Só dói quando eu rio. | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
80332 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Canto dos Recuados - espetáculo musical mergulha na cultura afrobarroca
>>> Primeiro Roteiro
>>> Festival Cine Inclusão abre inscrições de curtas-metragens com o tema terceira idade
>>> Musical Guerra de Papel estreia dia 3 de setembro no Teatro Viradalata
>>> Monólogo Te Falo com Amor e Ira de Branca Messina ganha nova temporada
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
>>> Poesia como Flânerie, Trilogia de Jovino Machado
>>> O mundo é pequeno demais para nós dois
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que as curitibanas não usam saia?
>>> Incubus - Circles
>>> Citizen Kane
>>> Da vitrola ao microchip
>>> De onde vem a carne que você come?
>>> (Re)masterizados e (Re)mixados
>>> Um mundo além do óbvio
>>> Anarchy in the U.K.
>>> História do Ganesha
>>> A sombra de Saramago
Mais Recentes
>>> Como Cuidar do Seu Meio Ambiente de Desconhecido pela Bei (2002)
>>> Esposa 22 de Melanie Gideon pela Intrinseca (2012)
>>> Você, Líder do Seu Sucesso de Inácio Dantas pela Clube dos Autores (2018)
>>> Mundo Em Transformação de Antonio Cabral; Leonardo Coelho pela Autêntica (2006)
>>> Nós Dois na Madrugada de Sanne Munk Jensen e Ringtve pela Suma (2018)
>>> O Videogame do Rei de Ricardo Silvestrin pela Record (2009)
>>> Cinema Transcendental: um Guia de Filmes Sobre a Vida Após a Morte de Lyn, Tom Davis Genelli pela Pensamento (2014)
>>> Histórias para o Coração da Mãe de Alice Gray pela United Press (2005)
>>> Lua Nova - Formato Menor de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2009)
>>> O Mar de Monstros - Percy Jackson e os Olimpianos Livro Dois de Rick Riordan pela Intrinseca (2009)
>>> Amanhecer de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2009)
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Estadão (1995)
>>> Lua Nova de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2008)
>>> Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro Volume 321 de Vários Autores pela Imprensa Nacional (1978)
>>> Guia do Servidor Linux Edição Servidor 3 de Conectiva pela Conectiva (1999)
>>> Introdução a Teoria das Linhas de Transmissão de José Thomaz Senise pela Mauá (1979)
>>> Feijoada na Copa de Chico Anísio pela Círculo do Livro (1976)
>>> Espinhos do Tempo de Zibia Gasparetto pela Os Caminheiros (1990)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Record (1978)
>>> Catálogo Antunes 87/8 de José Manuel Antunes pela Do Autor (1988)
>>> Biologia de los Microelementos y Su Funcion de Karl H. Schutte pela Tecnos (1966)
>>> Dicionário do Antiquariato de Codex pela Codex (1968)
>>> Relais & Chateaux 2001 de Relais pela Relais (2001)
>>> Guatemala Kunst Der Maya de I. Bolz-augenstein pela Greven (1966)
>>> Julie Ou La Nouvelle Heloise de Rousseau pela Flammarion (1967)
COLUNAS

Quarta-feira, 23/5/2012
Só dói quando eu rio.
Marilia Mota Silva

+ de 5700 Acessos

Segunda-feira, a campainha tocou no meio da tarde. Abri sem olhar antes, pensando que era o correio com alguma encomenda que exigisse assinatura. Era um policial. Meu primeiro instinto foi de medo e desconfiança, mas não tinha como recuar.

Queria me fazer algumas perguntas, explicou, mostrando a prancheta com os formulários que trazia nas mãos. Pois bem.

As perguntas eram sobre o policiamento da área onde moro. Se eu estava satisfeita com o trabalho deles. Se já tinha sofrido algum roubo ou tentativa; se achava que devia haver mais policiais nas ruas, quando e onde, ou se a presença deles era suficiente; se havia alguma sugestão que eu gostaria de fazer.
Antes de ir embora, sugeriu que eu participasse dos grupos de discussão da comunidade online, do "Vizinhos Vigilantes",online também, e dos encontros, ao vivo, toda terceira quinta-feira do mês, com o Serviço de Polícia da Área. Entregou-me seu cartão, uma folha com nomes, endereços, emails do pessoal responsável pelo policiamento da região, inclusive do advogado da comunidade e do chefe do Conselho de Cidadãos.

E pronto, foi-se embora, sem desconfiar do frenesi de emoções que tinha despertado em mim. Um policial que vem à minha casa preocupado em me servir bem! E a auto-estima dele, a serenidade, a certeza de ser respeitado, de estar fazendo um trabalho indispensável ao bem-estar da comunidade!

Já tinha notado isso: a deferência das pessoas com os policiais: boa tarde, officer, cumprimentam sérios, com um ligeiro inclinar de cabeça. Na primeira vez, tive vontade de rir. Um riso dolorido, igual ao daquela nordestina da piada, a que veio andando para o sul, fugindo da seca. Foi atacada no caminho, lutou, perdeu o pouco que trazia, e ainda lhe enterraram um faca no peito. Ela continuou firme. Andando. Um turista que andava pelo sertão viu aquilo e ficou chocado: "Mas como a senhora aguenta tudo isso, e mais essa faca atravessada no peito, a senhora não sente dor?" "Só dói quando eu rio", ela respondeu. E foi em frente.

E' sério. Os policiais são realmente respeitados. Andei conversando com gente daqui para saber como isso é possível. Disseram-me que o governo de Washington tem um sistema de incentivos que ajuda os policiais a comprarem suas casas na cidade, não tendo que enfrentar horas de carro ou condução. "Eles, infelizmente, não ganham tão bem assim", me disseram. "A idéia é facilitar a vida do policial, torná-lo parte efetiva da comunidade em que trabalha - ele se torna conhecido e passa a conhecer bem seus vizinhos, toda a área sob sua responsabilidade. A comunidade vê nele uma segurança extra. E os vizinhos também vigiam o policial."
Um bom sistema, uma medida simples. Deve haver regras complementares muito bem feitas, pensei, se não os policiais iam fazer contrato de gaveta e trocar de casa todo ano. Iam ficar ricos so' com isso.
Pergunto: "Você acha que há corrupção na polícia daqui?" "Não, não. Aqui não tem."

Não escondo um sorrisinho de ironia.

"Pode ser que haja uma coisa mínima, eventual, mas não, a polícia aqui e' muito séria, muito eficiente. E não são corruptos", disse categórico.

Pensei nas esquinas onde se juntam caras com moletons largos, capuz baixado sobre os olhos, mesmo de dia, no verão, em claro comércio de drogas. Como isso é possível sem conivência da polícia? Mas não disse nada, meu interesse não era polemizar. Era compreender a cultura, as crenças deles.

E eles acreditam na polícia. Mais importante ainda: a polícia acredita em si mesma e todos acreditam nas leis, nas instituições e se orgulham de seu país, seus valores, sua história! Esse sentimento é transmitido e revivido de todas as maneiras imagináveis e em todas as oportunidades.

Nos jogos de beisebol, por exemplo, em um dos intervalos, há sempre a "corrida dos presidentes". São quatro pessoas vestidas com roupas de época e imensas cabeças de plástico, representando George Washington, Thomas Jefferson, Lincoln e Teddy Roosevelt, os pais fundadores da nação, como dizem. O povo adora, torce, aplaude! Uma candura difícil de apreender.
Em qualquer evento, a presença de pessoal fardado é registrada e o público convidado a homenageá-los "esses bravos homens e mulheres a quem devemos nossa liberdade".
E liberdade para eles é carro e gasolina barata , digo pra mim mesma, enquanto ouço admirada o ecoar vibrante das palmas, o salão, o estádio inteiro! Olho do alto o campo de cabeças à minha frente: cabelos pretos lisos, mexicanos, vietnamitas, coreanos, chineses, melhor dizer asiáticos, generalizando, e turbantes, véus, cabelos pranchados, loiros, raspados, ausentes, crespos, mistos, todos os matizes e origens. Todos americanos! (como dizem, numa redução que incomoda a todos que compartilhamos o nome.)Que se levantam, aplaudindo, cheios de respeito.

Não importa que sua auto-imagem venha sofrendo arranhões, não importa que vejam filmes, documentários, programas de tevê ou leiam os tantos livros que mostram as outras faces do império, não importa que estejam despertando para o mundo além de suas fronteiras, que comecem a entender que as guerras não acontecem porque eles querem levar a liberdade e a democracia a povos oprimidos. Eles podem se mortificar com isso, podem sentir culpa e constrangimento, mas continuam a acreditar em si mesmos, na sua Constituição, valores, história. Confiam em sua capacidade de enfrentar as crises e corrigir seus erros.

Como será a estrutura mental de uma pessoa, de um povo que acredita em suas leis, em suas instituições, em si mesmo? Até as sinapses, a química dos neurônios deve ser diferente.
E nós? Somos como a nordestina da piada: vamos em frente, resignados à dor atravessada no peito e, se der, achando graça.


Marilia Mota Silva
Washington, 23/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Coreia do Norte contra o sarcasmo de Celso A. Uequed Pitol
02. Ensino Inferior de Diogo Salles


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2012
01. Nem Aos Domingos - 2/5/2012
02. Só dói quando eu rio. - 23/5/2012
03. Carregando o Elefante - 3/10/2012
04. O que querem os homens? Do Sertão a Hollywood - 5/9/2012
05. Quem tem medo da Rio+20? - 13/6/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tempo de Espera - Autografado
Oseas Araújo
Oficina Ed
(2005)



100 Magias Para Guardar Segredos
Editora Edelbra
Eldebra
(2002)



Introdução á Sociologia-ensino Médio-volume único
Pérsio Santos de Oliveira
ática
(2009)



Os Anjinhos Inspiram a Sua Vida - 2ª Edição
Marlis Salzmann
Pensamento
(2006)



Ações Tipicamente Constitucionais e a Liminar
Antonio Moura Borges
Edijur
(2008)



Qual É a Cor do Amor
Patrícia Senna e Emerson Pontes
Prazer de Ler
(2011)



Ovni as Forças Armadas Falam
Jean-claude Bourret
Difel
(1980)



Direito Internacional Leituras
Cláudio Finkelstein
Atlas
(2007)



Papel
Alda
Ibep Nacional
(2005)



O Guarani
José de Alencar
Ática
(2004)





busca | avançada
80332 visitas/dia
2,6 milhões/mês