Shadow of the Vampire | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Oscar 2001

Domingo, 25/3/2001
Shadow of the Vampire
Daniela Sandler

+ de 3500 Acessos

"O filme de terror mais realista já feito até então." A frase se refere a Nosferatu (1922), do diretor alemão Friedrich Murnau e baseado no romance Drácula, do inglês Bram Stoker. Bem podia remeter a Shadow of the Vampire (A sombra do vampiro, E. Elias Merhige, 2000), a reconstituição da filmagem de Nosferatu em que a sentença é proferida.

O toque de mestre do filme, que concorre a dois Oscar (ator coadjuvante, para Willem Dafoe, e maquiagem), é caracterizar Max Schreck, ator que se tornou mítico por sua interpretação do vampiro em Nosferatu, como um vampiro de verdade. Parece simples, quase infantil - mas o filme desenvolve a premissa com incrível complexidade.

Shadow of the Vampire multiplica ao infinito o "filme dentro do filme" - recurso conhecido como mise-en-abime, em que uma imagem é refletida ou contida por si mesma indefinidamente. Por exemplo, quando uma televisão mostra em sua tela uma idêntica televisão que mostra em sua tela uma idêntica televisão que mostra em sua tela uma idêntica televisão…

Assim, em Shadow of the Vampire, Max Schreck não é um ator que interpreta um vampiro - mas, nas palavras do Murnau fictício, um vampiro que interpreta um ator interpretando um vampiro. O filme revê não apenas a produção de Nosferatu, mas reflete sobre a história e a produção do próprio cinema.

Na cena inicial, vemos Murnau (John Malkovich) dirigindo a atriz principal, que, em Nosferatu, é objeto da obsessão do Conde Orlok, o vampiro. A atriz reclama dos sacrifícios que tem de fazer para atuar com Murnau. A tela enquadra uma câmera - a lente negra e opaca da filmadora com a qual Murnau registrava a cena. "Pense no que estou lhe dando em troca, Greta", diz Murnau. "A imortalidade." A gravação em celulóide, para a posteridade, vai durar mais que a vida dos atores, vai amplificar suas imagens para além do tamanho limitado e da presença física de seus corpos.

Obviamente, a imortalidade é também a promessa do vampiro. O sacrifício da "encarnação" humana, da luz do dia, do reflexo no espelho, em troca da existência eterna, mas fantasmática.

O filme brinca com estereótipos do "mundo do cinema". A atriz principal é bela, glamourosa e viciada em morfina. O diretor, além de drogado, passa as noites em cabarés. Nesse clima de vidas desregradas, em que se troca o dia pela noite e os comportamentos excêntricos são tolerados em nome do talento, as esquisitices do vampiro não destoam. O fato de Schreck aparecer à equipe de filmagem somente fantasiado de vampiro, e exigir ser chamado de Conde Orlok, é visto como um "peculiar método de interpretação" de admiráveis resultados. Quando o vampiro/ator/vampiro morde e chupa o sangue de um pássaro na frente do produtor e do roteirista, que estão bêbados, o ato é recebido com risadas e deleite.

Mas, se a fantasia do filme é sedutora, seu realismo é trágico. O vampiro começa a matar os integrantes da equipe. Para filmar sua obra-prima, Murnau vende a alma. As cenas de terror que capta são verossímeis porque são reais: o pavor nos olhos dos atores, a mordida do vampiro, a morte em frente à câmera. Dificil não pensar nos legendários "snuff films", em que atores são estuprados e assassinados no set de filmagem para produzir fitas hiper-realistas vendidas no mercado negro. Shadow of the Vampire coloca todos nós, espectadores de fitas "inocentes", na posição do voyeur sádico...

A ilusão de realidade da câmera distingue o cinema do teatro - neste, convenção e artificialismo fazem parte do "contrato" entre platéia e artistas. O cinema dilui a fronteira entre arte e vida real, não só por causa do naturalismo da imagem filmada, mas também por dar aparência real a fantasias.

E não é isso que Shadow of the Vampire faz, apresentando Max Schreck como um vampiro de verdade? Mas o faz cinicamente, já que nós, espectadores do século 21, sabemos "muito bem" que vampiros não existem.

Mas esse não é o caminho do filme. Sua conclusão é uma pergunta angustiada: o que é preciso para filmar uma obra-prima? De quem é o mérito? Schreck seria um ator talentoso, ou todo o poder de sua interpretação viria do fato de ele ser um vampiro? Murnau seria um diretor genial, ou todo o seu gênio estaria em ter encontrado um vampiro de verdade e ter tido a coragem (ou a loucura) de filmá-lo?

Quem parece fazer todo o trabalho é a câmera - o desencarnado olho negro e opaco, desumano, capaz de capturar o "real" à sua frente, capaz de captar até mesmo a imagem do vampiro (que não aparece em espelhos).

Mas, de novo, como no mise-en-abime, essa não é a conclusão final. Afinal, Shadow of the Vampire - o filme - é uma obra cuidadosamente composta, em que as marcas da criação, do talento e do trabalho do diretor, do roteirista e dos atores estão em todo lugar: as interpretações brilhantes de Dafoe e de Malkovich, a inteligência do roteiro, a sutileza e precisão das imagens.

Nao é apenas a Nosferatu que Shadow of the Vampire se refere - em que pese a rica história do filme, refilmado com o mesmo título por Werner Herzog em 1978 (com um ator igualmente mítico, Klaus Kinski). A sombra do vampiro está em todos os filmes, em todo o cinema. A imagem projetada na tela consiste na luz atravessando o celulóide: a luz projetando as sombras da película. (Não seria o teatro de sombras um ancestral do cinema?) Acendam-se as luzes e, como o vampiro exposto à luz do sol, a imagem se desfaz, desaparece. Quem assistir a Shadow of the Vampire entenderá...


Daniela Sandler
Rochester, 25/3/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O fim do PT de Julio Daio Borges
02. Cultura-Espuma, Hofdware e Outras Questões de Luis Dolhnikoff


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2001
01. O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece - 8/8/2001
02. Quiche e Thanksgiving - 21/11/2001
03. A língua da comida - 29/5/2001
04. Mas isso é arte??? - 29/8/2001
05. Notícias do fim-do-mundo - 24/10/2001


Mais Especial Oscar 2001
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL DE INTRODUÇÃO À ECONOMIA
JEFFERSON MARIANO
PAPIRUS
(2002)
R$ 11,00



ADMINISTRANDO A INFORMÁTICA
PAULO ROBERTO RODRIGUES
PIONEIRA
(1989)
R$ 15,00



A FESTA
CHRISTIANE GRIBEL
PLANETA
(2004)
R$ 10,00



DEPOIMENTOS
ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE PROPAGANDA
APP
(1985)
R$ 20,00



PEREGRINO DO TEMPO
EDUARDO PIOCCHI
MERCURYO
(1992)
R$ 10,00



CORA DO MEU CORAÇÃO
MÔNICA AGUIEIRAS CORTAT
EME
(2012)
R$ 23,00



CONTRÔLE DE QUALIDADE - 1 METROLOGIA
PANAMBRA
PANAMBRA S. A.
(1961)
R$ 50,00



CONTOS BUDISTAS
SHERAB CHODZIN
MARTINS FONTES
(2003)
R$ 46,00



ATTRACTION UNIVERSELLE ET RELIGION NATURELLE CHEZ QUELQUES...
HELENE METZGER FEDERICO ENRIQUES ORG.
HERMAN & CIE
(1938)
R$ 75,00



MEMORIAL DO PRESENTE
AUGUSTO MARZAGÃO
NOVA FRONTEIRA
(1994)
R$ 6,47





busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês