O Vendedor de Passados | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 9/5/2018
O Vendedor de Passados
Marilia Mota Silva

+ de 9500 Acessos

"Tudo o que era sólido se desmancha no ar, tudo o que era sagrado é profanado, e as pessoas são finalmente forçadas a encarar com serenidade sua posição social e suas relações recíprocas." Karl Marx, Manifesto Comunista


"O Vendedor De Passados", romance do angolano, de ascendência brasileira e portuguesa, José Eduardo Agualusa, publicado em 2004 pela editora Gryphus, é um livro fininho e divertido, mas essa primeira impressão engana. Não é uma leitura simples. Cada palavra, cada imagem vem carregada de simbolismos, reflexões, sentimentos que ficam repercutindo em nossa mente, pedindo uma leitura mais atenta.

A história é narrada por Eulálio, uma lagartixa que vive nas frestas e teto de uma casa antiga, e dali acompanha a vivência do seu único habitante, o albino Felix Ventura. Felix Ventura inventa e vende árvores genealógicas, com antepassados nobres, gente de estirpe. Minucioso, cria enredos e biografias, fornece até mesmo fotos de ancestrais ilustres. Para esse trabalho, além de seus arquivos, ele conta com uma vasta biblioteca, herança de seu pai adotivo. Seu pai e seu avô eram alfarrabistas. Ele mesmo nasceu entre livros:

O mulato Fausto Bendito Ventura, alfarrabista, filho e neto de alfarrabistas, encontrou numa manhã de domingo, um caixote à porta de casa. Lá dentro, estendido sobre vários exemplares d' A Relíquia de Eça de Queirós, estava uma criturinha nua muito magra e deslavada, com um cabelo de espuma incandescente, e um límpido sorriso de triunfo".


“Eça foi o meu primeiro berço”
, Felix costuma dizer com orgulho.
Eça, perfeita escolha: nenhum escritor traduziu melhor que ele a cultura portuguesa tradicional, seus mitos, a misoginia, o catolicismo, as castas sociais, a hipocrisia, cultura que é também o nosso berço, como ex-colônia.

Fausto Bendito Ventura, pai de Felix, era um bon-vivant que se orgulhava de seu parasitismo. Quando lhe perguntavam o que fazia nos dias úteis, ele respondia com humor: para mim todos os dias são inúteis, e eu os passeio. Acabou se tornando alfarrabista por distração. Tinha herdado do pai a casa em que vivia repleta de livros, de todos os assuntos e épocas. À tarde ele se sentava na varanda da casa, e quem estivesse interessado entrava, e ia examinar as pilhas de livros colocadas ao acaso no chão. A vida mansa dos Ventura teve sua origem no bisavô de Felix, traficante de escravos entre Angola e Brasil.

Os clientes de Felix vem da nova burguesia angolana, emergentes dos anos de guerra civil que seguiu-se à independência do país. São empresários, ministros, fazendeiros, generais, gente com o futuro assegurado, mas sem um passado condizente com seu novo status. O albino vende-lhes esse sonho singelo. Traça-lhes a árvore genealógica. Dá-lhes as fotografias de avôs e bisavôs, cavalheiros de fina estampa, senhores do tempo antigo.

Até que chega um sujeito, que parece vindo de outro tempo, ou do estrangeiro, que quer mais do que um passado novo. Quer também o presente, uma nova identidade, com documentos e raízes angolanas. Felix, relutante a princípio, vence seus escrúpulos, quando imagina o que poderá fazer com os dez mil dólares que o estrangeiro lhe oferece.

E assim nasce José Buchmann*, que assimila de tal maneira sua nova identidade, que a ficção começa a se confundir com a realidade.

Mas é inútil, o passado está vivo e vem furiosamente em seu encalço; como as minas enterradas no solo de Angola.

Quando se tornou independente de Portugal, em 1975, Angola ficou exposta à luta pelo poder entre as facções ideológicas que marcaram o século passado. China, Russia, Cuba e Estados Unidos plantaram minas no solo de Angola. Ninguém sabe, ao certo, quantas minas foram enterradas no chão de Angola. Entre dez e vinte milhões. Provavelmente haverá mais minas do que angolanos (p. 11)

Nada é de graça nesse livro, tudo é simbolismo. A casa que o albino divide com a lagartixa é como um navio cheio de vozes subindo um rio na noite escura. O jardim, na frente da casa, é maltratado e árido, protegido apenas por duas palmeiras muito altas e altivas. Há uma sala de visitas e a biblioteca. Essa é a face voltada para as visitas, para o público. Para se conhecer a verdadeira Angola, para se chegar à intimidade da casa, os quartos, a cozinha, o quintal verde e fresco, cheio de árvores frutiferas, há que atravessar um túnel longo úmido e escuro . Os nomes dos personagens também, como já vimos, são uma narrativa em si. A Velha Esperança, a avó que faz todo o trabalho pesado, levando o neto amarrado às costas, é o pilar que sustenta a casa. Angela Lucia é o anjo de luz, o anjo vingador, a que aceita e ama Felix, branco e negro como Angola. O Edmundo Barata dos Reis, barata dos reis, ex-agente do governo, que vive na sarjeta, mas continua fanático e fiel a sua ideologia.

Esses são apenas alguns aspectos notáveis do livro. Não falei dos sonhos da osga, da beleza do texto, de sua cadência e poesia. E vou me referir a mais um apenas, por sua atualidade, hoje até mais que em 2004.
Falo da mentira que se transformou num dos pilares da construção social. Mentira sempre existiu, naturalmente, mas não como hoje. Não nesse nível de cinismo. Ou paranóia. A noção pós-modernista segundo a qual a verdade não importa, o que importa é a narrativa impregnou nossa cultura e ganhou status de dogma. Não importa a realidade, não importam videos exibindo as mentiras, não importa a objetividade dos fatos. Importa a emoção, aquilo em que decidimos acreditar.

No livro, há cenas hilariantes de personagens que se agarram à ficção sobre si mesmos com tal convicção que passam a agir em função dessa nova narrativa, distorcendo a realidade como os espelhos no apartamento da fictícia Eva Miller. Fictícia?

A ironia atinge paroxismos como, por exemplo, no caso do padeiro que pagou muita propina para acelerar a legalização de suas padarias, e com isso, começou a frequentar as casas dos ministros e generais. Bastaram dois anos para ser ele mesmo nomeado Secretário de Estado para a Transparência Econômica e Combate à Corrupção. Mais um pouco e se tornou Ministro da Panificação e Laticínios. Empolgado com sua árvore genealógica novinha em folha, ele agora se prepara para escrever um livro que, na verdade, será escrito por Fausto Ventura: "História de um verdadeiro combatente", onde absolutamente tudo é mentira, e mesmo assim o "autor" se entusiasma, sinceramente convencido: Assim que A Vida Verdadeira de Um Combatente for publicada, a história de Angola ganhará outra consistência, será mais História. (p.139)

Esse parece ser um fenômeno prevalente hoje no mundo. A presidência de Trump é um bom exemplo. No último domingo, 29 de abril, o New York Times trouxe um artigo cujo título basta para ilustrar esse ponto: Porque os apoiadores de Trump não se importam com suas mentiras. (Why Trump Supporter's don't mind his lies).

Ainda assim, como disse Eulálio, a sábia lagartixa que tem memória de muitas vidas: A única coisa que em mim não muda é o meu passado: a memória do meu passado humano. O passado costuma ser estável. Está sempre lá, belo ou terrível, e lá ficará para sempre.

.


* Buchmann, seria "homem dos livros" em alemão, ou seria uma homenagem a Gonçalo Tavares, outro excelente escritor angolano, que tem um personagem com esse nome em seu romance "Aprender a Rezar na Era da Técnica".


Marilia Mota Silva
Washington, 9/5/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. A cidade e o que se espera dela de Luís Fernando Amâncio
03. De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho de Renato Alessandro dos Santos
04. Numa casa na rua das Frigideiras de Elisa Andrade Buzzo
05. Como medir a pretensão de um livro de Ana Elisa Ribeiro


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva
01. Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé - 21/10/2011
02. O Vendedor de Passados - 9/5/2018
03. Proposta Decente? - 20/8/2014
04. Nuvem Negra* - 8/2/2017
05. Defensores da Amazônia - 19/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PALESTINE, ISRAEL AND THE POLITICS OF POPULAR CULTURE
REBECCA STEIN
DUKE UNIVERSITY PRESS
(2005)
R$ 50,00



ASTROLOGIA E CURA ATRAVÉS DAS VIBRAÇÕES
DONNA CUNNINGHAM
CULTRIX
(1998)
R$ 18,00



COLEÇÃO CADEIRA DE BALANÇO - VOL. 13 - A CILADA
JOHN CARRICK
LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO
(1968)
R$ 7,00



INTRODUÇÃO À METODOLOGIA DA CIÊNCIA
PEDRO DEMO
ATLAS
(1988)
R$ 13,00



SOLDIERS PAY
WILLIAM FAULKNER
PENGUIN BOOKS
(1964)
R$ 32,00



CÂNDIDO
VOLTAIRE
MARTINS FONTES
(1998)
R$ 12,00



A HISTÓRIA CONTADA
SIDNEY CHALHOUB & LEONARDO AFFONSO DE M. PEREIRA
NOVA FRONTEIRA
(1998)
R$ 70,00



AXIS MUNDI. O JOGO DE FORCAS NA LIRICA PORTUGUESA CONTEMPORANEA
NELSON DE OLIVEIRA
ATELIÊ
(2009)
R$ 23,00



INGLÊS PARA CONCURSOS - UMA ABORDAGEM PRÁTICA (6ª ED.)
ROBERTO WITTE
IMPETUS
(2016)
R$ 64,90



SEQUESTRO EM PARADA DE LUCAS - COLEÇÃO VEREDAS - 19ª EDIÇÃO
ORÍGENES LESSA
MODERNA
(1995)
R$ 7,00





busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês