Nhô Guimarães | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Waldstein por Andsnes
>>> Festival de Inverno Ouro Preto
>>> Para gostar de ler
>>> Dos livros que li
>>> O legado de Graciliano Ramos
>>> Mané, Mané
>>> Ele é o Rei
>>> Corpos
>>> Dialogando com o público leitor
>>> O fim do futebol-arte?
Mais Recentes
>>> Textos Escolhidos de Condillac pela Abril Cultural (1979)
>>> Abragencia Dos Voos Poeticos De Avoante Do Cariri de Roberto Boaventura Da Silva pela Edufmt (2014)
>>> Sobre o infinito o universo e os mundos de Giordano Bruno pela Abril Cultural (1978)
>>> Dominando As Técnicas De Ensino de Joseph Lowman pela Atlas (2004)
>>> Curso de filosofia positiva de Auguste Comte pela Abril Cultural (1978)
>>> Investigações filosóficas de Ludwig Wittgenstein pela Abril Cultural (1979)
>>> Seu Madruga - Vila e Obra de Pablo Kaschner pela Mirabolante (2010)
>>> Mar Morto de Jorge Amado pela Círculo do Livro (1988)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros: Estática de Ferdinand P. Beer; E. Russell Johnston Jr. pela Makron Books (1991)
>>> Marketing Global de Charles David Forte pela Copidart (2004)
>>> Escritos Políticos de Thomas Jefferson pela Abril Cultural (1979)
>>> O Que Todo Cidadão Precisa Saber Sobre Ideologia de Ciro Marcondes Filho pela Global (1985)
>>> Feng Shui Harmonia Dos Espacos de Nancy Santopietro pela Nova Era (2004)
>>> Não Sou Este Tipo De Garota de Siobhan Vivian pela Novo Conceito (2011)
>>> Guia da Vida do Yin-Yang no Universo 1 de Toru Lida pela Yacon (2002)
>>> Manual dos Escoteiros Mirins de Abril pela Abril (2016)
>>> Ocultismo Prático de H. P. Blavatsky pela Pensamento
>>> A Yoga da Disciplina de Swami Chidvilasananda pela Sem (2001)
>>> 20 Lições Essenciais Para Ganhar no Mercado de Ações de Vários Autores pela Saraiva (2007)
>>> Sete Contos De Fúria de António Bracinha Vieira pela Globo (2002)
>>> Tocaia de Amil Alves pela Do autor (1979)
>>> Yoga Prático Yoga Sádhana de Pedro Kupfer pela Sem (2000)
>>> Feng Shui Para Mudar a sua Vida de Nancilee Wydra pela Pensamento (2010)
>>> Arquivo Pessoal de Nelson de Senna de Nelson Coelho de Senna pela Apcbh (2000)
>>> Duluth de Gore Vidal pela Rocco (1987)
COLUNAS

Sexta-feira, 26/1/2007
Nhô Guimarães
Rafael Rodrigues
+ de 8500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

" - Nhô Guimarães, um homem de seu quilate não morre... (...) - Fica encantado!"

Concebido como forma de homenagear os 50 anos de publicação de Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, Nhô Guimarães (Bertrand Brasil, 2006, 176 págs., com ilustrações de Juraci Dórea) é um romance completo e independente, pois transcende a homenagem e ganha vida própria.

Nhô Guimarães conta a história de uma personagem que é uma contadora de histórias. Uma mulher simples, do interior, que conta as histórias que viveu - ou ouviu de alguém - para quem levantar as orelhas e fazer silêncio para ouvir.

Ela, uma octogenária muito astuta e vivida, se define: "O senhor veja: estou na casa dos oitenta. Nessa idade, vou vivendo, sem passar precisão. Nas terras ao redor, pouquinhas, porém dadivosas, planto e colho de um tudo o pouco que preciso para o meu sustento. (...) O senhor veja: sou uma velha arrumada, vivo em paz no meu sossego. Sei me cuidar."

Tudo começa quando, confundido com um certo Nhô Guimarães, o tal "senhor" pára para ouvir as histórias da tão hospitaleira e animada octogenária.

" - Nhô Guimarães, o senhor por aqui? Há quanto tempo! Ah, não. Nsh, nsh! Não é ele, não. Mas, quem é o senhor? Apeie, chegue à frente, a casa é nossa. Entre, que lhe dou uns goles de água fresca. (...) Estes caminhos andam numa poeira danada, essa secura, sem chuvas. Isto é o sertão."

E ele ouve. Várias histórias. Algumas tristes, como "A vingança de Nenzinho". Nenzinho, quando "nem homem feito era ainda", foi humilhado publicamente por Zé de Zabé, que o fez beijar o chão e "a dizer de si mesmo tudo coisa quanto não prestasse". Anos depois, Nenzinho, já homem feito e forte, e Zé de Zabé, já casado e com filhos, tiveram seu acerto de contas. Nenzinho nem precisou fazer nada. Tudo o que fez foi assistir a agonia de Zé de Zabé, que depois desse trágico dia, ficou sozinho no mundo. Outras redentoras, como "Um pai desnaturado", que poderia se chamar "O pai pródigo". Nela, um pai rejeita o filho recém-nascido e a mãe cria o menino sozinha. Com o passar dos anos o menino, já homem, prospera nos negócios. Já o pai desnaturado, vai à ruína. Certo dia, o velho, já nas ruas, apelando para a mendicância, tromba com o filho e, sentindo-se humilhado, lhe pede perdão. O rapaz, que poderia vingar-se do pai naquele momento, opta pelo bom-samaritanismo. Perdoa o pai e o acolhe em seu lar.

Há também histórias de amor, mas a maior delas é mesmo a da personagem com Manu, Manuel Adeodato, seu marido falecido, que ela cita várias vezes, e que era amigo de Nhô Guimarães. Com Manu, como ela carinhosamente se refere ao marido, ela teve um filho, que mudou-se para a cidade ainda jovem e depois de algum tempo não mais mandou notícias.

O romance é dividido em 36 capítulos e, apesar de haver um "causo" em cada um deles (a exceção do primeiro e último capítulos), há uma ligação entre todos. Essa liga, esse laço, é justamente a amizade da personagem e do seu falecido marido com Nhô Guimarães e a esperança que ela tem de ainda poder encontrar, ao menos uma última vez, com Nhô Guimarães e com o filho que se perdera na cidade.

Um dos grandes êxitos de Aleilton Fonseca - que não é nenhum novato em nossa literatura, muito pelo contrário; Aleilton é doutor em literatura pela USP, professor de literatura da UEFS e tem vários livros de poesias e contos publicados - com o seu Nhô Guimarães talvez seja o de conseguir colocar, sutilmente, nas histórias da octogenária, algumas críticas à nossa realidade.

"Todo mês vou à cidade. Retiro meu dinheiro na Caixa. Ah, eu sou aposentada, o senhor sabe? O valor é uma sem-vergonhice de tão pouco, a gente precisa exigir mais respeito."

E mais:

"Eu, o que queria mesmo, um dia desses, era ser candidata. Isso se tivesse idade menos. Mas qual, estou de pilhéria com o senhor! Até hoje voto, escolho, recomendo. O tempo que passa só traz melhoras. Com paciência e trabalho as coisas mudam. Mesmo devagar, vai tudo de mudança. Nhô Pompilo mandava e desmandava nestas bandas, desde rapaz até a velhice. Os filhos dele mandavam menos. Os netos não mandam mais."

Nhô Guimarães é, ao mesmo tempo, uma coleção de histórias e um romance, que tem sua verdadeira história aos poucos desfiada, sob as histórias contadas pela octogenária. Uma verdadeira aula de como se escrever uma boa história (o romance) e de como se escrever várias boas histórias (os "causos" que compõem o romance). E a personagem dá a dica:

"Quem proseia precisa imaginar, palavrear, distrair o parceiro. Isso é certo, as novidades boas e compridas. A verdade é só um começo. O melhor mesmo da história é o capricho da prosa." Capricho esse que Aleilton tem de sobra. Fiz a leitura de Nhô Guimarães com tanto gosto que perdia a noção das horas. E mesmo que estivesse com o horário apertado, sempre pensava "vou ler só mais um 'causo' e já vou".

Ah, e pra terminar: o "senhor" que ouve calado e atentamente as histórias da personagem, tem sua identidade mantida em segredo até o fim do livro, quando o leitor decide finalmente quem ele é, as lágrimas rolam e a "história acaba e começa".

Para ir além






Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 26/1/2007

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A geração que salvou Hollywood de Gian Danton
02. WikiLeaks, o melhor de 2010 de Vicente Escudero
03. Mulher no comando do país! E agora? de Débora Carvalho
04. Digestivo Cultural: 10 anos de autenticidade de Wellington Machado
05. O romance policial e picaresco de Denis Johnson de Luiz Rebinski Junior


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2007
01. O óbvio ululante, de Nelson Rodrigues - 2/11/2007
02. O nome da morte - 16/2/2007
03. História dos Estados Unidos - 29/6/2007
04. Os dois lados da cerca - 7/12/2007
05. O homem que não gostava de beijos - 9/3/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/1/2007
09h52min
Rafael, fiquei comovida só de ler seu texto. Sou uma compradora compulsiva de livros, embora não tenha tempo para lê-los todos. Com certeza, vou comprar Nhô Guimarães. É muito bom ler bons textos. Obrigada.
[Leia outros Comentários de Carla Borges]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Você Pode Mais!
Marcos Scaldelai
Gente
(2015)



Camões- Revista de letas e culturas Lusófonas- Nº 14
Timor Lorosa'e
Instituto Camões



Livro Literatura Brasileira Tutaméia Engenho e Arte Debates 223
Vera Novis
Perspectiva
(1989)



Livro Biografia Perfis Brasileiros Leila Diniz
Joaquim Ferreira dos Santos
Companhia das Letras
(2008)



De Repente Nas Profundezas do Bosque
Amós Oz
Companhia das Letras
(2007)



O principio esquecido 2
Antonio maria baggio
Cidade nova
(2009)



Scorecard Para Performance Total
Hubert Rampersad
Elsevier
(2004)



O poder dos chakras
O poder dos chakras
Martin Claret



Livro Infantil Infanto Juvenis Biblioteca Maravilhosa Infantil Volume 1
Varios Autores
Age



Alice no País das Maravilhas
Lewis Carroll
Ática
(2014)





busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês