Três e Dez para Yuma | David Donato | Digestivo Cultural

busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 5/2/2008
Três e Dez para Yuma
David Donato

+ de 2500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

As distribuidoras de filmes no Brasil parecem se preocupar bastante com os títulos dos filmes que vêm para as telas do país. Preocupação compreensível, diga-se de passagem (afinal, o produto tem que ser vendido, nem que seja por um maldito subtítulo explicativo como O contador de histórias ou O oitavo passageiro), mas, sinceramente, acho que eles exageram na maioria das vezes. Uma escola muito louca, Um maluco no pedaço ou qualquer combinação cafona de "Artigo + Substantivo + Advérbio de Intensidade + Adjetivo" torna a vida mais difícil para quem procura um pouco mais do que gastar duas horas comendo pipoca. O título do filme é como qualquer outro título. Serve para dar uma idéia do conteúdo da obra, e ao mesmo tempo provocar um mínimo de curiosidade.

Somos mais felizes na literatura, onde não se traduz 1984 para Um homem contra o sistema, nem Moby Dick para O caçador de baleias. Mas no cinema, O som da música parece não ser suficiente para dizer que estamos falando de uma noviça que vai contra as regras da sociedade e muda a vida das pessoas ao redor. Quem vai ao cinema para ver O recém-formado (ou O Universitário, O Graduado, como queiram) não tem como saber (pobre alma!) que está prestes a assistir um filme que (entre tantas outras coisas) fala da primeira noite de um homem.

A lista é interminável: Mulholland Drive (Cidade dos sonhos), Ocean's Eleven (Onze homens e um segredo), All about Eve (A Malvada), The Godfather (O poderoso chefão)... O meu preferido (ou preterido) é Annie Hall, que transmutou em Noivo neurótico, noiva nervosa, seguindo uma lógica ainda desconhecida para o resto da humanidade. "Mas o público não vai entender e não vai comprar!" deve ser o argumento principal. E o público de língua inglesa, entende que Jaws é um filme sobre ataque de tubarão só pelo título? Deixam de ir ao cinema por isso?

Claro que alguns títulos são mesmo difíceis de se traduzir, seja pela referência a uma expressão cultural, seja por não fazerem muito sentido mesmo. 3:10 to Yuma é difícil. O horário do trem que vai levar o assassino para a prisão de Yuma parece pouco para dar nome ao filme que trata de temas clássicos do western ― honra, amizade, coragem ― e do tema mor do cinema americano, a redenção. Na época do lançamento do filme original, em 1957, auge das traduções esdrúxulas (High Noon ― Bater ou morrer), 3:10 to Yuma foi trazido ao Brasil com o pomposo título de Galante e sanguinário, referência ao vilão do filme, Ben Wade, um cruel assaltante especializado em cargas da ferrovia Southern Pacific, mas que recita trechos da Bíblia, é culto, capaz de seduzir a todos e é até um sensível desenhista. Galante, sem dúvida. Sua contraparte é Dan Evans, fazendeiro, veterano da Guerra Civil, honesto e trabalhador, mas, essencialmente, um fracassado. Sem dinheiro para sustentar a família (que pouco o respeita), ele se oferece para escoltar o bandido até outra cidade para o trem das 3:10, mesmo tendo o bando de Wade em seu encalço.

Premissa dada, vejamos: o filme de 1957 é um clássico do gênero, dirigido por Delmer Daves com Glenn Ford no papel do charmoso vilão. James Mangold (Johnny e June ― no original, Walk the line ―, Garota, interrompida) é o responsável pelo cuidadoso remake que estréia agora nos cinemas. Nada de câmera tremida ou planos ultra-rápidos. A montagem é absolutamente clássica, com um ótimo ritmo. O visual é bonito, mesmo sem o uso extensivo de lentes grande-angulares. A música (recém-indicada ao Oscar) não aparece mais que o filme e o roteiro é interessante, apesar de ter sido acusado de inverossímil (não pode?).

Todos esses pontos positivos fazem um filme bom. O que torna o filme realmente ótimo são as atuações de Russel Crowe e Christian Bale. Crowe, como o vilão, apesar de longe de superar a si próprio de O Informante e de Los Angeles ― Cidade proibida, está, para encurtar, fascinante. Ele faz com que o poder de persuasão do personagem seja completamente crível, e que, mesmo algemado, ele sempre pareça ter o controle da situação. Já Bale, que fez até o Batman ficar real, não faz por menos e traz credibilidade para cada motivação do personagem.

Destaque para Ben Foster (X-Men 3), que faz o braço direito de Ben Wade, Charlie, e que só não rouba a cena por causa da dupla fortíssima de protagonistas, e para o eterno Easy Rider, Peter Fonda.

Curioso destacar que, ao melhor estilo Sergio Leone, são estrangeiros que fazem esse western legitimamente americano. Russel Crowe é da Nova Zelândia e Christian Bale é inglês. 3:10 to Yuma pode não ser o filme que trouxe o western de volta (como quase fez Clint Eastwood com Os Imperdoáveis), mas sem dúvida não faz feio para o gênero.

A distribuidora brasileira, inclusive, pegou carona no título de Os Imperdoáveis (ele mesmo um tanto mal traduzido, já que o original é Unforgiven, Imperdoável, em referência ao passado do protagonista, e/ou às atitudes do vilão) e deu para 3:10 to Yuma o singelo título de Os Indomáveis. Não tem necessariamente nada a ver com o filme, mas vale a pena guardar, nem que seja para comprar o ingresso no cinema.


David Donato
São Paulo, 5/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A futebolização da política de Luís Fernando Amâncio
02. O Guia Prático do Português Correto da L&PM de Marcelo Spalding
03. O romance da década de Luiz Rebinski Junior
04. Youtube, o mega-saldão de verão de Pilar Fazito
05. Leituras Inglesas (I) - W.S. Maugham de Ricardo de Mattos


Mais David Donato
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/1/2008
17h51min
No livro "De Hitchcock a Greenaway pela História da Filosofia", de Julio Cabrera, o último capítulo "Os brutos também traduzem" traz uma bem-humorada lista de títulos de filmes traduzidos para o português em confronto com o nome original, mostrando o quanto os nossos "tradutores" acertam ou deturpam o entendimento de uma obra cinematográfica e trata especificamente da renomeação, não da tradução. O que se pretende mostrar é que os brutos também renomeiam e criam títulos absurdos e desvinculados do original.
[Leia outros Comentários de Antônio do Amaral ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EU CONTO, TU CONTAS
BERNARDO SZUSTER
DO AUTOR
(2007)
R$ 23,80



LE URSS EN GUERRE (1939-1946) TOME 3
JEAN ELLEINSTEIN
SOCIALES (PARIS)
(1974)
R$ 31,28



CINQUENTA TONS DE CINZAS
E. L. JAMES
INTRÍNSECA
(2012)
R$ 24,15
+ frete grátis



PONTOS PARA O GORDO !
DR. ALFREDO HALPERN
RECORD
(2000)
R$ 5,00



PARASITOLOGIA MÉDICA 9ª EDIÇÃO
SAMUEL BARNLEY PESSÔA
GUANABARA
(1974)
R$ 39,08



NEWTON E O TRIUNFO DE MECANICISMO
MARCO BRAGA E OUTROS
ATUAL
(1999)
R$ 5,00



SEMPRE HAVERÁ UM AMANHÃ - NOVA ORTOGRAFIA
GISELDA LAPORTA NICOLELIS
MODERNA
(2010)
R$ 12,00



LUMEN REVISTA DE ESTUDOS E COMUNICAÇÕES - VOL 4, Nº 8, JUNHO-1998
VÁRIOS
LOYOLA
(1998)
R$ 10,00



À FLOR DO CERRADO
CARLOS MAGNO SENA
SCORTECCI
(2015)
R$ 9,79



OPEN SESAME PICTURE DICTIONARY
JILL WAGNER SCHIMPFF
OXFORD
R$ 19,00





busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês