Os beijos de Tchekhov | Marília Almeida | Digestivo Cultural

busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Animismo
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Entrevista com André Fonseca
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
>>> Pedro Paulo de Sena Madureira
Mais Recentes
>>> Luna Clara & Apolo Onze de Adriana Falcão pela Salamandra (2002)
>>> A Casa Soturna de Charles Dickens pela Nova Fronteira (1986)
>>> Robinson Crusoé - Português/Inglês - Ilustrado de Daniel Defoe pela Ciranda (2017)
>>> Terrores da Noite - Quando a Noite Cai, os Morcegos Atacam de Martin Cruz Smith pela Record (1977)
>>> Códigos Eternos de Legrand pela Soler (2004)
>>> O Livro das Cortesães de Susan Griffin pela Susan Griffin (2003)
>>> O Mundo e Suas Maravilhas -A Aventura do Homem no Espaço e no Tempo de R. Argentiere pela Anchieta (1945)
>>> Escaldado em água fria de John Straley pela Globo (2002)
>>> O Oitavo Mandamento de Lawrence Sanders pela Nova Cultural (1989)
>>> Ninguém Quer Um Coração de J. M. simmel pela Círculo do Livro (1987)
>>> Leituras Indispensáveis de Aziz Ab'Sáber pela Ateliê (2008)
>>> O Enforcado de Maigtret Simenon pela Nova Fronteira (1983)
>>> De Profundis de Oscar Wilde pela Editorial Tor/ Buenos Aires (1942)
>>> El Ruiseñor y La Rosa de Oscar Wilde pela Edit. Renovacción/ B. Aires (1944)
>>> Perlas Negras - Mistica - las Voces (Pesias) de Amado Nervo pela Editorial Tor/ Buenos Aires
>>> L Tragedia de un Hombre Fuerte de Manuel Galvez pela Editorial Tor/ Buenos Aires
>>> Acampou no meio de nós para orar os mistérios da infancia de Jesus de Alvaro Barreiro,Sj pela Loyola (1995)
>>> Um Longo Lamento de Amanda Stern pela Rocco (2005)
>>> Galvez, Imperador do Acre (Sem uso) de Márcio de Souza pela Record/ RJ. (2001)
>>> Galvez, Imperador do Acre de Márcio de Souza pela Marco Zero (1985)
>>> Galvez, Imperador do Acre de Márcio de Souza pela Civilização Brasileira (1978)
>>> A Maior dádiva e o mais precioso tesouro de Edgar F.Hallock & Swllengrebel,Ph.D. pela Juerp (2000)
>>> Galvez, Imperador do Acre de Márcio de Souza pela Brasília (1978)
>>> Galvez, Imperador do Acre de Márcio de Souza pela Brasília (1978)
>>> Quebra Canela A engenharia Brasileira na Campanha da Itália de General Raul da Cruz Lima Junior pela Biblioteca do Exército (1982)
>>> A arte da dedução de Sherlock Holmes 2 de Vários pela Coquetel (2013)
>>> Striding Folly de Dorothy L. Sayers pela Hodder & Stoughton (1973)
>>> Camanha da Birmânia Campanhas 18 de Michael Calvert pela Renes (1978)
>>> O Vencedor de Frei Beto pela Atica (2002)
>>> Please Pass The Guilt de Rex Stout pela Fontana (1973)
>>> O Livro dos Manuais de Paulo Coelho pela Brmalls (2008)
>>> A Grande Sintese de Pietro Ubaldi pela Lake (1979)
>>> O Processo Maurizius de Jakob Wassermann pela Victor Civita (1982)
>>> Candy (o sexo nos Estados Unidos, depois dêste livro, nunca será o mesmo - Revista Life) de Terry Southern- Mason Hoffrenberg (tradução de Nelson Rodrigues) pela Eldorado (1969)
>>> Mística Cidade de Deus de Tradução e resumo por um vicentino pela Louva Deus (1971)
>>> A Velha Senhora de Georges Simenon pela Nova Cultural (1987)
>>> Economie Sociale: Les Institutions de Progrès Social (Encad) de Charles Gide pela Libr. Recueil Sirey/ Paris (2019)
>>> Homem Total e Parapsicologia de Albino Aresi pela Edições Loyola (1983)
>>> Homem Total e Parapsicologia de Albino Aresi pela Edições Loyola (1983)
>>> Eu Sei Que Vou te Amar de Arnaldo Jabor pela Record/ RJ. (1986)
>>> Miguel Strogoff - A Invasão vol 2 de Julio Verne pela Bertrand (1978)
>>> Técnica da Pintura de João Medeiros pela Cia. Edit. Americana (1972)
>>> Seja Voce Mesmo Seu Melhor Amigo: um Diálogo Com Dois Psicanalistas de Mildred Newman & Bernard Berkowitz pela Livr. José Olympio Edit. (1985)
>>> A Intertextualidade das Formas Simples: Aplicada Ao Romance a Pedra do Reino, de Ariano Suassuna de Elizabeth Marinheiro: Posfácio: Ariano Suassuna pela Rio de Janeiro (1977)
>>> Sofrer e Amar: Psicologia do Sofrimento de Agir pela Agir/ RJ. (1955)
>>> Golem, um Jogo Incontrolável - Volume 1 (Sm uso) de Lorris; Elvire e Marie- Aude Murail pela Record/ RJ. (2002)
>>> Psicoterapia Com L. S. D. e Outros Alucinógenos de Fontana (alberto E) pela Mestre Jou (1969)
>>> Os Meninos da Planície: Histórias de um Brasil Antigo de Cástor Cartelle/ Ilustr.: Sandra Bianchi pela Formato/ Belo Horizonte (2001)
>>> Bioética de Moderna pela Moderna (2001)
>>> Até Parece o Paraíso de John Cheever pela Companhia das Letras/SP. (1986)
COLUNAS

Terça-feira, 25/9/2007
Os beijos de Tchekhov
Marília Almeida

+ de 6300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Os contos do russo Anton Tchekhov parecem beijos. Não quero fazer referência a um de seus livros, O Beijo e outras histórias, mas não encontrei melhor palavra para resumir seus textos cheios de humanidade, sentimentos intensos e amor pela vida. Ao final de cada um dos pequenos escritos reunidos no livro A dama do cachorrinho e outros contos (Editora 34, 2006, 368 págs.), traduzido por Boris Schnaiderman, conhecido como o maior tradutor do russo para o português, podemos ouvir estalos superficiais, mas que podem nos satisfazer profundamente, apesar de delicados e fugazes.

Mesmo para mestres do gênero, é um grande desafio manter o mesmo patamar de qualidade e efeito em textos tão heterogêneos como os aqui colocados lado a lado. Esses estilos vão desde brincadeiras populares com grande inspiração no teatro, que marcaram o início do autor na literatura, passando por reflexões existenciais e fortes protestos sociais, que permeiam todos seus textos ora em menor ou maior grau e é o ponto de homogeneidade entre todos eles, além das características pontuadas acima. Há os de menor força, como "Olhos mortos de sono" e "Ceninha", mas os grandes os superam.

Um exemplo de brincadeira é "Nos banhos", que nada mais é que um desfile de histórias divertidas e tipos exóticos cujo objetivo é culminar no riso do leitor. Outros escritos sentem mais o peso do estilo teatral e consistem em um grande diálogo com ritmo frenético e repetitivo, arrematado por um pensamento que visa resumir em apenas uma frase a moral do que se contou, como em "Pamonha" e o eficiente "Fantasiados", que desvenda diversas pessoas sob o véu da hipocrisia. Confira:

"Um mujiquezinho bêbado vai andando pela aldeia, canta e faz chiar a sanfona. Uma ternura de ébrio espalha-se em seu rosto. Exclama hi-hi-hi e vai ensaiando passos de dança. Tem uma vida alegre, não é verdade? Não, está fantasiado. 'Quero comer', pensa."

O protesto social faz parte de algumas histórias mais marcantes e é veemente em contos como "Um caso clínico". Apartidário e cético, características do médico e homem da ciência que era, o protesto de Tchekhov é livre, marcadamente humano, reduzido a desigualdades sociais concretas. Seu tom satírico é explicado no posfácio esclarecedor do tradutor. Geralmente, Tchekhov troca nomes e os adapta, fazendo com que ganhem um significado dúbio, como em "Caso com um clássico", que, conforme Boris explica em um posfácio esclarecedor, pode ser tanto um aluno dos ginásios clássicos como um escritor clássico.

Está presente também em seus escritos a luta de classes e hierarquias tão características da vida e idealismo russo, como no belo "Angústia - a quem confiar a minha tristeza", que conta o desesperado desabafo de um cocheiro, que tenta traduzir em palavras o profundo pesar que sente com a morte do filho para todos os seus clientes, sempre em vão.

Tchekhov também utiliza por vezes a desafiante visão infantil em suas narrações, como em "Criançada" e "Vanka". Algumas são cheias de ternura e possuem uma descrição de ambiente surpreendente, própria do olhar do infante, mostrando a extrema delicadeza e senso de observação do autor. "Gricha", que relata um passeio de um pequeno com a babá e conhece o mundo, é um exemplo. Essa passagem traduz bem seu estilo:

"A babá e a mamãe são compreensíveis: elas vestem Gricha, servem-lhe comida e deitam-no para dormir, mas para que existe o papai, não se sabe. Existe ainda outra personagem misteriosa: a tia que presenteou Gricha com o tambor. Ora aparece, ora desaparece. Para onde é que ela vai? Mais de uma vez, Gricha espiou embaixo da cama, atrás do baú e debaixo do divã, mas ela não estava lá..."

Mas o autor russo, admirado e criticado por Tolstói e analisado por Virginia Woolf, mostra sua melhor forma ao tratar dos relacionamentos humanos. A "Corista" é um desses contos e conta a história de Pacha, corista que é amante, sem conhecimento, de Kolpakóv. O conto narra o encontro entre ela e sua mulher, quando esta vem procurar por seu marido em sua casa, e vai destilando o ódio da estranha, gestos nervosos e argumentos de mulher humilhada até que a história se inverte de tal modo que começamos a mudar de opinião sobre quem defender.

Esses sentimentos contraditórios e confusos também aparecem em "Bilhete Premiado", onde Ivan Dmítritch passa por um turbilhão de sentimentos com relação à sua esposa quando pensa que pode ganhar na loteria, e "Volódia", a história de um adolescente tímido e cheio de sentimentos conflituosos que desperta para o desejo do sexo oposto e o fato culmina em tragédia. Muitas vezes, Tchekhov se inspirou em fatos reais para criar suas histórias. Na época em que "Volódia" foi escrito, houve muitos suicídios de ginasianos. Veja um trecho:

"Ele sabia muito bem que maman dizia a verdade. Em seu relato sobre o general Chumíkhin e a Baronesa Kolbe, não havia sequer uma palavra de mentira e, apesar de tudo, Volódia sentiu que ela estava mentindo. Sentia-se a mentira em seu modo de falar, na expressão do rosto, no olhar, em tudo."

"Volódia Grande Volódia Pequeno", "Queridinha" e "Ventoinha", uma história mais longa dividida em oito capítulos, revelam, além de magníficas relações humanas, figuras femininas complexas, com interessante psicologia. Mas nenhuma delas se compara à protagonista da história que leva o título do livro. A dama do cachorrinho, uma mulher casada, solitária e misteriosa, desperta a atenção de um homem volúvel com tal profundidade que perdura em sua imaginação e lugares por onde passa, lembranças estas que o autor consegue expressar nos mais ínfimos detalhes. Eis um excerto:

"...tudo ressuscitava, de repente, em sua memória: o que sucedera no quebra-mar, o amanhecer com aquela névoa sobre as montanhas, o navio chegando de Feodóssia, os beijos. Passava muito tempo caminhando pelo quarto e recordando, sorria e, depois, as lembranças transformavam-se em sonhos e o passado, misturava-se, em sua imaginação, ao que viria ainda. Não sonhava mais com Ana Sierguéievna, ela o acompanhava por toda parte, como uma sombra, e vigiava-o."

O mais marcante nos textos é a continuidade que trazem consigo, estilo que, afinal, o tornou um contista revolucionário que ditou o estilo moderno. Suas pequenas histórias não terminam: são apenas passagens. Às vezes parecem começar no meio da história e não sabemos bem como os personagens estão ali, mas isso de modo algum tira seu encanto e força. Por todas essas características, Tchekhov é mais um do grande rol de autores russos que fizeram a história da literatura mundial.

Para ir além






Marília Almeida
São Paulo, 25/9/2007


Mais Marília Almeida
Mais Acessadas de Marília Almeida em 2007
01. Dez obras da literatura latino-americana - 10/7/2007
02. A trilogia da vingança de Park Chan-Wook - 22/5/2007
03. Nouvelle Vague: os jovens turcos - 30/1/2007
04. 10º Búzios Jazz e Blues - 14/8/2007
05. Cinema é filosofia - 28/8/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/9/2007
20h53min
Marília, Tchekhov é simplesmente o melhor contista de todos os tempos. Sem nenhum medo de errar. "Enfermaria n° 6" é o clássico do gênero.
[Leia outros Comentários de Daniel Lopes]
22/10/2007
22h12min
Muito bom. Ótima relação entre os textos.
[Leia outros Comentários de Juliana Pereira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A IRMANDADE DO CRIME
EDGAR WALLACE
CIRCULO DO LIVRO
R$ 5,00



TERAPIA DA PAZ
CARLOS ANN MORROW
PAULUS
(1998)
R$ 10,00



HANNAH AND THE HURRICANE
JOHN ESCOTT
LONGMAN
(1995)
R$ 10,00



BLINK-182 - A BIOGRAFIA
JOE SHOOMAN
EDICOES IDEAL
(2012)
R$ 27,00



QUERIDO DIÁRIO OTÁRIO - EU! (IGUALZINHA A VOCÊ, SÓ QUE MELHOR)
JIM BENTON
FUNDAMENTO
(2011)
R$ 14,99



EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS
FERNANDO RUIZ
SENAC
(2007)
R$ 17,85



CINDERELA - UM LIVRO POP-UP DE CONTOS
TODOLIVRO EDITORA
TODOLIVRO
(2015)
R$ 7,00



VICTORIAN COSTUME AND COSTUME ACCESSORIES
ANNE BUCK
RUTH BEAN PUBLISHERS
(1984)
R$ 168,00
+ frete grátis



A CASA DA PRAIA
JANE GREEN
NOVA FRONTEIRA
(2011)
R$ 10,00



TEMPO, ESPAÇO E SIMBOLOGIA
JUSSARA NEVES REZENDE
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00





busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês