90125: o renascimento do Yes | Diogo Salles | Digestivo Cultural

busca | avançada
28797 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Almundo traz até 40% de desconto em seu primeiro Outlet 2019
>>> Ex-Titã Paulo Miklos apresenta seu terceiro álbum no Sesc Belenzinho
>>> Companhia de Teatro Heliópolis coloca em cena as duas faces da justiça em nova montagem
>>> Cunha realiza 2ª edição do Verão na Montanha - Cunha Fest, festival de jazz e blues
>>> Artista ucraniana expõe pela 1a vez no Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
Últimos Posts
>>> Assim eu quero a vida
>>> Um sujeito chamado Benício
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Direções da véspera (Introdução)
>>> O tempo nos ensina - frase
>>> O Cinema onde os fracos não tem vez
>>> Senhor do Corpo e da alma - poema
>>> Fotogenia
>>> É Natal
>>> Canções de amor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Jabá é sempre jabá
>>> Guimarães Rosa: um baiano de sangue
>>> Contra reforma ortográfica
>>> Wilhelm Reich, éter, deus e o diabo (parte I)
>>> O certo e o errado no ensino da Língua Portuguesa
>>> Jane Fonda em biografia definitiva
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Sobre a vida no campo
>>> O óbvio final de Belíssima
>>> Unidade na multiplicidade
Mais Recentes
>>> Curso de Direito Aeronáutico de Luis Ivani de Amorim Araújo pela Forense (1998)
>>> Patologia bucal de William G. Shafer / Maynard K. Hine / Barnet M. Levy pela Mundi (1961)
>>> Dicionário Internacional de Economia e Finanças de Bernard e Colli pela Forense-Universitária (1998)
>>> Tratado de Direito Privado - Tomo 10 de Pontes de Miranda pela BookSeller (2000)
>>> Tratado de Direito Privado - Tomo 22 de Pontes pela BookSeller (2003)
>>> Didático de Enfermagem Teoria e Prática - Volume I de José Jardes da Gama - Sandra Maria da Penha pela Eureka (2017)
>>> Geografia 7º Ano - Espaço e Vivência - Livro do Aluno de Levon Boligian e Outros pela Atual (2016)
>>> The Adventures of Tom Sawayer de Mark Twain pela Sterling (2010)
>>> Ataque do Comando P. Q de Moacyr Scliar pela Ática (2006)
>>> Uma Aventura no Mundo de Tarsila de Mércia M Leitão - Neide Duarte pela Do Brasil (1999)
>>> Educando Filhos Responsáveis de Elizabeth M Ellis pela Ática (1997)
>>> Celebridade de Chris Rojek pela Racco (2008)
>>> O Pagador de Promessas de Dias Gomes pela Ediouro (2006)
>>> Tudo é Poesia - Livro II - 2ª Edição de Ray Lima pela Queima - Bucha (2005)
>>> Os Escravos de Castro Alves pela Cedic
>>> Geografia - Volume Único - Vereda Digital - Livro do Aluno de Bacic Silva Lozano pela Moderna (2012)
>>> Nuevo Listo Parte a - Livro do Aluno de Roberta Amendola pela Santillana (2012)
>>> Jornadas - Português - 6º Ano - Livro do Aluno de Dileta Delmanto - Laiz B de Carvalho pela Saraiva (2016)
>>> Jornadas - Português - 9º Ano - Livro do Aluno de Dileta Delmanto - Laiz B de Carvalho pela Saraiva (2016)
>>> E Agora, Mãe? - 3ª Edição de Isabel Vieira pela Moderna (2018)
>>> É de Morte! de Flávia Savary pela Ftd (2014)
>>> Os Três Mosqueteiros Em Cordel de Klévisson Viana pela Leya (2011)
>>> História 360º - Livro do Aluno de Alfredo Boulos Júnior pela Ftd (2017)
>>> Hyperlink - 2 Edition de Albina Escobar pela Pearson (2014)
>>> Access - Volume 1 - Livro do Aluno de Luiz Otávio Barros pela Richomond (2016)
>>> Davi e a Árvore da Riqueza de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2017)
>>> O Patinho Feio de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2005)
>>> Os Animais do Mundinho de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2007)
>>> Um Mundinho de Paz de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2012)
>>> João e o Pé de Feijão de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2006)
>>> A Riqueza Está Em Toda Parte de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2015)
>>> Dinheiro Nasce Em Árvore? de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2018)
>>> Uma Escada Chamada Vida: Coleção Crescer e Enriquecer de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2018)
>>> A Magia do Lixo - 3ª Edição de Jonar Brasileiro - Kátia Rocha pela Humanidades Educação (2016)
>>> De Olho na Amazônia - 2ª Edição de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2011)
>>> A Receita da Prosperidade de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2017)
>>> Projeto Teláris - História 9º Ano - Livro do Aluno de Gislane Azevedo - Reinaldo Seriacopi pela Ática (2015)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer: um Guia para Toda a Vida de Mara e Outros pela Sextante (2006)
>>> Conexões: George Washington a Compadre Washington de Super Interessante pela Abril (2016)
>>> Super 30 Anos: as Revoluções das Três Últimas Décadas de Abril pela Abril (2017)
>>> Acontecem Há Mais de Cem Anos de Elto Koltz pela Prazer de Ler (2011)
>>> A Bússola e a Balança: por um Mundo Mais Justo de Maria Lúcia de Arruda Aranha pela Moderna (2001)
>>> Sistemas Digitais: Fundamentos e Aplicações - 9ª Edição de Floyd pela Bookman (2007)
>>> Contos de Exemplo de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2014)
>>> Globalização: o Que é Isso, Afinal? 2ª Edição de Cristina Strazzacappa - Valdir Montanari pela Moderna (2006)
>>> Educando Filhos Responsáveis de Elizabeth M Ellis pela Ática (1997)
>>> Noilde Ramalho: uma História de Amor à Educação de Daladier Pessoa Cunha Lima pela Liga de Ensino do Rn (2004)
>>> O Homem Que Se Achava Napo Leão: por uma História Política da Loucura de Laure Murat pela Três Estrelas (2009)
>>> Brincadeiras do Tempo da Vovozinha de Maria das Graças Brandão Soares pela Gracinha (2012)
>>> Almanaque Anos 70: Lembranças e Curiosidades de uma Década Muito Doida de Ana Maria Bahiana pela Ediouro (2006)
COLUNAS

Sexta-feira, 22/11/2013
90125: o renascimento do Yes
Diogo Salles

+ de 2000 Acessos

Exatos trinta anos depois de lançado, 90125 permanece como um marco na história do prog oitentista. Por sua proposta mais acessível, o disco representou uma reviravolta na carreira do Yes e ainda desperta amores e ódios entre fãs e críticos. Enquanto detratores babam de raiva, admiradores o ouvem de joelhos. Mesmo negligenciado nessas listas de discos em voga hoje (até o livro 1001 Discos o ignorou), 90125 é um dos discos mais importantes dos anos 80. Mas a história por trás de sua composição foi tortuosa e seu lançamento aconteceu quase que por acidente. Uma junção de fatores fez o Yes sair de um período de trevas e renascer das cinzas.

No final dos anos 70, tudo parecia acabado para o Yes. E para o prog rock, que foi atropelado por sua própria autoindulgência e pelo movimento punk. Bandas como King Crimson e Emerson Lake & Palmer já estavam virando página virada da história. Para o Yes o fim já vinha se anunciando desde 1978, quando lançaram o desastroso Tormato, que culminou com a saída de Jon Anderson e Rick Wakeman. Mas Chris Squire resolveu chamar Trevor Horn para os vocais e Geoff Downes para os teclados, com a intenção de modernizar o som do Yes. O resultado se tornou o disco Drama (1980), que tinha boas ideias, mas carecia de força. Fim da turnê, fim da linha para o Yes. Foi cada um para o seu canto. Steve Howe e Geoff Downes foram formar o Asia e Trevor Horn voltou a produzir artistas pop. Só sobraram Chris Squire e o baterista Alan White, que não estavam dispostos a entregar as armas e saíram à procura de novos músicos para um novo projeto.

Em 1981, eles se esbarram em Jimmy Page, ainda de ressaca com o fim do Led Zeppelin, e juntam-se para uma jam. Desse ensaio, saem 4 músicas, que podem ser encontradas em bootlegs sob o nome de XYZ (tirado de eX-Yes-&-Zeppelin). Mas o projeto não iria adiante. Depois de lançar o single "Run With The Fox" com White, Squire vai então fuçar os arquivos da Atlantic, em busca de "new acts" (ou um milagre, talvez), até ouvir a fita de um jovem e desconhecido guitarrista sulafricano. Gostou e o convidou para uma jam.

Depois de lançar três discos solo que caíram na obscuridade, Trevor Rabin já tinha várias músicas compostas para um novo disco e foi tentar a sorte em Los Angeles. Ao apresentar "Owner of a Lonely Heart" a um chefão de uma grande gravadora, ele ouve a seguinte resposta: "Embora achemos que sua voz se encaixe no Top 40, não achamos que essa batida é apropriada nesse momento." E assim se seguiu em todas as outras gravadoras em que ele tentou. Depois de uma tentativa frustrada de formar uma banda com Keith Emerson e Jack Bruce, e de quase se juntar ao Asia em 1982, Rabin aceita o convite de Squire para formar uma nova banda, batizada de Cinema. Para encorpar o som do trio, Squire queria um tecladista e lembrou-se de Tony Kaye, que havia saído do Yes em 1971. Agora um quarteto, eles começam os ensaios, com Rabin e Squire dividindo os vocais.

Meses depois, com as músicas quase prontas, Squire, cheio de más intenções, convida Jon Anderson para ir à sua casa. O encontro dos dois acontece na garagem, às escondidas, pois a mulher de Squire não queria o vocalista por perto. Squire coloca a fita no carro. Eles ouvem "Owner of a Lonely Heart", "Leave It" e "Hold On". Anderson fica impressionado e diz que adoraria cantar, mas avisa: "se eu cantar, vai soar como Yes". Squire assentiu, como se dissesse "essa é a ideia". Chegando ao estúdio, Anderson grava duas músicas, ouve algumas outras e sugere mudanças nas letras, dando-lhes mais substância. Trabalha pelas 3 semanas seguintes e logo se torna membro da banda. Aí surge a dúvida: que banda, Cinema ou Yes?

Por algum tempo a questão do nome se torna o assunto central das discussões. Já era sabido que havia pelo menos outras duas bandas chamadas Cinema, que ameaçavam processá-los se usassem o nome [nota: não se sabe se elas processaram uma à outra]. No final, com 4 ex-membros do Yes na banda, eles concluem que seria ridículo não usar o nome. Voto vencido, Rabin concorda, e o Yes está de volta. 90125 (número de série do disco no catálogo da Atlantic) é lançado oficialmente em novembro de 1983 e se torna a consagração para a banda, com o single/clipe de "Owner of a Lonely Heart" no topo das paradas. O álbum vendeu 6 milhões de cópias e atingiu uma marca jamais sonhada por uma banda progressiva. Parafraseando Trevor Rabin, você pode não gostar, mas não pode não ouvir esse disco.

A seguir, o tracklist comentado:

1) Owner of a Lonely Heart - foi esse riff que chamou a atenção de Squire e o fez procurar Rabin para uma jam. Durante as gravações, o produtor Trevor Horn foi enfático: "eu não quero saber do resto das músicas enquanto não acertarmos esta, porque será um hit". É possível perceber a evolução da música ouvindo sua demo, lançada por Rabin no disco 90124.

2) Hold On - com levada mezzo bluesy, mezzo heavy, e sem perder a sofisticação, tornou-se um dos grandes momentos da banda no palco, principalmente pelo solo inspirado de Rabin.

3) It Can Happen - uma das músicas que eles trabalharam quando ainda eram Cinema, antes da chegada de Jon Anderson. Squire canta essa versão inicial e ela só é lançada oficialmente como bônus no box-set YesYears, de 1991. O refrão é o mesmo da versão final, mas nota-se uma grande diferença nos versos e o solo de guitarra também foi retrabalhado.

4) Changes - outra que Rabin já trouxe praticamente pronta ao estúdio e, apesar de Anderson contribuir na letra, os vocais principais continuaram a cargo de Rabin. Se torna um clássico absoluto e um dos melhores momentos de Rabin na banda.

5) Cinema - originalmente intitulada "Time", é fruto das jams feitas quando ainda eram um quarteto. Conta-se que a primeira versão teria mais de 20 minutos de duração, com muitos solos e improvisos. Na versão final, ela continuou instrumental, mas foi editada para 2 minutos - "to fit the 90125 atmosphere", segundo Rabin - e venceu o Grammy de "melhor performance de rock instrumental". Infelizmente, essa versão longa nunca foi lançada e não há nenhum bootleg na praça. Segundo boatos, a fita original dessas jam sessions estaria em poder de Alan White, mas até hoje ninguém o questionou a respeito. O mistério permanece no ar.

6) Leave It - uma música que soa diferente de tudo o que já foi feito, por causa do método pouco ortodoxo usado na gravação. De acordo com Alan White, nesta música eles fizeram tudo ao contrário. Primeiro eles gravaram todos os 27 vocais, depois a bateria e por último adicionaram as guitarras e teclados. É uma música que os vocais são usados como instrumentos e fazem a música se sustentar apenas através deles. Pode-se comprovar isso na versão "a capella" lançada como lado B do single.

7) Our Song - com levada pop e um belo riff de guitarra, acabou sendo ofuscada pelos clássicos e se tornou uma espécie de "lado B" do disco. Foi também a menos tocada na turnê.

8 ) City of Love - com um riff pesado e extremamente simples, causou estranhamento em alguns. Mas a música cresceu e se desenvolveu durante a turnê. Com a adição de solos e improvisos, sugeria um clima de jam e ganhou um verniz mais progger no palco.

9) Hearts - o flerte mais claro com o progressivo. Rabin recorda como ela foi composta: "eu já tinha o refrão e a parte mais pesada, mas faltava algo. Aí Tony Kaye chegou para os ensaios e começou a improvisar o lick que se tornou a introdução da música. Ao ouvir aquilo, gritei na hora 'é isso! Essa é a parte que falta!' ".

Nota do Editor:
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no site Geek Musical.


Diogo Salles
São Paulo, 22/11/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Aula de Português I: texto X gramática de Marcelo Spalding


Mais Diogo Salles
Mais Acessadas de Diogo Salles
01. Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas - 20/9/2007
02. Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B - 22/7/2011
03. Eric Clapton ― envelhecendo como um bluesman - 9/2/2010
04. Solidariedade é ação social - 2/12/2008
05. Millôr Fernandes, o gênio do caos - 17/2/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LITERATURA/POLÍTICA/CULTURA (1994 - 2004)
IZABEL MARGATO, RENATO CORDEIRO GOMES
UFMG
(2008)
R$ 50,00



LE GOLF 365 PARCOURS DANS LE MONDE
ROBERT SIDORSKY
HERMÉ
(2005)
R$ 199,00



LA JUSTICE ET LA VIOLENCE (TEXTES ET DOCUMENTS PHILOSOPHIQUES)
PRÉSENTÉS PAR - ROBERT DERATHÉ
CLASSIQUES HACHETTE
(1958)
R$ 15,00



A MORTE DO DIVINO SÓCRATES
JEAN PAUL MONGIN
MARTINS FONTES
(2012)
R$ 27,96



FILHAS DA DEUSA: AS MULHERES SANTAS NA ÍNDIA DE HOJE - LINDA JOHNSEN (RELIGIÃO/HINDUÍSMO)
LINDA JOHNSEN
NOVA ERA
(2009)
R$ 8,00



MORTE ABJETA
BERNARDO GUIMARÃES & MARIA JUDITH RIBEIRO
M. J. RIBEIRO
(2002)
R$ 19,00



POÇO DOS DESEJOS
ROSEANA MURRAY
MODERNA
(2014)
R$ 35,70



HOMENS SÃO DE MARTE - MULHERES SÃO DE VÊNUS (RELAÇÕES HUMANAS)
JOHN GRAY, PH. D.
ROCCO
(1995)
R$ 5,00



REVISTA BRASILEIRA DE ALERGIA E IMUNOPATOLOGIA VOL 19 Nº 2 MAR/ABRIL
NÃO INFORMADO
S.B.A.I
(1996)
R$ 4,00



CEM ANOS DE SOLIDÃO - GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
RECORD
(2017)
R$ 29,99





busca | avançada
28797 visitas/dia
1,0 milhão/mês