A poeira do outros e o sabor da realidade | Fred Linardi | Digestivo Cultural

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Breve História do Cinismo Ingênuo
>>> Minha cartomante não curte o Facebook
>>> Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os olhos brancos de Deus
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Mais Recentes
>>> Contabilidade de Custos de Osni Moura Ribeiro pela Saraiva (2013)
>>> Cachaça artesanal. Do alambique à mesa de Atenéia Feijó & Engels Maciel pela Senac Nacional (2001)
>>> Pirâmides E Soberanos Do Egito de Sérgio Pereira Couto pela Escala (2015)
>>> O Velho Monge do Castelo de Lauro Trevisan pela Mente (2010)
>>> Dinâmica do Desejo de Frei Carmelo Surian pela Vozes (1982)
>>> Testemunho Sem Medo Como Partilhar sua Fé com Segurança de Bill Bright pela Candeia (1988)
>>> Cachaça. The Authentic Brazilian Drink de Diversos Autores pela Abrabe (2010)
>>> Natal a Humanidade e a Jovialidade de Nosso Deus de Leonardo Boff pela Vozes (2000)
>>> Blitzkrieg 1940 de Ward Rutherford pela Bison (1985)
>>> Cantores do Rádio. A trajetória de Nora Ney e Jorge Goulart e o meio artístico de seu tempo de Alcir Lenharo pela Unicamp (1995)
>>> Titeres y marionetas en alemania de Hans R. Purshke pela Neue Darmstädter Verlagsanstalt Darmstadt (1957)
>>> Aritmética da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Caçadas de Pedrinho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias Diversas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Emilia no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias de tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Saci de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Picapau amarelo de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Os 13 Porquês de Jay Asher pela Ática (2009)
>>> Só o Amor é Real de Brian Weiss pela Sextante (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> O clamor do Mundo de Oswaldo Smith pela Vida (2009)
>>> DVD Coleção Mazzaropi Tristeza do Jeca vol. 3 de Direção, Amácio Mazzaropi / Milton Amaral pela Pam filmes (1961)
>>> A Cinco Passos de Você de Rachael Lippincott pela Alt (2019)
>>> O Poço do Visconde de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Peter Pan de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Memórias da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Minotauro de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> História do Mundo para Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Dom Quixote das Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> As Aventuras de Hans Staden de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A chave do Tamanho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> viagem ao Céu de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Serões de dona Benta de Monteiro Lobato pela Ciranda cultural (2019)
>>> Go Down Together The true Untold story of Bonnie and Clyde de Jeff Guinn pela Simon & Schuster (2009)
>>> Fbi--43--o grande golpe--105--41--67 de Monterrey pela Monterrey
>>> Hh--epopeias de guerra--375--furia e odio--6--160--146--153--158-- 23--141 de Peter kapra pela Monterrey
>>> Rpg--29--anjos e demonios--58--temporada de caça. de Trama pela Trama
>>> Egw--100--call of duty--black ops de Tambor pela Tambor
>>> A Saga dos Cristãos Novos de Joseph Eskenazi Pernidji pela Imago (2005)
>>> Uma Técnica de Viver de Leonard A. Bullen pela Pensamento (1988)
>>> Avaliação de Programas - Concepções e Práticas de Blaine R. Worthen, James R. Sanders e Jody L. Fitzpatrick pela Gente (2004)
>>> Concentração de Mouni Sadhu pela Pensamento (1984)
>>> O Melhor Livro Sobre Nada de Jerry Seinfeld pela Frente (2000)
>>> A República de Platão pela Nova Cultural (2000)
>>> Condenados da Terra de Frantz Fanon pela Edição Popular (1961)
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
COLUNAS

Quinta-feira, 16/1/2014
A poeira do outros e o sabor da realidade
Fred Linardi

+ de 3000 Acessos

Se alguém quiser escrever na grande imprensa usando sua criatividade e autoria, pena um bocado para ser compreendido, principalmente nos veículos mais tradicionais, ou "quadradões". Há dez anos então, essa realidade era ainda mais inflexível. Não sei se Ivan Marsiglia sofreu para convencer no uso de sua criatividade, mas valeu a pena, como se pode ver no livro A poeira dos outros.

É certo que o espaço curto como o de uma década é pouco para grandes transformações, principalmente quando se trata de uma imprensa conservadora e medrosa como a nossa, que normalmente se recusa a ousar nos textos. Mas foi há menos de uma década que o Brasil viu surgir alguns veículos cujos escritos têm a proposta de colorir um pouco o deserto monocromático da objetividade jornalística. Apareceram revistas como a Piauí, a Brasileiros e a Rolling Stone nacional. Também assistimos ao reconhecimento de que textos mais fluidos e que lançam mão de técnicas narrativas são muito bem-vindos, e que podem entreter o leitor sem fugir dos fatos.

Enquanto espaços semelhantes ganhavam algumas revistas, outras delas já comprovavam que escrever com estilo não era uma receita nada ruim. A revista Trip, voltada para um público jovem, já mostrava que reportagens criativas ainda podiam ser feitas com seriedade, e chegavam a dar exemplo de cobertura em muitos veículos tradicionais. A própria Playboy ousava em suas matérias e foi nesta onda de renovação que outras começaram a esboçar alguma inovação.

Foi num contexto de mudança que surgiu o caderno "Aliás", de O Estado de São Paulo, que reservou desde o início sua última página para uma reportagem sobre personagens e acontecimentos marcantes escrita de maneira diferente.

Ivan traçou exatamente esse caminho, conquistando um raro espaço para escrever com o máximo de liberdade possível. A poeira dos outros conta com vinte matérias publicadas nas revistas Trip, Playboy e no caderno "Aliás", veículos nos quais Ivan passou como repórter e em cargos de editor ou chefe de redação. Neste ponto, é evidente que a marca mais forte de sua produção é o estilo que adota para escrever sobre diversos assuntos, assim como a escolha desses temas, que em alguns casos são um tanto originais.

Leitura promissora
Não se pode deixar de perceber que de todos os textos, dezessete foram tirados de O Estado de São Paulo, o que implica em duas conclusões: a primeira delas é que texto bem apurado e bem escrito não depende de espaço físico do papel. E não estamos falando de assuntos rasos ou facilmente esgotáveis. Entre essas matérias, é possível ler sobre uma família que luta para continuar morando numa casa que, de acordo com todas as indicações, era usada para torturas durante o regime militar ("A memória das paredes"); ou então, com a mesma extensão de texto escreve um perfil sobre o cabeleireiro Celso Kamura ("Ele faz a cabeça da Dilma"), ou então de assuntos mais dolorosos, como o excelente texto sobre a da mulher que contraiu HIV do seu segundo marido ("Contaminada pela vida").

A segunda conclusão é o outro gume da faca. Pela limitação de espaço, muitas vezes encerramos a leitura com o pesar de que as reportagens do jornal poderiam ter rendido muito mais. Queremos mais do que a poeira dos outros - queremos os outros por inteiro (se é que é possível). É preciso reconhecer a abertura editorial que o veículo se dispôs a reservar para esses tipos de reportagem, mas é evidente que a limitação ainda é muito grande, ao contrário do que se pode conferir nas matérias vindas de revistas. De qualquer maneira - e por isso mesmo - é notável que o jornalista aproveita bem o espaço destinado para esses textos.

Um dos destaques do livro é "Viagem ao centro da guerra", publicada na revista Trip, contando como é uma noite no pronto-socorro no bairro periférico de Campo Limpo, em São Paulo, com um início que fisga a leitura:

"Eu tô morrendo, eu tô morrendo."

São 20h37 de um domingo de agosto quando um rapaz de camiseta, bermuda amarela de nylon e tênis Mizuno entra no pronto-socorro (PS) do Hospital Municipal do Campo Limpo, na zona sul de São Paulo. Ele tem um tiro no rosto e três perfurações de bala espalhadas pelo corpo. Está consciente e andando com as próprias pernas. "Eu tô morrendo", repete, com a voz empastelada pelo sangue que escorre dos cantos da boca e empapa sua camisa. Na sala de emergência, o residente de cirurgia Rodrigo Rodrigues da Costa está de plantão. Ele mal terminou a faculdade, ainda mora com os pais e completa 29 anos amanhã - mas já tem que salvar uma vida."

E a partir daí estabelece dois mundos, entre o futuro das pessoas atendidas e o futuro do jovem médico naquele ponto em que todos se encontram, entre vítimas, bandidos e polícia num hospital naquela região. É um dos exemplos de matérias com maior espaço editorial e, por isso, que permite um mergulho maior ainda dentro da imersão de Ivan.

Várias vozes
Uma das grandes peculiaridades da escrita de Ivan está nas diferentes vozes que assume. Faz das palavras do personagem as suas próprias, como acontece no perfil de Celso Kamura, onde o jornalista escreve em tons como "Menina, não se fala em outra coisa neste salão. Bafo. Segredo? Nada. Aqui todo o mundo sabe de todo o mundo. Você ainda é cliente nova, mas eu já venho faz sete anos.", absorvendo o dialeto comum de salões de beleza.

E vai ainda além nas matérias cujos protagonistas são a faixa a presidencial ou a uma onça sussuarana encontrada próxima à rodovia no interior de São Paulo. Com um texto leve, assume a voz dos personagens e conta em primeira pessoa como é a vida deles, num estilo que se distancia ao máximo das regras primordiais do jornalismo, mas sem perder a veracidade dos fatos. Essa liberdade não afasta o leitor da verdade, mas abre espaço para voos criativos como:

"No meu sonho, eu corria por campos sem fim, ao lado dos meus amigos preás, capivaras, veados, catetos. Quer dizer, para eles sou mesmo é amigo da onça. Mas era um sonho feliz, sim senhor, que foi virando pesadelo enquanto me carregavam para a clínica do Centro Brasileiro para Conservação de Felinos Neotropicais, da Mata Ciliar, em Jundiaí".

Ao longo dos textos, deparamos como o uso de alguns termos um tanto óbvios, como quando a faixa presidencial reflete sobre como foi cara sua confecção "Mas queriam o quê? Que fosse na faixa?" Ou então o uso do termo "comunidade carente" referindo-se a uma periferia de São Paulo. Afinal, existem comunidades - pobres ou ricas - sem carências? De qualquer maneira, não se trata de alguém com uma visão simplista - acredito que apenas um deslize editorial -, já que o repórter demonstra um olhar sensível para tratar os diversos assuntos.

O que sobra ao leitor é a prova de que, com um pouco mais de esforço e criatividade do que se vê por aí, os veículos poderiam ousar como faz Ivan, sob o desejado sonho que os jornais têm em serem mais lidos - e também por respeito aos seus leitores, pois estes gostam de bons textos e isso tem a ver com originalidade e sabor. E A Poeira dos Outros tem para vários os gostos.

Nota do Editor:
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog Canto dos Livros.


Fred Linardi
São Paulo, 16/1/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Marcel Proust e o tempo reencontrado de Jardel Dias Cavalcanti
02. A Crise da música ― Parte 3/3 de Rafael Fernandes
03. O faroeste não morreu. Está hibernando de Marcelo Miranda
04. Mens sana in corpore sano II de Julio Daio Borges


Mais Fred Linardi
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PARIS: AMERICAN EXPRESS
CHRISTOPHER MCINTOSH
GLOBO
(1992)
R$ 5,00



O SEGREDO DE EMMA CORRIGAN (EDIÇÃO DE BOLSO)
SOPHIE KINSELLA
BESTBOLSO
(2015)
R$ 29,88



ESCRITORES DO BRASIL
APARICIO FERNANDES (ORG.)
FOLHA CARIOCA
(1983)
R$ 6,90



AMOR DE PERDIÇÃO
CAMILO CASTELO BRANCO
KLICK
(1997)
R$ 5,00



BASTIDORES O LIVRO OFICIAL DA SÉRIE ARQUIVO X
BRIAN LOWRY
MERCURYO
(1996)
R$ 24,90



SINAIS DE ESPARANCA UMA LEITURA SUPREENDENTE DOS ACONTECIMENTOS ATUAIS
ALEJANDRO BULLON
CASA PUBLICADORA
(2008)
R$ 5,00



O ENIGMA DO OITO
KATHERINE NEVILLE
BESTSELLER
R$ 26,00



MANUAL DE PROCESSO PENAL BRASILEIRO VOL II
JOSÉ LISBOA DA GAMA MALCHER (CAPA DURA)
FREITAS BASTOS (RJ)
(1980)
R$ 26,82



COVER GUITARRA JOE SATRIANI - 5951
DIVERSOS
COVER GUITARRA
R$ 10,00



ATE QUANDO ?
JACK SIQUEIRA
S D
(1990)
R$ 6,90





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês