentir que se poderia viver sem escrever para não mais se ter o direito de fazê-lo".

Não estaremos numa época tão superficial que os artistas também se tornaram superficiais? Afinal, qual a profundidade, a inteligência e a sensibilidade da mente de um jovem artista hoje? A arte já foi algum dia outra coisa e os artistas também. Havia um peso nas obras de arte que superavam seu peso material. Hoje parece que a literatura é leve, tão leve quanto seus poucos gramas em duzentas e tantas páginas.

Talvez estejamos diante de uma geração de artistas que apenas quer ver seu brilho refletido no espelho. E o que vão ver satisfeitos é a sua própria vaidade vazia. E o reflexo disso será também a sua própria arte.

E a arte sempre foi e é outra coisa. Nasce de outras ambições. Termino então com Rilke: "Uma obra de arte é boa quando nasceu por necessidade. Nesse caráter de origem está o seu critério - o único existente". Porque não tem sido assim, não temos tido nada de tão grande valor. Amém!


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 31/5/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Se a vida começasse agora de Luís Fernando Amâncio
02. Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos de Julio Daio Borges
03. Bosnian Rainbows - Bosnian Rainbows (2013) de Guilherme Carvalhal
04. Desejo estéril de Vicente Escudero
05. O que você comeu no café da manhã? de Marta Barcellos


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2006
01. Guimarães Rosa: linguagem como invenção - 12/4/2006
02. Orkut, ame-o ou deixe-o - 27/1/2006
03. Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada - 24/11/2006
04. Renato Russo: arte e vida - 26/7/2006
05. Eleições: democracia como um falso slogan - 25/9/2006


Mais Especial Autores novos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
31/5/2006
15h11min
Caro Jardel, você esqueceu de dizer que um autor que pensa em ser "famoso, rico, venerado pela sua própria arte" neste país, é, no mínimo, um tolo. São pouquíssimos os casos de autores que conseguem viver da "da própria arte", quem dirá tornar-se rico.
[Leia outros Comentários de Janethe Fontes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A MECÂNICA DAS ÁGUAS
E. L. DOCTOROW
COMPANHIAS DAS LETRAS
(1995)
R$ 35,90



PLAYBOY ANDREA GUERRA
DIVERSOS
ABRIL
(1998)
R$ 50,00



SOCIEDADE DE ADVOGADOS
SERGIO FERRAZ
MALHEIROS
(2002)
R$ 12,00



GERÊNCIA À BRASILEIRA
AGRÍCOLA DE SOUZA BETHLEM
MCGRAW-HILL
(1989)
R$ 10,00



A ARCA DOS BICHOS
MARCELO DUARTE
CIA DAS LETRINHAS
R$ 14,00



GUIMARÃES ROSA
TÂNIA MACEDO
ÁTICA
(1988)
R$ 5,00



O HORROR ECONÔMICO
VIVIANE FORRESTER
UNESP
(1997)
R$ 30,00



A ARTE DE GANHAR A VIDA - COLEÇÃO PERGUNTE AO JOSÉ
SEBASTIÃO MARTINS - VÁRIOS
LE
(1999)
R$ 5,00



A ALEGRIA DO TRIUNFO: MANUAL PRÁTICO DE PSICOLOGIA DO COTIDIANO
PATRICK ESTRADE
IBRASA
(1993)
R$ 5,00



O AVESSO DA POESIA
LUCIA BRAGA
CANOA DAS LETRAS
(1999)
R$ 9,11





busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês