Enfim: Mário Bortolotto! | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
>>> BATA ANTES DE ENTRAR
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O batom
>>> Como num filme
>>> Only time will tell
>>> Política - da filosofia à neurociência.
>>> Ideologia: você quer uma pra viver? Eu, não
>>> The Flickrization of Yahoo!
>>> TechCrunch Disrupt
>>> O humor é como as marés, ora sobe ora desce
>>> Guimarães Rosa em Buenos Aires
>>> Festival de Curitiba 2010
Mais Recentes
>>> Livro de Bolso - Histórias Extraordinárias de Poe pela Abril Cultural (1978)
>>> Dos Ritmos aos Caos de Pierre Berge e Outros pela Unesp
>>> Livro - Sabedoria para Viver Bem- Meditações para Lidar Com a vida com alegria e otimismo de Louise L. Hay/ Ana Raquel Maia pela Sextante (2009)
>>> Assassinatos na Academia Brasileira de Letras de Jô Soares pela Companhia das Letras (2005)
>>> Livro de Bolso - O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde pela Abril Cultural (1980)
>>> Livro - Suíte Francesa de Irène Némirovsky pela Companhia das Letras (2006)
>>> Área de Corte de Jandira Zanchi pela Patuá (2016)
>>> Livro de Bolso - O Vermelho e o Negro de Stendhal pela Abril Cultural (2022)
>>> Catecismo da Igreja Católica de Típica Vaticana pela Loyola (2000)
>>> Robert Kennedy de James W. Hilty pela Temple University Pr (1997)
>>> Livro - Harry Potter e o Cálice de Fogo de J. K. Rowling; Lia Wyler pela Rocco (2001)
>>> Livro de Bolso - Mulheres Apaixonadas de D. H. Lawrence pela Abril Cultural (1979)
>>> Processo Sancionador e Mercado de Capitais de Daniel Kalansky; Eli Loria pela Quartier Latin (2016)
>>> Uma Arte de Amar Para os Nossos Tempos de Jean-Yves Leloup pela Vozes (2002)
>>> Manual Prático de Ginecologia e Obstetrícia de Gian Carlo Di Renzo pela Elsevier
>>> Livro - A Escriba - Inspirado Em Fatos Históricos de Antonio Garrido pela Suma de Letras (2009)
>>> Livro de Bolso - A Idade da Razão de Sarte pela Abril Cultural (1979)
>>> Um Sorriso Ou Dois de Frederico Elboni pela Benvira (2014)
>>> Livro de Bolso - O Sol Também Se Levanta de Ernest Hemingway pela Abril Cultural (1980)
>>> Livro - Fernando Pessoa, o Menino da Sua Mãe de Amélia Pinto Pais pela Companhia das Letras (2009)
>>> Beyond Students Book Premium Pack-a2 de Rebbeca Robb Benne; Rob Metcalf; Robert Campbell pela Macmillan Education (2015)
>>> Livro de Bolso - O Leopardo de Giuseppe Tomasi Di Lampedusa pela Abril Cultural (1979)
>>> Livro o Ateneu de Raul Pompéia pela Atica (1996)
>>> Livro - Nós Estamos Grávidos de Maria Tereza Maldonado pela Integrare (2010)
>>> Minidicionário Aurélio da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira pela Nova Fronteira (1993)
COLUNAS

Quarta-feira, 25/9/2002
Enfim: Mário Bortolotto!
Rennata Airoldi

+ de 5900 Acessos

Porão do Centro Cultural São Paulo. Lugar bem provável... Ao fundo, uma mesa de Sinuca. Mário Bortolotto vs. Joeli Pimentel. (Amarelas vs. Vermelhas). Chego devagar, afinal de contas, longe de mim atrapalhar a concentração dos jogadores que disputam a milésima partida do campeonato de sinuca, que corre paralelo à Mostra de Teatro. Pergunto timidamente:

- E aí, Mário? Rola fazer a entrevista?

- Oh, claro! Chega aí.

(De qualquer forma, a partida continua!)

Mário, como é para você escrever um texto ou adaptar a partir de um original? Qual a diferença?

Eu acho que escrever é muito mais difícil porque você tem que criar tudo, inventar tudo. Agora, adaptar é um prazer, é muito fácil. A história tá pronta e é só transformar aquilo em teatro. E transformar em teatro é uma coisa muito fácil, não vejo nenhum problema nisso. Pra mim é muito gostoso adaptar, escrever já é mais "estação do inferno", complicado.

O que dá mais trabalho para adaptar? Que tipo de texto? Ter mais de um narrador? Ou não faz diferença?

Faz. O Marcelo Mirisola foi o que deu mais trabalho. Ele não tem uma escrita linear. Ele mesmo diz que "enredo é coisa de criança". Então quando não tem um enredo é muito mais difícil adaptar. "O Herói Devolvido" foi muito difícil. Os outros foram fáceis porque quando tem uma historinha fica fácil. (Vira para Joeli e diz:)

- Peraí, tô matando Joeli! (A interferência do jogo que segue enquanto conversamos.)

- Depois vai entrar na entrevista! (Ameaço com o gravador na mão!)

E depois de adaptar, qual a expectativa em relação ao autor da obra?


Toda a expectativa possível. É, eu faço em primeiro lugar para o autor gostar. Se ele não gostar não tem a menor graça! O público todo pode gostar e se o autor não gostar eu acho que errei. Aí eu me ferrei.

Seria uma responsabilidade em relação a obra original...


É. Eu não estou nem aí se o público está gostando ou não. O importante para mim é que o autor tenha gostado, isso é fundamental.

Das três adaptações: "Faroestes", "Tanto Faz" e "O Herói devolvido", qual você acha que conseguiu atingir melhor a essência da obra?

Pô, não sei, eu acho que cheguei bem perto em todas. Eu me sinto bastante satisfeito com o resultado de todas as adaptações e pelo que eu senti os autores gostaram muito também. Então eu me sinto satisfeito com todas, não tem uma preferida.

Você prefere adaptar uma obra mais próxima ou distante do seu estilo? Uma linguagem que você já utiliza ou um desafio?

Não eu não sou chegado a desafio não. Desafio é coisa para lutador... Só faço coisa que me dá prazer. Para eu adaptar tenho que gostar do escritor, do estilo, senão não adapto. Não vou perder meu tempo com uma coisa de que eu não gosto.

Qual autor ou obra que você gostaria muito de adaptar e ainda não fez?

Eu gostaria... Bukowski, fatalmente. Quadrinhos também. Tem um cara chamado Luiz Gustavo que faz tempo que eu quero adaptar. Tem bastante coisa.

(Chega mais um ator, Fábio Espósito, com um pacote de bolachas ou biscoitos, para os cariocas, e junta-se a nós.) Mário, como foi para você fazer esta Mostra? Faça um balanço...

Eu tô contente pra caramba com o resultado... Balanço? (pausa). Ah, não tem muito balanço. Estou satisfeito com o resultado. Os autores adaptados gostaram, eu gostei, os atores gostaram de fazer, o público parece que gostou de assistir com exceção de algumas senhoras... Então eu acho que o resultado, o balanço, é positivo.

O Cemitério de Automóveis conseguiu uma verba através da lei do Fomento ao Teatro, já que vocês estão procurando um espaço para montar a sede. O que se pode esperar daqui para frente? Novas produções? Alguma peça da mostra entra em cartaz?

Ah, a gente nada de acordo com a maré. Entendeu? Vamos ver o que pinta a partir daí. Se pinta um teatro legal, para levar determinada peça, a gente leva, se não, vamos fazer outra coisa. Eu não consigo fazer muito plano não. Tenho vontade de fazer um monte de coisa...

(Neste momento chega o Régis, o "mil e uma utilidades" da Mostra, com a notícia de que a cozinha do Bar Cultura, do qual somos assíduos freqüentadores, havia fechado. Assim, o Mário ficou sem o seu marmitex.)

- E caramba... E sanduíche tem?

- Tem.

- Ah, faz um churrasco com queijo então...

- Tem o Limoeiro... (bar concorrente)

- Então leva um dinheiro lá e compra pra mim no Limoeiro.

(Eu e Fábio ficamos rindo pois o gravador continua ligado. Aí faço um comentário:)

- Essa é a melhor parte da entrevista!

Agora, eu queria aquele célebre pensamento final, saber qual a sua relação com os adaptados, com os autores...

Não tenho nenhuma relação com eles não, bicho! (risos)

Em relação a obra deles! (Todos riem e fazem comentários diversos)

Fala vai, a gente que avacalhou!

O que chamou a sua atenção na obra deles para que você tivesse vontade de adaptar?

Uma coisa, assim, não é uma coisa só, entendeu? Você pega um livro, lê e gosta, fica com vontade de adaptar. Não tem uma coisa só na literatura deles que eu gosto. Eu gosto da literatura deles. Gostaria de fazer muito mais coisa. O Marçal Aquino por exemplo, é um cara que dá pra fazer mais umas vinte peças. É bem difícil falar numa coisa só.

Tem mais alguma coisa que você queira falar sobre a mostra, adaptação?

Nada. Eu estou satisfeito. Espero que os atores tenham gostado de fazer, isso é o que mais me interessa. Que os autores tenham gostado da experiência de ver suas obras adaptadas e que os atores tenham se divertido. Para mim isso basta, o resto que se dane.

A Mostra foi um grande sucesso. Vocês estarão em breve com um espaço, a partir daí, como será a produção? Tudo continua igual?

(Alguém tenha furar sua vez no jogo...)

- Oh, espera aí! Deixa eu terminar de responder aqui, olha a falta de respeito com a jornalista!

- Ela tá registrando tudo! (risos)

Então, muda a maneira de produção?

Não, tudo é a mesma coisa. Não muda nada não. Aliás eu tô a fim de dar um tempo, sumir um pouco, acho que estão me entrevistando muito, falando muito de mim. Eu quero desaparecer um pouco, entende? Se eu pudesse ficar uns seis meses sem fazer nada, eu ficava... sumido. É que não dá porque eu vivo disso. Eu queria ficar um tempo fora, dar uma sumida. Tô meio de saco cheio.

É isso, segue o jogo. Conversas à toa. Pergunto à todos: Algo mais?

- É isso, quer dizer, se ele disse, deve ser isso - diz João Fábio, outro ator do grupo.

E quanto está o jogo?

- Eu ganhei, claro!

- Não, ainda não ganhou, está ganhando. (Retruca Joeli. Risos finais.)

E assim, termino a prometida série de entrevistas. Devo dizer que o Mário Bortolotto adaptou ainda "Dentes Guardados", de Daniel Galera, e "Ovelhas que voam e se perdem no céu", de Daniel Pellizzari, que também estão em cartaz na Mostra. Apesar de não tê-los entrevistado, são obras igualmente ricas e cujas adaptações foram muito elogiadas durante a temporada. É, estamos chegando ao fim. São só mais alguns dias... Quem não assistiu a nenhuma peça da "II Mostra de Teatro 'Cemitério de Automóveis'" - o que é uma vergonha! - tem até Domingo, ainda há tempo.

Para saber a programação destes últimos dias, acesse o site www.cemiteriodeautomoveis.hpg.ig.com.br


Rennata Airoldi
São Paulo, 25/9/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Perguntas sagradas de Larissa Pontez
02. O Apanhador de Sonhos de Alessandro Garcia
03. Pílulas II de Sol Moras


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2002
01. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
02. Saudosismo - 10/7/2002
03. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002
04. Enfim: Mário Bortolotto! - 25/9/2002
05. A Nova Hora, A Hora da Estrela! - 6/3/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Samuel Klein e Casas Bahia: uma Trajetória de Sucesso
Elias Awad
Novo Seculo
(2005)



Domando o Dragão
Jack Perkowski
Landscape
(2008)



O naturalista da evolução das espécies
André Campos Mesquita
Escala
(2011)



Matematica - Volume Unico -sebo Tradição
Gelson Iezzi; Osvaldo Dolce; David Degenszajn
Atual Didáticos
(2015)



Memórias de um Sargento de Milícias - Série Bom Livro
Manuel Antônio de Almeida
Ática
(1992)



On stage volume 1 M.P. + CD
Amadeu Marques
Ática
(2011)



Chã
Enoo Miranda
Cepe
(2018)



White Hot
Carla Neggers
Pocket Books
(1998)



Como Conseguir um Emprego no Brasil do Século XXI
Thomas A. Case
Catho
(2004)



Schlage Die Trommel Und Furchte Dich Nicht
Malzan
Publisher Not Specified
(1991)





busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês