Nem Aos Domingos | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
26733 visitas/dia
737 mil/mês
Mais Recentes
>>> Músico Dudu Oliveira lança seu disco de estreia no Todas as Bossas da TV Brasil
>>> Antenize recebe Lázaro Ramos no especial sobre literatura deste sábado (18) na TV Brasil
>>> Festa
>>> Shopping Metrô Tucuruvi e Livrarias Curitiba preparam uma programação especial para este mês
>>> São Paulo recebe neste sábado o festival "Eu Quero Arte Perto de Mim"
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sobrecarga
>>> Frases e verdades
>>> Música & Filosofia
>>> Casa de couro
>>> Saber viver a vida é fundamental
>>> Não sei se você já deitou em estrelas.
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE I)
>>> Globo News: entrevista candidatos
>>> Corpo e alma
>>> Cada poesia a seu tempo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Só sei que nada sei
>>> A diferença entre baixa cultura e alta cultura
>>> Liberdade é pouco
>>> Liberdade é pouco
>>> Liberdade é pouco
>>> As viúvas da Bizz
>>> As viúvas da Bizz
>>> As viúvas da Bizz
>>> O filósofo da contracultura
>>> A resistência, de Ernesto Sabato
Mais Recentes
>>> Psicologia Social - Volume 2 de Solomon E. Asch/ Trad.: Dante Moreira Leite pela Companhia Ed. Nacional (1960)
>>> Psicologia e Literatura de Dante Moreira Leite pela Companhia Ed. Nacional (1967)
>>> Família e Poder: Da Razão de Ser/ Autografado de Cláudio de Albuquerque Bastos pela BeloHorizonte (1991)
>>> O Ciúme de Nancy Friday pela Record/ R. J.
>>> Noções de Pedagogia Científica de Theobaldo Miranda Santos pela Companhia Ed. Nacional (1963)
>>> Breve história de quase tudo de Bill Bryson pela Companhia das Letras (2008)
>>> Louise Hay de A Vida em Perigo pela Best Seller/ S. Paulo (2008)
>>> O poeta nu (2ª ed.) de Jiorge de Souza Braga pela Fenda (1999)
>>> El Yo En La Evolución de Esther Menaker y William Menaker pela Fondo de Cultura Economica/ México (1968)
>>> O Neofreudismo À Procura da Verdade... de V. I. Dobrenkov pela Civilização Brasileira (1978)
>>> Psicanálises de Ontem e de Hoje - Como Terapêuticas.../ Encad. de Henri Gratton pela Edições Loyola (1967)
>>> Principios de Ray Dalio pela Intrinseca (2018)
>>> Um Homem para Qualquer Mercado de Edward O. Thorp pela Portfólio Penguin (2018)
>>> Os Sertões Vol. I e II de Euclides da Cunha pela Otto Pierre Editores (1981)
>>> Caminhos das Civilizações: História Integrada Geral e Brasil de José Geraldo Vinci de Moraes pela Atual (2000)
>>> Química: Realidade e Contexto - Ensino Médio - Volume Único de Lembo pela Ática (2000)
>>> TPM en Industrias de Proceso de Tokutaro Suzuki pela TGP-Hoshin/ Productivity Press (1995)
>>> Idoso: Encargo ou Patrimônio? de Dulce Maria Pereira pela Corpo Municipal de Voluntários (1992)
>>> Análise de Sistemas e Administração de Projetos de David I. Cleland pela Pioneira (1978)
>>> Manual de Exames de Urina de E. P. Vallada pela Atheneu (1997)
>>> Economia Para Administradores de Jayr Figueiredo de Oliveira pela Saraiva (2008)
>>> Direito Constitucional de Alexandre de Moraes pela Atlas (2003)
>>> Manual de Exames de Instituto de Patologia Clínica H. Pardini pela Clínica H. Pardini (2001)
>>> Matemática Fundamental: Resolução - 2º Grau - Volume Único de José Ruy Giovanni pela FTD
>>> Como não ser um babaca de Meghan Doherty pela Intrínseca (2015)
>>> Você e Seu Sangue de Heloisa Bernardes pela H. L. B. - Cursos e Serviços (2004)
>>> Turco de Rough Guides pela Publifolha (2009)
>>> The mill on the floss de George Eliot pela Oxford University Press (1981)
>>> Teoria da restauração de Cesare Brandi pela Ateliê Editorial (2004)
>>> Queimada viva de Souad pela Planeta (2004)
>>> Pré-história de André Leroi-Gourhan pela Pioneira (1981)
>>> Platão de Bernard Williams pela UNESP (2000)
>>> Pedra só de José Inácio Vieira de Melo pela Escrituras (2012)
>>> Os búrios de Domingos Maria da Silva pela Câmara Municipal de Terras de Bouros (1988)
>>> O patrimônio em processo de Maria Cecília Londres Fonseca pela UFMG (2005)
>>> O leilão do lote 49 de Thomas Pynchon pela Companhia das Letras (1993)
>>> O homem que matou o escritor de Sérgio Rodrigues pela Objetiva (2000)
>>> O fator humano de Graham Greene pela L&PM Pocket (2008)
>>> O cortiço de Aluísio Azevedo pela Nobel (2010)
>>> O centro industrial do Rio de Janeiro de Edgard Carone pela Cátedra (1978)
>>> O capitalismo tardio de João Manuel Cardoso de Mello pela UNESP (2009)
>>> O capital, vol. 1: o processo de produção do capital de Karl Marx pela Civilização Brasileira (1998)
>>> Norma e forma de E. H. Gombrich pela Martins Fontes (1990)
>>> Morte abjeta de Bernardo Guimarães & Maria Judith Ribeiro pela M. J. Ribeiro (2002)
>>> Memórias do social de Henri-Pierre Jeudy pela Forense Universitária (1990)
>>> Magos de Isaac Asimov pela Melhoramentos (1990)
>>> Lolita de Vladimir Nabokov pela Abril (1981)
>>> História da casa brasileira de Carlos Lemos pela Contexto (1989)
>>> Hegel de Georg W. F. Hegel pela Nova Cultural (2000)
>>> Habitações indígenas de Sylvia Caiuby Novaes (org.) pela Nobel (1983)
COLUNAS

Quarta-feira, 2/5/2012
Nem Aos Domingos
Marilia Mota Silva

+ de 5400 Acessos

Outro dia, um desses amigos de internet, que gosta de repassar power points que pingam letrinhas, piadas sexistas e textos provocativos, me mandou essa crônica de Mario Prata:

Homem Gosta é de Homem

"Homem gosta de homem! Disse, corajosamente, o cartunista Miguel Paiva (Radical Chic) na semana passada no gostoso (e gostosa) Marília Gabi. É preciso ter peito para fazer-se uma declaração dessa em público. E, quem tem peito, geralmente, são as mulheres.

E a Marília retrucou:- Mulher também.

Escrevi e montei uma peça há uns anos atrás, chamada Bésame Mucho (que depois virou filme do Ramalho).

Esta peça tratava justamente deste assunto. A relação de ternura entre dois homens. Da infância até a maturidade.

Antes que alguém viesse dizer que era coisa de viado, tive que inventar uma palavra para explicar a relação entre os dois personagens masculinos. A palavra era "homoternurismo" e, para minha infelicidade, até hoje não se incorporou ao Aurélio.

Mulher é bom, é ótimo, nem se discute. Mas que os homens preferem os homens, também não se discute.

Desde a infância, menino gosta de brincar com menino. Clube do Bolinha. Menina não entra!

Na adolescência, é a mesma coisa. Temos olhos para os seios e os bumbuns da meninas, mas no meu time de futebol elas não entravam. Era rapaz de um lado e as meninas do outro.

A gente casa, ama a esposa da gente, tem filhos, mas não vê a hora de ir para o botequim tomar umas e outras com os amigos. Os amigos do peito. Já notaram que os homens não têm amigas do peito? Têm amigas com peito. Na hora da confidência mais confidencial, na hora do aperto, do ombro amigo, é o amigo do peito (para se chorar) que está ali.

Favor não confundirem, jamais, homoternurismo com homossexualismo.

E a gente vai crescendo e vai formando o nosso time de amigos eternos, confiáveis, pau (ops!) pra toda obra.

O domingo, por exemplo, foi feito para se passar com os amigos. O jogo de futebol, os gols na televisão, a cervejinha gelada. Mas qual é a mulher que não quer ir a "um cineminha" no domingo?

Devia ser proibido mulheres aos domingos, dizia um meu amigo do peito, casado.

Tudo isso que eu escrevi aí em cima, se for mesmo válido, só é válido até uma certa idade. A idade que eu estou agora. Quase cinquenta anos, cheio de amigos e sem nenhuma mulher. Talvez por pensar assim.

"Um misógino!", diriam elas. Mas o mesmo Aurélio, que não consolidou o homoternurismo, diz que misoginia é uma "repulsa mórbida do homem ao contato sexual com as mulheres". Não é o caso. E, outro dia, discutia isso com um velho amigo velho de 84 anos. Ele concordou, em termos, do alto de sua sabedoria de ancião. Mas fez uma ressalva. Jogou na minha cara:

- Daqui para a frente, é melhor começar a convidar mulheres para ir ao jogo de futebol. É melhor ir aprendendo a tomar caipirinha com mulheres no sábado antes da feijoada. Já está na hora de parar de reparar apenas nos seios e nas bundinhas da mulheres. As mulheres têm mais alma que os homens!

- E daí?, respondeu o machão aqui.

- E dai, meu filho, que você na velhice vai ficar chato, intransigente, metódico, sistemático. Aliás, já está ficando. E não tem nenhum amigo do peito nessa hora para te socorrer.

Se você chegar sozinho na velhice, não conte comigo, que eu já fui embora. Quem sempre cuidou de você foram as mulheres. A começar pela sua mãe.

- Você está querendo que eu arrume uma outra mãe?

- Não, meu filho. Uma mulher. Vai por mim, mulher é muito melhor que homem. E quanto mais velhas ficam, melhor nos entendem. Ao contrário dos homens.

E pediu mais uma caipirinha, enquanto olhava o traseiro da jovem, muito jovem, garçonete. Encerrou, com o olhar distante:

- Mulher é o que há, menino! Trate logo de arrumar uma, enquanto você está vivo... E quer saber de mais uma coisa? Esse papo de homoternurismo, pra mim, é coisa de viado!"

O Estado de S. Paulo, em 29/05/95


Não pode ser, pensei. Seria muita boçalidade!

Para tirar a dúvida, enviei a crônica para quinze amigos, homens com mais de quarenta anos, e pedi que me dissessem se concordavam com o que a crônica dizia.

A resposta unânime foi que "sim, sim, é exatamente isso. A crônica diz a verdade". Alguns acrescentaram um "Infelizmente", como que se desculpando.

Mesmo assim, não me convenci. Eles se subestimam!

Que homem goste de homem, está bem. As mulheres também se divertem mais entre si. Mas que precisem castrar as mulheres, reduzi-las a peitos e bundas, isso não pode ser. Seria muito deprimente.

Mulher devia ser proibida aos domingos, diz a crônica. E lá vem o protesto homoternúrico: Mas elas querem ir a um cineminha! Não pode!

No resto da semana, há trabalho, duas jornadas pelo menos, se não tem filhos. Mas eles reviram os olhinhos, agoniados: o domingo foi feito para passar com os amigos! É dia em que eles assistem ao futebol, bebem cerveja e trocam olhares úmidos, carregados de homoternurismo.

Mas há uma ressalva, o autor adverte: tudo isso só vale até lá pelos cinquenta anos.
Aí a coisa muda de figura. Os rapazes viram velhos com problema de próstata e cólon. Passam direto da fase narcisística infantil para a velhice narcisística infantil. Os amigos desaparecem e eles precisam de quem cuide deles.

...Você na velhice vai ficar chato, intransigente, metódico, sistemático. Aliás, já está ficando. E não tem nenhum amigo do peito nessa hora para te socorrer...Quem sempre cuidou de você foram as mulheres. A começar por sua mãe".

Então é isso: À beira da velhice e suas mazelas, os homens devem procurar uma companheira, não porque a idade lhes ensinou a amar algo além de si mesmo e seu reflexo no espelho, mas porque precisam de alguém que cuide deles: um combo de empregada, governanta, secretária, enfermeira, acompanhante. Sem remuneração, direitos trabalhistas, turnos, folgas, horários. E que aguente tudo. Em outras palavras: Uma mulher, esposa, companheira. É o resumo da peça.

Fica a questão:

O que esse senhor casadoiro, com a barriga redonda de cerveja, agradável como um cascalho no sapato, inteligente e sensível como um prego no asfalto (a deduzir da crônica), misógino e homoternúrico, teria a oferecer à mulher escolhida?

Ele não pensa nisso, não se preocupa com isso! E ainda se pergunta porque, com menos de 50 anos (quando escreveu a crônica), estava sozinho. Oh...



Marilia Mota Silva
Rio de Janeiro, 2/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
02. Um Furto de Ricardo de Mattos
03. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
04. Nobel, novo romance de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
05. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2012
01. Nem Aos Domingos - 2/5/2012
02. Só dói quando eu rio. - 23/5/2012
03. O que querem os homens? Do Sertão a Hollywood - 5/9/2012
04. Carregando o Elefante - 3/10/2012
05. Quem tem medo da Rio+20? - 13/6/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CARTAS DE UM ESCRITOR SOLITÁRIO
SAM SAVAGE
PLANETA
(2011)
R$ 26,90



PEDAÇOS PEZZI
VERA LUCIA DE OLIVEIRA
L'ETRURIA
(1992)
R$ 19,00



2002 ANUÁRIO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
WATCHTOWER BIBLE
WATCHOWER BIBLE
(2002)
R$ 12,00



O LIVRO DO JUÍZO FINAL - 8ª EDIÇÃO
ROSELIS VON SASS
ORDEM DO GRAAL NA TERRA
(1992)
R$ 8,51



O PRIMEIRO MILHÃO PARA CASAIS - COMO ECONOMIZAR E ENRIQUECER JUNTOS
PEDRO QUEIROGA CARRILHO
ACADEMIA
R$ 19,33



CONAN Nº 20
N/D
MYTHOS
R$ 15,00



LABIRINTO-HOMEM
CARLOS VILARINHO
KALANGO
(2013)
R$ 22,00



O MILIONÁRIO MOISÉS
CATHERINE PONDER
NOVO SÉCULO
(2013)
R$ 20,00



O EXTERMINADOR DO FUTURO - LIMITED EDITION
JAMES CAMERON
DARKSIDE BOOKS
(2015)
R$ 18,00



PE. MAURÍLIO MARITANO: O MISSIONÁRIO QUE OUVIU OS CLAMORES
JOSÉ WILSON DE SOUZA
MUNDO E MISSÃO
(2016)
R$ 3,90





busca | avançada
26733 visitas/dia
737 mil/mês