Por trás da cortina de ferro | Rafael Azevedo | Digestivo Cultural

busca | avançada
69048 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Ambulantes faz show de seu novo disco na Casa de Cultura Chico Science
>>> SESI São José dos Campos apresenta a exposição J. BORGES - O Mestre da Xilogravura
>>> Festival gratuito, diurno, 8o.Festival BB Seguros de Blues e Jazz traz grandes nomes internacionais
>>> Bruno Portella ' Héstia: A Deusa do Fogo ' na Galeria Alma da Rua I
>>> Pia Fraus comemora 40 anos com estreia de espetáculo sobre a vida dos Dinossauros do Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
Colunistas
Últimos Posts
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
>>> Felipe Miranda e Luiz Parreiras (2024)
>>> Caminhos para a sabedoria
>>> Smoke On the Water (2024)
>>> Bill Ackman no Lex Fridman (2024)
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
Últimos Posts
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema em Atibaia (III)
>>> Jornalismo de todos para todos
>>> Das boas notícias
>>> Sociologia de um gênio
>>> A arqueologia secreta das coisas
>>> Mahalo
>>> O iPad não é coisa do nosso século
>>> O prazer, origem e perdição do ser humano
>>> William Faulkner e a aposta de Pascal
>>> Os Estertores da Razão
Mais Recentes
>>> Revista Dialética do Direito Tributário de Fernando Durão pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Inculta e Bela - Volume 1 de Pasquale Cipro Neto pela Publifolha (2002)
>>> Plt 367 Contabilidade Gerencial de Clóvis Luís Padoveze pela Atlas Anhanguera (2011)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de Franscisco Baratti pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Le droit à la paresse de Paul Lafargue pela Mille et une nuits (1994)
>>> Inculta e Bela - Volume 1 de Pasquale Cipro Neto pela Publifolha (2002)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de Patricia Calmon pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Transcendentes de Luciana Alves da Costa;outros pela Sementes (2000)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de César Romero pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Services Marketing de Christopher H. Lovelock pela Prentice Hall (1996)
>>> Inculta e Bela - Volume 1 de Pasquale Cipro Neto pela Publifolha (2002)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de Alê Prade pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial de Luiz Carlos Bresser Pereira;peter Spink pela F G V (2006)
>>> África Em Cores de Ana Cristina Lemos pela Htc (2011)
>>> Inculta e Bela - Volume 1 de Pasquale Cipro Neto pela Publifolha (2002)
>>> Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial de Luiz Carlos Bresser Pereira;peter Spink pela F G V (2006)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de Selma Daffré pela Oliveira Rocha (2010)
>>> Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial de Luiz Carlos Bresser Pereira;peter Spink pela F G V (2006)
>>> Revista Dialética de Direito Tributário de Duílio Ramos pela Oliveira Rocha (2010)
>>> O Empresário Criativo de Roger Evans pela Cultrix (1989)
>>> Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial de Luiz Carlos Bresser Pereira;peter Spink pela F G V (2006)
>>> Iles de France Vues Du Ciel de M. Cotinaud; Dominique Cortesi; Entre Outros pela Chêne (1991)
>>> Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial de Luiz Carlos Bresser Pereira;peter Spink pela F G V (2006)
>>> O Empresário Criativo de Roger Evans pela Cultrix (1989)
>>> A Poética de Aristóteles - Mímese e Verossimilhança de Lígia Militz da Costa pela Ática (1992)
COLUNAS

Sexta-feira, 9/11/2001
Por trás da cortina de ferro
Rafael Azevedo
+ de 4100 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Uma das melhores coisas de uma viagem minha ao inferno paradisíaco de Miami há uns anos atrás foi a ópera (opereta, me corrige o pedante) de Shostakovitch que lá comprei - mais uma demonstração da esmagadora superioridade do nível de vida de quem vive num lugar minimamente civilizado, quando comparado com quem habita estes rincões tropicais como o nosso, onde o capitalismo ainda mal chegou: quando poderia comprá-la aqui? As absurdas taxas e o desinteresse das lojas de CD brasileiras mantêm-nos devidamente isolados de grande parte da chamada música clássica. A obra a que me refiro chama-se Moskva, Tcherëmushki. Esta que tenho é a primeira gravação dela no Ocidente: o elenco inteiramente composto de cantores russos, e a Orquestra Residente da Haia, regida por Gennady Rozhdestvensky. Vários momentos destes CDs pareceram-me as versões definitivas – posso acreditar em versões iguais, mas não consigo imaginar melhores. A obra foi lançada no final dos anos 50 na CCCP, só chegou ao Ocidente nos últimos anos, como muito de Shostakovitch (o que explica ele ainda não ser tão considerado quanto devia); só foi executada em 94, pela Plimlico Opera de Londres. Algumas faixas destes dois CDs estão, sem exagero, entre as melhores coisas que já ouvi - e são totalmente diferentes de tudo que eu ouvira anteriormente de Shostakovitch. Talvez por se tratar duma comédia, o tom das melodias é muito menos sombrio que em sua obra sinfônica. O libretto me diz que Shostakovitch é antes de tudo um compositor dramático - "entre 1928, quando tinha 21 anos, e 1936, ele produziu uma série de músicas para teatro e cinema, duas óperas (O Nariz e Lady Macbeth do Distrito de Mtsensk); três balés completos (A Era de Ouro, O Cadeado e O Límpido Riacho); música incidental para sete espetáculos teatrais; dois números para uma ópera do compositor alemão Dressel; a orquestração da overture de outra pessoa; o primeiro ato duma opereta depois abandonada (O Grande Raio); e nada menos que oito trilhas sonoras de filmes, incluindo o famoso Contraplano, sobre milagres industriais numa fábrica de turbinas em Leningrado)." Em 1936 o Pravda publicou a famosa reprovação que Stalin em pessoa supostamente fizera na estréia da ópera Lady Macbeth - "Bagunça em vez de música" foi a sutil manchete - a partir daí ele passou a dedicar-se mais a trabalhos instrumentais, onde possuía uma liberdade para criticar com quem sabe mais intensidade e ainda assim escapar dos censores, filisteus. Alguns esboços de Moskva, Tcherëmushki já estavam rabiscados, ainda como trechos de outras óperas que depois ele descartaria. Ao final da década de 50 a ascensão de Khrushtchëv, relativamente liberal se comparado ao seu antecessor Stalin e seu sucessor Brezhnev, permitiu um “criticismo” limitado, "construtivo", que D.S. aproveitou para voltar a dedicar-se à uma opereta. Não que ele houvesse abandonado a obra dramática - escreveu mais vinte e sete trilhas de filmes (!) - mas não encontrara durante estes vinte anos um libretto que lhe agradasse. O texto, de autoria de dois comediantes russos com aval do Estado, Vladimir Mass e Mikhail Tchervinsky, é uma sátira um tanto leve, pontuada de pequenos dramas casuais (telenovelescos, deixa a entender o encarte do CD), sobre um grupo de pessoas que serão remanejadas, num projeto qualquer da administração de Moscou, a um novo bloco residencial chamado Tcherëmushki, nos subúrbios da cidade; não bastasse o transtorno que tal situação poderia causar, eles ainda são atrapalhados, na burocracia que precede suas mudanças, pelos dois oficiais administradores da obra, inescrupulosos e mal-intencionados. Parece ter algum humor - um dos personagens principais, Aleksandr Petrovitch Bubentsov (Sasha), é descrito como "um moscovita feliz"; e diversas paródias deste otimismo oficial pipocam pelo texto - uma proeza naquele regime. Mas tudo isso que falei é facilmente dispensável - o que interessa é a música, de primeiríssima qualidade. O coro inicial, que segue a breve abertura, a ária de Bubentsov e o coro de visitantes, no museu, e a Pantomima são as melhores peças musicais compostas neste século, ouso afirmar num momento de claro arrebatamento. Talvez não haja nesta opereta o transtorno que há na célebre quinta sinfonia - ele avança noutra direção, completamente oposta... não sei me expressar suficientemente bem para discorrer sobre suas qualidades, mas de alguma maneira chego a pensar no Shostakovitch desta opereta em certos momentos epifânicos como o Mozart de nosso século. O Beethoven, o Bach e o Mozart do nosso século - ele apresenta características fortíssimas de todos eles, amalgamados num só genial compositor que ainda assim possui uma característica tão única de nossa época, de sua hedionda época e de seu mais terrível lugar. Mas ele permaneceu na URSS e, por isso mesmo, sua obra fez-se ainda mais forte. Obrigado, camarada.



Rafael Azevedo
São Paulo, 9/11/2001

Quem leu este, também leu esse(s):
01. História da leitura (III): a imprensa de Gutenberg de Marcelo Spalding


Mais Rafael Azevedo
Mais Acessadas de Rafael Azevedo em 2001
01. A TV é uma droga - 23/11/2001
02. A primeira batalha do resto da guerra - 30/11/2001
03. Os males da TV - 6/7/2001
04. La Guerra del Fin del Mundo - 16/11/2001
05. State of the art - 31/8/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/1/2002
19h39min
Socorro! Será que na web não tem algum site sobre Sasha Rozhdestvensky, violinista russo e filho de Gennady Rozhdestvensky? Execelente interprete para Strauss e Alfred Schnittke. Auxiliem-me por favor!
[Leia outros Comentários de Jullio]
24/1/2002
17h34min
Não consegui encontrar nenhuma página a respeito dele, apenas programas de seus concertos e uma ou outra crítica. Mas se ele tiver herdado o talento musical do pai, deve ser um grande violinista.
[Leia outros Comentários de Fabio]
25/1/2002
12h14min
Obrigado caro amigo por sua ajuda. Tentarei buscar informação em algum desconhecido site russo. Esteja bem!
[Leia outros Comentários de Jullio [JP/PB]]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Odisseia
Ruth Rocha
Salamandra
(2011)



Centenário do Hospital Nossa Senhora das Dores de Ponte Nova
Desconhecido
Imprensa Oficial
(1973)



Um Estranho no Ninho
Ken Kesey
Best Bolso
(2013)



Frauen der liebe Hortense Von Beauharnais
Freundin des Zaren Alexandres I
Druck und Verlag



Não se apega, não
Isabela Freitas
Intrínseca
(2014)



Guia de Conversação Langenscheidt - Italiano
Monica Stahel
Martins Fontes
(1999)



Operations Research
Wayne Winston
Thomson Brooks Cole
(2004)



Virus Clans
Michael Kanaly
Ace Charter
(1998)



Volumes 1, 2, 3 e 4: Grandes Fatos do Século XX vinte
Barnabé Medeiros Filho et al
RioGráfica



Livro Literatura Estrangeira Moon Palace
Paul Auster
Penguin Books
(1990)





busca | avançada
69048 visitas/dia
2,0 milhão/mês