O que aconteceu com a Folha de S. Paulo? | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
71230 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 5/11/2014
O que aconteceu com a Folha de S. Paulo?
Julio Daio Borges

+ de 3200 Acessos

Eu leio a Folha desde, pelo menos, 1995. Foi quando eles produziram um caderno inteiro dedicado ao Cioran, me deram uma cortesia e eu acabei me convencendo a assinar o jornal. Estava na faculdade.

Lógico que eu sempre soube que a Folha era famosa por ser "de esquerda" (meu pai sempre disse). Mas aprendi a admirar o jornal. Era um contraponto interessante ao Estadão (o jornal que se assinava em casa). Principalmente pela parte cultural, a minha preferida, onde a Folha era mais "vanguarda", digamos.

E eu conheci muita gente boa que ou passou pela Folha ou fez carreira na Folha. Vale lembrar que o Diário da Corte, do Paulo Francis, começou na Folha, por sugestão do Cláudio Abramo. Ruy Castro e Sérgio Augusto tiveram grandes momentos na Folha. O Sérgio Dávila, que eu conheci quando era correspondente em Nova York, teve uma ascensão meteórica na Folha. E o Otávio Frias Filho, que eu conheci na Casa do Saber - e que é um intelectual de verdade -, hoje sucede o pai, Octávio Frias de Oliveira, dirigindo o jornal.

Ultimamente até, a Folha, reforçando seu "pluralismo", uma palavra que eles adoram, acolheu colunistas tidos como "de direita" - como Reinaldo Azevedo, que já foi da Folha, Luiz Felipe Pondé, que eu também conheci na Casa do Saber, e Demétrio Magnoli, um dos primeiros a escrever sobre a Militância em Ambientes Virtuais, MAV (na Folha).

Não assino mais nenhum jornal impresso. (Tive algumas recaídas, com o Valor.) Mas, "de domingo", costumava comprar a Folha. Também pela revista, ou pelas revistas, que o Estadão não traz.

Nestas eleições, contudo, fiquei bastante decepcionado com a cobertura da Folha de S. Paulo. E do UOL.

Começando pelo Datafolha, que errou feio no primeiro turno. Até aí, outros institutos, tradicionais, de pesquisa, também erraram...

Mas, no segundo turno, o Datafolha fez, pelo menos, duas dobradinhas bastante suspeitas, com o Ibope, "congelando" os dados num momento crucial da disputa. Não sei se vocês se lembram, mas, em duas semanas seguidas, Datafolha e Ibope deram exatamente os mesmos resultados, até nas "margens". E não detectaram nenhuma influência dos "áudios" dos depoimentos de Paulo Roberto Costa - sobre o "petrolão" - que foram parar até no Jornal Nacional...

Vale repetir que as metodologias, do Datafolha e do Ibope, são diferentes. E que, inclusive, pesquisaram *regiões* diferentes naquele momento. Mas o resultado permaneceu rigorosamente o mesmo: "empate técnico".

Depois, quando houve "reação" da campanha da Dilma - porque, na verdade, houve "desconstrução" de Aécio Neves -, o Datafolha saiu do "empate técnico". Até aí, outros institutos também saíram. O grave foi uma matéria da Folha "do além" - como dizíamos na adolescência - declarando, com chamada de capa, que o "otimismo" com a economia - no governo *Dilma* - havia "disparado". Era uma interpretação do jornal. A partir de dados do Datafolha.

Gostaria de saber quem aprovou essa manchete internamente. Porque quem sugeriu, eu já sei: deve ter sido algum militante infiltrado, no "estilo" Gustavo Uribe. Todo mundo sempre soube que o calcanhar de Aquiles do primeiro governo Dilma era a economia: inflação alta, crescimento zero e déficit recorde (já em setembro). Impossível um editor de economia, de qualquer jornal, aprovar uma manchete afirmando que o "otimismo" com a economia - de um dos piores governos da história da República, nesse quesito - havia "disparado" (do nada). Ainda mais num momento decisivo da eleição. Foi, no mínimo, irresponsável. Cadê a ombudsman? Vinicius Torres Freire (você, que tem uma coluna diária no caderno Dinheiro): gostaria muito de ler seus comentários a respeito.

Infelizmente, como vocês sabem, não ficou apenas nisso.

As eleições passaram. Dilma se reelegeu. Houve manifestações no dia 1º de Novembro de 2014. E a Folha voltou à carga. Em dobradinha com o UOL.

Primeiro, eles manchetaram: "Ato com cerca de mil manifestantes em São Paulo pede impeachment de Dilma e intervenção militar no Brasil". Dias depois, corrigiram para: "Manifestação contra Dilma reúne 2.500 pessoas em São Paulo".

Aumentaram o número de pessoas, seguindo até o que a imprensa internacional já havia noticiado. E retiraram o trecho sobre "intervenção militar".

Até aí, uma vitória das redes sociais, onde se fez pressão a fim de que fosse corrigido? Nada disso. O estrago já estava feito. Chegando até a própria Dilma, que postou em seu Facebook (dia 3 de novembro): "Tem gente querendo a volta da intervenção militar no País. Será que eles sabem o que isso significa?".

Não sei se preciso repetir aqui, pela milésima vez, que a manifestação não era pela "intervenção militar", nem pelo "golpe militar". Foi um cartaz apenas, infiltrado na multidão. A manifestação era, originalmente, pela apuração dos escândalos da Petrobrás, que pode (ou não) ensejar impeachment, e, igualmente, pela auditoria - solicitada pelo PSDB - da última eleição.

É triste constatar a parcialidade de um dos maiores jornais do País e, consequentemente, de um dos maiores portais da internet. Que a Folha tenha colunistas, das mais variadas matizes, emitindo opiniões pessoais, é perfeitamente concebível, até recomendável.

O que não dá para admitir é a manipulação, grosseira, de manchetes, influenciando não só o resultado da eleição mais importante do País, como, também, distorcendo uma manifestação legítima, uma oposição pacífica e até a imagem que se tem de São Paulo, da cidade e do estado.

Já parei de comprar a Folha aos domingos. E, nos dias de semana, quando ficava na dúvida entre a Folha e o Estadão, não fico mais: compro o Estadão. Eu sei que o repórter do Estadão também errou. Mas os editoriais do Estadão são bastante claros. O Estadão se posiciona abertamente. Coisa que a Folha deveria fazer. Até para sabermos quem é quem...

Lamento pelas pessoas na Folha - e da Folha - que li, conheci e admirei. Vou continuar lendo vocês na internet, quando me passarem algum link (pois tenho e-mail do UOL). Mas não vou mais comprar a Folha de S. Paulo. É o meu protesto como leitor - de quase 20 anos - num momento tão delicado na democracia do nosso País.


Julio Daio Borges
São Paulo, 5/11/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Shakespeare e as séries na TV de Eugenia Zerbini
02. American Dream de Marilia Mota Silva
03. Networking para crianças? de Raquel Oguri Ribeiro
04. O incompreensível mercado dos e-books de Vicente Escudero
05. A aura da música de Luiz Rebinski Junior


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2014
01. Como detectar MAVs (e bloquear) - 22/10/2014
02. Sobre o caso Idelber Avelar - 8/12/2014
03. 40 - 29/1/2014
04. Meu Primeiro Livro - 18/6/2014
05. Mamãe - 19/1/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TWILIGHT - DIRECTORS NOTEBOOK
CATHERINE HARDWICK
LITTLE BROWN AND COMPANY
(2009)
R$ 8,11



POESIA COMPLETO DE ALBERTO CAEIRO
FERNANDO PESSOA
COMPANHIA DE BOLSO
(2001)
R$ 4,00



A MODERNIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE E A TRANSFORMAÇÃO DA INTELLIGENTZIA UNIVERSITÁRIA
MARIA DE FÁTIMA DE PUALA
INSULAR
(2002)
R$ 13,00



TRADUÇÃO: HISTÓRIA, TEORIAS E MÉTODOS
MICHAËL OUSTINOFF
PARÁBOLA
(2011)
R$ 15,00



DEPRESSAO DOENCA: O GRANDE MAL DO SECULO XXI
CARLOS VIEIRA
VOZES
(2016)
R$ 71,95



EQUILIBRIO Á CIDO-BÁSICO
EUCLYDES FONTEGNO MARQUES DARIO BIROLINI
SARVIER
(1969)
R$ 14,01



O TRABALHO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE
ALINE AZEVEDO DA SILVA
MINISTÉRIO DA SAÚDE
(2009)
R$ 8,00



A LUVA DE COBRE
CASSANDRA CLARE; HOLLY BLACK
GRUPO EDITORIAL RECORD
(2015)
R$ 30,00



O INSECTO IMPERFEITO ROMANCE
BEATRIZ LAMAS DE OLIVEIRA
GRADIVA
(1999)
R$ 18,70



ESSÊNCIA DE TUDO
RONALDO VIEIRA
MEIRELES
(2017)
R$ 20,00





busca | avançada
71230 visitas/dia
1,4 milhão/mês