Digestivo Cultural, há dez anos combatendo Cebolas | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
Mais Recentes
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Children Of The Lamp Book One de P. B. Kerr pela Orchard Books (2004)
>>> The Tale Of Despereaux de Kate Di Camillo pela Candlewick Press (2003)
>>> What She Left For Me de Tracie Peterson pela Bethany House (2005)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> Ruby Dakotah Treasures 1 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2003)
>>> Opal Dakotah Treasures 3 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
COLUNAS >>> Especial Digestivo 10 Anos

Quarta-feira, 13/10/2010
Digestivo Cultural, há dez anos combatendo Cebolas
Guilherme Pontes Coelho

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Boy Looking Shocked by Large Onions, Terry Cryer
Boy Looking Shocked by Large Onions, Terry Cryer/Corbis© (1978)


A lista dos livros que mais me influenciaram tem poucas unanimidades canônicas. Victor Hugo, Guimarães Rosa, Shakespeare. Os demais são uma imensidão de autores, uns ainda vivos, outros já mortos, e tanto uns como outros de situação incerta no quesito cânone. Há também os não-canônicos, graças a Deus; assim como os eternos, e bem-vindos, "jovens autores". Devo acrescentar que os cultores da canonicidade marcam presença: Harold Bloom, Edmund Wilson e o maravilhoso Otto Maria Carpeaux. Mas nomes imponentes são minoria na short list "livros que me influenciaram", eu confesso.

Você, que gosta de ler, sabe que a lista de livros influenciadores pode não ser quilométrica ― mas é mutável. Há livros, contudo, que resistem mais tempo às nossas mudanças pessoais. No meu caso, um desses promete ser A última casa de ópio, do jornalista americano Nick Tosches. A razão disso é o Princípio Cebola.

Antes de lê-lo, o livro de Tosches, publicado aqui em 2006 pela Conrad (tradução de Michelle de Aguiar Vartuli), ganhou minha simpatia por causa da orelha, onde li que o autor havia escrito para Vanity Fair e Rolling Stone, publicações que adoro. O próprio livro era um artigo dele para Vanity Fair, publicado em setembro de 2000, disponível no site da revista. E ópio era um assunto que me interessava em 2006, época em que andei devorando Confissões de um comedor de ópio, de Thomas de Quincey.

Toda a jornada de Tosches à procura de uma casa de ópio genuína, nos moldes daquelas orientais que, aqui no Ocidente, não sobreviveram ao século XX, é uma reação a isto: "A nossa era é, cada vez mais, a era do pseudoconhecimento, o modo pelo qual tentamos tolamente nos diferenciar da maioria medíocre". São palavras do Tosches, à pagina 13.

Pois eu li o livrinho e desde então o Princípio Cebola tem me servido.

Tosches fala da cebola Walla Walla, servida no restaurante de um amigo. Cultivada em Walla Walla, cidade norte-americana do estado de Washington, a cebola contem baixo teor de enxofre, por isso é mais doce. Sai da terra (saía, em 2000) custando um dólar a unidade de 400g. No restaurante do amigo, de "cucina toscana", o prato era: meia cebola matizada com caviar de beluga. O caviar, àquela época, custava menos de um dólar o grama. Um mais outro dava "cerca de cinco ou seis pratas".

O amigo restaurateur, empresário ciente do apetite por fetiches, vendia a cebola como iguaria rara. Por ela, cobrava 35 dólares.

Para ilustrar melhor o Princípio Cebola, os vinhos, por favor.

Há quase uma década, quando comecei a participar de jantares, digamos, adultos, um tema recorrente e, para mim, entediante era ― e continua sendo ― a degustação de vinhos. Raro um jantar sem vinhos. Quando há vinhos à mesa, raríssimo o jantar em que os comensais não se entreguem aos prazeres refinados da enologia.

Desde a primeira vez em que vi o gesto de levar a bordalesa cheia ao nariz, farejar, farejar mais um pouco, depois tragar com parcimônia, apreciando todas as reações do vinho no interior da boca, desde a primeira vez em que vi esta cena soube que havia algo tremendamente equivocado. O desenrolar da cena é a pior parte. É quando o connoisseur emite seus juízos sobre a bebida. Quando ele especifica os supostos sabores detectados. Diz coisas como "aromas de cassis doce, chocolate, violetas, tabaco, e doce baunilha acarvalhada"; "um traço de pimentão se esconde no cassis". São aspas do Tosches e com mais aspas dele continuo: "Como um nariz tão sofisticado pode não ter detectado a merda de vaca com a qual essa celebrada propriedade de Bordeaux fertiliza suas videiras? Um verdadeiro conhecedor de vinho, se tal coisa existisse, detectaria o pesticida e o esterco antes de tudo: ele não seria um goûter de vin, e sim um goûter de merde." Estava lá, à página 14 d'A última casa de ópio, tudo o que eu pensava sobre sommeliers amadores.

A aparência rarefeita de uma ideia, transformada em conhecimentos ilusórios e/ou condutas falsificadas. O Princípio Cebola aplica-se a muita coisa. A volúpia fabricada das deusas do Photoshop, a musculatura de silicone dos cultuadores do corpo, os especialistas em redes sociais (que proliferam incessantemente por cissiparidade), a literatura pouco literária dos escritores metalinguísticos, a ininteligibilidade de instalações artísticas (uma boa parte delas), o jornalismo das revistas semanais, os livros do Gabriel Chalita, o humor do Casseta & Planeta. Manifestações do Princípio Cebola. Não é uma questão de gato por lebre. É de algo supostamente semelhante a um gato por uma coisa falaciosa e exageradamente lebre.

Hoje, se me perguntam, durante um jantar, que álcool gostaria de beber, peço Heineken ou vodka (Belvedere ou Wyborowa). Se só houver vinho, ou se estiver com saudade dele, eu o aceito, mas, se pedirem para discorrer sobre pimentões escondidos, vou emitir o único julgamento possível: "Hm, que gostoso!"

O cuidado para não topar com manifestações do Princípio Cebola não me deixa em paz. Vai além de bebidas e pessoas. Ele está presente em quase tudo o que leio; e em tudo o que leio de jornalismo, uma das minhas três leituras prediletas. Adoro jornalismo, sobretudo o "cultural". Gostava menos quando fazia faculdade de comunicação social. Passei a gostar mais quando me livrei dos professores. Mais ainda com o crescimento da internet. Ela é uma destruidora de Cebolas. Tem destruído os jornais, grandes Cebolas. Minhas leituras jornalísticas enriqueceram com a rede. Cebolas nunca mais.

Algumas publicações do mundo de papel merecem minha leitura. A revista piauí e a edição brasileira da Rolling Stone, que por tanto tempo esperei por aqui. A revista Brasileiros também, uma publicação só possível no Brasil de hoje. Pratico a compra ocasional das gringas New Yorker e Atlantic (não acho Vanity Fair nas bancas de Brasília). Elas não são publicações Cebola, inclusive pela maneira como a maioria delas é editada na internet, com sites usáveis e, principalmente, plurais. Pluralidade que veio com a ferramenta que só a internet pôde proporcionar: o blog.

Blogs se traduzem numa palavra: autenticidade. São antídotos ao pseudoconhecimento, porque seus autores escrevem a partir da experiência e porque querem. Blogs são antídotos contra Cebolas. Podem não achar isso, podem dizer que a blogosfera é que é a casa do pseudoconhecimento. Bem, sinto muito, quem diz isso não lê a mesma internet que eu e você. Você está aqui, no Digestivo.

Contra Cebolas, é Jardel Dias Cavalcanti falando de dor e êxtase e Wellington Machado sobre os quase livros. Luiz Rebinski Junior e o gosto por ter escrito, Rafael Fernandes e a indústria da música. É Eliza Andrade Buzzo e a vida subterrânea que mora em frente. Ana Elisa Ribeiro e as agruras da geração Y. É Marta Barcellos monstrando o que é gostar de homem. Rafael Rodrigues e a boa literatura brasileira. É Vicente Escudero, sobre o Digestivo Cultural.

Há dez anos combatendo Cebolas.

Nota do Editor
Guilherme Montana mantém o Montana, Blog.

Para ir além






Guilherme Pontes Coelho
Brasília, 13/10/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A trilogia Qatsi de Guilherme Carvalhal
02. Por que o petrolão é muito diferente do mensalão de Julio Daio Borges
03. Um menino à solta na Odisseia de Carla Ceres
04. Cidade surreal de Elisa Andrade Buzzo
05. A vingança dos certinhos de Marta Barcellos


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2010
01. Nas redes do sexo - 25/8/2010
02. A literatura de Giacomo Casanova - 19/5/2010
03. O preconceito estético - 29/12/2010
04. O retorno à cidade natal - 24/2/2010
05. O mundo pós-aniversário - 3/2/2010


Mais Especial Digestivo 10 Anos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/10/2010
05h26min
Bom, acho que não entendi esse texto. O que é um texto cebola? Isso decididamente não ficou claro para mim.
[Leia outros Comentários de Carolina Costa]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CIENTISTA
HENRY MARGENAU - DAVID BERGAMINI
JOSÉ OLYMPIO
(1970)
R$ 29,90
+ frete grátis



CONVENÇÃO EUROPÉIA DE DIREITOS HUMANOS
JOSÉ A F LOPES DE LIMA
MIZUNO
(2007)
R$ 10,00



O CORREIO DO CORPO
THÉRÈSE BERTHERAT
MARTINS FONTES
(1984)
R$ 25,00



SÍNTESE DE DOUTRINA SOCIAL
GABRIEL GALACHE
LOYOLA
R$ 16,07



IMPACTOS ECONOMICOS E FINANCEIROS DA UNESP PARA OS MUNICIPIOS
JOSÉ MURARI BOVO - ORG
UNESP
(2003)
R$ 5,00



THE MIND OF THE TOPS - A TRAJETÓRIA E A CONSTRUÇÃO DAS GRANDES MARCAS DO PARANÁ
JORGE POLYDORO ORG.
INSTITUTO AMANHÃ
(2015)
R$ 14,00



O FRACASSO DO ENSINO
CODECRI
REGIS FARR
(1982)
R$ 4,00



HISTÓRIAS PARA NINAR E SONHAR
RUTH MARSCHALEK NASCIMENTO
EKO
(2002)
R$ 14,77



INDEPENDÊNCIA - O COTIDIANO DA HISTÓRIA
EDGARD LUIZ DE BARROS
ÁTICA
(2000)
R$ 4,05



A FILHA DE BURGER
NADINE GORDIMER
ROCCO
(1985)
R$ 15,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês