Três e Dez para Yuma | David Donato | Digestivo Cultural

busca | avançada
74121 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
>>> Amilton Godoy Show 70 anos. Participação especial de Proveta
>>> Bacco’s promove evento ao ar livre na Lagoa dos Ingleses, em Alphaville
>>> Vera Athayde é convidada do projeto Terreiros Nômades em ação na EMEF Ana Maria Benetti sobre Cavalo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pelas curvas brasileiras
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
>>> A Flip como Ela é... I
>>> Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
>>> Eu & Ferrugem
>>> A perfeição de Spike Lee
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Guinga = Gênio
>>> Espectador idiota
>>> Os burocratas e a literatura
Mais Recentes
>>> O Aleph de Jorge Luis Borges pela Globo (1972)
>>> Cadernos Espinosanos - Estudos sobre o século xvii de Varios AUtores pela Sao Paulo (2006)
>>> Lições Sobre a Estética - Introdução de G W F Hegel pela Sao Paulo (1997)
>>> Cadernos Espinosanos I (2) de Varios AUtores pela Sao Paulo (1996)
>>> Cadernos Espinosanos IV de Varios AUtores pela Sao Paulo (1998)
>>> Livro O Desafio De Amar Dia A Dia. Um Ano De Devoção Para Casais de Alex Kendrick pela Bv Films (2009)
>>> Cadernos Espinosanos III de Varios AUtores pela Sao Paulo (1998)
>>> 3 Cadernos Espinosanos I (1,2 e 3) de Varios AUtores pela Sao Paulo (1997)
>>> Canibais e Cristãos de Norman Mailer pela Civilização Brasileira (1967)
>>> Cadernos Espinosanos II (1) de Varios AUtores pela Sao Paulo (1997)
>>> Cadernos Espinosanos II (2) de Varios AUtores pela Sao Paulo (1997)
>>> Planejamento de Ensino e Avaliação de Clódia Maria Godoy Turra e Outros pela Emma Puc (1975)
>>> AnaLytica - Metafísica e antropologia filosófica vol 12 de Varios Autores pela Analytica (2008)
>>> Corações Veteranos - Coleção Frenesi de Roberto Schwarz pela Fon-fon (1974)
>>> AnaLytica - Filosofia Medieval , Aristóteles, Kant vol 9 de Varios Autores pela Analytica (2005)
>>> AnaLytica - Razão , Linguagem e Liberdade vol 15 de Varios Autores pela Analytica (2011)
>>> AnaLytica - Wittgenstein Temas de filosofia Moderna de Varios Autores pela Analytica (2003)
>>> AnaLytica - Kant, Nietzsche, Wittgenstein de Varios Autores pela Analytica (2008)
>>> AnaLytica - Questões de filosofia moderna vol 10 n 2 de Varios Autores pela Analytica (2006)
>>> AnaLytica - Questões de filosofia moderna e contemporânea vol 10 n 1 de Varios Autores pela Analytica (2006)
>>> AnaLytica - Descartes e espinosa vol 13 n 2 de Varios Autores pela Analytica (2009)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Francisco Alves (1967)
>>> AnaLytica - a ethica nicomachea de aristóteles vol 8 n 2 de Varios Autores pela Analytica (2004)
>>> AnaLytica - Aristóteles e Kant vol 6 n 1 de Varios Autores pela Analytica (2001)
>>> AnaLytica - De Leibniz a Kant : meditações metafísicas vol 5 n 1 de Varios Autores pela Analytica (2000)
COLUNAS

Terça-feira, 5/2/2008
Três e Dez para Yuma
David Donato
+ de 3500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

As distribuidoras de filmes no Brasil parecem se preocupar bastante com os títulos dos filmes que vêm para as telas do país. Preocupação compreensível, diga-se de passagem (afinal, o produto tem que ser vendido, nem que seja por um maldito subtítulo explicativo como O contador de histórias ou O oitavo passageiro), mas, sinceramente, acho que eles exageram na maioria das vezes. Uma escola muito louca, Um maluco no pedaço ou qualquer combinação cafona de "Artigo + Substantivo + Advérbio de Intensidade + Adjetivo" torna a vida mais difícil para quem procura um pouco mais do que gastar duas horas comendo pipoca. O título do filme é como qualquer outro título. Serve para dar uma idéia do conteúdo da obra, e ao mesmo tempo provocar um mínimo de curiosidade.

Somos mais felizes na literatura, onde não se traduz 1984 para Um homem contra o sistema, nem Moby Dick para O caçador de baleias. Mas no cinema, O som da música parece não ser suficiente para dizer que estamos falando de uma noviça que vai contra as regras da sociedade e muda a vida das pessoas ao redor. Quem vai ao cinema para ver O recém-formado (ou O Universitário, O Graduado, como queiram) não tem como saber (pobre alma!) que está prestes a assistir um filme que (entre tantas outras coisas) fala da primeira noite de um homem.

A lista é interminável: Mulholland Drive (Cidade dos sonhos), Ocean's Eleven (Onze homens e um segredo), All about Eve (A Malvada), The Godfather (O poderoso chefão)... O meu preferido (ou preterido) é Annie Hall, que transmutou em Noivo neurótico, noiva nervosa, seguindo uma lógica ainda desconhecida para o resto da humanidade. "Mas o público não vai entender e não vai comprar!" deve ser o argumento principal. E o público de língua inglesa, entende que Jaws é um filme sobre ataque de tubarão só pelo título? Deixam de ir ao cinema por isso?

Claro que alguns títulos são mesmo difíceis de se traduzir, seja pela referência a uma expressão cultural, seja por não fazerem muito sentido mesmo. 3:10 to Yuma é difícil. O horário do trem que vai levar o assassino para a prisão de Yuma parece pouco para dar nome ao filme que trata de temas clássicos do western ― honra, amizade, coragem ― e do tema mor do cinema americano, a redenção. Na época do lançamento do filme original, em 1957, auge das traduções esdrúxulas (High Noon ― Bater ou morrer), 3:10 to Yuma foi trazido ao Brasil com o pomposo título de Galante e sanguinário, referência ao vilão do filme, Ben Wade, um cruel assaltante especializado em cargas da ferrovia Southern Pacific, mas que recita trechos da Bíblia, é culto, capaz de seduzir a todos e é até um sensível desenhista. Galante, sem dúvida. Sua contraparte é Dan Evans, fazendeiro, veterano da Guerra Civil, honesto e trabalhador, mas, essencialmente, um fracassado. Sem dinheiro para sustentar a família (que pouco o respeita), ele se oferece para escoltar o bandido até outra cidade para o trem das 3:10, mesmo tendo o bando de Wade em seu encalço.

Premissa dada, vejamos: o filme de 1957 é um clássico do gênero, dirigido por Delmer Daves com Glenn Ford no papel do charmoso vilão. James Mangold (Johnny e June ― no original, Walk the line ―, Garota, interrompida) é o responsável pelo cuidadoso remake que estréia agora nos cinemas. Nada de câmera tremida ou planos ultra-rápidos. A montagem é absolutamente clássica, com um ótimo ritmo. O visual é bonito, mesmo sem o uso extensivo de lentes grande-angulares. A música (recém-indicada ao Oscar) não aparece mais que o filme e o roteiro é interessante, apesar de ter sido acusado de inverossímil (não pode?).

Todos esses pontos positivos fazem um filme bom. O que torna o filme realmente ótimo são as atuações de Russel Crowe e Christian Bale. Crowe, como o vilão, apesar de longe de superar a si próprio de O Informante e de Los Angeles ― Cidade proibida, está, para encurtar, fascinante. Ele faz com que o poder de persuasão do personagem seja completamente crível, e que, mesmo algemado, ele sempre pareça ter o controle da situação. Já Bale, que fez até o Batman ficar real, não faz por menos e traz credibilidade para cada motivação do personagem.

Destaque para Ben Foster (X-Men 3), que faz o braço direito de Ben Wade, Charlie, e que só não rouba a cena por causa da dupla fortíssima de protagonistas, e para o eterno Easy Rider, Peter Fonda.

Curioso destacar que, ao melhor estilo Sergio Leone, são estrangeiros que fazem esse western legitimamente americano. Russel Crowe é da Nova Zelândia e Christian Bale é inglês. 3:10 to Yuma pode não ser o filme que trouxe o western de volta (como quase fez Clint Eastwood com Os Imperdoáveis), mas sem dúvida não faz feio para o gênero.

A distribuidora brasileira, inclusive, pegou carona no título de Os Imperdoáveis (ele mesmo um tanto mal traduzido, já que o original é Unforgiven, Imperdoável, em referência ao passado do protagonista, e/ou às atitudes do vilão) e deu para 3:10 to Yuma o singelo título de Os Indomáveis. Não tem necessariamente nada a ver com o filme, mas vale a pena guardar, nem que seja para comprar o ingresso no cinema.


David Donato
São Paulo, 5/2/2008

Mais David Donato
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/1/2008
17h51min
No livro "De Hitchcock a Greenaway pela História da Filosofia", de Julio Cabrera, o último capítulo "Os brutos também traduzem" traz uma bem-humorada lista de títulos de filmes traduzidos para o português em confronto com o nome original, mostrando o quanto os nossos "tradutores" acertam ou deturpam o entendimento de uma obra cinematográfica e trata especificamente da renomeação, não da tradução. O que se pretende mostrar é que os brutos também renomeiam e criam títulos absurdos e desvinculados do original.
[Leia outros Comentários de Antônio do Amaral ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Dos Açores ao Brasil Meridional
Vilson Francisco de Farias
Ufsc
(1998)



Borboleta Negra 1 413
Halice Frs
Ler
(2017)



O Que Você Deve Saber Sobre Estresse
Martin Claret
Martin Claret
(1999)



Intensidade
Dean Koontz
Mandarim
(1997)



Aos Poucos Fico Louco
Ulisses Tavares
Scipione
(2011)



A Prática da Pesquisa
Claudio de Moura Castro
Prentice Hall Brasil
(2006)



Auto da barca do inferno
Gil Vicente
Ateliê Editorial
(2014)



Comércio - do mascate ao mercado
Oscar Pilagallo - Pietra Diwan
Folha de São Paulo
(2012)



Liderança Estratégica
Andréia Roma e outros (Coord)
Leader
(2013)



Histologia Básica - 9ª Edição
Junqueira & Carneiro
Guanabara Koogan
(1999)





busca | avançada
74121 visitas/dia
2,4 milhões/mês