Medo e Delírio em Las Vegas | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
89721 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Castelo realiza piqueniques com contemplação do pôr do sol ao ar livre
>>> A bailarina Ana Paula Oliveira dança com pássaro em videoinstalação de Eder Santos
>>> Festival junino online celebra 143 da cidade de Joanópolis
>>> Nova Exposição no Sesc Santos tem abertura online nessa quinta, 17/06
>>> Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> Virtual: Conselheiro do Sertão estreia quinta, 24
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura contra o sistema
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Uma vida para James Joyce
>>> As Classes e as Redes Sociais
>>> Crônica de um jantar em São Paulo
>>> Defesa eloqüente do Twitter
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Margarita Paksa: Percepção e Política
>>> A primeira ofensa recebida sobre algo que escrevi
>>> Perguntas sagradas
Mais Recentes
>>> Noli me tangere e poemas selecionados de José Rizal pela Ex libris (1886)
>>> América Pré-colombiana de Joathan Norton Leonard pela José Olympo (1967)
>>> Lixo e limpeza urbana: entender para educar. de Emílio Maciel Eigenheer e João Alberto Ferreira pela UERJ: Depext (2011)
>>> Enciclopédia dos Museus. Museu de Belas-artes Boston de Diversos Autores pela Mirador (1969)
>>> Fumar ou não fumar. A decisão é sua. de Lair Ribeiro pela Prestígio (2001)
>>> 70 Anos - Gerações a Serviço da Advocacia de Aasp. - Associação dos Advogados de São Pauço pela Dba (2013)
>>> A Droga da Obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (1997)
>>> The heart of the city towards the humanisation of urban life de Varios Autores pela Lund humphries (1952)
>>> Bagagem de Adélia Prado pela Record (2012)
>>> Dicionário de Símbolos de Jean Chevalier Alain Cheerbrant pela José Olympio (1991)
>>> Figuras de Linguagem, Col. Tópicos de Linguagem, Gramática de Hélio de Seixas Guimarães e Ana Cecília Lessa pela Atual (1988)
>>> O Ritmo da Vida de Matthew Kelly pela Sextante (2006)
>>> Kama Sutra para lésbicas. Para viver livremente a sexualidade. de Alicia Gallotti pela Planeta (2005)
>>> Operação Cavalo de Tróia 5 - os Outros Mundos de J. J. Benitez pela Mercuryo (1996)
>>> Folclore do Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Fundo de Cultura (1967)
>>> O Ladrão de Raios - Percy Jackson e os Olimpianos Livro Um de Rick Riordan pela Intrínseca (2009)
>>> O Ponto Cego de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Um Jogo Chamado Futuro de Douglas Rushkoff pela Revan (1999)
>>> América Pré-colombiana de Joathan Norton Leonard pela José Olympo (1967)
>>> Vampiros Emocionais - Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você de Albert J. Bernstein pela Campus (2001)
>>> Mesopotâmia: o Berço da Civilização de Samuel Noah Kramer pela José Olympio (1969)
>>> Alimentos Prejudiciais como Substituí-los de Rômulo França pela Do Autor (2008)
>>> Deus quer que Você seja Feliz de Fábio Teruel pela Do Autor
>>> Antologia Mediúnica do Natal de Francisco Cândido Xavier pela Feb (1943)
>>> Como Evitar Preocupações e Começar a Viver de Dale Carnigie pela Companhia Nacional (1987)
COLUNAS

Segunda-feira, 9/5/2011
Medo e Delírio em Las Vegas
Gian Danton

+ de 8100 Acessos
+ 4 Comentário(s)

A maioria dos jornalistas tem de si uma ideia de pessoas respeitáveis, que fazem matérias objetivas e insentas. Ninguém contribuiu mais para abalar esse mito do que o norte-americano Hunter Thompson no livro Medo e Delírio em Las Vegas, lançado recentemente pela L&PM.

Thompson foi um jornalista convencional durante muitos anos e chegou a ser correspondente internacional no Rio de Janeiro. Mas tinha pouca paciência com o trabalho normal de um repórter.

No início dos anos 1960, foi mandado para cobrir um show de Joan Baez, mas embebedou-se, tomou várias drogas e acabou apagando. Perdeu o show e escreveu um texto completamente alucinado sobre a cultura hippie. Os leitores gostaram e a partir daí, Hunter se especializaria em fazer um tipo de jornalismo que ficou conhecido como gonzo: toda reportagem era sempre a sua versão sobre os fatos e não uma tentativa de mostrar isenção ou objetividade.

Exemplo disso aconteceu quando o periódico Scanlan's Monthly mandou-o cobrir a corrida de cavalos em Derby, Kentuchy, em 1970. Thompson inicia a matéria contando sua chegada na cidade. Sua primeira providência, claro, foi visitar o bar mais próximo. Lá, um morador local resolveu tirar sarro dele quando Thompson mentiu que era fotógrafo da Playboy: "Você vai tirar fotos de cavalos pelados?". "Vai haver encrenca. A minha tarefa é fotografar o motim", respondeu Thompson. "Que motim?". "Na pista de corrida. No dia do turfe. Os panteras negras. Você não lê jornal?".

O homem levantou a voz: "Deus do céu! O que está acontecendo com este país? Onde é possível escapar de tudo isso?". "Aqui não, com certeza", garantiu Thompson, mentindo descaradamente.

O resto da matéria é dedicada a contar as peripécias do jornalista, inclusive um jantar com o irmão no qual ele enche o restaurante de gás de pimenta. Pouco mais de três parágrafos são dedicados à corrida. O objetivo de Thompson é expresso por ele mesmo: "Ao contrário dos outros no camarote de imprensa, não estávamos interessados no que acontecia nas pistas. O objetivo era ver os verdadeiros animais em ação".

É nessa reportagem que ele conhece o desenhista inglês Ralph Steadman, que se tornaria uma espécie de ilustrador oficial do gonzo jornalismo com seu traço psicodélico, com pessoas retratadas como monstros.

Medo e Delírio em Las Vegas junta o texto lisérgico de Thompson com as imagens malucas de Steadman.

O livro inicia com uma frase emblemática: "Estávamos em algum lugar perto de Bartow, à beira do deserto, quando as drogas começaram a fazer efeito".

Thompson foi contratado por uma revista para fazer a cobertura do Mint 400, uma corrida off-road de motocicletas e levou consigo seu advogado samoano, chamado por ele de Dr. Gonzo. Os conselhos do advogado formam algumas da melhores partes do livro: "Como seu advogado, recomendo que compre uma motocicleta. É o único jeito de cobrir um evento desses de maneira correta"; "Isso aí não vai dar. Precisamos de crédito ilimitado"; "Bem ali tem um lugar chamado Fontes Mescal. Como seu advogado, recomendo que encoste o carro para a gente nadar um pouco"; "Como seu advogado, recomendo que enfie o pé no acelerador".

Mais: o advogado o aconselha a alugar um carro veloz, sem capota, e encher o porta-malas de todo tipo de drogas e irem atrás do sonho americano.

O livro começa quando eles estão a caminho da corrida, as drogas começam a fazer efeito e Thompson é obrigado a parar de dirigir por causa das alucinações: "Melhor nem citar os morcegos", pensa ele. "Não ia demorar para que o infeliz também os visse".

Thompson logo descobre que a corrida é na verdade uma nuvem de poeira: "Sob qualquer ponto de vista convencional, a ideia de 'cobir a corrida' era absurda: seria como tentar acompanhar uma prova de natação numa piscina olímpica cheia de talco no lugar de água(...) Sem dúvida a corrida estava acontecendo. Eu havia testemunhado a largada; disso tinha certeza. Mas e agora, o que poderia fazer? Alugar um helicóptero? Entrar de novo na caminhonete? Zanzar pelo maldito deserto assistindo àqueles idiotas passando a mil pelos pontos de controle, uma a cada treze minutos?".

A decisão é simplesmente esquecer a corrida e escrever sobre Las Vegas: "Esta não é uma boa cidade para usar drogas psicodélicas. A própria realidade já é distorcida demais", escreve ele. A cidade é 24 horas de jogo e o circo nunca para: "Use a espingarda para desgrudar os adesivos dos mamilos de uma mulher-macho de três metros e ganhe uma cabra feita de algodão-doce. Basta parar na frente desta máquina fantástica, meu amigo e, por 99 centavos sua imagem vai aparecer num telão de sessenta metros de altura bem no centro de Las Vegas. Pagando mais 99 centavos, você pode incluir uma mensagem gravada".

O resultado é o esperado: Thompson mergulha no submundo de Las Vegas, toma todo tipo de droga, faz dívidas astronômicas em hoteis ("tínhamos pedido para aquele quarto tudo que as mãos humanas podiam carregar ― incluindo umas seiscentas barras de sabonete Neutrogena transparente") dos quais foge no meio da noite e surta a cada dois parágrafos, achando que vão prendê-lo ou atirar nele ("Um doutor em jornalismo não merece editar o boletim semanal da penitenciária"), e ainda tem de agüentar o advogado samoano ainda mais paranóico do que ele.

O resultado poderia ser um livro barra-pesada, mas acaba se tornando uma grande comédia sobre o sonho americano escrita por alguém que não se leva a sério e se entrega por inteiro no texto com uma coragem e cara de pau extraordinários.

O gonzo jornalismo criado por Hunter Thompson ajudou a derrubar o muro que separava jornalismo de humor, a experiência pessoal, da reportagem, abrindo caminho para programas como o Profissão Repórter, CQC e A Liga.

Medo e Delírio em Las Vegas é o maior marco do gonzo. É leitura obrigatória para alunos de jornalismo que ainda não foram contaminados pela ditadura da pirâmide invertida.

Para ir além






Gian Danton
Goiânia, 9/5/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
02. A fotografia é um produto ou um serviço? de Fabio Gomes
03. Preparar Para o Impacto de Marilia Mota Silva
04. A futebolização da política de Luís Fernando Amâncio
05. Você sabe quem escreveu seu show preferido? de Fabio Gomes


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2011
01. Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito - 28/2/2011
02. Hells Angels - 20/6/2011
03. Medo e Delírio em Las Vegas - 9/5/2011
04. Walter Benjamin, a arte e a reprodução - 14/11/2011
05. Melhores de 2010 - 3/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/5/2011
01h13min
Muito bom falar no velho e até querido Hunter. Não li o livro, mas vale a pena lembrar o sensacional filme, com Johnny Depp, e, se não me engano, produzido por ele, que era um admirador apaixonado do Hunter. Ví o filme uma duas vezes, outro filme tipo road movie, que conta uma outra viagem louca de Hunter, cujo nome não me lembro, mas era com o também impapável e ótimo Bill Murray, e, finalmente o fantástico documentário, filmado por seu filho, se não me engano, mostrando imagens do próprio, de suas mulheres, seu trabalho, do seu suicídio e da gigantesca escultura que ele mesmo, em vida, criou para ser seu túmulo. Foi enriquecedor demais para mim tê-lo conhecido por tantos filmes, pois, tenho uma certa noção do que ele foi, ao iniciar o livro.
[Leia outros Comentários de JOSÉ SOLON]
23/5/2011
17h48min
Prezado Gian Danton, gosto muito do Hunter Thompson, mas vamos esclarecer as coisas: "Medo e delírio em Las Vegas" não é reportagem. É um romance ou uma novela (se preferir). Sim, se baseia num fato que Thompson viveu quando viajou pela Rolling Stone, mas foi publicado pela revista como novela. Em Hells Angels, também publicado pela LP&M, aí, sim, ele fez jornalismo. Abraço!
[Leia outros Comentários de Márcio Calafiori]
7/6/2011
18h02min
O livro é espetacular, mas não é indicado para pessoas que têm preconceitos, pois tem drogas, loucuras e paranóias a cada parágrafo. Ele é muito superior ao filme, pois qualquer reprodução cinematográfica fica aquém do texto do Hunter. Recomendo que quem vá a Las Vegas leia o livro antes, para enxergar melhor a realidade escondida pelas luzes e roletas da cidade. Concordo com o Márcio: o texto não é uma reportagem
[Leia outros Comentários de José Frid]
8/6/2011
18h02min
Márcio e José, normalmente quando pensamos num jornalista, imaginamos alguém sério, objetivo, imparcial, seguindo uma pauta pré-estabelecida. Nada disso pode ser encontrado em Medo e delírio, mas acho que o livro, justamente por seu exagero, leva a uma reflexão interessante sobre o fazer jornalístico (algo que o Thompson já começou a fazer no Hells Angels). A honestidade do autor me parece um elemento importante para o jornalismo atual.
[Leia outros Comentários de Gian Danton ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Economia Solidaria da Cultura e Cidadania Cultural
Neusa Serra e Hamilton Faria
Ufabc
(2016)



Curso de Derecho Penal: Fundamentos y Teorias Generales
Juan P. Ramos (tomo 2) Capa Dura
Ariel (buenos Aires)
(1928)



Enfermagem Médico Cirúrgica - Volume 1
Janice Boundy
Reichmann Affonso
(2004)



Cansei de Você
Michael French
Best Seller
(2007)



Gente Que Você Não Deveria Conhecer Volume 13
Fátima Deitos
Cone
(2007)



O Dicionário Kazar
Milorad Pávitch
Marco Zero
(1989)



La Infección de Boswell y Otros Ensayos
William B. Ober
Fondo de Cultura Economica
(1995)



A Túnica e os Dados
José Geraldo Vieira
Martins
(1963)



Dantes, Durantes e Depois
J. F. de Souza
Patuá
(2013)



Globalização e Socialismo (socialismo Em Discussão)
Maria da Conceição Tavares/emir Sader/eduardo Jorg
Perseu Abramo
(2001)





busca | avançada
89721 visitas/dia
2,7 milhões/mês