Eleição para boi dormir? | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
62333 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2010

Terça-feira, 7/9/2010
Eleição para boi dormir?
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

A eleição para Presidente da República está marcada pela preferência majoritária por três candidatos: Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva. Eles são o ponto nevrálgico da disputa. É em torno deles que se constitui toda a retórica das eleições. Vou comentar abaixo individualmente sobre cada um deles.

Dilma Rousseff
Já saindo com uma vantagem invejável, a candidata do PT, Dilma, tem por trás dessa posição um governo que, querendo ou não, caiu nas graças da população. A economia sobcontrole (ao menos aparentemente, pois há muita água suja por trás desse controle) satisfaz um eleitorado que há muito não ouve estatísticas assustadoras sobre desemprego, inflação galopante, desestabilização da economia. Isso gera uma sensação de conforto que discurso opositivo nenhum consegue desmontar. Ninguém quer sair desse conforto produzido pelos 8 anos de PT no poder. As classes média, baixa e alta estão despreocupadas. E isso é bom para a candidatura de Dilma.

Depois de eleito, Lula (e o PT, consequentemente) conseguiu afastar de si a imagem do operário, proletário, radical, sendo reconhecido mundialmente por sua história sindical (não revista criticamente ainda) e por ter se tornado líder "operário" de um país com aspirações liberais e democráticas e em estado de franco desenvolvimento. A imagem do Brasil no exterior cresceu em importância (somos um potencial em consumidores, ora bolas) e pensa-se que isso se deve a Lula unicamente, esquecendo-se das várias atuações de Fernando Henrique Cardoso fora do Brasil, anos atrás, preparando o terreno para o que Lula computou para si mesmo como atributo positivo de sua política de relações exteriores e não virtude do governo anterior.

Dilma, substituta de Lula escolhida pelo PT, aproveita a boa imagem do governo Lula e já tem quase certa sua vitória. Ninguém mexeria em time que está ganhando. Há um componente simbólico também na eleição de uma mulher, o primeiro presidente do sexo feminino no Brasil, como aconteceu no Chile com Michelle Bachelet. (Antes de ser presidente, Bachelet apoiou o Partido Socialista na clandestinidade e, por este motivo, foi presa com sua mãe em 10 de janeiro de 1975, sendo torturada e interrogada. Depois de um ano de reclusão, mãe e filha partiram ao exílio na Austrália, para partir mais tarde para a Alemanha Oriental). Isso em tempos que temos como memória recente a emocionante vitória de Barack Obama como primeiro presidente negro dos EUA... Uma vitória que simbolicamente redime décadas do estúpido racismo americano. Portanto, os tempos são outros, com ventos favoráveis a uma democracia que afasta velhos clichês, sejam eles sexistas ou racistas. Mulheres e negros no poder são sintomas de que o velho mundo não vale mais nada e que se assentava em preconceitos marcadamente equivocados e medíocres.

Evidente que tudo isso por si só não garante qualidade governamental, mas torcemos que sim. Dilma é uma candidata que, se não tivesse a garantia de um governo por trás de si, talvez não aguentasse sozinha o páreo da disputa com Serra e Marina, pois tem dificuldades visíveis para se confrontar com entrevistadores, opositores, deixando claras as suas contradições e insegurança. As plásticas que a rejuvenesceram (sugestão de nossa querida Marta Suplicy?; essa, sim, a candidata de meus sonhos) lhe deram segurança quanto à aparência, mas não quanto a exposição clara de seu programa de governo. Afinal, vamos avançar em relação aos buracos deixados por Lula ou não? Pois sabemos que estamos ainda num país onde se concentra uma grande riqueza nas mãos de poucos e muita miséria na vida da maioria da população. Conseguir pagar um carro em centenas de prestações não nos livra da falta de hospitais e médicos para a população, da falta de escolas públicas de qualidade e professores bem pagos, de salários decentes para todos (ou seja, distribuição de renda).

Dilma, nossa próxima presidenta, representa o PT moderado, que expulsou seus radicais de seu quadro e se adéqua bem ao liberalismo moderno exigido pela democracia europeia e americana, sem prejuízos maiores para os donos do poder (banqueiros e industriais, principalmente).

José Serra
O candidato José Serra tem para si o segundo lugar garantido. Ele conjuga votos de pessoas geralmente de classe média, que se sentem mal com o cheiro do povo representado num partido como o PT (e seu ícone operário Lula) com afeições pelo MST, Cuba, Hugo Chaves etc. Além disso, Serra representa a classe alta paulista, antipopular em sua representação, e o passado do governo FHC, com sua tentativa de privatizar nossas empresas e riquezas, universidades, que fez o povo sentir na pele a alta dos preços de tudo etc. Uma péssima lembrança para uma população que via todo dia a maquininha de marcar preço em produtos de supermercado em ação.

Para professores ele é uma péssima impressão também, de um governante que deixou policiais espancarem os educadores dos filhos da classe pobre e média deste país. Professor mal pago e magoado não é boa política. Tratar manifestação de professores como caso de polícia é cutucar onça com vara curta. E Serra carrega essa imagem nas costas. Não quero discutir o valor de Serra ― que ele tem, com certeza ―, mas o efeito que sua imagem causa no eleitorado.

Portanto, o candidato preferido pelo PSBD, que afastou a liderança mineira menos carrancuda de Aécio Neves, não tem uma impressão tão positiva como Dilma a passar para o eleitorado. Ou o PSDB renova sua atitude, se tornando humilde e escolhendo um candidato mais popular, ou vai derrapar na areia movediça de seu ego inflado (aristocrático?).

Marina Silva
A Marina Silva, terceiríssimo lugar, com uma margem de voto pequena e o peso de ser evangélica, vai conseguir votos de fiéis da sua igreja e ingênuos defensores do ambiente, que veem nela uma espécie de terceira via para o quadro acima esboçado.

À imagem da mulher pobre, magricela, desnutrida, alfabetizada depois de adulta, se junta aquela de uma guerreira, heroína, que venceu os dissabores da vida e aponta para uma área de interesse coletivo: a proteção do meio ambiente.

Fugindo nos debates de questões modernas e de interesse geral, como, por exemplo, o aborto e as drogas, Marina tem se esquivado de ser ela mesma, de defender seus próprios pontos de vista, acionando, como político velho de guerra, estratégias de falsa retórica para se desviar do perigo de ser tachada de atrasada, religiosa e perigosa para a democracia liberal.

Vendendo a imagem de "pura", como se sua política se opusesse a do governo Lula por não aceitar suas ligações com setores do poder para lá de comprometidos com corrupção, com roubalheira, crimes do colarinho branco etc., Marina não conseguiria governar sem fazer os mesmo conchavos que o PT tem feito (até com pessoas como Collor, Sarney e Maluf, filhotes da ditadura, que hoje defendem o governo Lula em troca de benesses governamentais).

A lisura de Marina não se sustentaria (se sustenta com o vice que escolheu, o presidente da Natura?), tendo que conseguir governar ao preço de vender sua suposta pureza de caráter para velhos políticos, sedentos não de impor suas ideologias, mas de permanecer a todo custo no poder onde mamam desavergonhadamente em tetas bem gordas e que dão leite como o mel que nasce no paraíso: a custo de nada e do esforço de toda a população.

Conclusão
Nessa guerra onde está antecipadamente definida a vitória de Dilma, talvez não tenhamos a esperança de uma renovação mais radical do fato mais urgente desse país: a distribuição de renda.

Continuamos com problemas seriíssimos a resolver e que custariam ao menos os dedos e os braços dos donos do poder. Mas estes não estão dispostos a perder a posição em que se encontram, preferindo sonhar com a benevolência de um governo petista acomodado ao poder e distante do pesadelo que poderiam produzir se constestassem de uma vez por todas o poder daqueles que exploram a vida e o trabalho dos mal pagos trabalhadores brasileiros. Esse pesadelo eles não vão ter, pois a rédea curta que prende o PT é construída com o legítimo e refinado coro da conformidade que o poder cria.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 7/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha de Marcelo Spalding
02. Histórias de robôs de Gian Danton
03. O Mistério dos Incas de Gian Danton


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2010
01. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques - 23/3/2010
02. Rimbaud, biografia do poeta maldito - 10/8/2010
03. 29ª Bienal de São Paulo: a politica da arte - 12/10/2010
04. A letargia crítica na feira do vale-tudo da arte - 5/1/2010
05. Inhotim: arte contemporânea e natureza - 2/3/2010


Mais Especial Eleições 2010
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/9/2010
22h53min
E pensar que política já foi discutida por Platão, Maquiavel, Hobbes, Rousseau, Marx. E hoje vemos tipos como Netinho, Ronaldo Esper, Tiririca, Batoré, Marta, Mulher Melão, pastor fulano e Padre Beltrano. Alguém acredita ainda em política? Dilma, Serra ou Marina, que importa? Quem governa é Deus (Barack).
[Leia outros Comentários de Marcos Ribeiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HISTOIRE DE L ÉGLISE
A. BOULENGER
EMMANUEL VITTE
(1928)
R$ 90,88



ABSURDISTÃO
GARY SHTCYNGART
ROCCO
(2008)
R$ 12,00



RESPONSABILIDADE SOCIAL E ETICA EM ORGANIZAÇOES DE
ITAMAR MOREIRA
FGV
(2011)
R$ 29,90



ESTAÇÃO PRIMEIRA - SÉRIE DIÁLOGO (COM COMPLEMENTO DE LEITURA)
RICARDO RAMOS
SCIPIONE
(1994)
R$ 9,00



DECISÕES INTELIGENTES
JOHN S.HAMMOND / RALPH L. KEENEY / HOWARD RAIFFA
CAMPUS
(2004)
R$ 18,00



SOZINHO NO PÓLO NORTE
THOMAZ BRANDOLIN
L&PM
(1997)
R$ 13,00



TIANFENICOL BASES EXPERIMENTALES Y CLÍNICAS DE UN NUEVO ANTIBIÓTICO
LABORATÓRIOS DE INVESTIGACION ZAMBON
LABORATÓRIOS DE INVESTIGACI
(1968)
R$ 17,77



AUTOCURA COMO UTILIZAR A ENERGIA PSITRÔNICA - 6586
PIER CAMPADELLO
ROCA
(1993)
R$ 12,00



FILOLOGIA BARRANQUENHA - APONTAMENTOS PARA SEU ESTUDO
J. LEITE DE VASCONCELLOS
IMPRENSA NACIONAL
(1955)
R$ 28,00



CORRUPÇÃO: FATOR DE PROGRESSO? :
ANTENOR BATISTA
JUAREZ DE OLIVEIRA
(2007)
R$ 8,87





busca | avançada
62333 visitas/dia
2,6 milhões/mês