A Poesia em Noir de André Luiz Pinto | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1
>>> A felicidade, segundo Freud
>>> Memória das pornochanchadas
>>> Magia além do Photoshop
>>> Meu Telefunken
>>> Meu Telefunken
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
Mais Recentes
>>> Jogo Duro de Mario Garnero pela Best Seller (1988)
>>> Psicologia do Ajustamento de Maria Lúcia Hannas, Ana Eugênia Ferreira e Marysa Saboya pela Vozes (1988)
>>> Uma Mulher na Escuridão de Charlie Donlea pela Faro (2019)
>>> Pra discutir... e gerar boas conversas por aí de Donizete Soares pela Instituto GENS (2015)
>>> Educomunicação - o que é isto de Donizete Soares pela Projeto Cala-boca já morreu (2015)
>>> Ficções fraternas de Livia Garcia-Roza - organizadora pela Record (2003)
>>> Prisioneiras de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (2017)
>>> O diário de Myriam de Myriam Rawick pela Dark Side Books (2018)
>>> Contos de Rubem Fonseca pela Nova Fronteira (2015)
>>> Notícias - Manual do usuário de Alain de Botton pela Intrínseca (2015)
>>> Um alfabeto para gourmets de MFK Fisher pela Companhia das Letrs (1996)
>>> Os Mitos Celtas de Pedro Paulo G. May pela Angra (2002)
>>> A vida que ninguém vê de Eliane Brum pela Arquipélago Editorial (2006)
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras de Joaquim Ferreira dos Santos - organizador pela Objetiva (2007)
>>> O tigre na sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Elza de Zeca Camargo pela Casa da Palavra (2018)
>>> Sexo no cativeiro de Esther Perel pela Objetiva (2007)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2009)
>>> Coisa de Inglês de Geraldo Tollens Linck pela Nova Fronteira (1986)
>>> As mentiras que os mulheres contam de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2015)
>>> Equilíbrio e Recompensa de Lourenço Prado pela Pensamento
>>> Cadernos de História e Filosofia da Ciência de Fátima R. R. Évora (org.) pela Unicamp (2002)
>>> Revista Internacional de Filosofia de Jairo José da Silva (org.) pela Unicamp (2000)
>>> Dewey um gato entre livros de Vicki Myron pela Globo (2008)
>>> Ilha de calor nas metrópoles de Magda Adelaide Lombardo pela Hucitec (1985)
>>> Sua santidade o Dalai Lama de O mesmo pela Sextante (2000)
>>> Meninas da noite de Gilberto Dimenstein pela Ática (1992)
>>> Paulo de Bruno Seabra pela Três (1973)
>>> Grandes Enigmas da Humanidade de Luiz C. Lisboa e Roberto P. Andrade pela Círculo do livro (1969)
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Jonathan Seagull pela Nórdica (1974)
>>> Os Enigmas da Sobrevivência de Jacques Alexander pela Edições 70 (1972)
>>> Mulheres visíveis, mães invisíveis de Laura Gutman pela Best Seller (2018)
>>> Construir o Homem e o Mundo de Michel Quoist pela Duas cidades (1960)
>>> Vida Positiva de Olavinho Drummond pela Olavinho Drummond (1985)
>>> Força para Viver de Jamie Buckingham pela Arthur S. DeMoss (1987)
>>> Consumidos de David Cronemberg pela Alfaguara (2014)
>>> Viver é a melhor opção de André Trigueiro pela Correio Fraterno (2015)
>>> O Caso da Borboleta Atíria de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1987)
>>> Cânticos de Cecília Meireles pela Moderna (1995)
>>> Caminho a Cristo de Ellen G. White pela Cpb - Casa Publicadora Brasileira (2019)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1986)
>>> Le Divorce de Diane Johnson pela Record (1999)
>>> Trajetória do Silêncio de Maria do Céu Formiga de Oliveira pela Massao Ohno-Roswitha Kempf (1986)
>>> Zezinho, o Dono da Porquinha Preta de Jair Vitória pela Ática (1992)
>>> Aconselhamento Psicológico de Ruth Scheeffer pela Atlas (1981)
>>> Razão e Revolução de Herbert Marcuse pela Paz e Terra (1978)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Círculo do livro (1987)
>>> Somos Todos Inocentes de Zíbia Gasparetto pela Vida&consciência (1997)
>>> Luzia-Homem de Domingos Olímpio pela Escala (1980)
>>> Vida e Obra de Anália Franco de Maria Cândida Silveira Barros pela Copidart (1982)
COLUNAS

Terça-feira, 1/1/2013
A Poesia em Noir de André Luiz Pinto
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 6400 Acessos

"É preciso ter a fé de que nada vai dar certo". Este é um verso de um dos poemas do livro Terno Novo, de André Luiz Pinto, editado este ano pela Editora 7Letras, do Rio de Janeiro. Como no poema "Desígnio", esta negatividade do verso citado aparecerá em vários outros momentos do livro: "Sincero/abrir mão da vida/ ainda que não seja inteligente/ a vitória/ assumir as circunstâncias/ os destroços do dia (...)".

Poesia entrecortada, criada num ir e vir incerto, da dúvida do querer afirmar-se em algum sentido, vai remoendo a si mesma na inconstância de versos dolorosos: "pois agora/ tudo que nos cerca/ silêncio e moinho/ tudo que conta/ náusea e destino (...)".

Entregue ao desalento do "Irreversível", título de outro poema, o poeta só pode indicar uma interrogação final que não temos como responder, já que somos vítimas e culpados ao mesmo tempo no processo civilizatório do mundo:

Arrastado até a secura dos órgãos
das marcas indeléveis do corpo, do mundo cidadão
de onde não há abrigo, essa criança, esse suplício
que reverbera na boca de todos entre o susto e o já esperado
no fim das leis e a visão civilizatória:
do esquife do caixão branco
cadáver de menino
e se o orvalho já não sopra
a culpa
não é nossa?

O título do livro, Terno Novo, parece indicar o momento de alguma comemoração ou festividade. Ironia? No mínimo, pois os poemas não deixam espaço para exaltações alegres e cordiais. Ao contrário, tudo parece estar por um "Triz" - título de um poema também desalentador. Inicia-se com a questão: "A que horas devo sair?/ Ou não devo?" E o que se segue é uma coleção de assertivas negativas, promessa do que já é destroço:

Esse é o dia em que tudo vale
e nada presta, dia em que a vida mesma
não conta, a utopia de uma serpente
o limite máximo entre o cair e o desistir
onde só permanece a dura promessa
a razão mesma desse encontro
um peito viril que geme baixinho
a miséria claustrofóbica em meio
a tanto brilho, só ficando
seguir e procurar
entre os destroços da noite
o que sobrou
de solidão.

Esse desencanto traduz em versos uma espécie de sentimento "noir" do existir. O poema "Arvoredo" destaca esse duro inverno do "ser no mundo": "Sempre que o amor bate a porta/ não sei se importa./ Até logo raiar da manhã/ de onde vejo o duro inverno./ Outras são as cantigas/ outra a prosa./ Até logo minha filha."

Para o poeta, seu terço, sua oração (e verso), é esse guardar "em silêncio/as mazelas do dia", é também sua forma de educação (pela pedra?): "Foi da pior maneira que aprendi/ como se a própria inspiração me cortasse as mãos".

O mais peremptório poema do livro revela o sentido da ars poética de André Luiz Pinto, esse colocar versos e coração sempre na contramão:

Poemas não pedem para nascer.
Deslocam o ponteiro daquilo que funciona.
Cinco dedos são insuficientes
muito menos uma cabeça pra pensar
a fim de que um poema venha a funcionar
ausenta-se de todas as regras
põe o coração na ré
é preciso ter a fé de que nada vai dar certo
para escrevermos
se fosse.

No poema "Terno", a única certeza, como o raiar do dia que sempre retorna, é a culpa de todos frente ao mundo em desordem. Os elementos desse universo são terríveis, contrariando o sonho de um destino maior, diverso do que se apresenta agora: "juventude que morre", "horas frias e sombrias", "violência dos morros", "a mentira estampada nos jornais".

A poesia talvez seja, enfim, a única saída desse mundo, ela sim o crime possível, o próprio terno novo ou o único motivo para usá-lo.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 1/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti
02. O titânico Anselm Kiefer no Centre Pompidou de Jardel Dias Cavalcanti
03. Manauara ou Manauense de Marcela Ortolan
04. Entre livros e Moleskines de Marta Barcellos
05. As vidas de Chico Xavier de Gian Danton


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2013
01. A Última Ceia de Leonardo da Vinci - 12/2/2013
02. Mondrian: a aventura espiritual da pintura - 22/1/2013
03. Gerald Thomas: arranhando a superfície do fundo - 26/2/2013
04. Cinquenta tons de cinza no mundo real - 3/9/2013
05. O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães - 18/6/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SÃO PAULO: O POVO EM MOVIMENTO
PAUL SINGER VINICIUS CALDEIRA BRANT
VOZES - CEBRAP
(1982)
R$ 16,00



O GAÚCHO
JOSÉ DE ALENCAR
ATICA
(1978)
R$ 4,39



THE AMERICAN HERITAGE PICTURE HISTORY OF WORLD WAR II
C. L. SULZBERGER
AMERICAN HERITAGE / BONANZA
(1966)
R$ 95,00



BLUEPRINT TWO - STUDENTS BOOK
BRIAN ABBS / INGRID FREEBAIRN
LONGMAN
(1993)
R$ 9,00



VIVER MELHOR
MARIA TEREZA MALDONADO
SARAIVA
(2012)
R$ 8,00



MULHER E HOMEM - O MITO DA DESIGUALDADE
DULCE WHITAKER
MODERNA
(1990)
R$ 4,00



DUAILIBI DAS CITAÇÕES - AUTOGRAFADO
ROBERTO DUAILIBI
MANDARIM
(2000)
R$ 190,00



GUIA PRÁTICO DE CIÊNCIAS COMO A TERRA FUNCIONA
VÁRIOS AUTORES
GLOBO
(1994)
R$ 4,99



CUPCAKES 2 - A ARTE DE FAZER CUPCAKES
VÁRIOS
LAROUSSE
(2011)
R$ 25,00



SETE FACES DO DESTINO
MARCIA KUPSTAS E OUTROS
MODERNA
(1992)
R$ 8,00





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês