As ruas não estão pintadas. E daí? | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Plágio
>>> O filho eterno e seus prêmios literários
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> Espírito de porco
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nine Eleven
>>> E a bomba caiu!
Mais Recentes
>>> Viagem ao Centro do Computador de Edith Modesto pela Ática (2000)
>>> A Rosa de Sarajevo de Margaret Mazzantini pela Companhia das Letras (2011)
>>> Um Pedaço de TI de Patricia Bittencourt pela Ledriprint (2017)
>>> Bala XXI - Casos, Crônicas, Piadas e Contos de Augusto José Vieira Neto pela Mandamentos (2000)
>>> Filhos Especiais Para Pessoas Especiais - O Milagre do Dia-a-dia de Neusa Maria pela Paulinas (2010)
>>> Pensées Étranglées de E. M. Cioran pela Gallimard (2014)
>>> Le Voyageur et son Ombre de F. NNietzsche pela Denoel (1979)
>>> Colder than Ice de David Patneaude pela Albert Whitman & Company (2003)
>>> Misericordiae Vultus / O Rosto da Misericórdia de Papa Francisco pela Paulinas (2015)
>>> Manual do Agricultor Brasileiro de Carlos Augusto Taunay pela Companhia das Letras (2001)
>>> O Ingenuo de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> O Evangelho Segundo O Espiritismo de Allan Kardec pela Feb (1999)
>>> A Princesa de Babilonia de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> A Campanha Abolicionista de Jose do Patrocinio pela Dcl (2013)
>>> Zollinger - Atlas de Cirurgia de E. Christopher Ellison, Robert M. Zollinger pela Guanabara Koogan; (2017)
>>> O Hobbit: A batalha dos cinco exercítos : guia ilustrado de Jude Fisher pela WMF Martins Fontes (2014)
>>> Radiografia da Alma de Pe. Hewaldo Trevisan pela Planeta (2010)
>>> Convênios e outros instrumentos de "Administração Consensual"na Gestão Pública do século XXI - Restrições em Ano Eleitoral de Jessé Torres Pereira Junior e Marinês Restelatto Dotti pela Fórum (2010)
>>> Estalos e Rabiscos - Mãos à Obra Literária de Walter Galvani pela Novaprova (2011)
>>> Distrito Federal Paisagem, População e Poder de Marília Peluso e Washington Candido pela Harbra (2006)
>>> Parto de Mim de Vera Pinheiro pela Pallotti (2005)
>>> Deuses americanos de Neil Gaiman pela Intrínseca (2016)
>>> A Ilha dos Prazeres de André Rangel Rios pela Uapê (1996)
>>> A pequena pianista de Jane Hawking pela Única (2017)
>>> Tradição e Novidade na Ciência da Linguagem de Eugenio Coseriu pela Presença- Usp (1980)
>>> Jovens Sem-Terra - Identidade em movimento de Maria Teresa Castelo Branco pela Ufpr (2003)
>>> Os Segredos das Mulheres Inteligentes de Julia Sokol e Steven Carter pela Sextante (2010)
>>> Lettres et Maximes de Épicure pela Librio (2015)
>>> Um Mundo a Construir de Marta Harnecker pela Expressão Popular (2018)
>>> Da RegenciaÀ Queda de Rozas (Rosas)/ Encadernado de Pandiá Calógeras pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Psicoterapia y Relaciones Humanas de Carl Rogers e G. Marian Kinget pela Alfaguarra (1971)
>>> O Vinho no Gerúndio de Júlio Anselmo de Sousa Neto pela Gutenberg (2004)
>>> Michel Foucault, Filosofia e Biopolítica de Guilherme Castelo Branco pela Autêntica (2015)
>>> Vidas Provisórias de Edney Silvestre pela Intrínseca (2013)
>>> Introdução À Arqueologia Brasileira: Etnografia e História de Angyone Costa pela Cia. Ed. Nacional (1938)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Viñas, Bodegas & Vinos de Argentina de Austral Spectator pela Austral Spectator (2007)
>>> Alexandre, o Conquistador de Airton de Farias pela Prazer de Ler (2013)
>>> A Fiandeira de Ouro de Sonia Junqueira pela Positivo (2008)
>>> Feudalismo de Airton de Farias pela Prazer de Ler (2013)
>>> Alfabeto de Histórias de Gilles Eduar pela Ática (2008)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> Marketing Nas Empresas Brasileiras: Organização de Vendas de Joaquim Carlos da Silva pela Record/ RJ.
>>> Dicionário da Língua Portuguesa de Malthus Oliveira de Queiroz pela Sucesso (2014)
>>> Salgueiro 50 Anos de Glória de Haroldo Costa pela Record (2003)
>>> Mitologia Grega de Pierre Grimal pela L&PM (2009)
>>> Além do Bem e do Mal de F. Nietzsche pela Escala (2005)
COLUNAS >>> Especial Copa 2014

Terça-feira, 17/6/2014
As ruas não estão pintadas. E daí?
Duanne Ribeiro

+ de 2800 Acessos

Os escrevinhadores estão todos de acordo: essa é uma Copa com menos festa nas ruas por conta de um mal-estar generalizado, "por frustrações com governantes ou por temer protestos violentos", segundo o Estadão. A ideia não é absurda, mas não sei como estamos tão convictos dela - o desencanto em relação à seleção e ao Torneio Mundial, do meu ponto de vista, podem ser explicados simplesmente pelo fato de que os afetos do futebol se deslocaram: falta aos agregados nacionais a capacidade de nos unir, uma capacidade esbanjada pelos times.

Luiz Zanin diz que "nossa vida pode ser contada pelas Copas que vimos", e talvez isso possa ser verdade, principalmente para a geração dele. De minha parte, o que digo é que minha história futebolística (pouco dedicada, mas ainda assim...) pode muito mais ser contada pelas Libertadores a que assisti. Ou pela conquista de um Brasileiro, até mesmo de um Paulista. Não há partida do Brasil que valha um jogo decisivo do Corinthians (e o torcedor de outro clube não dirá o mesmo?). O gosto pela seleção é meio automático, regulamentar. O do time é genuíno, cotidiano.

Com 12 anos, em 1999, o Corinthians foi eliminado da Libertadores nas quartas-de-final pelo Palmeiras. Com 13, em 2000, novamente o mesmo time alijou o meu do troféu, dessa vez na semi. Chorei em ambas, ouvindo os fogos comemorativos e jocosos do vencedor. Em 2012, estava elétrico, paralisado frente à TV, contando os segundos, mordendo o lábio. Gritando feito um filho da puta quando acabou e éramos vitoriosos - isso nas duas finais, a da Libertadores, contra o Boca, e a do Mundial, contra o Chelsea. Minha identidade é investida de preto e branco.

Por outro lado, o Maracanaço pra mim é uma foto de almanaque. Lembro de ver as pessoas em pé, emudecidas no estádio, e a descrição dramática do jornalista. A Paolo Rossi só fui apresentado neste domingo último. Em 1994, recordo a família reunida para ver a cobrança dos pênaltis, e ter sido levado para a Paulista depois, ou algo assim, para comemorar. Eu não cheguei nem perto da euforia do Galvão. Perdemos 1998, achei chato - só. Ganhamos 2002, achei legal - só. Meus times imaginários continham jogadores da seleção e eu jogava com ela no International Super Star Soccer Deluxe, mas era apenas isso mesmo.

Eu acredito que essa conexão maior com os clubes é o motivo principal das ruas menos pintadas, do menor número de bandeirinhas penduradas, do "hoje somos todos iguais" com um mas nem tão iguais assim mais pronunciado. Também creio que é um processo irreversível, e suspeito que tem estado em movimento faz um bom tempo. Minha avó conta há duas décadas que em sua época "todo mundo se juntava para pintar a rua, e agora não tem nada". Em uma afirmação política mais arriscada, poderíamos mesmo dizer que "nações" não unem mais com tanta força - o que nos une são as identidades particulares, subjetividades de menor escala.

Narrativas Políticas
Mesmo que tenhamos explicações mais diretas e simples para a tímida (segundo o que se diz) festa da Copa, circulam versões que se apropriam desse "fato" para defender, através dele, ideias políticas. As matérias do Estadão linkadas no texto possuem esse viés: afirmam que os protestos atentam contra uma tradição, o que seria parte de uma "naturalidade" do brasileiro. Essa tese implícita é só o reverso da ideia de que uma "minoria", um grupo distinto do "povo", é que protesta.

Na manhã de 10 de junho, o jornalista José Paulo de Andrade fez uma variação da mesma ideia na rádio Bandeirantes; nos convocou a abandonar o "mau humor", o estado de desânimo gerado por alguns "radicais" desde junho de 2013. Com isso teríamos uma polarização bem definida, entre constrangidos e raivosos, e toda a efusão que constatarmos será uma derrota desses últimos. A festa da Copa, nesse sentido, seria a prova de que o "povo" não se identifica com as reivindicações. Mas eu posso ter forçado um pouco essa interpretação.

Doutro lado do espectro político, Vladimir Safatle afirmou na Folha: "no chamado 'país do futebol' pela primeira vez uma Copa do Mundo não trará dividendos (...) mostrará uma população consciente da tentativa de espoliar seus sonhos". Vejam que a equação está invertida: a falta de festa da Copa prova, agora, o "desencanto de um povo". O texto de Safatle tem, não obstante, o valor de destacar a intenção governamental ao trazer a Copa, a narrativa que almejavam construir e que teve seu caminho obstruído pelas várias tendências em conflito no país.

Essas grandes análises me parecem mais estratégias retóricas do que descrição de fenômenos. Há festa e há ausência de festa, há expectativa e indiferença, existe tanto o constrangimento quanto a raiva. Também: não há nexo obrigatório entre torcida futebolística e convicção politica. O que temos é muito mais um mosaico. Aquela sugestão que avançamos quanto aos times parece aqui menos arriscada: várias identidades, várias subjetividades formam a "nação", a "torcida", o "povo", e esse tipo de palavra megalomaníaca não é capaz de abrangê-las.

Ainda mais, desencanto e festa podem ser, digamos, cooptados. Em 9 de junho, o PSDB entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal para tentar "garantir a realização de protestos dentro dos estádios", não exatamente pelo grande amor a manifestações públicas, mas para roer a imagem do governo presidencial do PT. E o Google, que montou uma página para as ruas pintadas pelo Brasil, não contou nela que ele próprio pagou a tinta, rolos e bisnagas de pelo menos uma. Assim, os complicantes para uma explicação simplista do humor nacional aumentam.

#vaiterCopaecríticaàCopa
O que não podemos perder de vista é o valor próprio de cada reivindicação feita durante o pré-Copa. Os gastos públicos, a violência policial, a remoção de pessoas das suas casas - esses fatos não podem ser esquecidos em uma trégua eufórica. O #vaiterCopasim é leviano e apolítico na medida em que se esquece dos outros temas em jogo. A seleção pode ainda ser um fascínio nosso, contudo não precisa implicar em uma cegueira coletiva. Torcedores e/ou cidadãos, temos de saber o que nos toca, e o que toca a todos com quem compartilhamos a vida.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 17/6/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
02. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
03. A imaginação do escritor de Renato Alessandro dos Santos
04. Minha finada TV analógica de Elisa Andrade Buzzo
05. Mais espetáculo que arte de Guilherme Carvalhal


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2014
01. O Público Contra Yayoi Kusama - 22/7/2014
02. Cavaleiros e o Inexplicável - 7/10/2014
03. Margarida e Antônio, Sueli e Israel - 4/2/2014
04. O Hobbit - A Desolação de Smaug - 7/1/2014
05. Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad - 8/4/2014


Mais Especial Copa 2014
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ARQUIVOS DO NORTE
MARGUERITE YOURCENAR
NOVA FRONTEIRA
(1986)
R$ 20,00
+ frete grátis



CORPO NOVO, VIDA NOVA
FERNANDA THEDIM
CASA DA PALAVRA
(2013)
R$ 10,00



MUITAS VOZES - POEMAS
FERREIRA GULLAR
JOSÉ OLYMPIO
(1999)
R$ 12,00



SPACE AND ETERNAL LIFE: A DIALOGE BETWEEN CHANDRA WICKRAMASINGHE
DAISAKU IKEDA, CHANDRA WICKRAMASINGHE
JOURNEYMAN PRESS (LONDRES)
(1998)
R$ 51,82



OBESIDADE E SOFRIMENTO PSÍQUICO
PATRICIA VIEIRA SPADA
UNIFESP
(2009)
R$ 35,00



QUANDO TUDO VOLTA
JOHN COREY WHALLEY
NOVO CONCEITO
(2014)
R$ 17,00



AS ALIANÇAS
LÊDO IVO
GRUPO ACHÉ
(1947)
R$ 8,00



SHORTER OXFORD TEXTOOK OF PSYCHIATRY - FIFTH EDITION
PHILIP COWEN.. PAUL HARRISON.. TOM BURNS
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(2006)
R$ 360,00



NUEVO CHICOS CHICAS NIVEL 3 LIBRO DEL PROFESOR + CD.
MARÍA ÁNGELES PALOMINO
EDELSA
(2008)
R$ 90,00



MEDIAÇÃO JUDICIAL: DISCURSOS E PRÁTICAS
KLEVER PAULO LEAL FILPO (EDIÇÃO 2016)
MAUAD
(2016)
R$ 49,82





busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês