Zizitinho Foi Para o Céu | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
71522 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 10/6/2015
Zizitinho Foi Para o Céu
Marilia Mota Silva

+ de 2300 Acessos

Era de se esperar, ele já estava velho, já quase não dançava, nem quando cantávamos ai ai ai ai, está chegando a hora, ou Trem das Onze, as preferidas dele. Não que fosse um grande dançarino, seu repertório era modesto: andava de lado, dois, três passinhos, ida e volta, ou mergulhava a cabeça e reerguia depressa, o pescocinho obliquo, seguindo o ritmo, as garras firmes no poleiro.

Não era muito falador mas se comunicava: Batia o bico na treliça da gaiola e fazia um escarcéu danado quando alguém chegava em casa e não ia falar com ele. Em dias mais rebeldes, jogava sementes no chão, ou fingia indiferença, camuflado no seu cobertorzinho de pelúcia verde-mato. Solteirão, ranzinza, afetuoso, apreciador de música e de festa, tinha nascido em cativeiro e o mais longe que ousava, com a gaiola aberta, era o ombro ou a cabeça de alguém próximo. Ou o chão, o que era um perigo, porque seria fácil pisar inadvertidamente naquele feixezinho de penas verdes.

Um dia, no café da manhã, Theo, sete anos, foi levar um pedaço de fruta para ele e voltou dizendo que Zizitinho estava dormindo numa posição esquisita: no piso da gaiola, as perninhas pra cima. Foi uma correria, uma choradeira!

Seguiu-se o inevitável, os rituais do enterro, a caixa de sapato enfeitada com mensagens e desenhos das crianças, Zizitinho aconchegado na pelúcia verde, ao lado, seu espelho, seus brinquedos; a cova esperando ao pé da macieira.

Mas o caçula dos irmãos, inconsolável, tentava interromper o ritual estranho:

- Quedê o Zizitinho? - perguntava, tocando o montinho frio de penas. - Onde ele foi?

Onde foi a vida que existia nele? A pergunta que com todo o avanço da ciência não sabemos responder.

- Zizitinho foi para o céu, - disse o pai.

A mãe e os irmãos vieram em seu socorro: - Ele está muito feliz, foi encontrar a família dele! E, aos poucos, surgiu um céu em tons de azul e verde, com árvores, crianças, água de riacho e música, naturalmente.

Como viver sem mitos? Mesmo que um dia todas religiões e crenças fossem abolidas pelo bem da humanidade, eles renasceriam cada vez que nascesse uma criança. E não seria apenas porque precisamos de criar histórias para responder às perguntas que não tem resposta. É porque que o sublime faz parte de nós, a intuição da beleza, da harmonia.

Nem o mais tranquilo dos ateus está imune à transcendência, nem que seja sob a forma de pensamento mágico. Nietzsche, que famosamente declarou a morte de Deus e influenciou meio mundo com sua filosofia, escreveu a sua amiga Malwida von Meysenbug, em 1877: Como vim parar em Lugano? Realmente eu não queria vir para cá, mas é onde estou. Quando eu cruzava a fronteira da Suiça, debaixo de uma tempestade, caiu um único raio seguido de um forte trovão. Tomei isso como um bom presságio.

Não há como negar: a magia, os deuses nos habitam. Mesmo que obscuramente, ouvimos em nós, às vezes, um murmúrio de oração, um senso íntimo de deslumbramento, de devoção a um todo que nos acolhe e dá sentido, não importa o nome que lhe damos, Tupã, Zeus, natureza, amor divino. Faz parte de nossos genes, tanto quanto nossas misérias.

No entanto, temos negado esse nosso lado há muito tempo. As ideologias que dominaram o século passado e ainda nos dominam, o consumismo, o materialismo, com liberdade ou sob opressão totalitária, deixam à míngua nossas necessidades e recursos espirituais.

E onde isso nos trouxe? À banalidade, ao vazio, ao aumento do consumo de drogas legais e ilegais, ao aumento da violência. Nossos valores hoje são a ganância, o egoísmo, a desonestidade, a mentira sistemática, o enriquecimento ilícito, a exploração dos que trabalham em benefício dos que se locupletam, a perda de confiança nas instituições, a truculência como norma social.Todos os sistemas de governo e organização social dão sinais de esgotamento.

É um momento crítico esse que atravessamos, e por isso mesmo, um momento carregado de promessas, de energia transformadora; fértil para o surgimento de uma nova filosofia e novas lideranças.


Marilia Mota Silva
Arlington,VA, 10/6/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos de Ana Elisa Ribeiro
02. Minha história com Marisa Monte de Ana Elisa Ribeiro


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2015
01. Memorial de Berlim - 23/12/2015
02. O Velho e Bom Complexo de Inferioridade - 4/2/2015
03. Minha Terra Tem Palmeiras - 15/7/2015
04. Pendurados no Pincel - 18/3/2015
05. A Mão Invisível - 11/11/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TEATRO SOVIÉTICO
JORACY CAMARGO
LEITURA
R$ 40,00



LAS MULTINACIONALES... A LO CLARO
ERNESTO GARRIDO E ENRIQUE DEL RIO
EDITORIAL POPULAR (MADRI)
R$ 19,82



A RIVE GAUCHE
HERBERT R. LOTTMAN
GUANABARA
(1987)
R$ 10,00



BOA NOVA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
FEB
(2014)
R$ 15,00



HIGH UP STUDENTS BOOK WITH AUDIO CD & DIGITAL BOOK-2
RAQUEL FARIA
MACMILLAN EDUCATION
(2013)
R$ 39,90



SOCIOLOGIA - INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA SOCIEDADE
CRISTINA COSTA
MODERNA
(2010)
R$ 15,00



NOVA ESCOLA 111 - ABRIL/1998 - TRAGA OS GIBIS PARA A SALA
ELIZABETH DE FIORE
ABRIL
(1998)
R$ 10,90



FINANÇAS LOCAIS E REGIONAIS
MILTON SANTOS FILHO
HUCITEC
(1996)
R$ 10,48



UROLOGIA PRÁTICA
NELSON RODRIGUES NETTO JR.
ATHENEU
(1999)
R$ 12,00



SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO
ANTONIO LUIZ DE TOLEDO PINTO
SARAIVA
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
71522 visitas/dia
1,4 milhão/mês