Proust, rugas e colesterol | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
>>> O Segredo do Vovô Coelhão
>>> Separações é Amores II
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
Mais Recentes
>>> A Hora Do Amor de Christopher Palmer pela Artenova (1971)
>>> Moderna Plus - Quimica 1 - Quimica Na Abordagem Do Cotidiano *Parte I* de Tito Canto pela Moderna (2009)
>>> Matemática Ensino Fundamental 9º Ano - Guia Didatico *Para Viver Juntos* de Carlos N C De Oliveira Felipe Fugita pela Sm (2008)
>>> Geografia 6 - Ensino Fundamental - Guia Didático Para Viver Juntos de Fernando Dos Santos Sampaio pela Sm (2014)
>>> Challenge 1 Book B- Reach Out Series - Yes! de Aline Carvalho E Outros pela Nova Aliança (2012)
>>> 2º Estagio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 2º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> Sul da Bahia: Chão de Cacau( Uma Civilização Regional) de Adonias Filho pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Sexo Na Cabeça Como O Cerebro Influencia O Amor, O Desejo e Os Relacionamentos de Kayt Sukel pela Zahar (2013)
>>> Sê Tu Uma Benção No Lar de Bispa Franciléia Oliveira pela Mundial
>>> Nunca Faça A Primeira Oferta de Donald Dell pela Campus (2010)
>>> Maldita Morte Romance de Fernando Royuela pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Info Exame- Guia Do Video de Airton Lopes (Edição) pela Abril (2006)
>>> Chuva de Outono de Barry Eisler pela Rocco (2003)
>>> Balé da Utopia 2ª Edição de Álvaro Caldas pela Garamond (2006)
>>> Querer Poder Conjugar Guia de Conjugação Verbal de Paulo Aragão pela Imprensa Oficial (2001)
>>> O Monge e O Executivo de James C Hunter pela Sextante (2004)
>>> Caderno Pet Engenharia Mecânicavolume 1 de Fabiana Rodrigues Leta E Marcia M Pimenta Velloso pela Uff (2012)
>>> Biossegurança de Ogm-Uma Visão Integrada Vol. 1 de Marco Antonio F Da Costa & Maria De Fátima pela Publit (2009)
>>> Viii Concurso Municipal de Conto - Coletânea de Prêmio Prefeitura De Nitéroi pela Niterói Livros (2010)
>>> Tribunais Superiores Stf e Stj de Daniella F T Carvalho pela Espaço Juridico (2012)
>>> Seleta de Grégorio De Matos pela Pradense (2013)
>>> Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil- Vol 10 Nº2 de João Guilherme Bezerra Alves(Ed) pela Grafica Liceu (2010)
>>> Quem É Vivo Sempre Aparece de Ronaldo Rogerio De Freitas Mourão pela Dp&A (1997)
>>> Processo Penal Para Concursos Vol Ii de Francisco Dirceu Barros pela Elsever (2009)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Plt 169- Sociologia Geral e Jurídica de Sergio Cavalieri Filho Luciano Albino pela Forense (2007)
>>> Pense Jovem-O Mais Bem Guardado Segredo Para A Juventude Eterna de Tim Drake E Chris Middleton pela Ediouro (2009)
>>> Palavras Para A Salvação e A Vida Próspera de Bispo Josivaldo Batista pela Clássica (2012)
>>> Oups: O Mensageiro Do Planeta Coração de Lidia Maria Riba(Ed) pela V&R (2006)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2008)
>>> O Engenhoso Fidalgo - Dom Quixote de La Mancha de Miguel De Cervantes pela Pradense (2008)
>>> O Círculo Mágico de Susanna Tamaro pela Rocco (1999)
>>> Nas Asas Do Pensamentos - Trovas de Julieta Wendhausen De Carvalho Gomes pela Cbag (1989)
>>> Lendas Do Sul de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> História Ensino Médio 3ºano Manual Do Prof de Ser Protagonista pela Sm (2013)
>>> Estatuto Do Desarmamento de Acordo Com A Lei Nº10826/03 de César Dario Mariano Da Silva pela Forense (2005)
>>> Contos Reunidos de Machado De Assis pela Pradense (2008)
>>> Contos Gauchescos de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Bravura Indômita de Charles Portis pela Alfaguara (2011)
>>> Bolinho de Feijão - 10 de Paulo Mendes Campos pela O Dia (1998)
>>> Antologia Poética de Fernando Pessoa pela Pradense (2014)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
COLUNAS >>> Especial Idade

Quarta-feira, 9/4/2014
Proust, rugas e colesterol
Wellington Machado

+ de 3600 Acessos

Em certas horas de marasmo cultural, penso que eu poderia ter nascido no ano de 1955, por aí. Fosse assim, teria acompanhado na adolescência a melhor fase dos Beatles, os movimentos de contracultura, o movimento estudantil na França de 1968, Woodstock, Bob Dylan. Certamente teria sido hippie, cabeludo, numa comunidade alternativa vegetariana. Sempre achava que eram uns sortudos, os que acompanharam a efervescência cultural, as mudanças e conquistas sociais ocorridas neste período. Por outro lado, eu teria vivenciado o pior da ditadura militar no Brasil. Certamente teria sido preso, levado umas pauladas e, com muita sorte, sobreviveria para contar alguma história. Melhor não. Mas eu bati na trave na aproximação com esse período negro. Calhou de eu nascer no fim do ano de 1968, ali, pertinho do fatídico AI-5. Cheguei por aqui em péssima hora.

Isso quer dizer que eu já passei dos 40 anos - e já avisto os 50 se delineando em minhas retinas. Passar dos 40, para mim - ao contrário dos traumas simbólicos estigmatizados pela nossa cultura -, não foi nada além do que uma simples transposição do ponteiro de segundos de 23:59:59 para 0:00:01, no relógio de parede do meu quarto. A lenda de que "a vida começa aos 40" é uma falácia. A vida começa mesmo, creio, quando nascemos - e é quando começa a contagem regressiva para a morte, com interstícios de 70, 80, 90 anos, se a sorte andar ao lado.

Mas a morte não existe para nós; ela existe apenas para os outros. Como dizia Saramago, "se estou vivo, sou; se morto, não sou mais". Pode parecer excesso de otimismo, mas no que menos penso é na morte - hoje. Isso tem a ver com Proust, Joyce, colesterol, rugas e manchas. Explico.

Sobre colesterol e manchas
O colesterol mudou minha vida. "Colesterol" é modo de falar. As minhas taxas de colesterol, aos 35 anos, estavam uma bagunça. Eu estava fazendo tudo errado, na alimentação e no sedentarismo. Quando o médico me falou dos exames, tive a primeira sensação de que eu começava o processo de morrer. E eu não tinha lido Proust (Em busca do tempo perdido) ou Joyce (Ulisses) ainda.

"Essas manchas na sua mão são da idade; não saem mais. Quanto às rugas, o que temos a fazer é tentar amenizá-las", disse-me a dermatologista de 20 anos, sem que eu lhe perguntasse absolutamente nada. O engraçado de passar dos 40 anos é perceber a visão que os mais novos têm da gente. É comum ouvirmos algo como "ele 'já' tem 40 anos", como se a distância entre o referente e o referido fosse abissal. Lembrei de uma frase interessante (acho que do Veríssimo), que diz que a gente percebe que está ficando velho quando começa a ganhar meias de aniversário. Ainda não cheguei a este ponto, mas é interessante ver as pessoas me chamarem de "moço", palavra que curiosamente ganhou um sentido inverso da sua semântica.

Tentando prolongar um pouco a minha passagem pela Terra, comecei a comer salada e a andar cerca quatro quilômetros por dia, na esperança de encarar os sete volumes de Proust e, "por fim", me debruçar no tijolo indigesto (para muitos) do Joyce. Fiz, então, um projeto: viver até os 70 anos - se o destino não avacalhar com a brincadeira (o que vier além disto, estarei lucrando). Fui, portanto, caminhando, caminhando... cada vez mais rápido. De tanto caminhar, passei a correr. E não mais quatro quilômetros. Viciei. Passei pra cinco, seis, até chegar a sete quilômetros. Passei dos 38, colesterol ok, salada, bicicleta, corrida. Passei dos 40, sete quilômetros, corridas, saladas. Tudo se intensificou no mesmo ritmo: leituras, filmes, museus etc. Tudo ganhou ritmo de corrida: questões existenciais, reflexões sobre relacionamentos, filhos, longevidade. Menos Proust e Joyce, que me aguardam na estante.

O indivíduo no mosaico
Não existe vida estável. De repente, um homem se vê sozinho depois dos 40. Ela, para um lado; ele, para outro. Sem filhos - de certa forma até melhor. Não mais filhos agora, já passou da idade, pensa. Na verdade nunca soube ao certo se os queria. Pensa, lê, pensa, ouve. O amor acaba - em alguns casos; noutros é eterno. Pensa. Ouve. [Você não vai se casar novamente?] O que queremos nós, contemporâneos: estarmos juntos querendo ficar sós; ou estarmos sós querendo ficar juntos? Pensa, lê, dorme. Trabalho, chateação, supermercado, corrida, museus, saladas. Colesterol ok. Pensa. Vê. Andar a pé, não de carro. [Você não vai ter filhos? Vai se arrepender quando ficar mais velho...] Vai de metrô. Ouve. Traçar mapas imaginários, desenhá-los e percorrer ruas. Beber água.

A vida é um mosaico. Salada com bastantes folhas verdes. Fibras facilitam a digestão e eliminam impurezas. Lê. Pensa. Cenoura é bom para a pele, retarda as manchas e as rugas ampliadas na lupa da dermatologista de 20 anos. Tomar água. [Como é que você consegue viver sozinho?...] Colesterol ok. Sete quilômetros de madrugada. A vida contemporânea é solitária; diferente de solidão - diz um psicólogo famoso no jornal. Vida pocket, agilidade, mobilidade. A arte (estética) é a mais alta forma de sublimação humana. Vida "vivida" é um somatório de sensações. Sensações são como carimbos. "Carimbar" a vida de experiências. Todo janeiro: ler Proust e Joyce, anota na agenda.

Vida portátil. Mosaico. "Carimbar a vida": Kafka, Borges, Bach; um jantar com duas amigas, bate-papo no skype com um amigo distante. Miles Davis, Tarantino. Beber água irriga as células, aumentando a longevidade - para se chegar aos 70 anos. [Você não vai voltar para a sua ex? Tem se encontrado com ela?] Pesquisa aponta que os relacionamentos em que as pessoas vivem em casas separadas têm mais chance de serem bem-sucedidos. Pensa, lê. Cada um faz seu supermercado. [O que você acha da solidão?] Cada um tem seu carro. Ele corre; ela dorme. Os dois comem salada em suas casas. Eles se encontram no cinema. Dormem juntos. Mosaico. Lê. Ela viaja a negócios. Trânsito caótico. Separação, "solidão contemporânea". Lê no jornal que cresce o número de relacionamentos abertos, onde é comum a troca de parceiros dentro de um grupo fechado. Colesterol ok. [Você tem filhos?] Proust e Joyce na estante.

Solidão lúdica
Existe um consenso de que, após os 40 anos, a gente fica mais seletivo. Concordo com a tese, mas a encaro de outro ângulo. Sinto que passei a ter uma relação diferente com o tempo, uma necessidade de otimizá-lo em meio a esse mosaico que se nos apresenta. Para tanto, fiz da minha vida a mais minimalista possível: descartei e doei os excessos. Vida portátil, na sua essência.

Para dar conta dos meus "carimbos", tomei algumas medidas. A primeira decisão foi não acompanhar mais política. Passo batido nos jornais, sites e no noticiário na TV. É pura perda de tempo: os personagens são os mesmos, as práticas seculares não mudam. Abandonar essa corja me proporcionou um ganho de pelo menos uma hora por dia para, por exemplo, ler um clássico da literatura. Não me interesso mais. Voto nulo. Aliás, voto no voto facultativo.

A minha segunda decisão foi abandonar as redes sociais. Estava perdendo uma, duas horas por dia lendo muitas coisas que não me acrescentavam muito. A opção de ficar desconectado me isolou um pouco. Mas acho difícil ler Proust se estou perdendo duas horas lendo fragmentos nas redes sociais.

Woody Allen, numa das últimas cenas do filme Manhattan, aponta algumas coisas pelas quais vale a pena viver. Ele cita Groucho Marx, Luis Armstrong, Flaubert, Marlon Brando, Cézanne. É meio por aí. O tempo escoa pelos dedos como no relógio de Dalí. A vida após os 40, 50, 60 anos é exatamente o que se faz dela - e não o que ela nos apresenta. O mesmo Woody Allen, aos 79 anos, diz que trabalha (arduamente) para enganar a morte. Proust e Joyce ainda estão lá, dormindo na minha estante. Mas são projetos. Tratar a vida com uma pitada lúdica me fez acompanhar a transposição do ponteiro do relógio para os meus 40 anos de forma asséptica. Uma coisa eu posso afirmar: desconheço o tédio. Colesterol ok.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 9/4/2014


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2014
01. Marcador de página inteligente - 3/9/2014
02. Gullar X Nunos Ramos: o dilema da arte - 6/8/2014
03. Ninfomaníaca: um ensaio sob forma de cinema - 12/2/2014
04. Proust, rugas e colesterol - 9/4/2014
05. O luto e o luto de Valter Hugo Mãe - 2/7/2014


Mais Especial Idade
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




WOLVERINE Nº 92 - OUTUBRO / 99 - MAVERICK - UM RIVAL À ALTURA!
MARVEL COMICS
ABRIL
(1999)
R$ 7,00



AVENTURAS HISTÓRIA MAÇONARIA - 4125
DIVERSOS
ABRIL
(2008)
R$ 10,00



EVIDÊNCIAS DA VIDA APÓS A MORTE
JEFFREY LONG, PAUL PERRY
LAROUSSE
(2010)
R$ 28,00



AGOSTO NO CAIRO 1956
URBANO TAVARES RODRIGUES
INSTITUTO CAMÕES
(1999)
R$ 18,70



O MODELO DE MEDO E RAIVA - 6312
DIOGO LARA
REVOLUÇAO DE IDEIAS
(2006)
R$ 12,00



CURSOS MONOGRAFICOS: VOLUMEN III
ACADEMIA INTERAMERICANA DE DERECHO
LA HABANA
(1953)
R$ 25,00



A VIDA SECRETA DE JONAS
LUIZ GALDINO
ATICA
(1989)
R$ 7,00



MANUAL DE CIÊNCIA DAS FINANÇAS
ALBERTO DEODATO
SARAIVA
(1984)
R$ 49,90
+ frete grátis



CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
RITA DE CASSIA BARBOSA
LITERATURA COMENTADA
(1980)
R$ 19,90
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO COMERCIAL VOL 2
RUBENS REQUIÃO
SARAIVA
(1995)
R$ 35,91
+ frete grátis





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês