O Público Contra Yayoi Kusama | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
61431 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
>>> FAAP promove bate-papo com as atrizes Djin Sganzerla, Zezita Matos e com o diretor Allan Deberton
>>> Elísio Lopes Jr comanda oficina gratuita de dramaturgia nesta sexta-feira (27)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Falsários
>>> Terapia
>>> Eugênio Christi
>>> Um tweet que virou charge
>>> Lugar de mulher é...
>>> 27 de Março #digestivo10anos
>>> Remix Narrativo
>>> Asia de volta ao mapa
>>> A Era do Gelo
>>> As cartas de Dostoiévski
Mais Recentes
>>> Queda de Gigantes de Ken Follett pela Arqueiro (2010)
>>> Cogumelo dos cálculos de Feltro pela Feltro (2020)
>>> Um Conto de Duas Cidades de Charles Dickens pela Nova Cultural (2002)
>>> Tomás de Aquino - Os Pensadores de Sto. Tomás de Aquino pela Nova Cultural (2004)
>>> As Raízes do Rock de Florent Mazzoleni pela Companhia Ed. Nacional (2012)
>>> As Relações Perigosas de Choderlos de Laclos pela Nova Cultural (2002)
>>> More - Os Pensadores de Thomas More pela Nova Cultural (2004)
>>> Aprendendo coreano (segundo tradução do Google) de Diversos AutoresKo pela Korean (1994)
>>> Bons Fluidos 23 - Abril 2001 - Dia de Festa: celebrar aniversários de Alda Palma pela Abril (2001)
>>> The Da Vinci Code de Dan Brown pela Harlan Coben (1990)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Jogos de Cintura de Fernanda de M. S. Macruz e Outros Autores pela Vozes (2000)
>>> Direito Penal - Parte Geral Esquematizado - Volume 1 de Cleber Masson pela Método (2020)
>>> O teatro dos vícios. Transgressão e transigência na sociedade urbana colonial de Emanuel Araújo pela José Olympio (1993)
>>> Mulheres Inteligentes Jogam Para Ganhar de Ivanka Trump pela Lua de Papel (2010)
>>> O Fascínio do Stress de Rodrigo Pires do Rio pela Del Rey (1995)
>>> A história da família de James Casey pela Ática (1992)
>>> O Sucesso Não Ocorre Por Acaso de Dr. Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> De Onde vêm os Bebês de Andrew C. Andry e Steven Schepp pela José Olympio (2013)
>>> Água Mole Em Pedra Dura Tanto Bate Até Que... de Clóvis Tavares pela Gente (2001)
>>> seu Rubens - Histórias do Binho da Barra Funda e do Rubão de Maresia de José Rubens de Cenço pela Primavera (2010)
>>> ... e o Amor Continua de Francisco Candido Xavier / Divaldo Pereira Franco pela Livraria Espirita Alvorada (1983)
>>> ... quando Florescem os Ipês. de Ganymédes José pela Brasiliense (1984)
>>> ... Quando Florescem os Ipês. de Ganymédes José pela Brasiliense (1981)
>>> ...E as Vozes Falaram de Fernando do Ó pela Feb (1987)
>>> ...E as Vozes Falaram de Fernando do Ó pela Feb (1984)
>>> ...E Se Falta a Palavra, Qual Comunicação, Qual Linguagem? de Tania Maria Tupy / Don Giancarlo Pravettoni (orgs) pela Menmon (1999)
>>> ...Homem Novo - Tomo 1/ Vol. 2 de Escola de Aprendizes do Evangelho pela Feesp (1981)
>>> ...Longe da Terra - 4ª Ed. de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1969)
>>> ´novo´ Paisagens do Brasil de Instituto Brasileiro de Geografia pela Fundacao Ibge: Rio de Janeiro (1972)
>>> 0 de Nelly Martins Ferreira Candeias pela Escrituras (2013)
>>> 10 Conselhos para Quem Tem uma Chefe Mulher de Gabrielle Rolland pela Scipione (1994)
>>> 10 Mandamentos para Fracassar nos Negócios de Donald R. Keough pela Sextante (2010)
>>> 10 Razões para Ser Espírita de José Carlos Leal pela Novo Ser (2014)
>>> 100 Anos da Doença de Alzheimer de Paulo Caramelli / Angela H. Viel pela Segmento Farma (2006)
>>> 100 Anos de Amor de Francisco Candido Xavier / Autores Diversos pela Grupo Espírita da Prece de Fr (2010)
>>> 100 Anos de Amor - Homenagem a Chico Xavier de Grupo de Ideal Espírita André Luiz pela Ideal (2010)
>>> 100 Anos de Amor - Homenagem a Chico Xavier de Grupo de Ideal Espírita André Luiz pela Ideal (2010)
>>> 100 Coisas de Fernando Bonassi pela Angra (2000)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas Escolhidas de Rubem Braga pela José Olympio (1958)
>>> 100 Jogos de Bolso - Número 1 de Autor Girassol pela Girassol
>>> 100 Piores Ideias da História de Michael N. Smith / Eric Kasum pela Valentina (2016)
>>> 100 Viagens Que Toda Mulher Precisa Fazer de Stephanie Elizondo Griest pela Novo Conceito (2011)
>>> 100 Viagens Que Toda Mulher Precisa Fazer de Stephanie Elizondo Griest pela Novo Conceito (2011)
>>> 1000 Erros de Português da Atualidade de Luiz Antonio Sacconi pela Nossa (1990)
COLUNAS

Terça-feira, 22/7/2014
O Público Contra Yayoi Kusama
Duanne Ribeiro

+ de 6500 Acessos


Sala de Espelhos Infinitos - Preenchida com o Brilho da Vida
[imagem: flickr de DeShaun Craddock]

Há uma contradição ignorada pelo público de Yayoi Kusama: Obsessão Infinita, ironicamente inscrita em como ele entra em contato com a exposição. Frente a uma artista cujo trabalho se concentra na obliteração, no apagamento de si, os visitantes são obsessivamente personalistas. Às enormes filas (antes da mostra, dobrando o quarteirão e antes de cada sala), seguem-se uma infinidade de fotografias; eles registram-se sob o fascínio das instalações, ambientes com grande força plástica; registram-se, sorrindo, tendo como fundo obras coloridas e abstratas. A ironia se mostra nesses dois movimentos opostos: a artista cobrindo o mundo com padrões, anulando-o, e os espectadores colando rostos em tudo, etiquetando as obras e os momentos com sua identidade sorridente única (exceto pelo próximo a fazer o mesmo).

A mostra esteve no Instituto Tomie Ohtake de maio a julho. Esse texto faz um percurso por essa e outras contradições na relação público-artista, até chegar a uma ótica em que ambos parecem pelo contrário muito alinhados. Não se pense que queremos dispor regras de como se deve visitar exposições; não se trata de que as pessoas não "tenham o direito" de fruir a arte conforme bem entendam, não obstante, no que se refere a Yayoi, parece que essa atitude mais nos protege da sua arte do que faz participar dela; ficamos só na superfície do que vemos.

Obliterar-se, apagar-se; Yayoi responde como o Radiohead, de outra forma, à pergunta como desaparecer completamente? Acompanhamos ao longo da retrospectiva o decaimento de todas as coisas a um princípio: ou a simplificação da percepção pela repetição de um tipo de figura (no caso, as bolinhas presentes em vários quadros e instalações, que permitem "compreender" num só lance toda a sua produção; de antemão, é como se já tivéssemos apreendido o "essencial" e pelos corredores apenas constatássemos sua persistência; perdendo, desse modo, os detalhes, a individualidade de cada peça); ou a fixação em um elemento físico (no caso, os objetos fálicos, dezenas de esculturas-lembrete do pênis enchendo sapatos de mulher, utensílios de cozinha, um barco, etc). O padrão recobre o real, deixa-o estranho ou atraente, porém o obscurece - a variedade se corrompe, tudo é, no fim, a mesma coisa.


série Mobiliário Compulsivo
[imagem: flickr de Rebeca Saez]

A "facilidade" da artista amplia-se para a sua biografia. Por exemplo, a Folha informou que "a mostra também revela as origens de tudo. Kusama, que hoje vive num hospital psiquiátrico em Tóquio, diz sofrer com alucinações desde a adolescência, enxergando o mundo sempre coberto de bolinhas coloridas" (o Globo falou de "transtorno artístico compulsivo", e destacou a declaração: "Eu luto contra a minha doença; (...) no meu caso, a cura [estava] em criar arte baseada na doença"). Naturalmente, isso não é explicação de nada; a variação de composições, o uso dos materiais e a aplicação de outras repetições ficam de fora, isso além da própria escolha dela pela arte, ou o processo exato como alucinações e obsessão se convertem em prática artística. No entanto, "explicam" a obra, cobrem-na com um referente simplório a que podemos apelar ao menor sinal de pensamento. Pergunto-me se também esse efeito não seria pretendido: Yayoi e sua produção se obliteram debaixo da explicação.

Essa desaparecença é tanto mais impressionante quando nos mergulha nela própria. Eu Estou Aqui, Mas Nada, uma sala de estar típica, cadeiras, sofás, estantes; escura, iluminada por focos de luz lilás e azul, ponteada por bolinhas coloridas; caminhamos dentro da compulsão de Yayoi (e é fascinante, sim, mas há um transtorno, uma tendência doentia, no subliminar dessa beleza - que escolhemos esquecer para ficar só com o que é "bonito"). O título parece evidente: ela está aqui, todavia, resumindo-se a um padrão, resume-se a nada. Sua presença é ausência. Sala de Espelhos Infinitos - Campo de Falos, um espaço rodeado de espelhos e preenchido de pênis infláveis brancos com bolinhas vermelhas (ou formas fálicas, que devem lembrá-los). Dessa vez, somos também recobertos pelo padrão, e nos multiplicamos nos reflexos: estamos alguns graus obliterados (além disso, é também "bonito", mas, para isso, ignoramos o fato de estarmos numa planície de pintos inumeráveis, o subliminar dessa beleza).


Sala de Espelhos Infinitos - Campo de Falos
[imagem: flickr de Central Asian

Ainda nesse sentido, Obsessão por Pontos - Amor Transfigurado em Bolas tem duas áreas. Na primeira, grandes bolas rosas com bolinhas pretas se espalham, em uma instalação fortemente lúdica e decorativa. À porta da segunda, nos entregam uma folha de adesivos, e podemos colar bolinhas coloridas em qualquer lugar da sala já completamente coberta deles. É principalmente agradável estar em uma e brincar na outra, e quem sabe o fundamental nisso esteja em que nós aprendemos a amar, isto é, a encontrar o agradável na compulsão de Yayoi. O distúrbio mental, sabemos o que há de bom nele, o abraçamos por um momento. Enfim, Sala de Espelhos Infinitos - Preenchida com o Brilho da Vida, leva esse prazer a um paroxismo: penduradas no teto estão dezenas de lâmpadas esféricas que brilham, harmonicamente, com variadas cores, refletidas até o sem número pelos espelhos em torno. Vemo-nos distantes nos espelhos, aqui e lá, misturados com outros de que não nos preocupamos em saber a posição real. Estamos aqui, mas nada.

Esta Coluna Contra Yayoi Kusama
Neste contexto, o selfie parece absurdo. Se a artista nos envolve no tudo (todas as identidades possíveis) e/ou no nada (nenhuma identidade possível), a insistência na nossa própria imagem, na conexão de um lugar com um eu estive aqui, de algo bonito com um eu vi algo bonito soa um pouco asséptica demais. A experiência construída por Yayoi propõe não a chance para reforçar uma ideia do que somos, mas sim para sentirmo-nos menos, sermos menos nós. I'm not here, this isn't happening...

Parece por outro lado que entre Yayoi e público existe na verdade uma identificação profunda. Como sinalizamos no primeiro parágrafo, há muito ou pouco de obsessão e compulsão no tirar fotos contínuo, no registro obrigatório de cada coisa que "precise ser guardada". Como dito, na sequência de fotos nossa cara se repete em fundos e situações distintas: com outras doses de compulsão e obsessão repetimos eu eu eu como em Quero Ser John Malkovich o protagonista assiste aos personagens na mente do ator-título repetirem john malkovich john malkovich john malkovich. Produzimos em série nossa imagem como a artista produz em série bolinhas. Ainda mais, se reuníssemos todas as fotografias feitas, o mosaico formado traria uma única informação e se reduziria a significar muito pouco ou nada, sala de infinitos espelhos, campo de rostos.

Também podemos enxergar que aquilo que chamamos de facilidade em Yayoi por sua vez causa uma padronização na recepção do público, ou facilita que a recepção seja padronizada. Assim, todos se assimilam em uma forma de ver, em uma forma de sentir prazer, em uma forma de se expressar sobre tais coisas. Crendo nisto, é um texto como este que estaria em contradição com a artista, com suas pretensões de determiná-la bem e de distinguir-se da avaliação comum. Pelo inverso, o público não estaria contra Yayoi; estaria, em verdade, completamente absorvido.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 22/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Revolusséries de Luís Fernando Amâncio
02. Alice e a História do Cinema de Marcelo Spalding
03. Desejos e argumentos para 2005 de Ana Elisa Ribeiro
04. Ter e Não Ter, de Hemingway de Ricardo de Mattos


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2014
01. O Público Contra Yayoi Kusama - 22/7/2014
02. Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad - 8/4/2014
03. Cavaleiros e o Inexplicável - 7/10/2014
04. Margarida e Antônio, Sueli e Israel - 4/2/2014
05. O Hobbit - A Desolação de Smaug - 7/1/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RÚSSIA, 1917 A REVOLUÇÃO BOLCHEVIQUE FASC. 28 COLEÇÃO HISTÓRIA DO ...
ABRIL CULTURAL
ABRIL
(1974)
R$ 10,54



CRIANÇAS FAMOSAS
LEONARDO DA VINCI
CALLIS
(1994)
R$ 10,00



OS SONHADORES DE VILA RICA-A INCONFIDENCIA MINEIRA DE 1789
EDGAR LUIZ DE BARROS
ATUA - HISTORIA EM DOCUMENTOS
(1989)
R$ 7,00



CADERNOS DE TEATRO - Nº 53
MARIA CLARA MACHADO (ED.)
O TABLADO
(1972)
R$ 20,00



VIAGENS MUITO MALUQUINHAS
ZIRALDO
GLOBINHO
(2015)
R$ 13,00



MARTA
FERNANDO DO O
FEB
(1991)
R$ 4,01



HISTÓRIAS, DICAS E MAGIAS VOL 1
BUONFIGLIO, MONICA
OFICINA CULTURAL
R$ 22,00



PLANETA DEDICAÇÃO - COMO CHEGAR LÁ
SHRI SHRIMAD BHAKTIVEDANTA NARAYANA GOSWAMI
BRAJA
(2014)
R$ 10,46



EVIDENCIA CLINICA - CONCISO
BRITISH MEDICAL JOURNAL
ARTMED
(2008)
R$ 99,00



PIONEIROS DA AVIAÇÃO
JOHN W. R. TAYLOR
LIVRARIA CIVILIZAÇÃO
(1981)
R$ 27,69





busca | avançada
61431 visitas/dia
2,0 milhões/mês