Só dói quando eu rio. | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Dicionário Inglês/português Português/inglês: Mini Yes de Larousse pela Larousse (2005)
>>> O encontro marcado de Fernando Sabino pela Record (1975)
>>> Larousse de Poche de Précis de Grammaire pela Librairie Larousse (1979)
>>> A Burrice do demônio de Hélio Pellegrino pela Rocco (1988)
>>> Curso de Decoração Casa Claudia de Vários Autores pela Abril (1990)
>>> Verdades e Mistérios da Amazônia de Barros Ferreira pela Clube do livro (1967)
>>> Tempo de Esperas de Pe. Fabio de Melo pela Planeta (2011)
>>> Romance com cocaína de M. Aguêiev pela Círculo do Livro (1983)
>>> O Clube do Filme de David Gilmour pela Intrínseca (2009)
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Klick (1988)
>>> Vida e contemplação de P. Nelson Carloni pela Loyola (1975)
>>> Sem Rodeios de Oscar Niemeyer pela Revan (2006)
>>> Brida de Paulo Coelho pela Klick (1990)
>>> Zélia, uma Paixão de Fernando Sabino pela Record (1991)
>>> H. Stern Um Passeio pelas Curvas Infinitas de Oscar Niemeyer de Oscar Niemeyer e outros pela H. Stern
>>> Tempo de esperança. 24 horas para você renovar suas energias. de Mark Finley pela Casa Publicadora Brasileira (2009)
>>> O Monstro de Olhos Azuis (memórias) de Tonia Carrero pela Lpm (1986)
>>> Introdução à Crítica do Direito do Trabalho de Tarso Genro pela Lpm (1979)
>>> Virando a Própria Mesa de Ricardo Semler pela Best Seller (1998)
>>> O Segredo das Quatro Letras de Gabriel Chalita pela PlugMe
>>> Elisão Tributária de Diva Prestes Marcondes Malerbi pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Linux - Guia do Administrador do Sistema de Rubem E. Ferreira pela Novatec (2003)
>>> Bellini e os Espíritos de Tony Bellotto pela Companhia das Letras (2005)
>>> O menino e o bruxo de Moacyr Scliar ; Maurício Veneza pela Ática (2007)
>>> Sou João : verdade e diálogo por uma Igreja-comunhão de João Braz Aviz pela Cidade nova (2015)
>>> Elt Pocket Dictionary de Ronald Ridout pela Nelson (1979)
>>> Ensaio Avaliação e Políticas Públicas em Educação 48 Volume 13 Julho Setembro 2005 de Fundação Cesgranrio pela Fundação Cesgranrio (2005)
>>> Relações desumanas no trabalho: da primeira entrevista à aposentadoria de Max Gehringer pela Casa da qualidade (1998)
>>> O Manual do Guerreiro da Luz de Paulo Coelho pela Klick (1997)
>>> Revista de Teatro n. 475 de Aldo Calvet pela Cbag (1990)
>>> Revista de Teatro n. 468 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> Revista de Teatro n. 467 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> O Processo Tributário - Edição ampliada e atualizada de Cleide Previtalli Cais pela Revista dos Tribunais (1996)
>>> Revista de Teatro n. 466 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> Justiça Distributiva e Aplicação de Direito de Plauto Faraco de Azevedo pela Fabris (1983)
>>> O Conto da Ilha Desconhecida de José Saramago pela Companhia das Letras (1999)
>>> Confia filho ... de Pe. Fernando Maria Alvarez de Miranda pela Loyola (1983)
>>> Revista Economia y Sociedad Enero Junio 2016 de Roxana Morales Ramos Editora pela Euna (2016)
>>> Revista de Teatro n. 465 de Sbat pela H.Pereira da Silva (1988)
>>> Direito Internacional Público de Ivo Sefton de Azevedo pela Jurídica/Acadêmica (1982)
>>> A senhora do jogo de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe pela Record (2009)
>>> Evangelização e libertação de J. B. Libânio pela Vozes (1976)
>>> Revista de Teatro n. 452 (Out.Nov.Dez.1984) de H.Pereira da Silva pela Dalugraf (1984)
>>> Direito Internacional Público de Ivo Sefton de Azevedo pela Jurídica/Acadêmica (1982)
>>> Álbum de Retratos Ferreira Gullar de Por: Geraldo Carneiro pela Folha Seca (2008)
>>> O Direito Penal e o Novo Código Penal Brasileiro de Vladimir Giacomuzzi org. pela Fabris (1985)
>>> Depois da escuridão de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe pela Record (2011)
>>> Legislação Aduaneira comentada - Mercosul, Aladi, Gatt, Dumping, Drawback e Zona Franca de Guilherme A. dos Santos Mendes pela Meta (1995)
>>> Anuário 1918 =1978 Casa dos Artistas de Francisco Moreno pela Gráfica Jóia (1978)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink pela Record (2009)
COLUNAS

Quarta-feira, 23/5/2012
Só dói quando eu rio.
Marilia Mota Silva

+ de 5400 Acessos

Segunda-feira, a campainha tocou no meio da tarde. Abri sem olhar antes, pensando que era o correio com alguma encomenda que exigisse assinatura. Era um policial. Meu primeiro instinto foi de medo e desconfiança, mas não tinha como recuar.

Queria me fazer algumas perguntas, explicou, mostrando a prancheta com os formulários que trazia nas mãos. Pois bem.

As perguntas eram sobre o policiamento da área onde moro. Se eu estava satisfeita com o trabalho deles. Se já tinha sofrido algum roubo ou tentativa; se achava que devia haver mais policiais nas ruas, quando e onde, ou se a presença deles era suficiente; se havia alguma sugestão que eu gostaria de fazer.
Antes de ir embora, sugeriu que eu participasse dos grupos de discussão da comunidade online, do "Vizinhos Vigilantes",online também, e dos encontros, ao vivo, toda terceira quinta-feira do mês, com o Serviço de Polícia da Área. Entregou-me seu cartão, uma folha com nomes, endereços, emails do pessoal responsável pelo policiamento da região, inclusive do advogado da comunidade e do chefe do Conselho de Cidadãos.

E pronto, foi-se embora, sem desconfiar do frenesi de emoções que tinha despertado em mim. Um policial que vem à minha casa preocupado em me servir bem! E a auto-estima dele, a serenidade, a certeza de ser respeitado, de estar fazendo um trabalho indispensável ao bem-estar da comunidade!

Já tinha notado isso: a deferência das pessoas com os policiais: boa tarde, officer, cumprimentam sérios, com um ligeiro inclinar de cabeça. Na primeira vez, tive vontade de rir. Um riso dolorido, igual ao daquela nordestina da piada, a que veio andando para o sul, fugindo da seca. Foi atacada no caminho, lutou, perdeu o pouco que trazia, e ainda lhe enterraram um faca no peito. Ela continuou firme. Andando. Um turista que andava pelo sertão viu aquilo e ficou chocado: "Mas como a senhora aguenta tudo isso, e mais essa faca atravessada no peito, a senhora não sente dor?" "Só dói quando eu rio", ela respondeu. E foi em frente.

E' sério. Os policiais são realmente respeitados. Andei conversando com gente daqui para saber como isso é possível. Disseram-me que o governo de Washington tem um sistema de incentivos que ajuda os policiais a comprarem suas casas na cidade, não tendo que enfrentar horas de carro ou condução. "Eles, infelizmente, não ganham tão bem assim", me disseram. "A idéia é facilitar a vida do policial, torná-lo parte efetiva da comunidade em que trabalha - ele se torna conhecido e passa a conhecer bem seus vizinhos, toda a área sob sua responsabilidade. A comunidade vê nele uma segurança extra. E os vizinhos também vigiam o policial."
Um bom sistema, uma medida simples. Deve haver regras complementares muito bem feitas, pensei, se não os policiais iam fazer contrato de gaveta e trocar de casa todo ano. Iam ficar ricos so' com isso.
Pergunto: "Você acha que há corrupção na polícia daqui?" "Não, não. Aqui não tem."

Não escondo um sorrisinho de ironia.

"Pode ser que haja uma coisa mínima, eventual, mas não, a polícia aqui e' muito séria, muito eficiente. E não são corruptos", disse categórico.

Pensei nas esquinas onde se juntam caras com moletons largos, capuz baixado sobre os olhos, mesmo de dia, no verão, em claro comércio de drogas. Como isso é possível sem conivência da polícia? Mas não disse nada, meu interesse não era polemizar. Era compreender a cultura, as crenças deles.

E eles acreditam na polícia. Mais importante ainda: a polícia acredita em si mesma e todos acreditam nas leis, nas instituições e se orgulham de seu país, seus valores, sua história! Esse sentimento é transmitido e revivido de todas as maneiras imagináveis e em todas as oportunidades.

Nos jogos de beisebol, por exemplo, em um dos intervalos, há sempre a "corrida dos presidentes". São quatro pessoas vestidas com roupas de época e imensas cabeças de plástico, representando George Washington, Thomas Jefferson, Lincoln e Teddy Roosevelt, os pais fundadores da nação, como dizem. O povo adora, torce, aplaude! Uma candura difícil de apreender.
Em qualquer evento, a presença de pessoal fardado é registrada e o público convidado a homenageá-los "esses bravos homens e mulheres a quem devemos nossa liberdade".
E liberdade para eles é carro e gasolina barata , digo pra mim mesma, enquanto ouço admirada o ecoar vibrante das palmas, o salão, o estádio inteiro! Olho do alto o campo de cabeças à minha frente: cabelos pretos lisos, mexicanos, vietnamitas, coreanos, chineses, melhor dizer asiáticos, generalizando, e turbantes, véus, cabelos pranchados, loiros, raspados, ausentes, crespos, mistos, todos os matizes e origens. Todos americanos! (como dizem, numa redução que incomoda a todos que compartilhamos o nome.)Que se levantam, aplaudindo, cheios de respeito.

Não importa que sua auto-imagem venha sofrendo arranhões, não importa que vejam filmes, documentários, programas de tevê ou leiam os tantos livros que mostram as outras faces do império, não importa que estejam despertando para o mundo além de suas fronteiras, que comecem a entender que as guerras não acontecem porque eles querem levar a liberdade e a democracia a povos oprimidos. Eles podem se mortificar com isso, podem sentir culpa e constrangimento, mas continuam a acreditar em si mesmos, na sua Constituição, valores, história. Confiam em sua capacidade de enfrentar as crises e corrigir seus erros.

Como será a estrutura mental de uma pessoa, de um povo que acredita em suas leis, em suas instituições, em si mesmo? Até as sinapses, a química dos neurônios deve ser diferente.
E nós? Somos como a nordestina da piada: vamos em frente, resignados à dor atravessada no peito e, se der, achando graça.


Marilia Mota Silva
Washington, 23/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sonho francês de Arcano9


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2012
01. Nem Aos Domingos - 2/5/2012
02. Só dói quando eu rio. - 23/5/2012
03. Carregando o Elefante - 3/10/2012
04. O que querem os homens? Do Sertão a Hollywood - 5/9/2012
05. Quem tem medo da Rio+20? - 13/6/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ANIVERSÁRIO DO KIPPER
MICK INKPEN
FUNDAMENTO
(2010)
R$ 12,00



PROGRESSOS DE PATOLOGIA Y CLINICA, VOL 18, FASCÍ. 2
ELÍAS CORNET E P. FARRETAS VALENTÍ
MANUEL MARIN Y G CAMPO S L
(1971)
R$ 22,33



O MANDARIM
EÇA DE QUEIRÓS
PAZ E TERRA
(1996)
R$ 5,00



PASSAPORTE PARA A FELICIDADE
SEICHO TANIGUCHI
SEICHO NO IE
(2009)
R$ 6,90



MEMORIAL DE AIRES - IAIÁ GARCIA- TEATRO - VOL. 3
MACHADO DE ASSIS
FORMAR
R$ 9,99



COMO QUALIFICAR CONJUNTOS HABITACIONAIS POPULARES
ELEUSINA LAVÔR HOLANDA DE FREITAS
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
(2004)
R$ 18,00



O PRIMO BASÍLIO
EÇA DE QUEIRÓS
ABRIL CULTURAL
(1971)
R$ 18,01



EDUCAÇÃO E PODER - INTRODUÇÃO À PEDAGOGIA DO CONFLITO
MOACIR GADOTTI
CORTEZ
(1983)
R$ 10,00



CIDADE CORROMPIDA
ROSS MACDONALD
RECORD
(2000)
R$ 9,90



A HISTÓRIA DAS COPAS
CARLOS MOLINARI
LITTERIS
(1998)
R$ 18,28





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês