A vida muda no ponto | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sugestão de pauta - Lançamento 'Presenças' de Millo Ribeiro
>>> Projeto 8x Hilda reúne obra teatral de Hilda Hilst em ciclo de leituras online
>>> Afrofuturismo: Lideranças de de Angola, Cabo Verde e Moçambique debatem ecossistemas de inovação
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Do Comércio Com Os Livros
>>> Em Londres, à caça do mito elementar
>>> A poética anárquica de Paulo Leminski
>>> Sem nada para ler
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> 17 de Abril #digestivo10anos
>>> Minutos de sabedoria
>>> Ilhabela
>>> 3 Grandes Escritores Maus
Mais Recentes
>>> O Segredo Azul - Coleção Baleia Bacana de Pedro Bloch pela Ediouro
>>> Ideal Espírita de Francisco Cândido Xavier - Autores Diversos pela Cec (1973)
>>> Fala Sério, Mãe! de Thalita Rebouças pela Rocco (2012)
>>> Um Quero-Quero na Vizinhança de Eduardo Oliveira pela Prazer de Ler (2015)
>>> Gênios da Música de Carlos Iafelice pela Trio (1974)
>>> Nina e a Lamparina - Coleção Sonhos de Ser de Cláudia Nina pela Dsop (2013)
>>> Perspectivas Sociológicas : uma Visão Humanística - Antropologia 1 de Peter L. Berger pela Vozes (1986)
>>> Becky Bloom - Delírios de Consumo na 5ª Avenida de Sophie Kinsella pela Record (2011)
>>> Hq Superman/Batman de Dc pela Panini Comics (2008)
>>> Cascão 282 - Outubro/1997 - Túnel do Terror de Maurício de Sousa pela Globo (1997)
>>> Cascão 332 - Outubro/1999 - Cadê o Floquinho? de Maurício de Sousa pela Globo (1999)
>>> Cascão 319 - Abril/1999 - Casa Na Árvore de Maurício de Sousa pela Globo (1999)
>>> Cascão 399 - Abril/2002 - Setenta E Nove de Maurício de Sousa pela Globo (2002)
>>> As crônicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin pela LeYa (2010)
>>> A Trilogia Millennium: Os homens que não amavam as mulheres de Stieg Larsson pela Companhia das Letras (2011)
>>> A Torre Mal-Assombrada - Salve-se Quem Puder de Susannah Leigh pela Scipione (1998)
>>> Dewey Um gato entre livros de Vicki Myron pela Globo (2021)
>>> Tempos Fraturados de Eric Hobsbawm pela Companhia das Letras (2013)
>>> Entrevista a Distância de Vaclav Havel pela Siciliano (1991)
>>> O Indivíduo Em Formação de Barbara Freitag pela Cortez (1994)
>>> Pequena História do Rio de Janeiro em Cordel de José Guilherme Soares Teles pela Labrador (2017)
>>> Arquivo Teoria e Prática de Marilena Leite Paes pela Fgv (1986)
>>> Ivone a Menina dos Olhos Escuros - Romance Mediúnico de M. Penalva-eunice Serôa da Motta (espíritos) pela Sem Identificação (1981)
>>> Os Guerrilheiros do Contestado de Renato Mocellin pela Do Brasil (1989)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Feb (1975)
>>> Dr. Maluco Versus Robby Schwartz - Goosebumps Horrorland 5 de R. L. Stine pela Fundamento (2010)
>>> A única esperança. Encontre o real sentido da vida de Alejandro Bullón pela Casa Publicadora Brasileira (2013)
>>> Sinais de esperança. Uma leitura surpreendente dos acontecimentos atuais. de Alejandro Bulloón pela Casa Publicadora Brasileira (2008)
>>> A Lenda Do Graal de Emma Jung, Marie-Louise von Franz pela Cultrix (1997)
>>> Minha Vida Antes do Invento na Hora de Lucas Lira pela Outro Planeta (2016)
>>> O Feminino nos contos de fadas de Marie-Louise von Franz pela Vozes (1995)
>>> Guia do Brasil - 1984 de 4 Rodas pela Abril (1984)
>>> A ira dos Anjos de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1988)
>>> Cinco Minutos e O Garatuja de José Alencar pela Clube do Livro (1948)
>>> Iniciação de Elizabeth Haich pela Pensamento
>>> Ação e Reação de Francisco Cândido Xavier - André Luiz pela Feb (1997)
>>> O Fim do Mundo de Camille Flammarion pela Feb (1995)
>>> Bíblia do Torcedor - as Sagradas Escrituras da Seleção de Luís Miguel Pereira pela Prime Books (2014)
>>> Look and Speak - English de José F. Melo pela do Brasil
>>> Elucidações Evangélicas À Luz da Doutrina Espírita de Antônio Luiz Sayão pela Feb (1995)
>>> Cascão 249 - Julho/1996 - A Moeda Dos Piratas de Maurício de Sousa pela Globo (1996)
>>> Em Terra Pisando Estrelas / Vengas Vengas de Magda Von Brixen e Eduardo Villas pela Mauad (1996)
>>> Fios do Destino determinam a Vida Humana de Roselis Von SaSS pela Graal na Terra (1997)
>>> Meninos sem Pátria - Série Vaga-lume de Luiz Puntel pela Ática (2013)
>>> Casa Velha de Machado de Assis pela Clube do Livro (1952)
>>> Minidicionário. Inglês/português- português/inglês de Não informado pela W Kids
>>> Autoliderança e o Gerente Minuto de Ken Blanchard pela Best Seller (2013)
>>> Linha Dágua - Entre Estaleiros e Homens do Mar de Amyr Klink pela Companhia das Letras (2014)
>>> Arte e Manhas da Sedução de Marion V Penteado pela Saraiva (1994)
>>> Gente Tóxica de Bernardo Stamateas pela Thomas Nelson (2009)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/12/2013
A vida muda no ponto
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2700 Acessos


ilustra: Renato Lima

Não vou negar, a despeito de todas as críticas que tenho ouvido e lido, seja nos jornais ou pelos amigos: eu gostei. Gostei e mais ainda, além de ter gostado acho que ficaram muito bonitos, funcionais e belos, sim. Claro que um dia posso mudar de ideia e verificar as inúmeras falhas de um projeto numa cidade destroçada. A cidade muda mesmo, e ainda bem, ainda bem que sim e uma pena que sim, mas que seja para o melhor ao menos, pois do contrário como seria estarmos em lentas carroças nos dias de hoje? (Talvez o trânsito ainda nos dê esta ideia de lentidão tão seguidamente...) Ah, e pensar que pobreza só e que calmaria era a vida rústica dos paulistas nos tempos de vila.

Recebo a notícia da troca de abrigos e pontos de ônibus da cidade com certa alegria; talvez uma alegria infantil de quem ganha um presente novo, inusitado. Ninguém sabe ao certo se embaixo dos abrigos para quem aguarda os ônibus na cidade realmente fica mais quente do que fora deles, mas parece haver um acordo velado e implícito de que tudo há de ser errado nesta cidade, uma má vontade e um sarcasmo cínico por parte dos jornalistas e da população diante de tudo o que possa e há de ser feito. Comodismo, desinformação e os pontos novos já chegam malhados.

Corro para testar estes quadrados de vidro, que aos poucos foram surgindo após serem divulgados seus projetos pela prefeitura. São quatro modelos criados por Guto Índio da Costa: caos estruturado, brutalista, minimalista com ginga e hi-tech. De início, eles são raros, passando por algumas avenidas movimentadas posso entrever entre os vidros dos carros suas estruturas muito claras e envidraçadas. O novo ponto, ou totem, é uma estrutura acobreada com uma simpática fronteira de ônibus pintada em amarelo logo acima. A reclamação de sempre: informações sobre itinerários que, quando constam, são logo vandalizadas.

Mas isso é problema que vem desde os pontos antigos, modelos vários de administrações várias, cada um deles moldado conforme o mal gosto de sua época, meras barras de concreto alinhavadas por um telhadinho ondulante. Mas era bom, sim, num dos mais recentes de seus modelos sentar-se não no banco específico para se sentar, mas em sua estrutura lateral. Ou seja, a população acaba encontrando modos de se adaptar da forma mais confortável, intuitivamente, a um design malfeito. Tenho a sensação de que agora, com este novo projeto requintado de abrigos sendo colocado em prática desde fevereiro deste ano passamos a um novo estágio citadino, deixamos de vez de ser uma vila com ares coloniais...

Ah, as matérias de jornal insistem em depoimentos da população preocupada e parcimoniosa com o patrimônio público, "não dou dois dias para quebrarem este vidro". Ainda não vi o vidro dos abrigos quebrados, antes o vidro de uma propaganda (sim, estes pontos tem espaço para publicidade, e acho que em nada enfeiaram a cidade), mas muitos já riscados. Mas então isso seria motivo para não mudar os pontos nunca, não modernizar a aparência da cidade? O caos aqui se aprofunda plenamente, ainda assim não vamos deixar de pintar as faixas dos carros e as de pedestre nas ruas porque as rodas vão passar por cima delas e aos poucos apagá-las...

Os operários fazem parte dessa paisagem fundante. Quantos deles vemos nas rua; à noite, antes do anúncio da madrugada, um grupo desfaz um antigo ponto, cortando aos poucos as peças; depois, soldando a nova estrutura, pronta a ser dada como coisa nova, inédita e prestes a ser inaugurada pelo primeiro cidadão que lhe apoiar o traseiro. No amanhã já teremos esquecido dos braços e parafusos cerzindo a linha do tempo. No hoje resquícios nominais temos de quanto trabalho braçal de tantas épocas tivemos para soerguer este monumento de vida e morte em que vivemos, que é a cidade grande.

E assim vamos vendo estes operários montando, remotamente, como numa aventura proibida e provisória, os abrigos. Paradoxalmente trabalham como seres invisíveis, o povo sem interesse algum pelo que fazem. Num dos pontos grandes da Paulista, em frente à Casa das Rosas, ainda subsistiam antigos abrigos aos quais já estávamos acostumados. Dia desses: surpresa. Um grande tapume anuncia as obras, há um extenso buraco no chão onde operários de macacão cinza e capacete azul colocam as bases das novas estruturas desta cidade que, afinal, ainda se constrói e prosseguirá sua reconstrução infinitamente.

Então, estou vendo coisa talvez mínima, mas vendo algo ser construído, posto como novidade em meio a este meio que me circunda. Como se pudesse as choças dos paulistas ver sendo erguidas, da palha do barro e do chão ostentar a singela e rude construção e, agora, do metal forjado e do vidro ter como outra casa, outro abrigo. Entro, aliás, em um deles pela primeira vez, sento com certo cuidado e candura no banco de pedra, pedra. Sinto estar lá, estar aqui, agora e na extensão que une a indiada, os brancos e os mamelucos todos e, por dentro daqueles vidros, me invisibilizo.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 19/12/2013


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2013
01. Reflexões de um desempregado - 11/4/2013
02. A Casa de Ramos - 31/1/2013
03. Tempo de nebulosas - 31/10/2013
04. A cidade do improvável - 16/5/2013
05. De tinta e fio é feito o homem - 14/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Filhos Precisam de Pais: a Importância dos Valores Cristãos na Família
Jaime Kemp
Mundo Cristão
(2008)
R$ 5,00



Lei dos Juizados Especiais Cíveis Anotada
Jorge Alberto Quadros de Carvalho Silva
Saraiva
(1999)
R$ 5,00



Renúncia de Lucy Novo
Cleide Muniz
Lake
(1990)
R$ 17,85



The Critical Partnership - Standart of Advertising Agency Selection...
Mack Hanan
American Management Associatio
(1966)
R$ 44,36



Bangu - Bairro Operário, Estação do Futebol e do Samba Cantos do Rio
Roberto Assaf
Relume Dumará
(2001)
R$ 15,00



A Palavra Em Construção
Marilena Moraes e Outros
Hamburg
(1991)
R$ 15,00



Photopoems
Simonetta
T a Queirós
(1981)
R$ 27,56



Revista O cruzeiro - setembro de 1960
Presidente, Amélia Whitaker Gondim de Oliveira
O cruzeiro
(1960)
R$ 65,00



Cultura Pós-Moderna: Introdução às teorias do contemporâneo
Steven Connor
Loyola
(1996)
R$ 15,00



Contabilidade de Custos
Eliseu Martins
Atlas
(1993)
R$ 6,02





busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês