Um bom começo | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Renato Morcatti transita entre o público e o íntimo na nova exposição “Ilê da Mona”
>>> Site WebTV publica conto de Maurício Limeira
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sultão & Bonifácio, parte IV
>>> Em 2016, pare de dizer que você tem problemas
>>> O Direito mediocrizado
>>> Carma & darma
>>> Carlos H Lopes de chapéu novo
>>> Três paredes e meia
>>> All That Jazz
>>> A proposta libertária
>>> It’s only rock’n’roll but I like it
>>> Maurice
Mais Recentes
>>> O Exu do Fogo de Marcílio Borges pela Madras (2013)
>>> Panorama da Literatura de Flávio Aguiar pela Nova Cultural (1988)
>>> Drácula: O vampiro da noite de Bram Stoker pela Martin Claret (2008)
>>> Arquiteto a Máscara e a Face de Paulo Bicca pela Projeto (1984)
>>> Jonas Assombro de Carlos Nejar pela Novo Século (2008)
>>> A Construção da Cidade Brasileira de Manuel C. Teixeira (Coord.) pela Livros Horizonte (2004)
>>> Ayurveda: A Ciência da Longa Vida de Dr. Edson Antônio D'angelo & Janner Rangel Côrtes pela Madras (2015)
>>> Macunaíma (o heróis sem nenhur caráter) de Mário de Andrade pela Círculo do Livro
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (1993)
>>> Relações Sociais E Serviço Social No Brasil: Esboço de Uma Interpretação Histórico-metodológica - 41ª Edição (7ª Reimpressão) de Marilda Villela Iamamoto & Raul de Carvalho pela Cortez (2018)
>>> Lima Barreto: o rebelde imprescindível de Luiz Ricardo Leitão pela Expressão Popular (2006)
>>> A Batalha das Rainhas de Jean Plaidy pela Record (1978)
>>> Um Certo Capitão Rodrigo de Erico Verissimo pela Círculo do Livro
>>> O Livro de San Michele de Axel Munthe pela Círculo do Livro
>>> O Espião Que Morreu de Tédio de George Mikes pela Círculo do Livro
>>> O Santo Inquérito - Coleção Prestígio de Dias Gomes pela Ediouro (2004)
>>> Confissões Eróticas de Iris e Steven Finz pela Record (2001)
>>> Diários do Vampiro Vol 1 Origens Ddiários de Stepan de L. J. Smith - Kevin Williamson - Julie Plec pela Galera Record (2011)
>>> Peão da Rainha de Victor Canning pela Record (1969)
>>> Paris - uma Agenda de Bons Endereços de Elisabeth Vanzolini pela Ediouro (1998)
>>> Obras Incompletas - Coleção Os Pensadores - 2 Volumes de Friedrich Nietzsche pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaios Escolhidos - Coleção Os Pensadores de Bertrand Russell pela Nova Cultural (1992)
>>> Diálogos - Coleção Os Pensadores de Platão pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaio Acerca do Entendimento Humano de John Locke pela Nova Cultural (1991)
>>> Do Contrato Social e outros textos - Coleção Os Pensadores de Rousseau pela Nova Cultural (1991)
COLUNAS

Terça-feira, 18/12/2001
Um bom começo
Rennata Airoldi

+ de 2000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O teatro é uma arte inacessível ao grande público? Seria uma arte elitista? Pode-se dizer que, de certa forma, alguns espetáculos estão bem fora da possibilidade financeira da maioria da população. É só comparar o valor de um salário mínimo a um ingresso de cinqüenta reais ou, às vezes, muito mais que isso. Fica difícil imaginar que uma família de cinco pessoas possa ir ao teatro duas vezes por mês. Pior, fica impossível atingir um grande público e exigir a sua presença nos espetáculos.

Pensando nisso, sempre me perguntei porque não termos, na cidade de São Paulo, companhias estáveis de Teatro, mantidas e subsidiadas pela Secretaria de Cultura com auxílio de outros órgãos que se propusessem a investir em cultura. Assim, os grupos poderiam desenvolver sua pesquisa, os profissionais teriam um salário fixo (coisa rara na profissão) e, ao mesmo tempo, a população teria um acesso à cultura de melhor qualidade, gratuitamente.

Este ano porém, fomos surpreendidos pelo que chamo de "um bom começo". Com um raciocínio e a preocupação próximos ao que eu e muitos profissionais tínhamos em mente, a Secretaria Municipal da Cultura, junto à Cooperativa Paulista de Teatro, criaram o projeto “Formação de Público”. O Projeto visa levar o cidadão de encontro a arte, tornando-a acessível a todos. O curador desta iniciativa é o glorioso Gianni Ratto. Homem de arte que já trabalhou em vários meios: arquitetura, cinema, dança, artes plásticas e teatro.

Foram escolhidos quatro textos de autores brasileiros, quatro diretores e selecionados quatro elencos. Com tudo isso, têm-se mais de oitenta profissionais empregados no mercado! São atores, técnicos e diretores. Nesta primeira fase do projeto, os espetáculos eram os seguintes: “Caiu o Ministério”, de França Júnior, com direção de Ariela Goldman; “Geração Trianon”, de Anamaria Nunes, com direção de Marco Antônio Brás; “Pedro Mico”, de Antônio Callado, com direção de Débora Dubois; e “Nossa vida em família”, de Oduvaldo Viana Filho (o Vianinha), com direção de William Pereira.

As peças ficaram em cartaz no Teatro João Caetano até o dia 16 de dezembro. Com entrada franca: sábados e domingos para a comunidade em geral; e, durante a semana, para estudantes da rede pública. Assim, muitas pessoas, que nunca estiveram num teatro, puderam viver uma nova experiência.

O mais importante de tudo isso, é mostrar que o teatro é para todos! Não precisa pertencer a determinada classe social para freqüentar um teatro. Com este projeto, muitas pessoas perderam o medo de estar nessa “casa” onde todos são bem vindos independente de cor, raça ou origem.

Para os profissionais é, sem dúvida, uma satisfação apresentar espetáculos de qualidade sem qualquer restrição de público. Não há uma preocupação com a bilheteria, por exemplo, pois não é dela que vem o “ganha pão”. Há, sim, a grande preocupação de ensinar e compartilhar toda a experiência cênica com cada um que se sente em uma das cadeiras do teatro. É uma grande oportunidade de falar para todos.

Claro que ainda há falhas no projeto. Ao término de uma das sessões em que estive presente, houve uma pequena conversa com os atores. Um dos espectadores perguntou: “Se o projeto se chama 'Formação de Público', onde está o público?”. É, infelizmente, havia menos de meia casa na ocasião. Talvez não se tenha divulgado o projeto à altura do que ele poderia e deveria proporcionar.

Entretanto, aos poucos, gota a gota, as sementes hão de ser regadas e crescerão. É a partir de iniciativas como essa que poderemos ter cidadãos mais bem informados e culturalmente mais desenvolvidos no futuro. O que não se pode é abandonar o barco logo nas primeiras dificuldades. O público precisa criar um vínculo com o projeto para que ele cresça. E para isso é ecessário persistência. Afinal, é o famoso “boca-a-boca” que faz a melhor propaganda.

Espero, sim, que esse projeto continue por muito tempo, e que sirva de exemplo para que outros órgãos tenham a mesma iniciativa. Nós artistas queremos levar nossa arte a todos! Compartilhar idéias e experiências sem sermos obrigados a “elitizar” nossa arte em função do aluguel do teatro, da falta de patrocínio, dos salários a serem pagos, dos equipamentos a serem alugados, etc. Tomara que isso seja mesmo "um bom começo"!


Rennata Airoldi
São Paulo, 18/12/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Submissão, oportuno, mas não perene de Guilherme Carvalhal
02. História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo de Marcelo Spalding
03. Por que não leio mais jornais de Rafael Fernandes
04. Freud e a mente humana de Julio Daio Borges


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi
01. Breve Apresentação - 21/1/1977
02. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
03. Temporada de Gripe - 17/11/2003
04. Saudosismo - 10/7/2002
05. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/12/2001
14h40min
Considero extremamente pertinente os elogios à iniciativa pioneira da Secretaria de Cultura de São Paulo. Como foi bem colocado no texto, é um projeto que tem tudo para dar certo e compartilho as expectativas de que na continuação do projeto, uma maior divulgação - quem sabe a Secretaria consiga patrocínio para isso - leve a salas cheias de um público para o qual o teatro ainda é pouco conhecido. Comentários como os de "Um bom começo", são também uma forma de divulgar o projeto.
[Leia outros Comentários de Lucia P. da Silva]
20/12/2001
08h19min
É isso aí, com boa divulgação, pode-se chegar à casa cheia. A mídia só trabalha para um único patrão, o dinheiro; por isso, talvez, esse projeto não tenha tido a divulgação que merecia. Mas, quem sabe, com a ajuda do público, a máquina tenha que se submeter! Isso já aconteceu outras vezes, vide início de algumas bandas por aí. Eu espero que essa iniciativa se estenda também à outras artes, como a poesia, relegada ao esquecimento da imprensa, das editoras e do público em geral. Tiro meu chapéeu para a Prefeitura de Porto Alegre, com suas iniciativas literárias "Poesia no Ônibus" e "Histórias do Trabalho", da qual tive o prazer de participar. Sem receber nada, mas já é, também, um bom começo.
[Leia outros Comentários de Sonia Pereira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Responsabilidade Civil por Erro Médico
Fábio Motta da Cunha
Cbj
(2007)



Educação Linguistica Em Perspectivas e Horizontes
Khalil Salem
Fiuza
(2011)



Vencendo a Própria Crise
Carlos Wizard Martins
Record
(1993)



Filha da Magia
Justine Larbalestier
Galera



O Tempo Não Apagou
Don R. Christman
Casa
(1987)



A princesa que tudo sabia,,,,menos uma coisa
Rosane paplona, Nino B junior
Brinque-Book
(2001)



Tecnologia Em Gestão e Marketing para Pequenas e Médias Empresas Vol 2
Pedro Hiane e Outros
Uniderp
(2007)



Diga Não À Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes ...
Maria Conceição O. Costa (coord.)
Do Autor
(2012)



Para Sempre uma Aprendiz
Maria Glória Francener Deschamps
Gaia
(2004)



Moda & Sustentabilidade: Design para Mudança - 1ª Edição
Kate Fletcher & Lynda Grose
Senac Sp
(2012)





busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês