Silenciofobia | Andréa Trompczynski | Digestivo Cultural

busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 14/6/2004
Silenciofobia
Andréa Trompczynski

+ de 4200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

"Num mundo em que as juras não tem nenhum valor, em que fazer um juramento nada significa, em que as promessas são feitas para serem quebradas, seria agradável ver as palavras de volta ao poder."
(Chuck Palahniuk)

As noites mais felizes da infância eram aquelas em que faltava luz. Ficávamos na cozinha ouvindo o estalar dos pinhões na chapa do fogão à lenha, à luz de velas ou de um velho lampião de meu pai. Minha mãe sempre dizia: "é tão bom quando falta luz, nós conversamos". Quando a energia voltava e podíamos enxergar melhor nossas próprias caras de alegria, era constrangedor e cada um voltava para seu lugar, sua televisão ou seu aparelho de som. Com vergonha de ter demonstrado que não era tão independente, vergonha de ter sentido a falta uns dos outros tanto assim. Voltávamos todos para nossos barulhos favoritos.

Imagino como deve ter sido um tempo em que ouvir uma música ou uma apresentação musical era algo esperado por toda a semana ou todo o mês. Vestiam a melhor roupa, era um acontecimento. Se música é arte, é preciso ouví-la todos os dias o dia todo? Você carrega uma escultura no seu carro para poder tocá-la todo o tempo?

O silêncio aterroriza e tentam preenchê-lo com uma "trilha sonora" do mundo todo o tempo. Vivendo em uma língua diferente, percebi o quanto 9 de 10 palavras são desnecessárias. Por ser obrigada a pensar antes de falar, acabo falando muito pouco. E tem sido muito bom. Por ter que trabalhar ouvindo música 8 horas por dia, tenho dado uma importância divina ao silêncio. Mas o melhor não é apenas não fazer comentários idiotas mas o mais total silêncio. Não somente coisas como a temperatura do ar ou o novo corte de cabelo de alguém são desnecessárias, mas todo aquele discurso igual. Vou me tornar uma velha muito chata que fura bolas de futebol que caem no quintal, sei disso. Mas me recuso a falar coisas que não servem para nada. As pessoas estranham o silêncio. Sentem-se incomodadas com ele, fazem de tudo para escapar dele, ligam tevês e rádios e computadores, dizem que agora precisam ir. O silêncio é mais aterrador que palavras duras. Abrem revistas e jornais e dizem em voz alta que Jennifer Lopez casou de novo. Tudo, menos o silêncio. Qualquer coisa.

Nesse estado de espírito (prazerosíssimo, experimentem) li o último livro de Chuck Palahniuk (autor de Clube da Luta), com aquele humor-negro dele, cinismo deslavado e anti-heróis. Cantiga de Ninar é um thiller de suspense sim. Um jornalista às voltas com poder que uma canção indiana tem de matar quem quer que a ouça. Como um vírus que se pega pelos ouvidos. Imaginem isso. Todo o barulho seria policiado, monitorado ou abolido. E a canção, apenas pensada em direção ao seu alvo pode matar quem você quiser. Mas a história é um pretexto para ler os pensamentos de Carl Streator, o jornalista, sobre todo o lixo que ouvimos todos os dias. Sobre a necessidade doentia de não pensar e não silenciar. O mundo todo está viciado em barulho, não se pode ficar sem isso mais. E dá-lhe telas maiores e mais volume. "Pessoas que jamais jogariam lixo na rua passam de carro por nós com o rádio aos berros. Pessoas que jamais soprariam fumaça de charutos em nós num restaurante lotado gritam ao telefone celular. Urram umas para as outras, separadas apenas pela mesa de jantar. Não se trata de qualidade, trata-se de volume".

Mas recomendado somente para velhos resmungões como eu.

Me dá um cigarro
Coffee and Cigarets, de Jim Jarmusch é só para fumantes e grandes tomadores de café. São onze histórias curtas, onde o cigarro é o prazer meio proibido, meio vergonhoso, mas irresistível. O elenco é imenso: Roberto Benigni, Alfred Molina, Cate Blanchet, Iggy Pop, Tom Waits, Steve Buscemi, Steve Coogan, e ele, ele, o melhor de todos, Bill Murray. Os pigarros, as longas tragadas, aquele olhar de desprezo por cima da sua fumaça ao resto da humanidade. Recomendo a quem parou que não veja este filme se quiser continuar assim.

Saint Reagan
O Ronald Reagan morreu e virou santo aqui. Ele sim era bom, era um comunicador, era um grande ator, o melhor presidente de todos os tempos. Todo mundo morto é tão bonzinho de repente.

Bom dia, com licença e obrigado
É impressão minha ou nas cidades grandes do Brasil eu nunca vi as pessoas sorrirem umas para as outras (desconhecidos) na rua e se cumprimentarem? Porque aqui eles fazem isso, demorei para me acostumar. No começo pensava: "ih, está querendo alguma coisa" ou "está tentando se aproximar". Não, é gentileza mesmo. Nunca tinha visto, não. Sem segundas intenções e de graça.

Liberdade, liberdade, abre as asas
Nada de axé-music na praia, nada de verão de três músicas se repetindo ad nauseam. As praias aqui podem estar cheias, mas, acreditem, não tem uma musiquinha. Um dia passou um hindu cantando baixinho e o vento trouxe até meus ouvidos por acaso. Nada de axé-bahia, nada. Nada de Tcham, nada de reggaes de duzentos anos em meus ouvidos. Sinto-me flutuando.

Para ir além






Andréa Trompczynski
Vancouver, 14/6/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância de Duanne Ribeiro
02. Eu matei Marina Abramovic (Conto) de Jardel Dias Cavalcanti
03. A biografia possível de Marta Barcellos
04. Notas Obsoletas sobre os Protestos de Duanne Ribeiro
05. Paulo César Saraceni (1933-2012) de Humberto Pereira da Silva


Mais Andréa Trompczynski
Mais Acessadas de Andréa Trompczynski em 2004
01. Um conselho: não leia Germinal - 8/11/2004
02. Gênios e seus Amores Loucos - 26/7/2004
03. Em defesa da Crítica - 25/10/2004
04. Escrever para não morrer - 3/5/2004
05. Um Elogio à Loucura - 31/5/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/6/2004
10h59min
Eurípedes, na peça "As Troianas", escreve uma fala maravilhosa para o coro: "o silêncio apavora". E apavora até hoje e sempre...
[Leia outros Comentários de Cristiana Brandão]
18/6/2004
16h33min
Esse seu texto me trouxe a recordação da casa da minha avó nos dias (noites) em que faltava luz. E era mais nessa época do ano, junho/julho, em que as chuvas faziam estragos nos postes. E minha avó ficava pendurada no telefone até conseguir ligar para a "prontidão de luz". Enquanto isso, nós, primos, irmãos, tios, sobrinhos, mainhas e painhos, ficávamos na sala ou no terraço brincando de mímica. E sempre - sempre - tio cacá dava uma volta no oitão da casa para nos assustar por trás com um "pow" bem alto. Até que passava o caminhão da "celpe" na rua e, momentos depois, tudo se acendia. E a mímica - q era tão gostosa de brincar - era trocada pelos sons da televisão, q ficava na sala e inundava a casa de novelas. Bons tempos aqueles...
[Leia outros Comentários de Simone Pimentel Jorg]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PÂNICO NO ACAMPAMENTO (GOOSEBUMPS 10 - HISTÓRIAS DE ARREPIAR)
R. L. STINE
ABRIL
(1992)
R$ 22,28



A DOENÇA COMO LINGUAGEM DA ALMA
RÜDIGER DAHLKE
CULTRIX
(2004)
R$ 42,00



VIVER, PERDER, GANHAR
JANET GREESON
BEST SELLER
(1993)
R$ 7,80



A CIDADE DOS BEBÊS
JANE GREEN
RECORD
(2003)
R$ 18,00



OS SIGNOS E AS MULHERES
JUDITH BENNETT
NOVA ERA
(2002)
R$ 39,00



ROBERTO SCHUMANN SU ARTE Y SU VIDA
WILLI REICH
RICORD AMERICANA
(1957)
R$ 20,00



ORE DEPOSITES AND MANTLE PLUMES
FRANCO PIRAJNO
KLUWER ACADEMIC
(2000)
R$ 300,00



COPOS QUE ANDAM
ANTONIO CARLOS E VERA LÚCIA
PETIT
(1994)
R$ 15,00



O DESENHO DE LASAR SEGALL
NÃO DEFINIDO
MUSEU LASAR SEGALL
(1991)
R$ 35,00



HOMICÍDIO CONJUGAL EM PORTUGAL
ELZA MARIA HENRIQUES DEUS PAIS
HUGIN
(1998)
R$ 83,74





busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês