Projeto Itália ― Parte II | Eduardo Mineo | Digestivo Cultural

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
Mais Recentes
>>> Homens e cousas do Império de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1924)
>>> Servidores Illustres do Brasil de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1930)
>>> A Guerra do Pacífico de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1925)
>>> Mallet: o Patrono da Artilharia de Joaquim Victorino Portella Ferreira Alves pela Biblioteca do Exército (1979)
>>> Os Patronos das Forças Armadas de General Olyntho Pillar pela Biblioteca do Exército (1981)
>>> História Diplomática do Brasil de Hélio Vianna pela Biblioteca do Exército (1958)
>>> História Militar do Brasil de Leopoldo de Freitas pela Livraria Magalhães (1911)
>>> Presença de Alberto Torres (Sua vida e Pensamento) de Barbosa Lima Sobrinho pela Civilização Brasileira (1968)
>>> Alberto Torres e sua obra de A. Saboia Lima pela Companhia Ed. Nacional (1935)
>>> A Internacional do Dinheiro de Adolfo Coelho pela Livraria Clássica (1935)
>>> Anatomia Humana -tomo 3 [ idioma espanhol]Angiologia -Neurologia - Estesiologia de M.Prive N. Lisenkov V.Bushkovich pela Mir Moscou (1986)
>>> Servidão Humana de W. Somerset Maugham pela Círculo do Livro (1986)
>>> 4. A Ditadura Encurralada: O Sacerdote e o Feiticeiro de Elio Gaspari pela Intrínseca (2014)
>>> 1001 Filmes para Ver Antes de Morrer de Steven Jay Schneider pela Sextante (2010)
>>> Bush na Babilônia: A Recolonização do Iraque de Tariq Ali pela Record (2003)
>>> Espionologia: O Livro Completo da Espionagem de Ian Andrew; Anne Yvonne Gilbert; Outros pela Brinque Book (2010)
>>> Barão de Mauá: O Empreendedor de Gilberto Maringoni pela Aori (2007)
>>> El Mejor Medicamento Eres Tú: La Salud Está En Tus Manos de Frédéric Saldmann pela Aguilar (2014)
>>> O presidente Campos Salles na Europa de Tobias Monteiro pela F. Briguiet & Cia. (1928)
>>> As ideias de Alberto Torres de Alcides Gentil pela Companhia Ed. Nacional (1932)
>>> Recueil de discours prononcés au Parlement d'Angleterre de William Pitt & Charles James Fox pela Chez Le Normant (1819)
>>> Antidepresivos Naturales: Una Solución Alternativa al Gran Problema de Este Tiempo de Lucía Oliveira pela Ediciones Lea (2008)
>>> A Verdadeira Dieta Anticâncer de David Khayat pela Lua de Papel (2012)
>>> En Un Abrir y Cerrar de Boca: Historias de Problemas Gordos de Máximo Ravenna pela Ediciones B (2010)
>>> Grandes Católicos de Rev. Pe. Claude Williamson pela Globo (1943)
>>> Curso Básico de Teologia de Antônio Mesquita Galvão pela Pão e Vinho (2003)
>>> Guia politicamente incorreto da História do Mundo de Leandro Narloch pela Leya (2013)
>>> Síndrome do Estrangeiro de Málu Balona pela Editares (2006)
>>> Geographia Sentimental de Plínio Salgado pela José Olympio (1937)
>>> Chama Crística de Norberto Peixoto pela Do Conhecimento (2001)
>>> Obra Escolhida de Descartes pela Difusão Europeia do Livro (1962)
>>> O Lado Difícil Das Situações Difíceis de Ben Horowitz pela WMF Martins Fontes (2020)
>>> Medida provisória 1 6 1 de Ademir Antonio Bacca pela Toazza (1990)
>>> Autenticidade Consciencial de Tony Musskopf pela Editares (2012)
>>> Perdão: Opção Cosmoética de Seguir em Frente de Vera Tanuri pela Editares (2016)
>>> Criação de Delores Pires pela Do autor (1989)
>>> O castelo nos Pirineus de Jostein Gaarder pela Companhia das Letras (2010)
>>> Um Caso Muito Sujo de Shirley Souza pela Paulus (2011)
>>> Astronauta de Brinquedo de Marcelo Miguel pela Paulista (1995)
>>> A Vida Cética de Pirro de Gabriela G. Gazzinelli pela Loyola (2009)
>>> Karl Marx - Biografia de P. N. Fedosseiev (e outros) pela Avante (Lisboa) e Progresso (Moscou) (1983)
>>> Meus devaneios poéticos de Darcy Arruda Miranda pela Do Autor (1984)
>>> Poeta, mostra a tua cara de Berecil Garay pela Toazza (1992)
>>> Nós Nus de Ione França pela Do autor (1989)
>>> Evolução de Alejandro Roldán pela Editorial Atlântida S. A. (1958)
>>> O bom filho a casa torra de Leila Miccolis pela Edicon (1992)
>>> Grandes Frases (Pocket) de Zibia Gasparetto pela Evd/ Vida e Consciência (2017)
>>> Sexo das Flores de Pedro Jofre Marodin pela Ermitagem (1989)
>>> O Brazil em face do Prata de Gustavo Barroso pela Imprensa Nacional (1930)
>>> Coreto de papel de Noel Nascimento pela Vicentina (2003)
COLUNAS

Segunda-feira, 14/6/2010
Projeto Itália ― Parte II
Eduardo Mineo

+ de 8300 Acessos

Cheguei na Sicília de avião, na Catania. Preferi voar porque eu precisava alugar um carro e, como era domingo, apenas as locadoras do aeroporto estariam abertas. A alternativa seria ir de trem até a Calábria e atravessar o canal de Messina por barco. Dizem que o passeio é incrível, mas não consegui fazê-lo desta vez.

Do aeroporto, fui direto para uma cidadezinha perto do vulcão Etna chamada Motta Camastra, onde meu avô nasceu. A vantagem de se hospedar ali é o preço, já que a cidade fica a vinte quilômetros da paradisíaca Taormina, que tem preços elevadíssimos.


Vulcão Etna visto de Motta Camastra

Comparando com o continente, as temperaturas na Sicília são mais elevadas, entretanto, a maior parte das cidades se localiza em cima de montanhas, o que faz a temperatura despencar. Foi lá que passei o pior frio da minha vida, portanto, cuidado. E ainda mais cuidado para dirigir, pois as estradas que ligam as grandes capitais são boas, mas as estradas locais, para acessar as cidades de montanhas, são perigosíssimas. Desisti de ir à Riserva dello Zingaro, no noroeste da Sicília, por causa da estrada.


Estrada no noroeste siciliano

Se Milão é o melhor lugar em que estive, Taormina é o lugar mais bonito em que já estive. Arrisco dizer que é o lugar mais bonito do mundo. Comecei indo a Castelmola, uma cidadezinha próxima a Taormina, de onde se tem uma visão panorâmica, pois fica nas alturas. Desci perplexo pela paisagem, caminhei por todo o centro e fui até o teatro grego de Taormina, de onde se tem a vista da praia e, ao fundo, do vulcão Etna. É o cartão postal da cidade.


Teatro Grego, Taormina

Cheguei a dirigir até Messina, de onde é possível enxergar a costa do continente italiano, mas a cidade tem pouco a oferecer. Continuei minha viagem descendo à região da Catania e cheguei à pacata Mineo, cujo nome minha família carrega. Tem uma praça central, com uma igreja de uns mil e duzentos anos e um partido comunista do outro lado. Tentei conversar com as pessoas por ali, mas sem sucesso. Deixei a cidade meio aborrecido e segui para Siracusa, já no sudeste siciliano. No meio do caminho, o Etna se levantou e apareceu no horizonte, me dando uma das minhas fotos prediletas.


No caminho para Siracusa ― Etna ao fundo

A região de Siracusa é bastante industrial, o que não me interessava, portanto ignorei tudo e segui direto até o centro velho, que fica numa ilha chamada Isola Ortigia. Maravilhosa, a ilha. Estava preocupado, pois não como peixe e todos os restaurantes não me pareciam ter outra coisa para servir, mas achei um à beira do mar bastante simpático e fish-free, onde comi um pene carbonara. Cheguei a cometer a gafe de perguntar que vinho eles serviam, que foi prontamente respondido "locale", como se fosse a coisa mais óbvia do universo ― queria o quê? Vinho francês na Sicília, seu otário? A chateação é que já estava tarde e eu não tive muito tempo para dedicar a cada detalhe da cidade, pois tinha que seguir viagem a Noto, onde eu havia reservado um quarto. Em toda a minha viagem, reservei apenas bed-and-breakfasts, pois são mais baratos que hotéis, mas melhores que albergues. Não tive o menor problema e sempre fui muito bem tratado.


Siracusa

Noto é uma cidade minúscula, com uma avenida principal onde estão todas as coisas que você pode querer ver lá. No começo, me arrependi de ter alugado um quarto ali, em vez de ter ficado em Siracusa, mas quando sentei para jantar, mudei completamente a minha opinião. Foi, de longe, a melhor refeição que já fiz na vida. Quem me indicou foi o dono do B&B Valle degli Dei, dizendo para eu experimentar a Trattoria Ducezio, frequentada principalmente pelos locais. Na hora me pareceu cilada. Cheguei ao lugar e era um estacionamento. Tive de atravessar o terreno, passar por uma portinha nos fundos até chegar ao restaurante, que era bem ajeitadinho, pelo que eu esperava. Mas saí dali renovado. Deixei 20 euros de gorjeta, tamanha a minha satisfação. E ainda acho que dei pouco.

Deixei Noto e segui por Modica, famosa pelos seus chocolates, e Ragusa até chegar ao parque arqueológico de Agrigento, o primeiro que visitei para ver as construções gregas. Ainda visitei os parques arqueológicos de Selinunte e de Segesta, com um cenário mais bonito que o outro. Entretanto, os parques são grandes e são longas caminhadas para se locomover de uma construção a outra. Em Segesta é preciso pegar um ônibus para se chegar ao teatro grego daquele parque.


Construção grega em Selinunte

Sciacca, embora tenha um dos piores nomes do mundo, é uma cidade charmosinha, com uma vista espetacular para o mar e que me rendeu boas fotos no seu porto. Ela é conhecida pela escadaria de mosaicos, que me deixou, devo admitir, decepcionado, mas não o suficiente para desgostar da cidade. Já Erice, superou todas as minhas espectativas, que eram altas. É uma cidadezinha medieval como Assis, fortificada e fica no topo de uma montanha altíssima. A vista que se tem do mar e da cidade de Trapani é de doer a alma.


Erice

Antes de chegar a Palermo, passei por uma cidade litorânea chamada San Vito Lo Capo, que tem uma praia que me fez gostar de praia. Vendo as fotos, dá pra entender. Mas chegando em Palermo, encontrei a cidade debaixo de lixo. Era natal e os lixeiros não trabalharam. Culpa da máfia, segundo quem mora na cidade. É uma pena, pois a cidade é fantástica e tem história escrita nas paredes de cada esquina. A catedral de Palermo, por exemplo, foi fundada pelos normandos, depois transformada em mesquita durante a dominação árabe e novamente transformada em catedral pelos espanhóis. O interessante é que não houve diminuição, mas acréscimos. Já na entrada da catedral, você vê uma página do corão esculpida num dos pilares.


Página do corão esculpida na Catedral de Palermo


San Vito Lo Capo

Não entrei no Teatro Mássimo, aquele que foi fechado por anos pela máfia, só passei em frente quando estava indo à Capella Palatina, no Palazzo dei Normanni. Seu interior é forrado pelos famosos mosaicos em ouro com imagens cristãs e o teto ainda conserva o acabamento em madeira com figuras pagãs da época árabe. É de uma beleza assombrosa.


Capella Palatina

Infelizmente choveu durante a minha última noite em Palermo e, quando cheguei a Cefalù, o mar estava completamente turvo. Cefalù, pelas fotos que se vê no Google, tem umas das praias mais bonitas do mundo, que não consegui registrar, mas mesmo assim fiz muitas fotos de suas ruazinhas estreitas que formam uma arquitetura muito bacana.


Cefalù

A única frustração de minha viagem foi em Piazza Armerina, uma cidadezinha que fica bem no meio da Sicília e que é famosa por sua vila romana. Quando cheguei à cidade, a vila estava fechada. Até tentei arquitetar um plano maligno de pular o muro, sair correndo, bater fotos e ser preso, mas preferi a prudência e me dei por satisfeito com a foto que fiz na entrada da cidade, que nos recebe com a impressionante vista de sua catedral.


Piazza Armerina

No caminho para o aeroporto, conheci ainda uma cidadezinha chamada Aci Castello, ao norte da Catania e conhecida por ter um castelo normando construído em 1076, embora não tenha nada demais lá dentro. A não ser a vista. A vista é maravilhosa.


Aci Castello

Nota do Autor
Leia também "Projeto Itália ― Parte I".


Eduardo Mineo
São Paulo, 14/6/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Arte sem limites de Fabio Gomes
02. A selfie e a obsolescência do humano de Marta Barcellos
03. Guerras sujas: a democracia nos EUA e o terrorismo de Humberto Pereira da Silva
04. Reflexões de um desempregado de Elisa Andrade Buzzo
05. Para entender os protestos e o momento histórico de Julio Daio Borges


Mais Eduardo Mineo
Mais Acessadas de Eduardo Mineo
01. O físico que era médico - 23/4/2007
02. Projeto Itália ― Parte I - 1/6/2010
03. A comédia de um solteiro - 3/12/2007
04. A propósito de Chapolin e Chaves - 24/9/2007
05. Projeto Itália ― Parte II - 14/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURAS ANGÉLICAS / TRABALHANDO COM SEUS ANJOS PARA CURAR SUA VIDA
EILEEN ELIAS FREEMAN
RECORD
(1995)
R$ 8,00



O NOVIÇO COLEÇÃO ESTADÃO
MARTINS PENA
KLICK
(1997)
R$ 8,00



CRIANDO MENINAS
GISELA PREUSCHOFF
FUNDAMENTO
(2003)
R$ 26,84



NATUREZA HUMANA E LEI NATURAL CONCILIUM
LISA SOWLE CAHILL E OUTROS
VOZES
(2008)
R$ 80,00



SERINGUEIRA COL. INSPIRADA NO PROGRMA DE TV DE REGINA CASÉ E ESTEVÃO C
FABIANA WERNECK BARCINSKI ADAPTAÇÃO E GUAZZELLI...
MARTINS FONTES
(2010)
R$ 15,40



CORAGEM E DETERMINAÇÃO - UM INFINITO AINDA POR FAZER
YEDA CRUSIUS
AGE
(2014)
R$ 32,00



PANDORA UM POEMA FESCENINO
MAGGIAR VILLAR
DO AUTOR
(1991)
R$ 12,00



LOBO LOBÃO LOBISOMEN
LUIZ ROBERTO GUEDES
SARAIVA
(1997)
R$ 5,90



NA DUVIDA,ULTRAPASSE-ORIENTAÇAO VOCACIONAL.
CAVO
CAVO
R$ 16,00



MAPS AND MAPMAKERS OF THE CIVIL WAR
EARL B. MCELFRESH (CAPA DURA)
HARRY N ABRAMS
(1999)
R$ 210,28





busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês