Varinha de condão | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “A Pequena Keruaka”: obra infantojuvenil mostra jornada para salvar os rios e florestas do Brasil
>>> Festival de Patinação de Rio do Sul abre inscrições
>>> Festival Halleluya em São Paulo realizará ação solidária para auxiliar as famílias no RS
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Apresentação
>>> Crônica, um gênero brasileiro
>>> Os melhores votos, de uma cética
>>> O que é a memética?
>>> Lobo branco em selva de pedra: Eduardo Semerjian
>>> As garotas do Carlão
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> Boemia, aqui me tens de regresso
Mais Recentes
>>> Os Lohip-hopbatos Em A Guerra Da Rua Dos Siamipês de Flavio De Souza pela Companhia Das Letrinhas (2013)
>>> Arquitetura E Planejamento Na Gestão Da Saúde de Richard M. J. Bohmer pela Bookman (2012)
>>> O Eufemismo e o Disfemismo no Portugues Moderno de Heinz Kroll pela Biblioteca Breve (1984)
>>> Harpas Eternas 3 de Josefa Rasalía pela Pensamento (1998)
>>> A Cidade Das Máscaras - Volume 2 de Genevieve Cogman pela Morro Branco (2017)
>>> Encarando A Nova Realidade de Ram Charan pela Negócio (2004)
>>> Estudos Discursivos A Brasileira: Uma Introducao de Roberto Leiser Baronas pela Pontes (2015)
>>> Ordem Mundial E Agências De Rating de Ricardo K. Ywata pela Senac Sp (2012)
>>> A Riqueza Do Mundo de Lya Luft pela Record (2011)
>>> Como A Democracia Chega Ao Fim de David Runciman pela Todavia (2018)
>>> jQuery Mobile de Maurício Samy Silva pela Novatec (2013)
>>> Magnus Chase: A Espada Do Verão de Rick Riordan pela Intrinseca (2015)
>>> Homo Aequalis de Louis Dumont pela Edusc (2000)
>>> Eu e Outras Poesias - Texto Integral de Augusto dos Anjos pela Livraria Família Cristã (2021)
>>> O Código de Hamurabi de Claude Hermann. Walter Johns. Ciro Mioranza pela Lafonte (2020)
>>> Ele Falava Com Autoridade - Auto-Estima e Liderança de André Marmilicz pela Vicentina (2008)
>>> Bule De Cafe de Luís Camargo pela Atica (2008)
>>> Montando E Configurando Pcs Com Inteligência de Renato Rodrigues Paixão pela Érica (2004)
>>> Topografia Aplicada às Ciências Agrárias de Gilberto J. Garcia; Gertrudes C. R. Piedade pela Nobel (1984)
>>> O Cientista E O Executivo: Como O Ifood Alavancou Seus Dados E Usou A Inteligência Artificial Para Revolucionar Seus Processos de Diego Barreto E Sandor Caetano pela Gente (2023)
>>> Marco Zero de Marcia Kupstas pela Ftd (2023)
>>> Triciclo de Elisa Amado, Alfonso Ruano, Heitor Ferraz Mello pela Comboio de Corda (2007)
>>> Cinquenta Tons de Liberdade de E. L. James pela Intrinseca (2012)
>>> De Quanta Terra Precisa O Homem? de Liev Tolstói pela Companhia Das Letrinhas (2015)
>>> Bi-Lingual Visual Dictionary : French/English de Vários Autores pela Dk (2005)
COLUNAS

Sexta-feira, 4/9/2009
Varinha de condão
Ana Elisa Ribeiro
+ de 5800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Ele queria fazer alguma coisa errada, alguma "arte", como dizia minha avó. E eu não deixei. Eu não queria paredes sujas, chão respingado, barulho, sei lá o que era. Televisão ligada à-toa, sapato espalhado pela sala, massinha colorida pregada no tapete, DVDs fora das caixas. Não sei mesmo. Não me lembro das razões da briga, mas me lembro muito bem da ameaça terrível que ele me fez, olhando bem nos meus olhos, com o dedinho em riste no meu rosto e com lágrimas escorrendo pelas bochechas: "Amanhã, quando tiver sol, vou a uma loja". Eu fiz cara de quem espera o resto da ameaça. Ele se manteve firme: "Na loja, vou comprar uma varinha mágica para bater em você e você ficar bonita de novo comigo". É isso. Ele acha que eu fico feia quando brigo com ele. A doçura da ameaça me desarmou. Ele conseguiu, pensei. Não era uma bomba, uma arma de fogo, um fuzil, uma pedra. Era uma varinha mágica, artefato que ele deve ter conhecido em alguma historinha contada na escola. O maior poder do mundo está nas varinhas mágicas. Pena que elas não estão à venda.

Bem que eu queria ter uma varinha mágica também. Talvez eu tocasse com ela em algumas pessoas, em coisas, em dias ruins, em noites mal dormidas, em situações chatas e virasse tudo ao avesso. O avesso das coisas ruins deve ser as coisas boas. Não é isso? E será que uma varinha dessa custa caro? Ele deve saber. A firmeza com que disse que iria a uma loja foi muito grande. E que me dê o endereço da tal mercearia, do armarinho, do supermercado, não sei. Que tipo de loja vende dessas coisas? Será que varinhas têm cores? Ele deve saber.

Com uma varinha, eu poderia ajeitar uns desajustes que eu mesma fiz ou provoquei. Poderia correr um risco muito grande também: querer consertar o que não está estragado. Eu poderia me tornar meio ditadora e querer tocar com a varinha em tudo e em todos. Qualquer briguinha boba e, tum!, varinha nele. O poder de alterar o que me parece ruim se tornaria uma nova ameaça. Então para quê varinha?

Eu preciso explicar para ele, logo, que as varinhas só resolvem uma parte pequena do problema. Melhor é a gente enfrentar a adversidade com soluções mais simples. Não precisa ir à loja, gastar dinheiro, comprar varinha mágica. Precisa saber conversar, negociar, seduzir. Cumprir com os compromissos que tiverem sido feitos. Eu avisei: falou palavrão, não come mais leite condensado. A sanção e as regras do jogo estão claras. Quem transgrediu que se resolva com as punições depois. Quem mandou falar palavrão? Ele diz, com a cara mais bonitinha: "Escapuliu da minha boca", mas não adianta.

E se ele resolver ser um super-herói? Que tipo de superpoder vai querer ter? Aqueles do tipo engenhoso? Cintos de utilidades, robôs superavançados; ou aqueles do tipo "do além", pegar fogo, soprar um vento veloz, enxergar através das coisas e das pessoas. Sorte dele que nasceu homem e pode pensar em superpoderes cheios de possibilidades de intervenção. Quais são os superpoderes das personagens femininas? Pesquise só um pouco. No Quarteto Fantástico, mulher fica é invisível. E deve haver outros assim.

Quando ele me ameaçou com a varinha mágica, eu não dormi mais. Fiquei pensando na dor que aquilo significava para ele. Talvez para mim. Ele ainda não sabe que não pode ter uma varinha daquele tipo. Eu fiquei pensando que a raiva dele era não poder me transformar em algo melhor. Mal sabe ele que essa é a minha frustração também.

Talvez
Queria ir à casa da bisavó. Diz que sim, diz que sim. Os acessos de Chaves são cada vez mais óbvios. Está feliz assistindo ao Picapau, imitando a risada clássica dele. Divertido ver o bom e velho Scooby Doo, inclusive com o suspeito Salsicha. Vez ou outra muda para o Ben 10, que tive de aprender o que era, como agia, que poderes tem. Em todo caso, é um personagem interessante.

Continuava querendo ir à casa da bisavó. Lá tem tios, primos, falação, pão e manteiga. Tem também Coca-Cola e os avós para rever. Tem carrinho e chão sujo da garagem. Tem vozes, muitas delas, contando casos todos ao mesmo tempo. Depois de tanta insistência, do suborno com beijos melados e dos pedidos à moda do Chaves, fui clara: "Talvez". Ele percebeu logo e concluiu, descendo do meu colo: "Talvez é uma coisa que pode não ser". E foi dormir no sofá. Amanhã vou ver se digo a ele que desistir desse jeito é a segunda opção. Há quem diga que talvez é algo que pode ser.


Ana Elisa Ribeiro
São Paulo, 4/9/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A fada do dente sou eu de Ana Elisa Ribeiro
02. Palácio dos sabores 2/5 de Elisa Andrade Buzzo
03. Os meus conflitos de Marcelo Maroldi
04. Fazendo Amigos e Influenciando Pessoas de Vicente Tardin


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2009
01. Amor platônico - 10/4/2009
02. Aconselhamentos aos casais ― módulo I - 13/3/2009
03. Aconselhamentos aos casais ― módulo II - 27/3/2009
04. Cupido era o nickname dele - 1/5/2009
05. Eu + Você = ? - 27/2/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/9/2009
08h07min
Sempre que temos, na lembrança, um período de carinho, de conforto, de bolinhos de chuva, de sorrisos e de brinquedos singelos, temos nossas avós como companheiras... Geralmente a avó era aquela que deixava fazer tudo... Aprendi a até falar português arcaico e a ser discriminado pelos amigos!
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
14/9/2009
13h28min
Há muito não leio um texto tão carregado de afeto! E não é exatamente isso o que está faltando nos seres humanos da era eletrônica? Afeto... Deixar-se afetar até mesmo pela singeleza da emotividade infantil... A varinha mágica na verdade existe, só não pode ser comprada. Ela é este sentimento ao mesmo tempo tão tênue e tão palpável... do afeto.
[Leia outros Comentários de Paulo Mauad]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Fome: crise ou escândalo? 25ª edição - coleção polêmica
Melhem Adas
Moderna
(1995)



O Chamado do Cuco 548
Robert Galbraith
Rocco
(2013)



Para Viver sem sofrer
Gasparetto
Vida e Consciência
(2010)



Livro Filosofia Os Pensadores Voltaire Volume 1 Diderot
Voltaire Diderot
Nova Cultura
(1988)



Como Defender A Fe Sem Levantar A Sua Voz
Austen Ivereigh
Quadrante
(2024)



Livro Infanto Juvenis O Gato de Botas Coleção Folha Contos e Fábulas Para Crianças Sem Cd Volume 11
Folha de S. Paulo
Folha de S. Paulo
(2014)



Português Fundamental - Gramática e Interpretação de Textos Para Concursos
Fábio de Oliveira Vargas
Crv
(2020)



Livro Sociologia Caçadores de Bons Exemplos Em busca de brasileiros que fazem a diferença
Iara / Educardo Xavier
Leya
(2015)



Menino Sem Passado (1936-1948)
Silviano Santiago
Companhia Das Letras
(2021)



Olhares Sobre a História
Alcides Freire Ramos, Maria Izilda Santos de Matos
Hucitec
(2010)





busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês