Os meninos da rua Paulo | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> lua de Mel em Portugal de Marco Antonio pela Pin
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach pela Nórdica (1970)
>>> Epigramário de J. Dias de Moraes pela O Autor
>>> O livro de Ouro da Poesia Religiosa Brasileira de Jamil Almansur Haddad pela Edições de Ouro (1966)
>>> São José do Rio Preto:1852 / 1894 de Agostinho Brandi pela Rio-Pretense (2002)
>>> A Abertura dos Portos do brasil de Pinto de Aguiar pela Progresso (1960)
>>> Hawaii Açucareiro de Apolonio Sales pela IPA (1937)
>>> Desidério Desiderávi de Frei Carmelo Surian O. F. M. pela Vozes (1957)
>>> Pearl Harbor de H.P. Willmott pela Livro Técnico S/A (1981)
>>> O Orfeão na escola nova de Leonila Linhares Beuttenmuller pela Irmãos Pongetti (1937)
>>> Robson Crusoé de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1988)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Economico do Brasil de José Papa Júnior pela Nacional (1983)
>>> No Hospital das Letras de Afranio Coutinho pela Tempo Brasileiro (1963)
>>> Fim de Primavera de Edvard Camilo pela Globo (1921)
>>> Corpos de Elite do Passado de Dominique Venner pela Ulisseia (1972)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática (1984)
>>> A brigada portyguara 1a Edição de Almicar Salgado dos Santos pela Nacional (1925)
>>> La France en Gènèral de André Frossard pela 'Plon (1975)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Econômico do Brasil de José Papa Júnior pela São Paulo (1983)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry pela Agir (2003)
>>> Alguns Homens me Falaram da Paz de Jorge Maia pela Pan Americana S/A
>>> Menino de Asas de Homero Homem pela Ática (1982)
>>> A Segunda Guerra Mundial ( Em 12 volumes) de Codex pela Edição do Autor (1966)
>>> Moderato Cantabile (Edição Bilíngue) de Marguerite Duras pela José Olympio (1985)
>>> Pai-de-Todos de Ganymédes José pela Brasiliense (1978)
>>> A Liquidez Mundial e o Fundo Monetário Internacional de José Nabantino Ramos pela São Paulo (1964)
>>> Mulheres Entre Linhas - Contos - 1985 de Sec. do Est. da Cultura pela Cultura Já (1985)
>>> Pai, me compra um Amigo? de Pedro Bloch pela Ediouro (2005)
>>> A Vingança de Electra de Luiz Galdino pela Ftd (1998)
>>> Deslumbramento - Dedicatória e Autografado de Aristheu Bulhões pela Santos (1976)
>>> O Rei Cavalleiro de Pedro Calmon pela Nacional (1933)
>>> Paranóia A Síndrome do Medo de Stella Carr pela Ftd (1990)
>>> Revista Pau Brasil 14 - Ano III - Set./out. 1986 de Enio Squeff (editor) pela Daee (1986)
>>> Império Brazileiro de J. M. Pereira da Silva pela Garnier (1865)
>>> Um e Outros.... de Moacyr Chagas pela SP (1922)
>>> Euclides, Capistrano e Araripe de Afranio Coutinho pela Nacional (1959)
>>> Panis Angelicus Ou o Sacramento da Virgindade de Giuseppe M. Petazzi pela Salesianas (1966)
>>> O Alienista de Machado de Assis pela Ática (1971)
>>> O Romance Paulista no Século XX de Zélia Cardoso pela Academia Paulista de letras (1983)
>>> A Terceira Guerra Mundial Agosto de 1985 de General Sir John Hackett pela Circulo do Livro (1985)
>>> As Mulheres o Poder e a Familia de Eni de Mesquita Samara pela Marco Zero (1919)
>>> Eles Sonharam Com a Liberdade de Eudes Barros pela Gráfica Ouvidor (1962)
>>> O Sol da Liberdade de Giselda Laporta Nicolelis pela Atual (1988)
>>> Innovações do Romanismo de Carlos Hastings Collette pela Evangélica (1912)
>>> O Espião Cícero de Elyesa Bazna pela Flamboyant (1965)
>>> Aqui, entre Nós de Ercília F. de Arruda Pollice pela Ftd (2005)
>>> Observations sur la Compétence Des Consells de Guerre de Francis Laloe pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1894)
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Scipione (2000)
>>> Diário da Capella de Baptista Pereira pela Saraiva (1933)
>>> Manual de Medicina Veterinária de Dr. Alvaro Penha Sobral pela Rio Médico (1937)
COLUNAS

Segunda-feira, 13/8/2007
Os meninos da rua Paulo
Gian Danton

+ de 14100 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Existem obras que ultrapassam em muito seus objetivos iniciais, que começam singelas, sem grandes pretensões, mas acabam se tornando clássicos. No Brasil, tivemos Narizinho Arrebitado, de Monteiro Lobato, uma tímida incursão do autor pela literatura infantil (que não existia no Brasil na época), mas revelou-se um verdadeiro divisor de águas, fazendo com que posteriormente o escritor passasse a se dedicar apenas ao Sítio do Pica-pau Amarelo. Mas um caso muito mais extremo é Os meninos da rua Paulo (Cosac Naify, 2005, 256 págs.), de Ferenc Molnár. Este não só se tornou um sucesso mundial como ultrapassou as barreiras da literatura infantil. Tornou-se leitura adulta e virou até tema de uma música do Ira! ("Sou menino da rua Paulo, de um bairro em Budapeste, sou menino de São Paulo, lá da vila Mariana").

A música do Ira! explica, em parte, o sucesso do livro. Embora a história se passe na Hungria, no final do século XIX, ela fala sobre garotos de qualquer época, em qualquer lugar. Ela trata de temas universais: honra, coragem, traição, lealdade. Quando se tem 12 anos, esses são os temas mais relevantes do mundo. A lealdade ao grupo é o valor mais importante numa época em que crianças deixam a barra da saia da mãe e precisam encontrar novos modelos e novas formas de enfrentar o mundo. O grupo passa a ser a família, e os pequenos fatos envolvendo esse grupo refletem o mundo.

Em Os meninos da rua Paulo, um grupo de garotos usa um terreno baldio, um grund, como base de operações, um local em que jogam péla, brincam de clube, fingem participar de um exército, arremedam eleições. O grund é o império deles. Mas em outro local, numa ilhota no Jardim Botânico, existe um outro grupo com as mesmas características, com uma diferença: esses não têm um lugar próprio para brincar. A maneira encontrada para resolver a situação é invadir o grund do outro grupo.

A guerra tem uma espécie de aspecto mítico que fascina meninos nessa idade. A camaradagem, a coragem e a aventura que ela desperta podem ser vistas em diversos episódios da cultura pop. Do filme Conta comigo (baseado na novela O Corpo, de Stephen King) passando por episódios dos Simpsons e de Anos Incríveis, temos a missão militar como um ideal imaginado por garotos. Em Conta comigo os garotos precisam chegar ao local de um acidente para encontrar um corpo. Em Anos Incríveis os meninos precisam chegar a uma festa para adolescentes. Em Simpsons os meninos mais fracos precisam brigar contra os que os maltratam. O caráter militar é destacado até por marchas militares.

Em todos esses casos, a missão militar estilizada é um rito de passagem para a vida adulta. É um teste severo pelo qual muitos não passarão e continuarão sendo crianças para sempre, e outros sucumbirão. Os meninos da rua Paulo parece ser a obra que melhor expressou essa condição, daí o fascínio que sempre irá provocar. Junta-se a isso uma narrativa simples, mas fluente, com diálogos reveladores. Mólnar escreve como se estivesse simplesmente se lembrando de fatos acontecidos - o que leva vários pesquisadores a acreditarem que a história é auto-biográfica.

O autor, cujo verdadeiro nome é Ferenc Neumann, nasceu na Hungria, em 1878, numa família judia de classe média. Em decorrência de uma lei do Império Austro-Húngaro, foi obrigado a mudar seu nome para o idioma local. Trabalhou como jornalista, mas ficou famoso com o teatro. Suas peças foram encenadas em toda a Europa, muitas delas adaptadas para o cinema. Durante a primeira guerra, ele foi correspondente e viu rapazes defendendo suas trincheiras, o que pode, em parte, ter influenciado a obra.

No entanto, se o livro pode ser baseado em guerras de verdade, certamente o comportamento dos combatentes é idealizado. Há um rigoroso código de ética entre os rapazes, que não permite, por exemplo, que dois meninos ataquem só um. Em determinado momento a bandeira dos meninos da Rua Paulo é tomada pelos inimigos. Um dos meninos a traz de volta e é repreendido, sendo a bandeira devolvida. O general Boka, líder da patota, explica que só poderiam tomá-la em batalha. Quem dera nossos governantes tivessem metade do senso de honra e ética desses meninos.

Na Hungria o livro ficou tão famoso que um homem apareceu dizendo-se a inspiração para o personagem Nemecsek. Como resultado, começou a ser convidado a fazer conferências e contar reminiscências, ganhou presentes e até um apartamento, até ser desmascarado. De adorado, passou a ser odiado, pois ninguém lhe perdoava por mexer em um mito.

Se o livro vale apenas por seus méritos literários, o ótimo tratamento da Cosac Naif o valoriza ainda mais. A editora aproveitou a tradução feita por Paulo Rónai, ele mesmo um imigrante húngaro que, fugindo do nazismo, veio ao Brasil tornar-se um dos nossos mais importantes intelectuais. Aqui, traduziu A comédia humana, de Balzac, e organizou o volume de contos universais Mar de histórias, em colaboração com o amigo Aurélio Buarque de Holanda.

Além de manter a ótima tradução, a editora colocou textos introdutórios, posfácio, biografia do autor, do desenhista e do tradutor. Até a encadernação é caprichada, com orelhas longas, que firmam o livro e uma bela capa que flagra um momento de infância e reflete bem o conteúdo do volume.

É livro para comprar, ler e recomendar aos filhos.

Para ir além






Gian Danton
Macapá, 13/8/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O experimento de J. K. Rowling de Marta Barcellos
02. Gleiser, o cientista pop de Tais Laporta
03. É apenas rock and roll, mas eu gosto de Tatiana Cavalcanti
04. Itinerário de leituras off-line de Julio Daio Borges
05. Pessoas digitais de Ana Elisa Ribeiro


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2007
01. Os meninos da rua Paulo - 13/8/2007
02. Orwell na pior em Paris e Londres - 8/3/2007
03. Wikipedia e a informação livre - 2/5/2007
04. Logan's run - 21/5/2007
05. Lugar Nenhum - 31/12/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/8/2007
13h43min
Boa lembrança, Os meninos da rua Paulo é um pequeno clássico. Li, quando era adolescente, e foi quase como ler sobre os meninos da rua São Paulo, Belo Horizonte, onde passei a maior parte da infância. As ruas são as mesmas, quando a gente é menino. Mas suponho que essa era terminou. Boa pedida, Gian. Abraços.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
4/8/2007
19h15min
É um livro que me marcou muito. E sempre que posso dou um de presente para os meus sobrinhos. Realmente, um pequeno clássico que mexe com a imaginação do leitor, seja criança ou adulto. O filme também é fantástico, pena que não sei quem é o diretor. E vale a pena (re)ver ambos (o livro e o filme). Boa dica!
[Leia outros Comentários de Adriana]
13/8/2007
08h40min
Os Meninos, de Ferenc Molnar, nos enchem de uma esperança de um tempo arredio que foi se esvaindo quando determinadas virtudes foram desmoronando. Quando criança foi neste clássico que me foi apresentada a perda e tomei conhecimento da dor irreparável. São estas alegorias que fazem um pequeno livro a tradução possível de um universo para crainças e adultos; e, da matéria ordinária de qualquer livro, a consolidação de um clássico.
[Leia outros Comentários de Carlos E. F. Oliveir]
13/8/2007
21h19min
Li um livro quando guri, chamava-se "A Guerra dos Botões", autor não lembro... tratava-se da mesma historia, dois grupos de crianças, brigas, verdadeira guerra declarada... companheirismo, honra, coragem... muito parecidas as duas historias para ser mera coicidencia...
[Leia outros Comentários de Luciano Borba Stecke]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FALCÃO TRIGOSO A VIDA E A OBRA DO PINTOR
SYLVIA PURWIN DE FIGUEIREDO FALCÃO TRIGOSO
INAPA
(1997)
R$ 39,08



IMPLANTAÇÃO CERTIFICAÇÃO ISO 9001: 2008
FERNANDA FLORES NASCIMENTO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



O MÁGICO DE OZ (TEXTO INTEGRAL)
L. FRANK BAUM
ÁTICA
(1997)
R$ 14,90



CONSELHOS ESCOLARES E RESULTADOS DE AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA(IDEB):
WALDÍSIA RODRIGUES DE LIMA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 272,00



GARCIA D ORTA E AMATO LUSITANO NA CIÊNCIA DO SEU TEMPO
A. J. ANDRADE DE GOUVEIA
BIBLIOTECA BREVE
(1985)
R$ 26,00



REVISTA FLAP INTERNACIONAL Nº 335 - ANO 37 - AGOSTO 2000
CARLOS ANDRÉ SPAGAT DIRETOR
EDITORIAL SPAGAT
(2000)
R$ 7,00



TIPO ASSIM , CLARICE BEAN
LAUREN CHILD
ÁTICA
(2009)
R$ 28,00



1001 PENSAMENTOS
GILBERTO SANTOS
CAMPO DAS LETRAS
(2001)
R$ 41,37



A MULHER EM ISRAEL
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
(1975)
R$ 5,00



ATLAS FOTOGRÁFICO À CORES DE ANATOMIA MICROSCÓPICA
PIETRO MOTTA
LIVRARIA ATHENEU
(1974)
R$ 29,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês