Perguntas sagradas | Larissa Pontez | Digestivo Cultural

busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
>>> Selo Anonimato Records chega ao mercado fonográfico em agosto
>>> Última semana! Peça “O Cão de Kafka” fica em cartaz até 1º de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
>>> “Conselheiro do Sertão” no fim de semana
>>> 1000 Vezes MasterChef e Nenhuma Mestres do Sabor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nordeste Oriental
>>> Entrevista com Flávia Rocha
>>> Clint: legado de tolerância
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Nicolau Sevcenko & jornalismo
>>> 25 de Julho #digestivo10anos
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Jornais do futuro?
>>> Anonimato: da literatura à internet
>>> Inesquecíveis aventuras
Mais Recentes
>>> A Mão e a Luva - Coleção Prestígio de Machado de Assis pela Ediouro (1987)
>>> Introdução à Teologia Fundamental de Rino Fisichella pela Loyola (2012)
>>> O Mulato - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Uma Lágrima de Mulher - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Filosofia Política e Liberdade de Roland Corbisier pela Paz e Terra (1975)
>>> Civilização e Cultura. Volume 1 de Luis da Câmara Cascudo pela Livraria José Olympio (1973)
>>> Antologia do Folclore Brasileiro - 2 Volumes de Luis da Câmara Cascudo pela Martins (1965)
>>> Alguém Que Anda por Aí de Julio Cortázar pela Nova Fronteira (1981)
>>> Revolução na América Latina de Augusto Boal pela Massao Ohno (1961)
>>> Arte de Amar e Contra íbis de Ovídio pela Cultrix (1962)
>>> História Concisa da Literatura de Alfredo Bosi pela Cultrix (1979)
>>> Por Que Almocei Meu Pai de Roy Harley Lewis pela Companhia das Letras (1993)
>>> A Filosofia de Descartes de Ferdinad Alquié pela Presença / Martins Fontes (1969)
>>> A . Comte - Sociologia de Evaristo de Moraes Filho; Florestan Fernandes pela Ática (1983)
>>> The Pedants Return de Andrea Barham pela Bantam Books (2007)
>>> O Ser e o Tempo da Poesia de Alfredo Bosi pela Companhia das Letras (2004)
>>> Thomas Hobbes de Os Pensadores: Hobbes pela Abril Cultural (1979)
>>> Introdução ao Filosofar de Gerd Bornheim pela Globo Livros (2003)
>>> O Caneco de Prata de João Carlos Marinho pela Global (2000)
>>> Berenice Contra o Maníaco Janeloso de João Carlos Marinho pela Global (1997)
>>> Conceptual Issues in Evolutionary Biology de Elliott Sober pela Mit Press (1993)
>>> A History Their Own Women in Europe - 2 Volumes de Bonnie S. Anderson; Judith P. Zinsser pela Harper & Rowpublishers (1988)
>>> Revelações de Uma Bruxa de Marcia Frazão pela Bertrand Brasil (1994)
>>> Eu, Malika Oufkir: Prisioneira do Rei de Malika Oufkir; Michèle Fitoussi pela Companhia das Letras (2000)
>>> O Mundo é Plano uma Breve História do Século XXI de Thomas L. Friedman pela Objetiva (2005)
COLUNAS

Quarta-feira, 18/11/2009
Perguntas sagradas
Larissa Pontez

+ de 5000 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Em 2001, a jornalista do New York Times Natalie Angier escreveu um texto chamado "Confissões de uma ateia solitária", sobre as dificuldades que enfrentava ao assumir seu ateísmo na era Bush.

Depois que eu tive a ideia para este texto, demorei uma semana para realmente começar a escrevê-lo. Não exatamente para organizar as ideias na minha cabeça, mas para acalmá-las. Porque ― e isso não é novidade para quem me conhece ― esse me é um assunto sensível. Mas essa sensibilidade não é exclusiva. Na verdade, todo mundo é sensível a esse assunto. Já tive discussões homéricas com pessoas que nem sequer eram religiosas, por discordar de assuntos que simplesmente "não se discutem". Porque, afinal, pode-se ser a favor do aborto, da pena de morte, do suicídio e da legalização das drogas e da prostituição, e isso é democrático. Mas se você é contra religiões, você é nazista.

Portanto, fica o aviso. Você pode se ofender com o assunto deste texto. Aliás, estatisticamente, você vai se ofender com o assunto desse texto. Mas, se mesmo assim quiser continuar a lê-lo, abre-se aqui o debate.

O que mais me preocupa quando entro em uma discussão a respeito da "fé" versus "ciência" é que, frequentemente, as pessoas as colocam no mesmo pacote. Se você é ateu, provavelmente já ouviu esta frase: "Se você quer acreditar na ciência e quer que os outros respeitem isso, também tem que respeitar a fé dos outros". Vou colocar aqui, então, uma explicação simples, do Wiktionary em tradução livre (já que esse artigo não existe em português), sobre o que é o método científico, para estarmos todos na mesma página:

"Método científico: método de descoberta, a respeito do mundo natural, baseado na criação de hipóteses testadas empiricamente, desenvolvidas e revisadas para a constituição de teorias que melhor expliquem os dados conhecidos."

Em resumo, a ciência não depende de opinião. Qualquer hipótese deve ser ― e é ― testada e comprovada antes de ser considerada verdadeira. E, ainda assim, está sempre disposta a ser revisada e, se necessário, desmentida. A fé não funciona assim. A fé baseia-se no oposto, na ausência de debate e questionamento; no crer, e fim. Portanto, "acreditar" na ciência não é o mesmo que "ter fé" na ciência, porque a ciência não exige fé. Ela exige lógica e, como qualquer outro homo sapiens sapiens, isso eu tenho. O que me incomoda em qualquer religião é exatamente a negação do que naturalmente nos diferencia dos outros animais: a racionalidade.

Porém, só muito recentemente percebi algo que pode explicar essa frequente confusão entre "ter fé" e "acreditar": professores de ciências ruins.

Podem parecer fenômenos não-relacionados, mas, para muitas pessoas, provavelmente existe pouca diferença entre um sermão em uma igreja e uma aula de biologia. (Com a suposta diferença de que "bombar" no primeiro significaria uma eternidade no inferno...). Se em algum momento elas perguntassem "mas por que isso é assim?", a resposta, em ambos os casos, seria "porque está no livro". Na religião, essa resposta faz completo sentido, já que os escritos da Bíblia, Torá, Alcorão etc. parecem ser provas suficientes para qualquer coisa. Em uma aula de ciências, isso é um crime.

Tolher o questionamento de uma criança é sinônimo de deseducar. É a antítese do método científico. Isso cria uma aceitação passiva, sem raciocínio. E entre um dado abstrato cuspido, e uma "boa história", adivinha qual a criança vai escolher? Daí nascem os "museus criacionistas" dos Estados Unidos.

Por falta de boa vontade, ou mesmo de conhecimento, sem querer, professores de ciências, que deveriam ser a maior expressão de uma sociedade humanista, contribuem para o aumento de pessoas passivas, supersticiosas e, quase consequentemente, religiosas.

O Iluminismo, heroi da Modernidade, foi substituído por um tacanho senso de respeito e tabu.

Mas eu tive bons professores de ciências. Portanto, eu não acredito que existam assuntos que simplesmente "não se discutem". Como denuncia Richard Dawkins, as religiões têm sido protegidas por uma cortina de intocabilidade por tempo demais.

Eu sonho com um mundo e um tempo em que, em qualquer idade, é possível perguntar, questionar, debater qualquer assunto; em que as pessoas têm suas crenças porque chegaram a elas através de suas próprias conclusões, não de doutrinamentos; em que dogmas, superstições e violências causadas pelas religiões sejam deixados para trás; em que explicações sejam sempre buscadas; um mundo com bons professores de ciências.

Eu sonho com um mundo não tão solitário para uma ateia. Mas eu vivo neste.

Nota da Autora
Só para constar: eu não acho que apenas gênios, como José Saramago ou Dawkins, possam blasfemar e serem respeitados. Venho por meio deste evocar meu direito à blasfêmia. Obrigada, tenha um bom dia.

Nota do Editor
Larissa Pontez mantém o blog JOM ― JamaisOuMenos.


Larissa Pontez
São Paulo, 18/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cuba e O Direito de Amar (3) de Marilia Mota Silva
02. Alma indígena minha de Elisa Andrade Buzzo
03. Paulo Mendes da Rocha (1929-2021) de Julio Daio Borges
04. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 7. Um Senador de Heloisa Pait


Mais Larissa Pontez
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/11/2009
01h36min
Adorei o seu texto, e com certeza também sonho com o mundo que você descreveu. Mas, acredite, não está tão sozinha quanto pensa. No mínimo, tem o Saramago que, pelo que eu andei lendo, depois da publicação de "Caim", não é tão respeitado assim. Já foi excomungado e agora querem despatriá-lo... Há mais um motivo para a confusão entre "ter fé" e "acreditar". A evolução da ciência. Cansamos de ver "verdades" científicas serem desacreditadas na década seguinte pois a própria ciência evoluiu o suficiente para ver-se errada. Exemplo disso é o colesterol que fazia bem na década de 50, depois mal, na de 70/80, e, agora, sabemos que existe o colesterol bom e o mau. Pra talvez descobrir um colesterol que não fede nem cheira em 2010... Queria esclarecer uma coisa: sou ateu também. Agora, eu faria mais uma distinção no quesito fé. Seria entre fé e igreja: que, pra mim, são duas coisas absolutamente diferentes. Uma eu respeito e a outra, não. Obviamente, você sabe o porquê... Abraços!
[Leia outros Comentários de Ricardo Jevoux]
19/11/2009
01h59min
Bom, chamar Saramago de gênio é blasfemar contra a arte literária. É um ideológo metido a literato. Agora, crer em Deus, Papai Noel etc. é coisa de gente sem a mínima informação. Séculos de cultura não foram democratizados e os ignorantes continuam pastando a "verdade" sagrada como vacas comendo grama. Azar o deles. A solidão profunda dos ateus é grandiosa.
[Leia outros Comentários de jardel]
30/11/2009
11h08min
Muito lúcido este texto, nem ateu eu sou, sou agnóstico e meio macumbeiro, mas é suficiente para narizes torcidos por parte dos monoteístas. "Nossa, coitado, você deve ter tido (sic) uma grande decepção na vida para não acreditar em Deus"... Ter consciência e esclarecimento não conta.
[Leia outros Comentários de Edson B de Camargo]
30/11/2009
22h29min
Obrigado, Larissa, por mostrar que existem alguns ateus (e ateias) no mundo. Afinal, é preciso muita inteligência para ser ateu (tem que se livrar da lavagem cerebral a que as crianças são submetidas e para isto é preciso pensar e questionar). Gostei do final do comentário do Jardel: "a solidão profunda dos ateus é grandiosa".
[Leia outros Comentários de Danilo Zanirato]
26/12/2009
09h45min
Ser solitário entre multidões de crentes não é uma exclusividade, acredite. Sou desses. Num ambiente em que 99,99% dos conhecidos creem em Deus, sinto-me um peixe fora do aquário. Ultimamente me senti um pouco desanimado por minha casa ter sido assaltada 3 vezes nos últimos 15 dias. Verdade que fui inconsequente por não protegê-la como deveria. E o resultado disso? Por não ter fé (ou não acreditar em Nada, como eles dizem) eu merecia passar por aquilo. Coisas do tipo "para aqueles que não creem, tudo é mais difícil". Vindo de minha namorada espírita até que me comportei civilizadamente. Mas o que um ateu/agnóstico está fazendo ao lado de uma espírita kardecista? Muita coisa, inclusive, entre estas coisas, amor. Bom, mas deixa isso pra lá. Por onde olho estamos todos (os que não creem) fadados a arder no mármore do inferno, o que pra nós não faz sentido nenhum, já que não cremos nem nos Céus, quiçá no inferno. Discussão boa, lugar apropriado. Jardel, na mosca...
[Leia outros Comentários de Pepê Mattos]
28/12/2009
12h45min
Junte alguém que crê profundamente em Deus + trabalha com ciência + aplica a religiosidade de seu jeito e você terá alguém muito mais questionador que um ateu ou agnóstico. E, pior, alguém que crê que se você respeita os outros e se respeita, e vive de maneira coerente com seus ideais, não faz a menor diferença qual é sua religião (ou não religião), seu time, a cor que prefere etc. etc. etc. Daí... você vira um ser tratado quase como extraterrestre...
[Leia outros Comentários de maria thereza amaral]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Emagreça sem segredos
Jeanne Lima
Literare Books International
(2018)



Para Mim, Chega!
Yvonne Bezerra de Mello
Rosa dos Tempos
(1998)



Orgias
Luis Fernando Veríssimo
L&pm



Cozinha Vegetariana. Maçã
Caroline Bergerot
Cultrix
(2012)



A Witch Called Wanda
Telma Guimarães Castro Andrade
Atual
(1996)



O Pensamento Judeu Como Fator de Civilização
Leon Roth
Biblos
(1965)



Entre Irmãs - 1ª Edição
Frances de Pontes Peebles
Arqueiro
(2017)



Os Thibault 1
Roger Martin Du Gard
Globo
(1986)



Unati - Espaço Aberto ao Ensino e á Criatividade
Maria Candida Soares del Masso
Cultura Academica
(2012)



Dinâmica de Grupo Iniciação a Seu Espírito e Algumas de Suas Técnicas
Jean-marie Aubry
Loyola
(1978)





busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês