Ossos, mulheres e lobos | Eugenia Zerbini | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
>>> Em busca de cristãos e especiarias
>>> Fim dos jornais? Desconfie
Mais Recentes
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
>>> O Hotel New Hampshire Encadernado de John Irving pela Círculo do Livro (1981)
>>> As Moças de Azul de Janet Dailey pela Record (1985)
>>> Amante Indócil Encadernado de Janet Dailey pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Rebelde Apaixonada de Frank G. Slaughter pela Nova Cultural (1986)
>>> Escândalo de Médicos de Charles Knickerbocker pela Record (1970)
>>> A Turma do Meet de Annie Piagetti Muller pela Target Preview (2005)
>>> O Roteiro da Morte de Marc Avril pela Abril (1973)
>>> Luz de Esperança de Lloyd Douglas pela José Olympio (1956)
>>> Confissões de Duas Garotas de Aluguel de Linda Tracey e Julie Nelson pela Golfinho (1973)
>>> Propósitos do Acaso de Ronaldo Wrobel pela Nova Fronteira (1998)
>>> Olho Vermelho de Richard Aellen pela Record (1988)
>>> A Comédia da Paixão de Jerzy Kosinski pela Nova Fronteira (1983)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Böll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ventos sem Rumo de Belva Plain pela Record (1981)
>>> Ventos sem Rumo de Belva Plain pela Record (1981)
>>> O Caminho das Estrêlas de Christian Signol pela Círculo do Livro (1987)
>>> Longo Amanhecer de Joe Gores pela Best-seller (1988)
>>> As Damas do Crime de B. M. Gill pela Círculo do Livro (1986)
>>> Os Melhores Contos de Alexandre Herculano de Alexandre Herculano pela Círculo do Livro (1982)
COLUNAS

Quinta-feira, 4/12/2014
Ossos, mulheres e lobos
Eugenia Zerbini

+ de 9400 Acessos

O pintor Henry Alexander Bowler (1824-1903), na obra por ele intitulada The Doubt: Will These Bones Live Again? (A dúvida: esses ossos viverão de novo?) (c. 1855), resume, segundo os críticos, uma das dúvidas que assombrou com afinco a época vitoriana: existe vida depois da morte? Arrisco que essa dúvida persiste para a maioria, até hoje.

A tela, que faz parte do acervo da Tate Gallery, em Londres, é simbólica. Fortemente influenciado pela escola de pintura autodenominada pré-rafaelita, Bowler retrata uma jovem mulher apoiada numa pedra tumular. Seu rosto é a única parte descoberta de todo o corpo: saia, xale, mangas longas, luvas, laço do chapéu, a função de cada uma das peças é ocultar. O corpo, por seu turno, é uma massa indefinida, sob o peso da vestimenta.

A figura feminina, com exceção do rosto, é apenas uma silhueta sem forma. Mas seu olhar é o dínamo da cena: fixam a cova de terra revolvida aos pés da herma, onde despontam ossos e um crânio. O artista deixou patente o nome do finado, John Faithfull, nascido em 1714 e morto em 1791. Arremata com o epitáfio: I am the Ressuretion and the Life (Sou a Redenção e a Vida). Bowler dá a resposta à pergunta que propôs. Há uma borboleta (signo da transformação) pousada sobre o crânio; brotos verdejantes que despontam da terra; o fruto seco do carvalho, aberto e expondo a semente, caído sobre o jazigo vizinho. Neste lê-se a inscrição: Ressurection. Todos os elementos apontam para a transformação e o renascimento, em nome de Mr. Faithfull, aquele que é cheio de fé.

A questão de dar vida aos ossos foi o núcleo da conversa de um grupo de mulheres, "As boas companheiras", que mensalmente se reúne em São Paulo para discutir a questão de envelhecimento. A deixa para o debate foi algumas partes do livro Mulheres que correm com os lobos, de Clarissa Pinkola Estés (1945 - ). Lançado no início da década de 1990, o livro figurou por 145 semanas entre os mais vendidos, na lista do New York Times. Seu objetivo foi sensibilizar a mulher contemporânea para a necessidade de resgatar forças femininas arcanas, deixadas para trás na busca da emancipação e de sua afirmação.

O mundo atual se, por um lado, colocou a mulher em um patamar social de maior igualdade (digo isso imaginando o lado Ocidental), desvitalizou a essência do feminino. O modelo de sucesso é ainda masculino (observo, apenas exemplificando, que, no mundo corporativo, o dress code ainda são terninho e tailleur). Na busca de sua verdadeira realização, segundo àquela autora, cabe a recuperação dos arquétipos das mulheres selvagens, as ditas mulheres que correm com os lobos.

Além de parceiras firmes (segundo a revista Science, lobos são animais monogâmicos), as fêmeas da espécie são mães dedicadas. Todavia, sabem mostrar os dentes, quando preciso. Não se trata, porém, da simples busca do instintivo animal. Essa procura - que é um processo, não um fim - pode ser guiada simbolicamente pelo conteúdo dos mitos e contos de fadas. Estes últimos são mais que crônicas sobre princesas adormecidas. Em "Barba Azul", que Pinkola Estés dá como ilustração, a heroína liberta-se do matador (e também o liberta desse papel) após desobedecê-lo.

As "Boas companheiras" passaram uma tarde de sábado compartilhando suas idéias sobre um pequeno trecho do primeiro capítulo do Mulheres que correm com os lobos: "Todos nós começamos como um feixe de ossos, perdidos em algum ponto num deserto, um esqueleto desmantelado que jaz debaixo da areia. É uma responsabilidade recuperar suas partes".

Ouvir esse trecho serviu de gatilho para lembrança da tela de Bowler mencionada no início. Clarice Pinkola Estés, no correr de suas linhas, afirma que é através do canto que uma vida nova irá vivificar esses ossos. Uma canção própria, proveniente do mais profundo dos abismos internos de cada uma. O que querem dizer esses ossos? Ossos podem ser interpretados como a essência, aquilo que permanece depois que tudo foi destruído. Em certos lugares, como na Índia, templos são construídos com ossos.

Indo além, conforme ensinado por Chevalier e Gheerbrant no Dicionário de Símbolos (José Olímpio), dentro do osso existe o tutano, assim como dentro do caroço existe a amêndoa. Para certos povos, segundo esses autores, a parte mais importante da alma reside no osso e a revivificação das ossadas ressecadas evoca a ressurreição. É o que Rabelais (1494-1553), cheio de humor e exuberância - exprime na formulação célebre: Quebrar o osso e sugar o substancioso tutano. É por meio de paradoxismos, alegorias e contradições que o inconsciente se expressa, já observou Gustav Jung em sua obra (e a cada noite os sonhos nos dão conta disso).

Morremos um pouco, a cada dia, porque nos distanciamos do nascimento. Durante o sono, morremos de um certo modo para o mundo, renascendo ao despertar. O orgasmo, em francês, é quase sinônimo do estado de êxtase, que lhe vem logo em seguida, chamado de pequena morte (petite mort). No cotidiano, morremos de rir. E morremos de vontades. Essas vontades devem gerar escolhas, opções.

Voltando ao livro Mulheres que correm com os lobos: a autora narra uma lenda contada pelos índios nativos de algumas regiões dos Estados Unidos e do México em torno de uma figura conhecida como La Loba. É ela que detém o dom de reviver os ossos. Velha desgrenhada, vivendo só, em lugares que só chegamos quando perdidos, La Loba, com seu canto, refaz os nervos e músculos de um esqueleto de ossos. Na verdade, La loba vive à procura desses ossos, para fazê-los viver de novo.

Essa imagem é a antípoda da mulher imóvel da tela de Bowler, que contempla, imóvel, a sua dúvida. É no desassossego e nas escolhas que se encontra a salvação. Existirá sempre a opção de enxergarmos nos ossos aquele crânio que coroa as duas tíbias cruzadas da bandeira dos piratas, símbolo da transgressão e da liberdade de navegar. Optando uivar, ou não, para a Lua.


Eugenia Zerbini
São Paulo, 4/12/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Roteiro de um ano de Lisandro Gaertner
02. Canto Infantil Nº 1: É Proibido Miar de Daniel Aurelio
03. Do inferno, com amor de Rafael Lima


Mais Eugenia Zerbini
Mais Acessadas de Eugenia Zerbini em 2014
01. Bonecas russas, de Eliana Cardoso - 21/8/2014
02. Ossos, mulheres e lobos - 4/12/2014
03. O pródigo e o consumo - 11/9/2014
04. Jackie O., editora - 20/3/2014
05. Tons por detrás do rei de amarelo - 26/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CALIGRAFIA DIVERTIDA LETRA CURSIVA
CIRANDA CULTURAL
CIRANDA CULTURAL
(2016)
R$ 9,00



O CEMITÉRIO DE PRAGA
UMBERTO ECO
RECORD
(2011)
R$ 15,00



COMO SER BEM-SUCEDIDO EM NETWORK MARKETING - 2ª ED.
LEONARD S. HAWKINS
RECORD
(1995)
R$ 110,00



PLANETARY WILDSTORM #14 PLANETARY ZERO POINT
PLANETARY WILDSTORM
WILDSTORM
R$ 30,00



O REGRESSO-CAMINHO ESPIRITUAL
NANCY ZEITONE
ROWENA
(2001)
R$ 7,50



ESTATÍSTICA PARA ECONOMIA E GESTÃO INSTRUMENTOS
JOSE DIAS CURTO E JOSÉ CARLOS CASTRO PINTO
SILABO
(1999)
R$ 67,79



PALAVRAS PARIDAS
NILO JANSON
NILO JANSON
(2009)
R$ 8,00



O PODER DA MÃE QUE ORA
STORMIE OMARTIAN
MUNDO CRISTÃO
(2012)
R$ 7,00



RECORDAÇÕES DOS PRIMÓRDIOS DA IMIGRAÇÃO JUDAICA EM SÃO PAULO
MARIA LUIZA CARNEIRO
MAAYANOT
(2013)
R$ 28,00



REVISTA BRASILEIRA DE ALERGIA E IMUNOPATOLOGIA VOL 19 Nº 6 NOVEM/DEZ
NÃO INFORMADO
S. B. A. I
(1996)
R$ 5,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês