Nuvem Negra* | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
Mais Recentes
>>> Manual de Boas Práticas em Ensaios Clínicos de Conceição Accetturi, David Salomão Lewi e Greyce Balthazar Lousana pela Usp (1997)
>>> Filho do Sol de Savitri Devi pela Renes (1981)
>>> Encontros com o Insólito de Raymond Bernard, F. R. C. pela Renes (1970)
>>> Introdução à Filosofia da Rosacruz Áurea de J. van Rijckenborgh pela Escola Espiritual da Rosacruz Áurea (1982)
>>> Biografias de Personalidades Célebres de Prof. Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira pela do Mestre (1970)
>>> As Últimas Horas de Gibran de Kahlil Gibran pela Nova época (1980)
>>> El Misterio De Los Templarios de Louis Charpentier pela Bruguera (1970)
>>> Valongo Arte e Devoção de Ana Maria C. Silva De Biasi, Elias Jorge Tambur e Maria Rabello da Motta pela A Tribuna (1995)
>>> Eu, Detetive O Caso do Sumiço de Stella Carr e Laís Carr Ribeiro pela Moderna (2003)
>>> Dinheiro Público e Cidadania de Silvia Cintra Franco pela Moderna (1998)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (1980)
>>> Coração de Vidro de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1972)
>>> Transformadores de Alfonso Martignoni pela Globo (1981)
>>> Guia Técnico do Alumínio - Extrusão de Associação Brasileira do Alumínio pela Tecnica (1990)
>>> História da Literatura em Santo André de Tarso M. de Melo pela Fundo de cultura de santo andré (2000)
>>> Cinco Minutos - A Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2001)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 4 de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Amo Poesia de J. Dellova pela Do escritor (1989)
>>> Folhas aos Ventos Maçônicos de Breno Trautwein pela A Trolha (2000)
>>> Os Segredos dos Construtores de Maurice Vieux pela Difel (1977)
>>> Antigos Manifestos Rosacruzes de Joel Disher pela Amorc (1982)
>>> Breve História da Maçonaria de Rubens Barbosa de Mattos pela A Trolha (1997)
>>> Por Mares há Muito Navegados de Álvaro Cardoso Gomes pela Ática (2002)
>>> Isso Ninguém me Tira de Ana Maria Machado pela Ática (1996)
>>> Um Dono para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis pela Moderna (1996)
>>> Encontro com os Deuses de Jaime Guedes pela Mandála (1978)
>>> E se? de Super Interessante pela Abril
>>> Eu não consigo emagrecer de Dr. Pierre Dukan pela Best Seller
>>> Linha D'agua de Amyr Klink pela Companhia das Letras
>>> Sal, Açúcar, Gordura de Michael Moss pela Intrínseca (2019)
>>> O mundo contemporâneo de Demétrio Magnoli pela Moderna
>>> 1001 Provérbios de Oswaldo Herrera pela A Gazeta Maçônica (1981)
>>> Contato de Carl Sagan pela Companhia das Letras
>>> E foram felizes para sempre de Dr. Gary e Barbara Rosberg pela Não sei
>>> Radicalize de Alex e Brett Harris pela Graça editorial
>>> A guerras da memória de Frederick Crews pela Mãe Terra
>>> Uma morte muito suave de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (1984)
>>> Guia de Leitura Rápida de William Douglas pela Campus
>>> A dieta do tipo sanguíneo de Peter J. D'adamo pela Campus
>>> Para Ler e Guardar de Hermann Hesse pela Record (1975)
>>> Nutrição no esporte de Patrícia Postilione Appolinário pela Martinari (2019)
>>> Coleção Para Ler Freud de Diversos pela Não sei (2019)
>>> Einstein O Enigma do Universo de Huberto Rodhen pela Martin Claret (2019)
>>> Como Um Mistico Amarra os Seus Sapatos (O Segredo das Coisas Simples) de Lorenz Marti pela Vozes (2008)
>>> Sagas de Heróis e Cavaleiros - Vol 2 de Martin Beheim-Scwarzbach pela Paz e Terra (1997)
>>> O Aprendiz de Assassino de Robin Hobb pela Leya (2019)
>>> Atlas Ilustrado: Fichas Interativas (capa 3d/ pags duplas) de Andrea Pinnington e Marie Greenwood pela Ediouro (2002)
>>> Retrato do Brasil (vol. Ii): da Monarquia ao Estado Militar de Mino Carta: Diretor de Redação pela Política Edit./ Sp. (1984)
>>> Marterworks of Man & Nature: Preserving Our World Heritage de Mark Swadling: Diretor Management pela Globe Press/ Australia (1992)
>>> Tania Castelliano e J. Cabral de Entenda Seus Conflitos e Livre-se Deles pela Record (2002)
COLUNAS

Quarta-feira, 8/2/2017
Nuvem Negra*
Marilia Mota Silva

+ de 6400 Acessos



Nuvem Negra é o título do segundo romance de Eliana Cardoso, mais conhecida por seus livros de economia, em que o rigor da análise e da reflexão se valem das artes e manifestações culturais para iluminar conceitos, áridos às vezes, tornando o texto um caleidoscópio de conexões originais e inspiradoras.

Quem não conhece sua obra como economista, mas lê suas colunas no Valor Econômico e a acompanha nas redes sociais, sabe da riqueza do seu universo de referências, da leveza com que estabelece pontes entre terrenos distantes, e dos insights e perspectivas novas com que brinda o leitor.

Agora, de uns tempos para cá, Eliana resolveu abraçar a literatura. Escrever ficção, depois de uma vida dedicada à análise imparcial de números e fatos e às colunas culturais, é como reinventar-se, abrir caminho na trilha menos explorada da imaginação.

Mas, pelo que vemos, isso não a intimidou. Tanto que esse é seu segundo romance em dois anos. O primeiro foi Bonecas Russas, que fala sobre mães, filhas, tias, enteadas, mulheres múltiplas, interligadas, como as bonecas do título.

Já Nuvem Negra conta a história de um brasileiro, Manfred Mann, neto de alemão e italiana que imigraram para o Brasil na virada do século passado.

O relato traça, em 110 páginas apenas, como se tivesse urgência, um retrato do Brasil de hoje, o Brasil sob a nuvem negra da corrupção, da irresponsabilidade, de desastres ambientais irredimíveis como o da Samarco, em Mariana, Minas Gerais.

Não vou resumir toda a narrativa aqui. Vou apenas destacar alguns pontos.

Manfred Mann, o protagonista, passou boa parte da juventude nos Estados Unidos, quando o pai trabalhava no Banco Mundial. Lá ele estudou engenharia e só voltou ao Brasil quando seus pais morreram. Em São Paulo, ele se casou com a sedutora Glória, filha de empreiteiro com estreitas ligações com um senador.

Ali, por insegurança ou covardia, ele se torna cúmplice de obras super-faturadas e concorda, embora relutante, em usar na construção da obra, material de qualidade inferior ao especificado nos contratos. Criado nos Estados Unidos, ele sente medo de ir para a cadeia por essas fraudes, mas é tranquilizado pelo sogro, não havia esse risco: Rico não vai pra cadeia!

No entanto, o medo e a consciência pesada acabam por levá-lo a uma reação dramática quando julga que aconteceu o desastre que temia. Ele foge, vai para o Norte. Vira garimpeiro em Serra Pelada e começa a reconstruir sua vida, agora como João da Silva.

Mais tarde, conhece Kalu, uma mulher mais jovem, cozinheira respeitada e dona do restaurante "Colher de Pau". Eles passam juntos as décadas seguintes, ele, João da Silva, reticente, obscuro, vivendo meia-vida. O passado o assalta em pesadelos: ele sente medo e culpa,e se pergunta, como teria sido sua vida se tivesse enfrentado suas responsabilidades?

Kalu, ao contrário de Manfred, é digna e corajosa. Expulsa de casa pela mãe, aos 13 anos, por causa de abuso sexual do pai alcoólatra, ela encontrou seu caminho através do trabalho, do esforço pessoal e do auto-respeito.

Há outros personagens importantes nessa história. Lotta, por exemplo, tia de Manfred, seu conforto e segurança quando era criança. Militante de esquerda, Lotta desaparece durante os anos de ditadura, quando Manfred e familia vivem nos Estados Unidos, e passam-se décadas sem que ele tenha notícias dela. Em um romance que tem,como gênese e cenário, nossa história das últimas décadas, não poderia faltar um personagem como ela. Mas há muitos outros: Amélia, mãe de Manfred, mulher frágil e submissa a um marido ambicioso, egoísta e bruto. O pai, que não lhe deixou boas lembranças. A fascinante Glória, o sogro e o senador, exemplares dessa elite bem conhecida, que ultimamente enfeitam as listas de delações.

Há os avós de Manfred, que embora passem rapidamente pelo romance, sao marcos importantes: no final da II Guerra quando seus países de origem, Alemanha e Itália são derrotados, os dois se suicidam, deixando uma carta em que dizem que "um homem pertence ao lugar em que nasce e tem raízes e conversa com elas de forma única e intraduzível", sentimento que certamente encontra ressonância nos que emigram.

Haveria muito o que destacar dessa leitura: momentos de reflexão, imagens poéticas, a sagacidade da trama, a oportunidade do tema, sugestões que surgem das entrelinhas: Quando fechei o livro, me veio à mente Macunaíma.

Manfred me lembrou Macunaíma. Os dois, separados por quase um século, se completam.

Macunaíma nasceu índio e preto, no norte, e foi para São Paulo. Depois de correr vários pontos do país e aprontar muito, tendo inclusive ficado branco por algum tempo, voltou para o norte.

Manfred nasceu no sul, é branco, tem cara de alemão. Perfence à classe média-alta, estudou no estrangeiro, e fez a viagem inversa de Macunaíma, foi de São Paulo para o Norte, Belém, Marabá, Manaus. Nessa viagem, também se transformou: saiu Manfred Mann e chegou João da Silva; abrasileirou-se.

Macunaíma é nativo, preguiçoso, malandro, e não tem nenhum caráter. Manfred veio de fora, é da elite, medroso, omisso, cúmplice e, se tem algum caráter, é muito fraco. Será por isso que hoje nosso céu está tão carregado que já não vemos o horizonte?

O romance Nuvem Negra, apesar do quadro sombrio, não sucumbe à desesperança. . Kalu, a moça desamparada até pela própria mãe, conquista seu lugar no mundo, com trabalho, honestidade e amor. Ou, nesses tempos cínicos, seria melhor dizer: ela conquista o sucesso e uma vida feliz mesmo trabalhando honestamente, sendo solidária e íntegra em seus afetos.

Manfred resolve enfrentar seu passado, vê que das obras que tinha construido restaram escombros e uma vila abandonada, como ocorre tantas vezes com obras do governo.

Glória, sua ex-mulher casou-se com o filho do senador, e todos continuam livres e ricos. Até quando? A lei que dizia que rico nao vai pra cadeia é coisa do século passado.

Manfred vai, então, para Mariana onde o desastre que o acaso lhe poupou, realmente aconteceu, em proporções devastadoras: o rompimento da barragem da Samarco. Ele vai tentar se redimir, dessa vez com mais coragem, mais responsabilidade.

É possível que estejamos, de fato, nesse momento da nossa história. Mesmo que demore, o processo está em marcha: Manns e Silvas dispostos a abandonar a passividade e o medo, assumindo a responsabilidade que nos cabe a cada um. Antes que chuva caia, como diz a narradora de Nuvem Negra, encerrando a história.

* Nuvem Negra, editado pela Companhia das Letras, 2016


Marilia Mota Silva
Washington, 8/2/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nós o Povo de Marilia Mota Silva
02. Ah!... A Neve de Marilia Mota Silva
03. Memorial de Berlim de Marilia Mota Silva
04. A Mão Invisível de Marilia Mota Silva
05. Assunto de Mulher de Marilia Mota Silva


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva
01. Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé - 21/10/2011
02. O Vendedor de Passados - 9/5/2018
03. Proposta Decente? - 20/8/2014
04. Nuvem Negra* - 8/2/2017
05. Defensores da Amazônia - 19/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM DOENÇAS TRAMSMISSÍVEIS
DOROTHEE VOLCKERS ARANTES COORDENAÇÃO
HOSPITAL EMILIO RIBAS
(1983)
R$ 13,00



A PROFECIA CELESTINA
JAMES REDFIELD
OBJETIVA
(1993)
R$ 15,00



DESMASCARANDO O OCULTISMO
CINDY JACOBS
DANPREWAN
R$ 19,90



A ÚLTIMA LIÇÃO - O SENTIDO DA VIDA
MITCH ALBOM
SEXTANTE
(1998)
R$ 8,90



REVISTA DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO Nº 447
IHGB (EDIÇÃO 2010, Nº 447 - A 171)
IHGB
(2010)
R$ 15,82



TOME 1 POUR ABORDER LA LINGUISTIQUE INITIATION
ROLNAD ELUERD
LES EDITIONS ESF
(1979)
R$ 75,00



A BOA TERRA
PEARL S. BUCK
ABRIL
(1981)
R$ 29,00



A VIRGEM E O CIGANO
D. H. LAWRENCE
CÍRCULO DO LIVRO
(1975)
R$ 29,90
+ frete grátis



LIÇÕES SOBRE AMAR E VIVER
MORRIE SCHWARTZ
SEXTANTE
(2005)
R$ 28,00



A GRANDE ESPERANÇA
ELLEN G. WHITE
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2011)
R$ 4,00





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês