Um homem: Klaus Klump, de Gonçalo Tavares | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
>>> Retrato do Artista Quando Velho de Joseph Heller pela Cosac & Naify (2002)
>>> No Tempo das Catástrofes de Isabelle Stengers; Eloisa Araújo pela Cosac & Naify (2015)
>>> Manual de esquemas de Klöckner- Moeller pela Do autor (1971)
>>> Inesgotáveis Enigmas do Passado de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Evidências dos Ovnis - As Ciências Proibidas de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Características de Deus que chamam a nossa atenção. de Silas Malafaia pela Central Gospel (2012)
>>> Encontro diário com Deus de Frei Edrian Josué Pasini,Ofm pela Vozes (2010)
COLUNAS

Segunda-feira, 14/9/2009
Um homem: Klaus Klump, de Gonçalo Tavares
Ricardo de Mattos

+ de 5500 Acessos

"Não te atreves a cuspir num lobo, mas se necessário mijas para cima da cabeça de um cão." (Gonçalo Tavares)

O escritor Gonçalo Tavares nasceu em Luanda de Angola no ano de 1970. Passou sua infância em Aveiro, já em Portugal, país onde publicou em dezembro de 2001 seu primeiro trabalho, O Livro da Dança. Desde então granjeia reconhecimento no Brasil, na Itália, na França e na Sérvia, além de receber os mais importantes prêmios portugueses, como o Branquinho da Fonseca e o Grande Prêmio do Conto Camilo Castelo Branco. Sua obra alastra-se pela Europa e pelo mundo através das traduções de seus romances, contos, ensaios e poesias. É autor sofisticado que presume, à maneira de Jorge Luis Borges, que o leitor compartilhe de suas leituras. Gonçalo deixou de ser um iniciante promissor para tornar-se um jovem clássico. Assistimos sua participação em uma das "mesas" da FLIP de 2006, quando mais falava-se a respeito de sua série intitulada O Bairro, local imaginário onde os vizinhos seriam os "senhores" Valéry, Brecht e Calvino, entre outros.

Um homem: Klaus Klump (Companhia das Letras, 2007, 120 págs.) é o primeiro livro da quadrilogia O Reino, sucedido por A máquina de Joseph Walser, Jerusalém e Aprender a rezar na Era da Técnica. Este romance ― cujo título onomatopaico traz também uma aliteração ― é curto: 115 páginas preenchidas com folga. O que não significa leitura ligeira. Gasta-se pouca tinta para pintar muito, criando relatos fortes e salientando retratos. Na prateleira, faz justo par com Boa tarde às coisas aqui de baixo, de António Lobo Antunes. Irmanam-se em tema e peculiaridade da expressão. Entretanto, dos quatro volumes, Jerusalém teve maior repercussão e garantiu a Gonçalo o prêmio José Saramago.

Nascido o autor em Angola, a primeira tentação do leitor é situar a trama neste país da costa ocidental africana, lar de significativa parcela dos ancestrais de nossa própria população. Depois, supor que ele narra o presenciado na infância, antes de partir para Aveiro. O que colhemos de sua biografia, porém, não autoriza a simples imposição destas conclusões. Na década de setenta do século passado, Angola dividiu-se entre movimentos pela independência e ― alcançada esta e instalado o governo de Agostinho Neto ― a guerra civil. As facções guerrilheiras como a MPLA, a FNLA e a UNITA promoveram agressivas ações intestinas que derivaram até o presente. Anônimo o cenário bélico, o olhar centra-se no mal em si da guerra e no perverso efeito secundário que é o transtorno interior causado às pessoas. Gonçalo excede o meio, recolhe semelhanças algures e cria um texto geograficamente neutro mas de leitura universal.

Nos países de instabilidade política, há um roteiro relativamente seguro a se observar. Uma força política ou social busca a supremacia e outra resiste-lhe. Almeja-se o poder em si, não a implantação de melhorias gerais através dele. "Tudo deve mudar para continuar do jeito que está", conforme Lampedusa faz seus personagens repetirem em contexto ligeiramente diverso, mas de mesmo cinismo incômodo. Gerado o conflito, uma ganhará o poder e outra refugiar-se-á na clandestinidade, onde fomentará a insatisfação e preparará o novo confronto. A insegurança torna-se o fio que alinhava os períodos. Às pessoas cabe seguir seus partidos na alternância do poder, ou acatar a ordem do momento. Nas palavras de Gonçalo, "aprendemos novas rimas para acompanhar o nascer do dia, ou recusamos a aprendê-las". A Klaus Klump parece indiferente quem ganhará ou quem perderá, quem tem razão ou não. Seu envolvimento com a resistência objetiva, em primeiro lugar, reparar ato inicial de covardia. Klaus não é o soldado-humanista-botânico que vimos em Jünger, mas alguém caído no abismo da autopunição.

Distinguindo entre resistência e colaboracionismo, o escritor traça seus melhores perfis, como o da personagem Herthe e de seu marido Leo Vast. Pérfidos, mas não deixam de ser materializáveis. Ela entrega-se aos combatentes com maior probabilidade de êxito final. No seu casamento, não hesita em trair, num só ato, seu irmão e o novo marido. Mal casada e já viúva, une-se a Leo visando garantir o próprio conforto, bem como dos familiares. No seu Diário de uma guerra estranha, Jean-Paul Sartre questiona quase inocentemente acerca dos distúrbios que viveu há setenta anos: "Seria manipulação dos capitalistas? Mas eles nada têm a ganhar com esta guerra. Fizeram tudo para evitá-la..." Através de Leo Vast, Gonçalo acaba mostrando que há, sim, senhores para quem a Paz não é lucrativa. Aproveitando a deixa, este tema foi bem abordado pelo alemão Rolf Uesseler no livro Guerra como prestação de serviços .

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 14/9/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Elis vive de Fabio Gomes
02. A medida do sucesso de Fabio Gomes
03. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
04. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti de Jardel Dias Cavalcanti
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana de Heloisa Pait


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2009
01. O delfim, de José Cardoso Pires - 19/10/2009
02. Evolução e Adaptação da Imprensa Escrita - 23/3/2009
03. Charles Darwin (1809-2009) - 16/11/2009
04. Américas Antigas, de Nicholas Saunders - 27/4/2009
05. Sobre o Islã, de Ali Kamel - 23/2/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CADERNO DE CINEMA DO PROFESSOR
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
TRÊS
(2009)
R$ 12,66



CICATRIZ
TERESA RITA LOPES
EDITORIAL PRESENCA
(1997)
R$ 43,88



MEU TIO ATAHUALPA
PAULO DE CARVALHO NETO
CIRCULO DO LIVRO
(1972)
R$ 5,00



AMOR DE PERDIÇÃO
CAMILO CASTELO BRANCO
ED. ÁTICA
(1988)
R$ 5,90



EMERGÊNCIAS EM PEDIATRIA: PROTOCOLOS DA SANTA CASA
COORD. FABIOLA PEIXOTO FERREIRA LA TORRE E OUTROS
MANOLE E SANTA CASA
(2011)
R$ 130,00



BRASIL 2020: SOCORRO O FUTURO CHEGOU
BRUNO MAZZEO
FRENTE
R$ 5,00



HISTÍORIAS DE UMA SABICHONA NEM UM POUCO ESPERTA - VOL 5
RACHEL DE QUEIROZ
VERUS
(2013)
R$ 21,90



L ILE DES PINGOUINS (PRESSES-POCKET)
ANATOLE FRANCE
PRESSES
(1991)
R$ 18,28



Á PRIMEIRA VISTA
NICHOLAS SPARKS
ARQUEIRO
(2012)
R$ 17,00



A MÁQUINA HUMANA SISTEMAS E FUNÇÕES - ATLAS DE ANATOMIA
GRUPO BANDEIRA
GRUPO BANDEIRA
R$ 10,00





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês