A Poesia em Noir de André Luiz Pinto | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Usina
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Web 2.0 reloaded
>>> Lendas e mitos da internet no Brasil
>>> A loucura das causas
>>> Queen na pandemia
>>> Nerd oriented news
>>> 13 de Agosto #digestivo10anos
>>> O cão da meia-noite
Mais Recentes
>>> A Engenharia de Custos na Viabilidade Econômica de Empreendimentos Industriais de Sérgio Conforto & Mônica Spranger pela Taba Cultural (2011)
>>> Documento de Aparecida de Conselho Episcopal Latino-Americano pela Paulus (2011)
>>> Caminho da sabedoria, caminho da paz de Dalai Lama pela L&Pm (2009)
>>> Montanha-russa de Martha Medeiros pela L&Pm (2009)
>>> Perdão. A Chave Para a Liberdade de Adriana Machado pela Dufaux (2015)
>>> Baudelaire de Jean-Baptiste Baronian pela L&Pm (2010)
>>> O Mundo Contemporâneo - Relações Internacionais 1945-2000 de Demétrio Magnoli pela Moderna (2002)
>>> Paulo, um homem em Cristo de Ruy Kremer pela Feb (2011)
>>> Páginas de espiritismo cristão de Rodolfo Calligaris pela Feb (2021)
>>> Crepúsculo dos ídolos de Friedrich Nietzsche pela L&Pm (2009)
>>> Senhor e servo & outras histórias de Leon Tolstoi pela L&Pm (2009)
>>> Liberando o Fluir do Avivamento de Gregory R. Frizzell pela Imprensa da Fé (2021)
>>> O Ladrão e os Cães de Naguib Mahfuz pela L&pm Pocket (2008)
>>> O Leão da Neve de Richard Jones pela Carochinha (2018)
>>> O Livro da Selva de Rudyard Kipling pela L&pm Pocket (2001)
>>> O Despertar Do Sonho de Luiz Carlos Amorim pela Rosa dos Tempos (2001)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Casa dos Livros (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Ediouro (2006)
>>> O Revólver De Maigret de Georges Simenon pela L&Pm (2009)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia: Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Ediouro (2003)
>>> O Livro do Bem Coisas para Você Fazer e Deixar Seu Dia Mais Feliz de Ariane Freitas; Jessica Grecco pela Gutenberg (2015)
>>> O Amigo De Infância De Maigret de Georges Simenon pela L&Pm (2009)
>>> O Despertar Ante a Obsessão de Públio Carisio de Paula pela Minas Grafica (2003)
>>> O Livro dos Dinossauros 50 Perguntas Com Todas as Respostas de Jo Connor; Moira Butterfield pela Girassol (2012)
>>> O Livro dos Médiuns de Allan Kardec pela Petit (2004)
COLUNAS

Terça-feira, 1/1/2013
A Poesia em Noir de André Luiz Pinto
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 7100 Acessos

"É preciso ter a fé de que nada vai dar certo". Este é um verso de um dos poemas do livro Terno Novo, de André Luiz Pinto, editado este ano pela Editora 7Letras, do Rio de Janeiro. Como no poema "Desígnio", esta negatividade do verso citado aparecerá em vários outros momentos do livro: "Sincero/abrir mão da vida/ ainda que não seja inteligente/ a vitória/ assumir as circunstâncias/ os destroços do dia (...)".

Poesia entrecortada, criada num ir e vir incerto, da dúvida do querer afirmar-se em algum sentido, vai remoendo a si mesma na inconstância de versos dolorosos: "pois agora/ tudo que nos cerca/ silêncio e moinho/ tudo que conta/ náusea e destino (...)".

Entregue ao desalento do "Irreversível", título de outro poema, o poeta só pode indicar uma interrogação final que não temos como responder, já que somos vítimas e culpados ao mesmo tempo no processo civilizatório do mundo:

Arrastado até a secura dos órgãos
das marcas indeléveis do corpo, do mundo cidadão
de onde não há abrigo, essa criança, esse suplício
que reverbera na boca de todos entre o susto e o já esperado
no fim das leis e a visão civilizatória:
do esquife do caixão branco
cadáver de menino
e se o orvalho já não sopra
a culpa
não é nossa?

O título do livro, Terno Novo, parece indicar o momento de alguma comemoração ou festividade. Ironia? No mínimo, pois os poemas não deixam espaço para exaltações alegres e cordiais. Ao contrário, tudo parece estar por um "Triz" - título de um poema também desalentador. Inicia-se com a questão: "A que horas devo sair?/ Ou não devo?" E o que se segue é uma coleção de assertivas negativas, promessa do que já é destroço:

Esse é o dia em que tudo vale
e nada presta, dia em que a vida mesma
não conta, a utopia de uma serpente
o limite máximo entre o cair e o desistir
onde só permanece a dura promessa
a razão mesma desse encontro
um peito viril que geme baixinho
a miséria claustrofóbica em meio
a tanto brilho, só ficando
seguir e procurar
entre os destroços da noite
o que sobrou
de solidão.

Esse desencanto traduz em versos uma espécie de sentimento "noir" do existir. O poema "Arvoredo" destaca esse duro inverno do "ser no mundo": "Sempre que o amor bate a porta/ não sei se importa./ Até logo raiar da manhã/ de onde vejo o duro inverno./ Outras são as cantigas/ outra a prosa./ Até logo minha filha."

Para o poeta, seu terço, sua oração (e verso), é esse guardar "em silêncio/as mazelas do dia", é também sua forma de educação (pela pedra?): "Foi da pior maneira que aprendi/ como se a própria inspiração me cortasse as mãos".

O mais peremptório poema do livro revela o sentido da ars poética de André Luiz Pinto, esse colocar versos e coração sempre na contramão:

Poemas não pedem para nascer.
Deslocam o ponteiro daquilo que funciona.
Cinco dedos são insuficientes
muito menos uma cabeça pra pensar
a fim de que um poema venha a funcionar
ausenta-se de todas as regras
põe o coração na ré
é preciso ter a fé de que nada vai dar certo
para escrevermos
se fosse.

No poema "Terno", a única certeza, como o raiar do dia que sempre retorna, é a culpa de todos frente ao mundo em desordem. Os elementos desse universo são terríveis, contrariando o sonho de um destino maior, diverso do que se apresenta agora: "juventude que morre", "horas frias e sombrias", "violência dos morros", "a mentira estampada nos jornais".

A poesia talvez seja, enfim, a única saída desse mundo, ela sim o crime possível, o próprio terno novo ou o único motivo para usá-lo.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 1/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. It's all about rats de Marcelo Brisac


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2013
01. A Última Ceia de Leonardo da Vinci - 12/2/2013
02. Mondrian: a aventura espiritual da pintura - 22/1/2013
03. Gerald Thomas: arranhando a superfície do fundo - 26/2/2013
04. Cinquenta tons de cinza no mundo real - 3/9/2013
05. O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães - 18/6/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Guia Visual Paris- Turismo
Publifolha
Publifolha
(2010)



Até Nunca Mais por Enquanto
Luis Antonio Giron
N/d
(2004)



Os Degraus de Ipanema
Carlos Leonam
Record
(1997)



Materiais elétricos - volume 1: condutores e semicondutores
Walfredo Schmidt
Edgar Blücher ltda
(1979)



Uma História de Amor
Jill Robinson
Imago
(1977)



Capitalismo e Urbanização
Maria Encarnação B. Sposito
Contexto
(1991)



A Conspiração do Dia do Juízo Final
Sidney Sheldon
Círculo de Leitores
(1992)



A Ilha do Tesouro - Aguiar Macêdo
Robert L. Stevenson - Aguiar Macêdo
Abril Cultural
(1979)



Carreiras da Advocacia Pública - Administrativo
Camila Pintarelli, Cleber Masson
Método
(2011)



15 Anos de História -rede Globo
Varios
Globo
(1984)





busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês