O romance da década | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
37059 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 28/1/2009
O romance da década
Luiz Rebinski Junior

+ de 4500 Acessos

Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir levaram para o relacionamento amoroso a liberdade existencial que pautou o pensamento de ambos durante toda vida. Amantes, sim, mas, sobretudo, livres. Mantra que possibilitou que o relacionamento aberto dos filósofos sobrevivesse aos percalços que uma relação de mais de cinco décadas necessariamente impõe. O caolho Sartre, com sua feiúra proporcional à inteligência, sempre teve seus casos; Beauvoir, mesmo mantendo uma adoração quase que religiosa por Sartre, deixou se envolver em um longo e tortuoso relacionamento com o escritor americano Nelson Algren. Sartre e Beauvoir nunca se casaram, desprezavam os dogmas da igreja, mas fizeram valer como ninguém a máxima católica do "amar até que a morte os separe".

Os existencialistas Sartre e Beauvoir viveram o que para muitos é o relacionamento ideal. Valendo-se da liberdade que só a ficção proporciona, o argentino Alan Pauls foi além. Criou um relacionamento ainda mais perfeito (ou utópico, entenda como quiser) do que o vivido por Sartre e Beauvoir, em que a única saída, paradoxalmente, estava na separação. Um relacionamento que, diferentemente do amor anarquista dos intelectuais franceses, nada tinha de ideológico. Simplesmente o amor em seu estado mais bruto e natural; um amor adolescente e sincero, capaz de não tomar conhecimento das pequenezas do relacionamento a dois; um amor em que a lealdade, a verdadeira lealdade, mais comum em grandes amizades do que em relacionamentos amorosos, se sobrepõe a qualquer tipo de sentimento comezinho; um amor indestrutível, que não se abala com flertes ou paqueras, em que a paixão se coloca como algo superior, fora do plano terreno da possessão e do egoísmo.

Essa é a visão do amor apresentada por Alan Pauls em O Passado (Cosac Naify, 2007, 480 págs.), livro em que o tradutor Rímini e a jovem Sofía vivem uma espécie de catarse amorosa durante 12 anos até que simplesmente resolvem encerrar o relacionamento. Decisão que resultará em algo bem mais complicado do que os anos de monogamia. A ruptura deixará como espólio aos amantes um turbilhão de lembranças que os impedirá de viver. Ou melhor, viverão atormentados pelo espectro de um passado intenso que insiste em não desgrudar da memória. O que resulta em futuro incerto, sempre à sombra da intensidade do que viveram, como se nada pudesse, a partir dali, ser mais forte, interessante e bonito do que o passado.

Mas o passado não é só lembrança fugaz. Um caixa com centenas de fotos, um par de sapatos, mudas gastas de roupas, filmes antigos e outras quinquilharias tratam de materializar a lembrança que insiste em não dissipar. E aí a prosa engenhosa e labiríntica de Alan Pauls trata de tornar ainda mais complicada a separação de Rímini e Sofía. As idas e vindas da história dinamitam qualquer noção de tempo/espaço. A comparação com Proust pode parecer exagerada a quem não conhece a literatura de Pauls, mas certamente soará natural, até mesmo óbvia, para quem se aventurou nas caudalosas páginas deste intenso romance. Não só pelas sentenças longas e pelos parágrafos igualmente intermináveis, mas porque Pauls vai fundo na investigação da mente humana através de digressões que colocam o leitor no epicentro do furacão que se tornou a vida dos protagonistas, especialmente Rímini. A descrição minuciosa, aparentemente insignificante, do cotidiano dos personagens, que pode consumir algumas dezenas de páginas, torna o romance de Pauls uma arena propícia à investigação existencial.

Pauls parece não querer deixar nada para trás sem explicação. E por isso envereda por uma prosa insistentemente descritiva, minuciosa e detalhista. É como se cada digressão fosse uma peça do caleidoscópio que dará forma à trajetória tortuosa dos personagens. O escritor recorre a uma prosa que se faz cinematográfica não só pelas passagens que se fixam como fotogramas na mente do leitor ― ou nas referências a clássicos como Rocco e seus irmãos e A história de Adèle H ―, mas também por conta dos recursos estilísticos que fazem da história uma compilação de pequenos curtas-metragens. Pauls recorre a cartas, delírios poéticos e a uma enxurrada de referências culturais que agem como ponto de ligação à história de Rímini e Sofía. Um desses pontos, talvez o mais engenhoso, é o fascínio do casal pela obra do artista imaginário Jeremy Riltse, seguidor de uma corrente artística, a Sick Art, em que a automutilação é um recurso estético imprescindível. As obras de Riltse servem como uma espécie de roteiro, assim como as cartas e bilhetes, que iluminam não somente o passado, mas o futuro de Rímini e Sofía. As divagações críticas sobre a arte de Riltse ― com pitadas da hipotética vida excêntrica do artista ― são cortes narrativos em que o leitor pode desbravar histórias paralelas, que aparentemente não têm ligação direta com a trama principal, mas que no final agregam sentido à narrativa.

E assim Pauls convida o leitor a percorrer, de modo pouco convencional, a vida errante que Rímini passa a ter após o rompimento com Sofía. Ao querer apagar o passado, Rímini deixa de lado a monogamia, engata um romance atrás do outro e perde-se em sessões de tradução regadas a álcool, cocaína e masturbação. Em uma espécie de efeito colateral, vê sua habilidade para línguas estrangeiras se resumir ao domínio capenga do castelhano, único idioma que lhe sobrou após ser acometido por um estranho e precoce Alzheimer. Ao fazer o caminho inverso, não se descolando do passado recente, Sofía aparece como um fantasma na vida de Rímini, sem que este a veja como uma mera lembrança, mas sim como algo ainda presente não só em seus sonhos e elucubrações, mas de modo concreto e real.

Em seu projeto polifônico, onde encaixar peças díspares parece ser seu grande barato, Alan Pauls evoca o Cortázar surreal, o escritor que não diferencia real e imaginário, ficção e realidade. Como resultado dessa audaciosa jornada, o escritor argentino construiu uma obra grandiosa, um romance de muitas e variadas vozes.

Como nada se dá por acaso na literatura de Alan Pauls, Rímini, o personagem que é vasculhado pelo passado, leva o mesmo nome da cidade natal de Federico Fellini, autor que fez de suas recordações de juventude ― principalmente daquelas relacionadas ao universo circense ― o ponto central de sua obra. E assim como Fellini, para quem o cinema não era só profusão de imagens, mas um meio para disseminar poesia, literatura, música e pintura, Alan Pauls produziu um romance de muitas possibilidades, uma obra que transcende os limites da escrita.

Para ir além






Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 28/1/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Houston, we have a problem de Renato Alessandro dos Santos
02. O Muro de Palavras de Pedro Bidarra
03. Da Tolerância Religiosa de Ricardo de Mattos
04. A batalha perdida do pastor de Diego Viana
05. Fim dos jornais? Desconfie de Diogo Salles


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2009
01. Reinaldo Moraes fala de sua Pornopopéia - 2/12/2009
02. As cartas de Dostoiévski - 30/9/2009
03. O primeiro parágrafo - 24/6/2009
04. Tarantino e o espírito do tempo - 28/10/2009
05. Dalton Trevisan revisitado - 29/7/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MAGICO DESINVENTOR
MARCO TÚLIO COSTA
RECORD
(1981)
R$ 7,00
+ frete grátis



SHUNKO
JORGE W. ABALOS
CLUBE DO LIVRO
(1969)
R$ 14,00



POLITICA - REVISTA DE CIÊNCIA POLÍTICA VOL 17 N. 4
FUNDAÇÀO GETULIO VARGAS
FGV
(1974)
R$ 11,50



STOREIUA DELL ATOMO LA FISICA NUCLEARE NELLA GUERRA E NELLA PACE
PIERRE ROUSSEAU
GHERARDO CASINI
(1950)
R$ 79,37



A TERCEIRA XÍCARA DE CHÁ
GREG MORTENSON
EDIOURO
(2007)
R$ 9,80



A TURMA DA MÃO PRETA
HANS JURGEN PRESS; THEREZINHA MONTEIRO DEUTSCH
ATICA
(1997)
R$ 9,00



DOSSIÊ COLÔMBIA; SALAS DE BATE PAPO VIRTUAIS
COMUNICAÇÃO E POLÍTICA VOL 21 - N.º 1
CEBELA (RJ)
(2008)
R$ 15,82



O NOVO TESTAMENTO DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO
JOÃO FERREIRA DE ALMIDA
IGREJA PENTECOSTAL
R$ 5,00



A FUNÇÃO DE MARKETING: VOLUME 1
EDITORA EDEB
EDEB
(1972)
R$ 6,90



ASSESSORA DE ENCRENCA
GILDA MATTOSO
EDIOURO
(2006)
R$ 10,00





busca | avançada
37059 visitas/dia
1,4 milhão/mês