2006, o ano dos livros | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2006

Quarta-feira, 13/12/2006
2006, o ano dos livros
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 4500 Acessos

Assim como em outro artigo que escrevi para este Digestivo, o presente texto, num primeiro momento, teria como tempo a breviedade do ano de 2006. Minha tese, conforme formulei para outro texto publicado no meu já finado blog, era de que 2006 não existiu. Há, obviamente, uma justaposição de termos que alude a uma certa ironia contraditória, pois foram tantos os eventos "importantes" que, basicamente, ficamos anestesiados e não vimos nada acontecer. Pelo menos não como gostaríamos, em especial porque algumas conquistas e mudanças não se concretizaram - da política às artes, o sistema brasileiro reverbera a frase de um ex-ministro: "o Brasil é um suave fracasso". Apesar da boa intenção de dissertar sobre a referida idéia, não ultrapassei mais que um parágrafo. Sobrou orégano e faltou massa naquela pizza. Optei, portanto, por um prato melhor: os livros. Decididamente, 2006 foi o ano dos eventos ligados ao livro, dos grandes autores e, por que não?, das editoras.

No dia em que finalmente comecei a elaborar este texto, vi que outras publicações, maiores e mais importantes, também fizeram o seu memorial, indicando os melhores livros deste ano. Em O Estado de S.Paulo, um sem número de articulistas, lado a lado, apontaram os grandes sucessos e lançamentos da temporada. Como os "jurados" não queriam fazer oposição, até mesmo um livro lançado em 2005 foi incluído na lista. Qual? O leitor que siga a pista. Se a crítica sedimentada não quis atirar pedra, por que vou eu? No caso da The Economist, o que se lê nesta matéria é uma seleção mais variada e que, veja como é curioso, pouco conhecida dos leitores brasileiros: certamente, os críticos da conceituada revista inglesa ainda não conhecem o nosso valor...

Sarcasmo à parte, pode-se afirmar que 2006 foi o ano dos livros justamente porque, parafraseando um sábio líder, nunca, neste país, houve tantos eventos ligados ao mercado editorial livreiro de maneira tão coordenada e simultânea. Com efeito, sem fazer esforço é possível lembrar-se de eventos e iniciativas que, para os amantes deste interessante objeto de desejo, foram um bálsamo, um alento e uma alegria inconteste no meio de tanta barbaridade. Em janeiro, por exemplo, esteve o colunista Luis Eduardo Matta a lançar seu livro com pompa e circunstância aqui em São Paulo. Teve até debate. Trata-se, que fique claro, de um microcosmo dos tantos encontros, palestras e colóquios que aconteceram nas livrarias, nas casas de cultura, nos restaurantes e até, vejam só, nas favelas, onde, segundo consta, existe agora um movimento que promove um sarau literário. Além destes, há que se mencionar a já célebre Flip, assim como sua prima mais pobre, a Flap, e a rica e grandiosa Bienal do Livro, que mais uma vez atingiu a façanha de arrebatar um grande público para um evento de autores e livros.

Para além dos eventos, como o Corredor Literário da Paulista e a Primavera dos Livros, cabe ressaltar a presença do livro em lugares antes improváveis. Agora mesmo, ao longo do mês de dezembro, acontece em frente à Pinacoteca do Estado a Rua do Livro. Dirão os ortodoxos: "mais um evento". No entanto, deve-se atentar para o fato de que a venda de livros acontece em um lugar literalmente aberto ao público, posto que os livros estão dispostos em barracas, numa região bastante freqüentada por leitores e por não-leitores. E para que os pessimistas não chamem isso de indulto de natal, recordar é viver: em outubro deste ano, o Vale do Anhagabaú, também no centro da cidade, foi palco do "Grande Circo do Livro". Para quem não foi, vale a pena ressaltar que os visitantes, como eu, puderam adquirir a biografia de James Joyce por Richard Ellmann à módica quantia de R$ 10. Ainda sob a lógica de "eventos", quem não quis visitar o Museu da Língua Portuguesa, a nossa Casa das Letras, onde o silêncio inexiste por conta das instalações lúdicas e da árvore das palavras?

Mais atraente que isso, só mesmo as bibliotecas do metrô, que em 2006 se consolidaram como um retumbante sucesso. São os números que dizem: até setembro, quando duas das três unidades estavam em pleno funcionamento, eram cerca de 15 mil sócios que tinham acesso às bibliotecas do projeto Embarque na Leitura. Para quem não anda de metrô, aqui vai a tecla SAP. Se você estiver na estação Paraíso, Tatuapé ou Luz, basta ter sua carteirinha em mãos (algo que se resolve com comprovantes de endereço e foto 3x4) e escolher o livro que deseja ler. Dos livros de Paulo Coelho (A Bruxa de Portobello) aos estudos do prof. Ivan Teixeira (Mecenato Pombalino e Poesia Neoclássica), passando pelos Vendilhões do Templo, de Moacyr Scliar, o leitor tem à mão a possibilidade de embarcar literalmente na literatura, sem a necessidade de pagar por isso, sem a necessidade de se deslocar do seu trajeto, com a vantagem de ampliar seu universo cultural e se divertir com boas histórias.

Ainda assim, o ano do livro não se consolidaria sem os autores, os grandes autores. E este ano nós os tivemos em muitas oportunidades, em diversas mídias e, vá lá, formatos. Basta lembrar que o Oscar de Melhor ator de 2006 foi dado a Phillip Seymour Hoffman por sua magistral interpretação de Truman Capote. Este escritor americano, aliás, foi revisitado como nunca pelas editoras brasileiras. Só em 2006, a Cia. das Letras publicou o até então obscuro Música para Camaleões e agora, no final do ano, traz uma seleta de 20 contos do autor. Paralelo a isso, a L&PM editou em formato pocket Os cães ladram, obra que traz alguns perfis elaborado por Capote e o novo selo Alfaguara publicou Travessia de verão, obra que provavelmente é a primeira do autor norte-americano. Os exemplos não páram por aí. Se a lista dos melhores fosse apresentada por completo, este artigo ficaria pesado com tantos nomes graúdos: entre os romancistas, Vargas Llosa (Travessuras da menina má), Coetzee (À espera dos bárbaros), Michel Houellebecq (A possibilidade de uma ilha); entre os autores de não-ficção, Tony Judt (Postwar), Christopher Hitchens (Amor, pobreza e guerra) e Robert Hughes (Things I didn't know - alô, editores, que tal traduzirem este?). Acreditem: esta lista poderia ser bem maior...

Tantos lançamentos fazem a alegria não só dos livreiros, mas também enobrecem os editores e suas respectivas casas de publicação. Em 2006, aliás, comemorou-se os 20 anos daquela editora para a qual todos os escritores, mesmo os marginais, gostariam de escrever (a conclusão é de um escritor amigo meu). Dirá o leitor mais cético que este resenhista e agora colunista bissexto também almeja tal objetivo. A esses, digo que aprecio a ironia, mas não tenho originais prontos aguardando por aprovação. De modo que o aniversário da Cia. das Letras deve ser celebrado, sobretudo, porque ajudou a civilizar o mercado editorial. Quem quiser pode comparar. Uma edição de 20 anos atrás era sofrível; agora, por exigência qualitativa, as obras estão mais caprichadas, ajudando a formar um mercado consistente, a ponto de outra editora de quilate, a Alfaguara, ter estreado por aqui também este ano. Para além dessas duas, cujas obras foram citadas no parágrafo anterior, é fundamental mencionar os 40 anos da Nova Fronteira, que presenteou os leitores com o relançamento de obras preciosíssimas, como O homem sem qualidades, de Robert Musil, e A montanha mágica, de Thomas Mann - isso para não mencionar a edição comemorativa de Grande Sertão: Veredas.

Certamente, houve acontecimentos tão ou mais importantes que os livros em 2006. O julgamento contido neste texto, para o bem e para o mal, é individual e intransferível. Ainda assim, cumpre lembrar que, se não nos tornamos pessoas melhores porque lemos mais, a partir da leitura entendemos o porquê de muitas coisas. Nesse aspecto, este ano foi mais importante do que parece justamente porque, felizmente, os leitores puderam compreender que existem particularidades mais necessárias que a aparência. Que 2007 seja para nós o que 2006 foi para os livros.


Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 13/12/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dostoiévski era um observador da alma humana de Luiz Rebinski Junior
02. Personagens secundários em séries de Rafael Fernandes
03. Verão, de J.M. Coetzee de Daniel Lopes
04. O Código de Defesa do Consumidor e Maradona de Daniel Bushatsky
05. Projeto Itália ― Parte II de Eduardo Mineo


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2006
01. Orgulho e preconceito, de Jane Austen - 5/5/2006
02. Por que quero sair do Orkut (mas não consigo) - 2/2/2006
03. Desejo de Status - 21/4/2006
04. As crônicas de Ivan Lessa - 30/3/2006
05. Google: aprecie com moderação - 2/3/2006


Mais Especial Melhores de 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OUTERNET - VIAGEM NO TEMPO
STEVE BARLOW; STEVE SKIDMORE
ROCCO
(2006)
R$ 8,02



GLOSSÁRIO GEOLÓGICO
VICTOR LEINZ
COMPANHIA EDITORIAL NACIONAL
(1982)
R$ 10,00



HOMENS E MELODIAS (COMPOSITORES E CANÇÕES)
LEONARD A. PARIS
ITATIAIA
(1960)
R$ 15,00



MOVIMENTOS POPULARES NA IDADE MÉDIA - COLEÇÃO DESAFIOS
JOSÉ RIVAIR MACEDO
MODERNA PARADIDÁTICO
R$ 20,00



BODY FOR LIFE
BILL PHILLIPS
MANOLE
(2000)
R$ 17,00



CALCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL - 02 VOLUMES
N. PISKUNOV
MIR
(1973)
R$ 40,00



A APARIÇÃO DO DEMÔNIO NA FÁBRICA ORIGENS SOCIAIS DO EU DIVIDIDO NO SUBÚRBIO OPERÁRIO
JOSÉ DE SOUZA MARTINS
34
(2008)
R$ 30,00



DA PROPRIEDADE DAS MINAS E JAZIDAS
VERA DE SÃO PAULO
BRASILEIRA DE DIREITO
(1974)
R$ 12,00



ARTEMIS FOWL - O MENINO PRODÍGIO DO CRIME
EOIN COLFER
RECORD
(2001)
R$ 10,00



O VIOLINO E OUTROS
LUIZ VILELA
ATICA
(1995)
R$ 10,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês