O Vendedor de Passados | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
Mais Recentes
>>> A Loucura de Tristão (La Folie Tristan) de Anônimo Francês do Século XII(Trad.? Autografo): G. D. Leoni pela Rassegna Brasiliana/ SP. (1965)
>>> A Religião viva do Cristo de Cesar D' Almeida Campos pela Livraria Cultura (1951)
>>> Evangelho da Solidão de Eduardo de Oliveira pela Cupolo (1969)
>>> Villa-Rica de Alcibiades Delamare pela Nacional (1935)
>>> Revista do Arquivo Municipal Clxvii (167) de Nicanor Miranda/alceu Maynard Araújo pela Depart. de Cultura (1962)
>>> La Celestina de Fernando de Rojas pela Madrid (1959)
>>> Economia e Sociologia de Adolf Lowe pela Revista Forense (1956)
>>> Movimento Praieiro:imprensa, Ideologia e Poder Politico de Izabel Andrade Marson pela Contemporanea (1980)
>>> Perfil do Mercado Consumidor:de Santo André e da Grande São Paulo de Felicio P. Benatti pela Fund. Santo André (1969)
>>> A Força Invisível de Wayne W. Dyer pela Sextante (2007)
>>> Revista de Educação:AEC, A Atualidade do Começo. Ano. 35 julho / Se... de Olmira Bernadete Dassoler pela Salesianas (2006)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> XXll de Agosto de Nelson de Souza Carneiro pela Nacional (1933)
>>> São Francisco de Sales de Abbe Jacques Leclerq pela Vozes (1957)
>>> Os Dogmas do Espiritismo de Rosalina Calmon dos Santos pela Arte Moderna
>>> La puerta Cerrada de Simón H. pela Esoteria (1981)
>>> Os Galos da Aurora de Hélio Pólvora pela Civilização Brasileira (1958)
>>> O Triumpho das Forças Mentaes de O. S. Marden pela América Latina (1929)
>>> Anuário Militar 1987 de John Pimlott pela Globo (1987)
>>> Cannaviaes de Alberto Deodato pela Rio de Janeiro (1922)
>>> Introdução á Poesia de Augusto dos Anjos de Júlio de Oliveira Martins pela Livraria Brasil (1958)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> Trinta Anos Depois da Volta de Octavio Costa pela Biblioteca do Exército (1976)
>>> 2194 Giorni Di Guerra de Mondadori pela Ediouro (1979)
>>> Encyclopedia of the Vietnam War de Stanley I. Kutler pela Charles Scribners (1996)
>>> O Encontro Marcado de Fernando Sabino pela Record (1988)
>>> Foguetes e Mísseis da III Guerra Mundial de Robert Berman e Bill Gunston pela Livro Técnico S/A (1983)
>>> A Segunda guerra mundial (Vol. 2 Somente esse Volume) de Raymond Cartier pela Primor (1975)
>>> Os Aviões de Enzo Angelucci pela Arnoldo Mondadori (1975)
>>> lua de Mel em Portugal de Marco Antonio pela Pin
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach pela Nórdica (1970)
>>> Epigramário de J. Dias de Moraes pela O Autor
>>> O livro de Ouro da Poesia Religiosa Brasileira de Jamil Almansur Haddad pela Edições de Ouro (1966)
>>> São José do Rio Preto:1852 / 1894 de Agostinho Brandi pela Rio-Pretense (2002)
>>> A Abertura dos Portos do brasil de Pinto de Aguiar pela Progresso (1960)
>>> Hawaii Açucareiro de Apolonio Sales pela IPA (1937)
>>> Desidério Desiderávi de Frei Carmelo Surian O. F. M. pela Vozes (1957)
>>> Pearl Harbor de H.P. Willmott pela Livro Técnico S/A (1981)
>>> O Orfeão na escola nova de Leonila Linhares Beuttenmuller pela Irmãos Pongetti (1937)
>>> Robson Crusoé de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1988)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Economico do Brasil de José Papa Júnior pela Nacional (1983)
>>> No Hospital das Letras de Afranio Coutinho pela Tempo Brasileiro (1963)
>>> Fim de Primavera de Edvard Camilo pela Globo (1921)
>>> Corpos de Elite do Passado de Dominique Venner pela Ulisseia (1972)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática (1984)
>>> A brigada portyguara 1a Edição de Almicar Salgado dos Santos pela Nacional (1925)
>>> La France en Gènèral de André Frossard pela 'Plon (1975)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Econômico do Brasil de José Papa Júnior pela São Paulo (1983)
COLUNAS

Quarta-feira, 9/5/2018
O Vendedor de Passados
Marilia Mota Silva

+ de 8000 Acessos

"Tudo o que era sólido se desmancha no ar, tudo o que era sagrado é profanado, e as pessoas são finalmente forçadas a encarar com serenidade sua posição social e suas relações recíprocas." Karl Marx, Manifesto Comunista


"O Vendedor De Passados", romance do angolano, de ascendência brasileira e portuguesa, José Eduardo Agualusa, publicado em 2004 pela editora Gryphus, é um livro fininho e divertido, mas essa primeira impressão engana. Não é uma leitura simples. Cada palavra, cada imagem vem carregada de simbolismos, reflexões, sentimentos que ficam repercutindo em nossa mente, pedindo uma leitura mais atenta.

A história é narrada por Eulálio, uma lagartixa que vive nas frestas e teto de uma casa antiga, e dali acompanha a vivência do seu único habitante, o albino Felix Ventura. Felix Ventura inventa e vende árvores genealógicas, com antepassados nobres, gente de estirpe. Minucioso, cria enredos e biografias, fornece até mesmo fotos de ancestrais ilustres. Para esse trabalho, além de seus arquivos, ele conta com uma vasta biblioteca, herança de seu pai adotivo. Seu pai e seu avô eram alfarrabistas. Ele mesmo nasceu entre livros:

O mulato Fausto Bendito Ventura, alfarrabista, filho e neto de alfarrabistas, encontrou numa manhã de domingo, um caixote à porta de casa. Lá dentro, estendido sobre vários exemplares d' A Relíquia de Eça de Queirós, estava uma criturinha nua muito magra e deslavada, com um cabelo de espuma incandescente, e um límpido sorriso de triunfo".


“Eça foi o meu primeiro berço”
, Felix costuma dizer com orgulho.
Eça, perfeita escolha: nenhum escritor traduziu melhor que ele a cultura portuguesa tradicional, seus mitos, a misoginia, o catolicismo, as castas sociais, a hipocrisia, cultura que é também o nosso berço, como ex-colônia.

Fausto Bendito Ventura, pai de Felix, era um bon-vivant que se orgulhava de seu parasitismo. Quando lhe perguntavam o que fazia nos dias úteis, ele respondia com humor: para mim todos os dias são inúteis, e eu os passeio. Acabou se tornando alfarrabista por distração. Tinha herdado do pai a casa em que vivia repleta de livros, de todos os assuntos e épocas. À tarde ele se sentava na varanda da casa, e quem estivesse interessado entrava, e ia examinar as pilhas de livros colocadas ao acaso no chão. A vida mansa dos Ventura teve sua origem no bisavô de Felix, traficante de escravos entre Angola e Brasil.

Os clientes de Felix vem da nova burguesia angolana, emergentes dos anos de guerra civil que seguiu-se à independência do país. São empresários, ministros, fazendeiros, generais, gente com o futuro assegurado, mas sem um passado condizente com seu novo status. O albino vende-lhes esse sonho singelo. Traça-lhes a árvore genealógica. Dá-lhes as fotografias de avôs e bisavôs, cavalheiros de fina estampa, senhores do tempo antigo.

Até que chega um sujeito, que parece vindo de outro tempo, ou do estrangeiro, que quer mais do que um passado novo. Quer também o presente, uma nova identidade, com documentos e raízes angolanas. Felix, relutante a princípio, vence seus escrúpulos, quando imagina o que poderá fazer com os dez mil dólares que o estrangeiro lhe oferece.

E assim nasce José Buchmann*, que assimila de tal maneira sua nova identidade, que a ficção começa a se confundir com a realidade.

Mas é inútil, o passado está vivo e vem furiosamente em seu encalço; como as minas enterradas no solo de Angola.

Quando se tornou independente de Portugal, em 1975, Angola ficou exposta à luta pelo poder entre as facções ideológicas que marcaram o século passado. China, Russia, Cuba e Estados Unidos plantaram minas no solo de Angola. Ninguém sabe, ao certo, quantas minas foram enterradas no chão de Angola. Entre dez e vinte milhões. Provavelmente haverá mais minas do que angolanos (p. 11)

Nada é de graça nesse livro, tudo é simbolismo. A casa que o albino divide com a lagartixa é como um navio cheio de vozes subindo um rio na noite escura. O jardim, na frente da casa, é maltratado e árido, protegido apenas por duas palmeiras muito altas e altivas. Há uma sala de visitas e a biblioteca. Essa é a face voltada para as visitas, para o público. Para se conhecer a verdadeira Angola, para se chegar à intimidade da casa, os quartos, a cozinha, o quintal verde e fresco, cheio de árvores frutiferas, há que atravessar um túnel longo úmido e escuro . Os nomes dos personagens também, como já vimos, são uma narrativa em si. A Velha Esperança, a avó que faz todo o trabalho pesado, levando o neto amarrado às costas, é o pilar que sustenta a casa. Angela Lucia é o anjo de luz, o anjo vingador, a que aceita e ama Felix, branco e negro como Angola. O Edmundo Barata dos Reis, barata dos reis, ex-agente do governo, que vive na sarjeta, mas continua fanático e fiel a sua ideologia.

Esses são apenas alguns aspectos notáveis do livro. Não falei dos sonhos da osga, da beleza do texto, de sua cadência e poesia. E vou me referir a mais um apenas, por sua atualidade, hoje até mais que em 2004.
Falo da mentira que se transformou num dos pilares da construção social. Mentira sempre existiu, naturalmente, mas não como hoje. Não nesse nível de cinismo. Ou paranóia. A noção pós-modernista segundo a qual a verdade não importa, o que importa é a narrativa impregnou nossa cultura e ganhou status de dogma. Não importa a realidade, não importam videos exibindo as mentiras, não importa a objetividade dos fatos. Importa a emoção, aquilo em que decidimos acreditar.

No livro, há cenas hilariantes de personagens que se agarram à ficção sobre si mesmos com tal convicção que passam a agir em função dessa nova narrativa, distorcendo a realidade como os espelhos no apartamento da fictícia Eva Miller. Fictícia?

A ironia atinge paroxismos como, por exemplo, no caso do padeiro que pagou muita propina para acelerar a legalização de suas padarias, e com isso, começou a frequentar as casas dos ministros e generais. Bastaram dois anos para ser ele mesmo nomeado Secretário de Estado para a Transparência Econômica e Combate à Corrupção. Mais um pouco e se tornou Ministro da Panificação e Laticínios. Empolgado com sua árvore genealógica novinha em folha, ele agora se prepara para escrever um livro que, na verdade, será escrito por Fausto Ventura: "História de um verdadeiro combatente", onde absolutamente tudo é mentira, e mesmo assim o "autor" se entusiasma, sinceramente convencido: Assim que A Vida Verdadeira de Um Combatente for publicada, a história de Angola ganhará outra consistência, será mais História. (p.139)

Esse parece ser um fenômeno prevalente hoje no mundo. A presidência de Trump é um bom exemplo. No último domingo, 29 de abril, o New York Times trouxe um artigo cujo título basta para ilustrar esse ponto: Porque os apoiadores de Trump não se importam com suas mentiras. (Why Trump Supporter's don't mind his lies).

Ainda assim, como disse Eulálio, a sábia lagartixa que tem memória de muitas vidas: A única coisa que em mim não muda é o meu passado: a memória do meu passado humano. O passado costuma ser estável. Está sempre lá, belo ou terrível, e lá ficará para sempre.

.


* Buchmann, seria "homem dos livros" em alemão, ou seria uma homenagem a Gonçalo Tavares, outro excelente escritor angolano, que tem um personagem com esse nome em seu romance "Aprender a Rezar na Era da Técnica".


Marilia Mota Silva
Washington, 9/5/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour de Jardel Dias Cavalcanti
02. Outros cantos, de Maria Valéria Rezende de Ana Elisa Ribeiro
03. Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1 de Renato Alessandro dos Santos
04. Crônica em sustenido de Ana Elisa Ribeiro
05. Dicas para a criação de personagens na ficção de Marcelo Spalding


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva
01. Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé - 21/10/2011
02. O Vendedor de Passados - 9/5/2018
03. Proposta Decente? - 20/8/2014
04. Nuvem Negra* - 8/2/2017
05. Defensores da Amazônia - 19/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ÁGAPE
PADRE MARCELO ROSSI
GLOBO
(2010)
R$ 4,00



LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL VOLUME 1
GUSTAVO OCTAVIANO DINIZ JUNQUEIRA ET ALII
PREMIER
(2008)
R$ 30,00



TERRÍVEL ENCANTO
MELISSA MARR
ROCCO
(2011)
R$ 15,00



AÇÃO COLETIVA PROMOVIDA POR INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS
VIVIANI TEIXEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



ANTOLOGIA DE RUI BARBOSA
LUÍS VIANA FILHO
TECNOPRINT
R$ 4,00



CONTABILIDADE DE CUSTOS
ELISEU MARTINS
ATLAS
(1987)
R$ 5,50



ABRA SUA MENTE, ABRA SUA VIDA
TARO GOLD
SEXTANTE
(2004)
R$ 9,80



PREGAÇÃO E PREGADORES
D. M. LLOYD JONES
FIEL
R$ 55,00
+ frete grátis



FILOSOFIA DA CIÊNCIA
SIDNEY MORGENBESSER
CULTRIX
(1971)
R$ 29,90
+ frete grátis



A RESISTÊNCIA, VOL 2
CORONEL RÉMY
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1984)
R$ 70,68





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês