Saudosismo | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> TDEZESSEIS
>>> Curso de direção de palco é gratuito nos dias 16 e 17/12
>>> Ultima apresentação da peça (A) Dor (A)
>>> ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “O CAMINHO DAS PEDRAS'
>>> Residência Artística FAAP São Paulo realiza Open Studio neste sábado
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vamos sentir saudades
>>> 35 anos do Clube da Esquina
>>> TV Made in Brazil
>>> A novela América e o sensacionalismo de Oprah
>>> 1992 e hoje
>>> Píramo e Tisbe
>>> Pela estrada afora
>>> Jorge Amado universal
>>> Aquele que por via de regra se sai mal
>>> Duas crises: a nossa e a deles
Mais Recentes
>>> Mcdonalds: A Verdadeira História do Sucesso de John F. Love pela Bertrand Brasil (1987)
>>> Dicionário Judaico de Lendas e Tradições de Alan Unterman pela Jorge Zahar (1992)
>>> Era Uma Vez Um Dragão - Abc... Meus primeiros passos de Malgorzata Strzalkowska pela Salvat (2008)
>>> C de Cigarra - Abc... Meus primeiros passos de Malgorzata Strzalkowska pela Salvat (2008)
>>> A de Anaconda - Abc... Meus primeiros passos de Malgorzata Strzalkowska pela Salvat (2008)
>>> Viagem ao Brasil - 2 Volumes de Alexandre Rodrigues Ferreira pela Kapa (2002)
>>> D de Dinossauro - Abc... Meus primeiros passos de Malgorzata Strzalkowska pela Salvat (2008)
>>> Física um curso universitário: VOl. 1 Mecânica de Alonso & Finn pela Edgard Blucher (1972)
>>> Tesouros do Nirvana de Gillian G. Gaar pela Lafonte (2012)
>>> Noções e Fundamentos de Geometria Descritiva de H. Lacourt pela Gen Lct (2015)
>>> A Passagem de Justin Cronin pela Sextante (2010)
>>> Fundamentos teóricos e metodológicos da educação especial e inclusiva de Bertha de Borja Reis do Valle e outros pela Iesde (2018)
>>> Escola e Sociedade de Odilon Roble pela Iesde (2016)
>>> Histórias Paralelas: 50 Anos de Música Brasileira de Hugo Sukman pela Casa da Palavra (2011)
>>> Formação Docente para a Diversidade de Margarete Terezinha de Andrade Costa pela Iesde (2018)
>>> Glossário Técnico Manutenção e Engenharia Industrial de Ricardo Policarpo de Oliveria pela Puc/MG (2003)
>>> Crime e Castigo (capa dura) de Fiódor Dostoiévski pela Nova Fronteira (2016)
>>> Amilcar Cabral: A Arma da Teoria de Carlos Comitini pela Codebri (1980)
>>> O Poema de Anchieta Sobre a Virgem Maria Mãe de Deus de Pe. José de Anchieta pela Paulinas (1996)
>>> Glimmerglass - O encontro de dois mundos de Jenna Black pela Universo dos Livros (2011)
>>> Fundamentos de fisica volume 2 gravitação ondas e termodinamica de Halliday/resnick pela Gen ltc (2012)
>>> Mecanica dos materiais de James m gere/barry j goodno pela Cengage learning (2014)
>>> Introdução a mecanica dos fluidos de Fox/mcdonald/pritchard pela Gen ltc (2015)
>>> Resistencia dos materiais de R c hibbeler pela Pearson (2010)
>>> Proficiency for updated exam with answers com 2 cds de Cambridge pela Cambridge (2015)
COLUNAS

Quarta-feira, 10/7/2002
Saudosismo
Rennata Airoldi

+ de 10100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Há coisas que acontecem em nossas vidas que nos fazem parar e repensar muitos conceitos e certezas já definidas. Há encontros que nos modificam e provocam de uma nova forma nosso olhar diante de certos aspectos. E, assim, paramos o tempo e em questão de minutos revivemos anos, recordamos e nos permitimos algumas mudanças. Às vezes, é preciso olhar para trás e reencontrar o que perdemos no caminho. Metáforas, analogias, tudo pode significar muito ou pouco, depende da apropriação e do entendimento.

Hoje não escrevo sobre um espetáculo qualquer. Escrevo sobre o maior deles, a vida. Ela que faz de nós todos um pouco atores. Cerca de duas semanas atrás, tive o prazer de participar de uma oficina de Investigação Teatral para atores com o diretor Luiz Valcazaras. Devo dizer que fui "pega de calças curtas". Sabe quando você começa a fazer algo e é surpreendido? Esta sensação é maravilhosa. Na verdade, esta oficina me fez refletir sobre muitas coisas. Sobre o início. Sobre minhas raízes e meus sonhos. Quando surgiu a arte em minha vida, como ela se apresentou e se manifestou em mim. E ao mesmo tempo, como o simples ato de contar uma história pode transmitir tantas sensações e conquistar tantos olhares. Não sou uma narcisista que olha apenas para seu próprio umbigo e fica falando de si aos quatro ventos. Mas é que, na verdade, as minhas experiências são parecidas com as de muitos atores que, como eu, se encontraram muito cedo com a arte.
.
O N.I.T (Núcleo de Investigação Teatral) fundado e dirigido por Luiz Valcazaras tem sede em Londrina. Os atores do N.I.T. desenvolvem uma investigação sobre o trabalho do ator sem um método definitivo. Tudo está em constante evolução, movimento. Sempre há novas descobertas a serem feitas. Grande parte da loucura desta investigação está no "contar histórias". No fato de que, partindo de qualquer ponto no espaço, uma história pode ser contada e, a partir dela, muitos pontos de vista podem ser estabelecidos. O que é simples e sutil ao mesmo tempo traz consigo uma sofisticação imensa. A princípio parece brincadeira de criança, mas é muito mais que isso. E o resultado cênico é de extrema delicadeza. Enquanto atriz e espectadora, pude comprovar a grandeza e a complexidade dessa investigação, que parte de uma "sementinha" muito conhecida por todos nós.

Somos todos contadores de histórias! Algumas pessoas têm este talento mais acentuado, outras menos. Talvez o ato de contar histórias, fábulas, "causos", esteja se perdendo no corre-corre das cidades. Mas eu, que venho do interior, que cresci em meio a avós e pais que vieram de um "interior mais interior" ainda, tive a felicidade de participar de grandes rodas onde as histórias eram contadas. Após o almoço em família havia sempre uma roda onde todos conversavam e sempre alguém, protagonizando a cena, contava um caso ocorrido em algum dia passado. Risos, comentários, brilho nos olhos. De um encontro para o outro, a mesma história podia ser contada duas, três vezes, soando sempre muito interessante.

Assim, enquanto crescia, decidi igualmente contar histórias. Quando era criança, porém, tudo acontecia instintivamente, como numa brincadeira. Um jogo lúdico sem conceitos ou referências estabelecidas. Aliás, o espontâneo é muitas vezes o que nos falta depois de anos de estudo. Desta forma, reunia minhas "coleguinhas" e ia brincar de fazer teatro. Brincar de se transformar a cada dia numa nova figura. Viajar entre histórias e mundos inatingíveis! E, depois, receber os aplausos calorosos da família que pacientemente assistia a tudo com o único intuito de prestigiar.

Tempo que não volta. Saudade. Foi assim, numa breve oficina de teatro que estes devaneios vieram à tona e descobri que este sentimento saudosista pode ser muito positivo. Às vezes, quando queremos traduzir alguma coisa para nossa profissão, estudamos, buscamos livros e, de repente, é só olhar para trás. Ver que, nos momentos em que meus avós contavam as histórias dos engenhos e das fazendas, existia uma comunhão entre todos, e ali se estabelecia um código entre o "contador da história" e todos nós, os espectadores.

A realidade é que é muito difícil contar uma história. Prender a atenção de muitas pessoas apenas com um olhar, com pausas e gestos. Por outro lado, com estes "contadores informais", podemos tirar a centelha dessa chama que temos que transportar junto a nossos personagens. É no palco que tudo deve ser crível, por mais absurdo que possa parecer aos olhos da realidade. O lúdico da criança que começa a se interessar pela brincadeira de "faz de conta" é essencial. E, no teatro, a cada dia temos que repetir a mesma história de maneira tão verdadeira como se fosse a primeira vez. Como se os fatos estivessem acontecendo no aqui e agora.

Claro que, a partir de uma investigação pessoal, o ator deve buscar seus próprios impulsos internos, suas referências, suas raízes. Todos temos um pouco desta arte de contar histórias. O que acontece é que não basta saber contar histórias para a família ou para os amigos, para ser ator. Mas esse "pequeno- grande" ato, se bem aproveitado, pode ser determinante para o ator em cena. Constatar e experimentar tudo isso me fez viajar no tempo, nos sentidos, no meu percurso.

Desta forma, falo também por todos nós, seres humanos. Às vezes, não nos reconhecemos naquilo que realizamos. Simplesmente, fazemos. Sem saber porque ou como, mecanicamente, agimos. Não importa a profissão, isso acontece com todos. Resolvi escrever esta coluna para que todos, por um momento, olhassem para trás...

Reveja a sua infância, os momentos determinantes de sua escolha. Reveja esse filme, olhe para o seu caminho até chegar no dia de hoje. Tente resgatar essa criança e, mais importante, esse seu olhar de criança. O brilho de quando se descobre uma mina de ouro, a cada dia! Nós adultos somos muito sem graça. Não sabemos mais brincar de faz de conta! Não aceitamos o lúdico em nosso dia-a-dia.

Com isso, as pessoas assistem um filme, uma peça, ouvem uma música, dançam mas não se permitem ser tocadas pela ARTE. Não se deixam modificar. É preciso estarmos atentos àquilo que está diante de nós, para que algo possa nos surpreender, nos ensinar e nos fazer refletir. Permita-se mudar de estado feito a água! Seja um pouco líquido, um pouco volátil e, quando necessário, seja rígido também! Mas não se deixe solidificar no tempo, no espaço. Tenha saudade mas olhe para frente, sempre!

Nota Importante
Ontem, dia 9 de julho começou a "II Mostra de Teatro - Cemitério de Automóveis". Para se ter uma idéia: são 26 peças, 79 atores e vinte anos de grupo. É, sem dúvida, o maior acontecimento do Teatro Paulistano deste ano. Não perca! As peças acontecem de terça à domingo. Para saber mais sobre a programação, não deixe de acessar o site: www.cemiteriodeautomoveis.hpg.ig.com.br.


Rennata Airoldi
São Paulo, 10/7/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. E Benício criou a mulher... de Gian Danton
02. Lições que aprendi com o Millôr de Diogo Salles


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2002
01. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
02. Saudosismo - 10/7/2002
03. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002
04. Enfim: Mário Bortolotto! - 25/9/2002
05. A Nova Hora, A Hora da Estrela! - 6/3/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/7/2002
14h07min
Ler um texto de Rennata Airoldi é o mesmo que ler poesia. Ela toca à alma.
[Leia outros Comentários de Ana Lucia Torre]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Porque os Gerentes Falham... e Como Remediar Isto !
John J. Mccarthy
Mcgraw-hill
(1978)



Multinacionais - Desenvolvimento Ou Exploração
Paulo Martinez
Moderna
(1987)



População Brasileira Geografia do Brasil
Coc
Coc



Leituras Críticas Sobre Leonardo Boff
Juarez Guimarães (org.)
Perseu Abramo/ufmg
(2008)



O Teorema Katherine
John Green
Intriseca
(2013)



Livro - os Mágicos Municipais
José Cândido de Carvalho
José Olympio
(1984)



Um Estudo em Vermelho - Edição de Bolso
Canan Doyle
Ediouro
(1991)



Livro - Del Amor y Otros Demonios - Contemporánea
Gabriel Garcia Marquez
Debolsillo
(2008)



Crianças na Escuridão
Julio Emilio Braz
Moderna
(2003)



Uma voz de outro mundo
Margarida Patriota
Dimensão
(2007)





busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês