Escrevendo | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Até você se recompor
>>> Lobão e Olavo de Carvalho
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
Mais Recentes
>>> Mana Silvéria de Canto e Melo pela Civilização Brasileira (1961)
>>> O Ladrão de Palavras de Marco Túlio Costa pela Record (1983)
>>> Belle Époque de Max Gallo pela Globo/ RJ. (1989)
>>> Sonetos (livro de Bolso) de Antero de Quental pela Edições Cultura/ SP.
>>> O Imprecador de René-Victor Pilhes pela Círculo do Livro
>>> Escola de Mulheres (Capa dura) de Molière (Tradução): Millôr Fernandes pela Circulo do Livro (1990)
>>> Vida Incondicional de Deepak Chopra pela Best Seller (1991)
>>> Poesias Escolhidas de Sá de Miranda pela Itatiaia (1960)
>>> Prosas Históricas de Gomes Eanes De Zurara pela Itatiaia (1960)
>>> Historiadores Quinhentistas de Rodrigues Lapa (Seleção pela Itatiais (1960)
>>> Os Oceanos de Vênus de Isaac Asimov pela Hemus (1980)
>>> O Vigilante de Isaac Asimov pela Hemus (1976)
>>> Today and Tomorrow And... de Isaac Asimov pela Doubleday & Company (1973)
>>> Como Fazer Televisão de William Bluem pela Letras e Artes (1965)
>>> Clipper Em Rede - 5. 01 de Gorki da Costa Oliveira pela Érica (1999)
>>> Para Gostar de Ler - Volume 7 - Crônicas de Carlos Eduardo Novaes e outros pela Ática (1994)
>>> londres - American Express de Michael jackson pela Globo (1992)
>>> Programando em Turbo Pascal 5.5 inclui apêndice da versão 6.0 de Jeremy G. Soybel pela Makron Books (1992)
>>> Lisa- Biblioteca do Ensino Médio -vol. 7 - Ciências - Minerais e sua pesquisa de Aurélio Bolsanelo pela Livros Irradiantes (1973)
>>> Ciências - Corpo Humano de Francisco Andreolli pela Do Brasil (1988)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1976)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1977)
>>> standard postage stamp catalogue de Sem autor pela Scott (1977)
>>> A World on Film de Stanley Kauffmann pela Harper & Row (1966)
>>> American Wilderness de Charles Jones pela Goushã (1973)
>>> Brazil on the Move de John dos Passos pela Company (1963)
>>> A Idade Verdadeira ( Sinta-se mais Jovem cada dia) de Michael R. Roizen M.D. pela Campus (2007)
>>> The Experience of America de Louis Decimus Rubin pela Macmillan Company (1969)
>>> Regions of the United States de H. Roy Merrens pela Nally & Company (1969)
>>> The Making of Jazz de James Lincoln Collier pela Company (1978)
>>> The Borzoi College Reader de Charles Muscatine pela Alfred. A. Knopf
>>> Architecture in a Revolutionary Era de Julian Eugene Kulski pela Auropa (1971)
>>> Asatru - Os Deuses do Tempo de Bruder pela Do autor (2018)
>>> Talento para ser Feliz de Leila Navarro pela Thomas Nelson Brasil (2009)
>>> Trappers of the West de Fred Reinfeld pela Crowell Company (1957)
>>> Familiar Animals of America de Will Barker pela Alastair (1956)
>>> Asatru - Os Deuses do Tempo de Bruder pela Do autor (2018)
>>> O Outro Lado do Céu de Arthur C. Clarke pela Nova Fronteira (1984)
>>> international human rights litigation in U. S. courts de Beth stephens pela Martiuns (2008)
>>> the round dance book de Lloyd shaw pela Caxton printers (1949)
>>> Fonte de Fogo de Anne Fraisse pela Maud (1998)
>>> The Story of Baseball de John Durant pela Hastings House (1947)
>>> Dicionário de Clínica Médica - 4 volumes de Humberto de Oliveira Garboggini pela Formar
>>> Modern artists na art de robert L. Hebert pela A spectrum book (1964)
>>> A Treasury of American Folklore de Benjamin Albert Botkin pela Crown (1947)
>>> Walk, run, or retreat de Neil V. Sullivan pela Indiana university press (1971)
>>> enciclopédia dos museus--galeria nacional washington de Sem Autor pela Ceam (1970)
>>> Asatru - Os Deuses do Tempo de Bruder pela Do autor (2018)
>>> Four Weddings and a Funeral de Richard Curtis pela Peguin Readers (1999)
>>> a Presidência Afortunada de Candido Mendes pela Record (1999)
COLUNAS >>> Especial Como se escreve

Quarta-feira, 12/8/2009
Escrevendo
Rafael Fernandes

+ de 3900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Criação
Acho que o processo da produção intelectual desperta curiosidade em todos nós. Sempre me interessei bastante pela criação musical. A construção a partir do nada, uma fagulha de ideia que surge quando se está tocando, ou num momento qualquer (num almoço ou no banho) ou a partir de um "conceito". A procura de um motivo musical, uma melodia, um riff. O modo como uma canção começa a estruturar: as escolhas, as construções das diversas partes, as transições, o encaixe da letra. E quando os pilares da música já estão quase prontos vem a parte dos arranjos: achar o andamento certo, os instrumentos que podem ser usados, as dinâmicas etc. Em seguida, as interpretações, gravações e finalização. A labuta da escrita tem algo disso ― e tenho tido interesse por ela também, por motivos óbvios. Da folha em branco, passando por algumas frases soltas, um parágrafo se formando, o estilo, a edição. E o ritmo de um texto ― que me parece um conceito bem mais difícil de trabalhar e de acertar do que na música.

***

A produção intelectual, claro, depende do conhecimento. E isso vem tanto do estudo, quanto da experiência. É também fruto da invenção e da repetição. Como na música: um ótimo improviso esconde horas de estudos de harmonia, ritmo, frases e afins, para, no momento em que o músico precisar, ter os recursos necessários. A criação a partir de uma "epifania" não me convence. Essa "epifania" na verdade é resultado de trabalho anterior, da constante procura de soluções; do estudo e pensamento contínuos.

Organizando ideias
Li certa vez uma declaração de Woody Allen de que ele teria uma gaveta em que guarda pequenos pedaços de papel, com anotações diversas de ideias, gags, frases etc. Quando essa gaveta enche, ele considera ter a base de um filme e começa a organizar tudo. Não tenho uma gaveta assim, muito menos sou um Woody Allen, mas anotar sempre as pequenas ideias, mesmo as quase estúpidas, ajuda muito. Às vezes penso em temas para textos; aí, em geral, eles viram títulos e entram numa lista, que cresce continuamente. Se vão se tornar um texto completo já é outra história. Também tenho um hábito não muito prático de anotar no meu caderno, sem preocupação com ordem, sentenças ou pequenos parágrafos para incluir nos textos em que estou trabalhando ― umas dez linhas deste apareceram assim. O problema é que às vezes me esqueço disso. Recentemente cheguei às últimas páginas de um caderno e achei dois parágrafos de um texto que já publiquei, mas não lembrei de colocar.

Escrevendo
Eu, em geral, enfrento três problemas básicos ao escrever. O texto empaca no meio e tenho que me virar para "destravar". Ou fica gigante e a edição tem que ser ainda mais intensa e rigorosa. Ou, ainda, não sai de meia dúzia de frases avulsas e encalha para sempre. Ultimamente tenho achado a edição uma das partes mais interessantes, na busca por textos mais enxutos, só deixando as partes que considero as mais importantes, sem tantos excessos. Porém, não é lá uma tarefa fácil. Afinal, tudo parece ser imprescindível, e cortar frases, um sacrilégio. Mas aos poucos vou percebendo o quanto isso é bobagem e como as ideias fluem melhor quando são mais diretas, embora fique entre o "cortar mais" e "isso aqui é muito bom" ― raramente é.

***

Prefiro escrever em silêncio, com foco. Até porque percebo que distrações externas (música, MSN, e-mail...) muitas vezes travam uma linha de raciocínio que estava fluindo, quase como um vinil riscado. Isso é um problema não só por perder o fio da meada, mas porque traz, como outra consequência, um balde de água fria naquela empolgação de ter achado um atalho. Por outro lado, não são poucas as vezes que escrever ouvindo música ajuda a levantar a bola e, por mais paradoxal que pareça, me dá energia quando estou cansado. Uma música mais pesada para aumentar a empolgação ou uma mais calma de fundo para relaxar. Ou ainda qualquer uma no fone de ouvido só para encobrir a dupla sertaneja tocando na festa junina na igreja da esquina.

***

Para escrever, o que busco na procura da evolução é o que funciona para todo mundo: ler muito ― livros, revistas, sites, blogs e o Digestivo, claro. E escrever muito: textos, parágrafos, frases. Para treinar apenas ou para publicar no meu blog ― voltei recentemente com ele. Porque, além de ajudar no exercício da escrita, o hábito de blogar pode gerar pequenos textos que acabam sendo usados em outros maiores.

***

Só recentemente comecei a reler meus textos mais antigos. Confesso que a sensação é um pouco como a de ouvir a própria voz numa gravação ou a de assistir ao vídeo daquela festa de aniversário de 1989. Não é exatamente vergonha, mas aquele sentimento de incômodo de olhar o que era e o que fiz com uma avaliação mais fria e distante. Quase como se fosse outra pessoa. Apesar disso, é um mal necessário, pois é um processo vital para a melhora na escrita, tanto no conteúdo quanto na forma.

Finalizando...
Acontece de, uma vez ou outra, eu desenvolver dois textos ao mesmo tempo. Isso costuma funcionar quando eles têm algum tipo de relação e quando ambos estão num estágio inicial, naquele momento em que as ideias ainda estão se formatando. A busca por soluções para um pode gerar uma fagulha de inspiração para o outro. Sim, é confuso. Por isso esse processo tende a não funcionar mais na etapa de finalização, que requer muita atenção. Aí, essa ida e vinda a textos distintos é um convite ao desespero.

***

Ter uma pressão externa ajuda. A obrigatoriedade de entrega faz com que eu priorize minhas atividades e dá aquele empurrãozinho que faltava. Por outro lado, tenho tentado me disciplinar, aos poucos, em criar objetivos e metas, tanto em número de textos mensais quanto em relação a temas que precisam ser tratados antes que outros. Pequenos planejamentos são recomendáveis, desde que realistas.

***

Terminar um texto me traz sentimentos diversos. Alguns, de satisfação, por ter sido bom de fazer ― até divertido ― e fluído bem, apesar do trabalho de sempre. Outros trazem uma sensação de alívio por terem terminado, pelo alto grau de dificuldade. Os piores são aqueles que trazem um misto de alívio e tensão: foi bom terminar, mas tão desgastante que o cansaço fica evidente. Há os que termino com certa indiferença, mas são raríssimos. Afinal, não quero divulgar algo que não ache que tenha qualidade. E, afinal, não faz nenhum sentido publicar um texto que nem eu gosto ― como achar que qualquer leitor deveria perder o tempo lendo algo assim? Se você chegou até aqui, fique tranquilo, este texto se encaixou na primeira categoria.


Rafael Fernandes
São Paulo, 12/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O começo do fim da hegemonia 'de esquerda' de Julio Daio Borges
02. E se refez a Praça Roosevelt em sete anos de Guilherme Conte
03. a indústria do caos de Fabio Danesi Rossi
04. Lembranças de Carnaval de Gian Danton
05. absurdos de Fabio Danesi Rossi


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2009
01. 10 músicas: Michael Jackson - 22/7/2009
02. A Crise da música ― Parte 1/3 - 25/3/2009
03. A Crise da música ― Parte 2/3 - 29/4/2009
04. Chinese Democracy: grande disco - 25/2/2009
05. A Crise da música ― Parte 3/3 - 8/7/2009


Mais Especial Como se escreve
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/8/2009
17h47min
Rafael, há pouco eu estava me "debatendo" ao escrever um texto. Coloco um ponto final e entro no Digestivo: eis o seu delicioso texto "Escrevendo" como amparo para que eu possa recuperar o fôlego!
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
24/8/2009
20h06min
A maneira como cada escritor trabalha é tão íntima, instransferível e característica que se pode dizer que faz parte do seu DNA. Certa vez perguntaram a Paulo Mendes Campos sobre o processo dele para criar crônicas e poemas. Mendes Campos foi curto e grosso: "Escrever é a arte de sentar o traseiro numa cadeira". Você nos brindou com o depoimento pessoal de como enfrenta a tela em branco. Eu lhe digo, Rafael, é um texto primoroso - e fascinante.
[Leia outros Comentários de João Athayde]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EU ESTOU OK VOCÊ ESTA OK - AS RELAÇÕES DO BEM-ESTAR PESSOAL
DR THOMAS A HARRIS
ARTENOVA
(1973)
R$ 35,10
+ frete grátis



ANDY
GEOFFREY DUTTON
EDITIONS FLEUVE NOIR
(1970)
R$ 10,00



TEMPO DE ESPERANÇA
MARK FINLEY
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2010)
R$ 8,00



ARTES MÁGICAS 1 - SORCERY AS MONTANHAS SHAMUTANTI
STEVE JACKSON
MARQUES SARAIVA
(1983)
R$ 44,50



CRÔNICAS ESCOLHIDAS - FOLHA DE S. PAULO
LIMA BARRETO
ATICA
(1995)
R$ 5,00



CORRUPÇÃO - MEMÓRIAS DE UM CABRA DA PESTE
JOSÉ DANIEL DE ALENCAR
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 293,00



DIAMOND BROTHERS 1 A FANTÁSTICA ENCRENCA DO CHOCOLATE
ANTHONY HOROWITZ
FUNDAMENTO
(2014)
R$ 19,90



OBTENÇÃO DE ÓXIDOS BASEADOS EM NI E CO PARA OXIDAÇÃO PARCIAL DO METANO
ANA PAULA DA SILVA PERES UND DULCE M. A. MELO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



NOÇÕES BÁSICAS DE IMPORTAÇÃO 6ª EDIÇÃO
JOÃO DOS SANTOS BIZELLI E RICARDO BARBOSA
ADUANEIRAS
(1997)
R$ 6,00



DICIONÁRIO BIOGRÁFICO VOLUME 2
EDIT ABRIL
ABRIL
(1972)
R$ 4,99





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês