O começo do fim da hegemonia 'de esquerda' | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Talvez...
>>> 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1
>>> A felicidade, segundo Freud
>>> Memória das pornochanchadas
>>> Magia além do Photoshop
>>> Meu Telefunken
>>> Meu Telefunken
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Mais Recentes
>>> Terapia do Abraço 2 de Kathleen Keating pela Pensamento (2012)
>>> História Resumida da Civilização Clássica - Grécia/Roma de Michael Grant pela Jorge Zahar (1994)
>>> Cães de Guerra de Frederick Forsyth pela Record (1974)
>>> Jogo Duro de Mario Garnero pela Best Seller (1988)
>>> Psicologia do Ajustamento de Maria Lúcia Hannas, Ana Eugênia Ferreira e Marysa Saboya pela Vozes (1988)
>>> Uma Mulher na Escuridão de Charlie Donlea pela Faro (2019)
>>> Pra discutir... e gerar boas conversas por aí de Donizete Soares pela Instituto GENS (2015)
>>> Educomunicação - o que é isto de Donizete Soares pela Projeto Cala-boca já morreu (2015)
>>> Ficções fraternas de Livia Garcia-Roza - organizadora pela Record (2003)
>>> Prisioneiras de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (2017)
>>> O diário de Myriam de Myriam Rawick pela Dark Side Books (2018)
>>> Contos de Rubem Fonseca pela Nova Fronteira (2015)
>>> Notícias - Manual do usuário de Alain de Botton pela Intrínseca (2015)
>>> Um alfabeto para gourmets de MFK Fisher pela Companhia das Letrs (1996)
>>> Os Mitos Celtas de Pedro Paulo G. May pela Angra (2002)
>>> A vida que ninguém vê de Eliane Brum pela Arquipélago Editorial (2006)
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras de Joaquim Ferreira dos Santos - organizador pela Objetiva (2007)
>>> O tigre na sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Elza de Zeca Camargo pela Casa da Palavra (2018)
>>> Sexo no cativeiro de Esther Perel pela Objetiva (2007)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2009)
>>> Coisa de Inglês de Geraldo Tollens Linck pela Nova Fronteira (1986)
>>> As mentiras que os mulheres contam de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2015)
>>> Equilíbrio e Recompensa de Lourenço Prado pela Pensamento
>>> Cadernos de História e Filosofia da Ciência de Fátima R. R. Évora (org.) pela Unicamp (2002)
>>> Revista Internacional de Filosofia de Jairo José da Silva (org.) pela Unicamp (2000)
>>> Dewey um gato entre livros de Vicki Myron pela Globo (2008)
>>> Ilha de calor nas metrópoles de Magda Adelaide Lombardo pela Hucitec (1985)
>>> Sua santidade o Dalai Lama de O mesmo pela Sextante (2000)
>>> Meninas da noite de Gilberto Dimenstein pela Ática (1992)
>>> Paulo de Bruno Seabra pela Três (1973)
>>> Grandes Enigmas da Humanidade de Luiz C. Lisboa e Roberto P. Andrade pela Círculo do livro (1969)
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Jonathan Seagull pela Nórdica (1974)
>>> Os Enigmas da Sobrevivência de Jacques Alexander pela Edições 70 (1972)
>>> Mulheres visíveis, mães invisíveis de Laura Gutman pela Best Seller (2018)
>>> Construir o Homem e o Mundo de Michel Quoist pela Duas cidades (1960)
>>> Vida Positiva de Olavinho Drummond pela Olavinho Drummond (1985)
>>> Força para Viver de Jamie Buckingham pela Arthur S. DeMoss (1987)
>>> Consumidos de David Cronemberg pela Alfaguara (2014)
>>> Viver é a melhor opção de André Trigueiro pela Correio Fraterno (2015)
>>> O Caso da Borboleta Atíria de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1987)
>>> Cânticos de Cecília Meireles pela Moderna (1995)
>>> Caminho a Cristo de Ellen G. White pela Cpb - Casa Publicadora Brasileira (2019)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1986)
>>> Le Divorce de Diane Johnson pela Record (1999)
>>> Trajetória do Silêncio de Maria do Céu Formiga de Oliveira pela Massao Ohno-Roswitha Kempf (1986)
>>> Zezinho, o Dono da Porquinha Preta de Jair Vitória pela Ática (1992)
>>> Aconselhamento Psicológico de Ruth Scheeffer pela Atlas (1981)
>>> Razão e Revolução de Herbert Marcuse pela Paz e Terra (1978)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Círculo do livro (1987)
COLUNAS

Segunda-feira, 10/11/2014
O começo do fim da hegemonia 'de esquerda'
Julio Daio Borges

+ de 3200 Acessos

Desde o século XX que a Europa tem uma referência para o mal, é o nazismo. E o fascismo. Por causa das guerras. Por causa da destruição. Por causa do genocídio.

Talvez por serem ditaduras de esquerda, Stálin, na "Eurásia", e Mao, na Ásia, perdem para Hitler e Mussolini na comparação. Embora tenham matado mais gente. E governado por mais tempo, causando diferentes estragos.

No Brasil da metade do século XX pra cá, a ditadura militar é o mal. E a direita. Por isso qualquer pessoa que se identifique, minimamente, com a direita é logo chamada de "fascista".

Nesse contexto, desde 1964, ser "de esquerda" ficou, automaticamente, associado a ser "do bem". A querer o bem do Brasil. O bem do povo, o bem de todos...

A direita ficou identificada com a ditadura, com a censura, com a perseguição, com a tortura. Já a esquerda ficou associada à democracia, à liberdade, tanto de imprensa quanto de expressão, à "intelligentsia" e ao "progressismo".

Como partido do governo militar, a Arena ficou consequentemente associada à direita, e o partido de *oposição* ao governo militar ficou associado à esquerda - era o MDB, ou Movimento *Democrático* Brasileiro.

Tancredo, Montoro, Quércia, FHC, Covas, Lula e Pedro Simon foram alguns dos principais líderes do movimento Diretas Já - que, justamente, reivindicava eleições diretas para presidente, no Brasil, quando o regime militar estava nos seus estertores. PMDB, PSDB e PT são imediatamente associados a eles. Todos partidos, originalmente, de esquerda.

Na eleição indireta para presidente, de 1985, o candidato do governo militar era Paulo Maluf, para sempre associado à direita, e o candidato do PMDB, apoiado pela Frente Liberal (futuro PFL, hoje DEM), era Tancredo Neves, apoiado por Ulysses Guimarães, ambos considerados heróis da "redemocratização".

O último candidato assumidamente de direita que tivemos foi Fernando Collor de Mello (1989). Eternamente associado ao impeachment. Itamar Franco, seu sucessor, não teve outra opção a não ser convocar a esquerda para governar. O PT não aceitou, mas Fernando Henrique aceitou: foi ministro da Fazenda e se consagrou com o Plano Real (1994).

De lá pra cá, todos os presidentes foram, oficialmente, de esquerda, alguns mais, outros menos. FHC em 1994 e 1998, Lula em 2002 e 2006 e Dilma em 2010 e, agora, em 2014.

Como a esquerda não é santa, mas, sim, humana, começaram a surgir contradições. Uma delas é que o partido que se colocava como bastião da "ética" na política, o PT, protagonizou o maior escândalo de corrupção desde Collor e PC, o mensalão (2005).

Como conciliar uma esquerda que sempre foi santificada, pelos intelectuais e pelos artistas, com os ataques que o PT fez à democracia, "comprando" apoio político no Congresso Nacional, e com o julgamento, a condenação e a prisão dos outrora "heróis da resistência" à ditadura, José Dirceu (ex-ministro-chefe da Casa Civil) e José Genoíno (ex-presidente do partido)?

Fernando Henrique Cardoso, como se sabe, segurou o PSDB para que não se instalasse um processo de impeachment, contra Lula, em 2005. FHC achava que se instalaria uma crise institucional no Brasil (mais um presidente "impedido", em pouco mais de uma década). E Fernando Henrique ainda acreditava romanticamente na esquerda brasileira. E no PT.

Aconteceu que o Partido dos Trabalhadores, supostamente, replicou o mesmo esquema do mensalão, transladando-o para a Petrobras a partir de 2006, daí o "petrolão". Além do desvio de recursos para o caixa do partido (os tais 3%), o objetivo continuava sendo o mesmo do mensalão: comprar apoio político no Congresso Nacional, para viabilizar os projetos de interesse do PT.

Entre esses "projetos", claro, a "hegemonia" - explicitamente revelada no documento intitulado "Resolução Política", que o PT soltou oficialmente agora, após a reeleição de Dilma. Não uma simples hegemonia de esquerda, mas uma hegemonia do Partido dos Trabalhadores.

E uma hegemonia que não é apenas política. Para enfraquecer de vez o Congresso, o PT quer aprovar os "conselhos populares", que seriam, na prática, dominados por "coletivos" e "movimentos sociais". Para silenciar os críticos, o PT quer calar a imprensa, através da "democratização da mídia", atacando nominalmente os "oligopólios", mas, no fim, interferindo em "conteúdos". E para derrotar de vez os opositores, a revisitada "luta de classes", a nova "divisão do País", o "ódio", a "intolerância" e a "nostalgia"... de quê, mesmo?

Afinal, o que é essa "hegemonia" senão uma ditadura? Se o PT quer ser o partido hegemônico, quer ser, então, o partido único? Se o PT quer controlar o Congresso, o Supremo, a Polícia Federal e o Banco Central, fora o IBGE e o Ipea, quer controlar as leis, a Justiça, a polícia, a economia e os dados oficiais? Se o PT quer "regular" a mídia - se a presidente, inclusive, disse que a imprensa só deve "informar" -, e se o PT quer avançar sobre as "redes sociais", como na Venezuela, então, o que é isso? A que se parece essa "hegemonia"?

O Brasil começou a descobrir que de santa essa esquerda não tem nada...

Existe um projeto ditatorial claro, no horizonte. Totalitário, para usar o termo técnico. Só que, desta vez, é de esquerda. Uma ditadura de esquerda, para falar com todas as letras.

E agora? Esquerda não era sinônimo de democracia, de liberdade, de "tolerância"? Que esquerda é essa que fala em "hegemonia", "controle", em, literalmente, "nós contra eles" (como no discurso do ex-presidente Lula, durante a campanha de Dilma, atacando William Bonner e Miriam Leitão)?

Será que não precisamos rever os nossos conceitos de "esquerda" e "direita"? Será que a esquerda é sempre "o bem", e quem se opõe à esquerda - no caso, a este governo - é sempre "o mal"?

Ficamos presos na armadilha de, ao criticar o governo, sermos automaticamente identificados como "fascistas", a favor da "intervenção militar" e/ou "nostálgicos da ditadura"?

Uma ditadura de esquerda bate à porta e temos de aceitar calados para não sermos demonizados como "de direita"?

Será que não chegou a hora de concluir que pode existir um outro tipo de direita que não seja a *extrema* direita?


Julio Daio Borges
São Paulo, 10/11/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eric Clapton ― envelhecendo como um bluesman de Diogo Salles
02. A arte da ficção de David Lodge de Marcelo Spalding
03. Don Corleone e as mulheres de Guga Schultze
04. O romance espinhoso de Marco Lacerda de Daniel Lopes
05. A vida sexual da mulher feia de Fabrício Carpinejar


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2014
01. Como detectar MAVs (e bloquear) - 22/10/2014
02. Sobre o caso Idelber Avelar - 8/12/2014
03. 40 - 29/1/2014
04. Meu Primeiro Livro - 18/6/2014
05. Mamãe - 19/1/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FREY APOLLONIO UM ROMANCE DO BRASIL
KARL FRIEDRICH PHILIP VON MARTIUS
BRASILIENSE
(1992)
R$ 30,00



MANUAL DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL
DANIEL AMORIM ASSUMPÇÃO NEVES
GEN - MÉTODO
(2009)
R$ 95,00



CHICO MENDES - O HOMEM DA FLORESTA
ELSON MARTINS; NATÁLIA JUNG (EDIÇÃO E TEXTOS)
COMITÊ CHICO MENDES
(2008)
R$ 13,00



COMO LIDAR COM PESSOAS DIFICEIS
ALAN HONEL / CHRISTIAN GODEFROY
MADRAS
(2011)
R$ 30,72



SPAWN 32
MCFARLANE
IMAGE
R$ 4,00



SEMENTEIRA DE LUZ
VARIOS AUTORES
VINHA DE LUZ
(2006)
R$ 50,00



OS SAQUEADORES - TRILOGIA DOS ALTOS MARES
IAIN LAWRENCE
ROCCO
(2004)
R$ 15,00



MEGA LETRONIX COMO SE ESCREVE? VERBOS VOLUME 4
RECREIO
ABRIL
R$ 4,90



TDEF- 1º GRAU 2º VOLUME
HUDSON VENTURA TEIXEIRA
SARAIVA
(1993)
R$ 19,90



BIOGRAFIA DE UM MONUMENTO - ESTUDOS BAIANOS
VALENTIN CALDERÓN
UFB
(1970)
R$ 30,00





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês