Mais um texto sobre Francis | Eduardo Mineo | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial 10 anos sem Francis

Quinta-feira, 8/3/2007
Mais um texto sobre Francis
Eduardo Mineo

+ de 3700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A pior parte de se escrever sobre Paulo Francis é escrever algo que já não tenha sido escrito sobre Paulo Francis. E escrito de uma forma muito melhor do que eu conseguiria escrever, provavelmente. Porém, de qualquer forma, imagino que não seja um grande problema publicar mais um texto relembrando a falta de Francis como escritor, como jornalista, como referência cultural, os maltratos que recebia destes pobres bárbaros tropicais, estes representantes do pensamento rústico brasileiro que ainda encaram o chuveiro como alguma imposição do american way of life etc., um texto, enfim, relembrando a importância de Paulo Francis para todos nós.

Antes de mais nada preciso dizer - e talvez eu seja melodramático demais dizendo; controlem-se, por favor -, mas leio Francis e tenho acessos megalomaníacos de querer salvar o mundo. Tudo bem, não o mundo, mas pelo menos o Brasil, a literatura brasileira, o jornalismo brasileiro. Óbvio, cruz credo trabalhar para um jornal ou para uma editora, mas lendo Francis eu crio este vigor de querer melhorar tudo, de conhecer tudo, de ler, de ouvir e de escrever sobre tudo. Francis não foi apenas uma referência cultural, mas um instigador de cultura. Provocava e esnobava insistentemente até seu leitor se irritar às lágrimas e ir furioso até uma livraria para saber quem diabos era este tal de Scott Fitzgerald, ou Dostoievski, ou Flaubert, ou Camus, ou Tolstoi, ou Proust, ou Kant para ficar em alguns dos nomes que sublinhei em apenas um de seus livros, o Trinta anos esta noite. E o simples fato de decorá-los já significa adquirir uma cultura fantástica para o padrão brasileiro.

Digo fantástica para o padrão brasileiro porque é ridícula a nossa formação. Isto mesmo em colégios caríssimos, o que deixa claro que não se trata de um problema meramente econômico ou social. E nas universidades o quadro é exatamente o mesmo. Duvido que eu tenha muitos colegas na USP com uma média de leitura maior que a minha, de quinze livros por ano. Eu achava que era uma média razoável até ler Jorge Luis Borges dizendo que passou a vida inteira com uma média de cem livros por ano. Senti vergonha porque já é fisicamente impossível alcançá-lo. Talvez esta comparação seja individual demais para aplicá-la ao país inteiro, entretanto, em pesquisas de leitura anual per capita, o Brasil sempre teve resultados variando entre 1 e 2 enquanto alguns países europeus chegavam a 25 livros. E se o resultado brasileiro é ruim mesmo com pessoas que, como eu, foram influenciadas por Francis e engordam estes números, imagine sem Francis.

Além do mais, os livros do Francis são uma graça. Não comento suas colunas porque naquela época eu ainda me interessava apenas por coisas que soltavam raiozinhos e poderes e ainda me irrito às vezes por não ter nascido uns vinte anos antes. Do seu trabalho em jornal tenho apenas três exemplares d'O Pasquim e uma coleção de correspondências também para O Pasquim chamada Paulo Francis nu e cru que me deu uma das melhores experiências em leitura e que é encontrada a míseros quinze reais em sebos no centro de São Paulo. Toda vez que vejo um livro como este sendo vendido a um preço tão baixo fico com vontade de pagar o triplo, o quíntuplo porque ninguém tem o direito de vender este tipo de coisa a este preço. É depreciação da obra.

Mas os livros do Francis são uma graça. Ainda quero escrever um livro de memórias tão bom como o seu O afeto que se encerra. Não sei se conseguirei escrever com tanta delicadeza como Francis escreveu este livro, principalmente as primeiras páginas que anunciam suas memórias. Não são apenas páginas escritas por um cronista qualquer. Há beleza nas palavras, nas frases, no sentido; há arte ali, que se expressa para mim como um ideal de forma, algo a ser alcançado e quando eu o leio, faz com que eu me sinta bem (há alguns anos eu riria se lesse isto) espiritualmente. Se trata justamente do que James Joyce disse em Portrait of the artist as a young man:

"Beauty expressed by the artist cannot awaken in us an emotion which is kinetic or a sensation which is purely physical. It awakens, or ought to awaken, or induces, or ought to induce, an esthetic stasis, an ideal pity or an ideal terror, a stasis called forth, prolonged and at last dissolved by what I call the rhythm of beauty (...) We are right and the others are wrong. To speak of these things and to try to understand their nature and, having understood it, to try slowly and humbly and constantly to express, to press out again, from the gross earth or what it brings forth, from sound and shape and colour which are the prison gates of our soul, an image of the beauty we have come to understand - that is art."

Não dá vontade de abraçar este texto? E não o traduzo para provocar e esnobar os que ainda não lêem inglês até se irritarem às lágrimas e se convencerem a aprender esta língua para que experimentem os originais de James Joyce. Espero que funcione.

Francis não conseguiu fazer funcionar muito e ganhou vários detratores com isto. Acredito que os maiores conflitos de Francis estiveram relacionados mais à energia com a qual escrevia do que propriamente com suas opiniões. Paulo Francis era enérgico sempre e causava furor, entretanto era justamente esta a sua maior qualidade. Kenneth Clark, um grande estudioso da arte, da história e da arqueologia - e evidentemente indicação de Paulo Francis -, diz que todas as grandes civilizações foram impulsionadas pela energia e por um sentido de permanência, que é o que Paulo Francis tentou nos ensinar até seu último momento, não? Caminhar para a civilidade em vez de continuarmos a ser estes pobres bárbaros tropicais. Será que um dia conseguiremos?

Nota do Editor
Edward Bloom é autor do blog Introibo ad altare Dei.


Eduardo Mineo
São Paulo, 8/3/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Malcolm, jornalismo em quadrinhos de Luís Fernando Amâncio
02. Fragmentos de Leituras e Sentido de Ricardo de Mattos
03. São Paulo e o medo no cinema de Elisa Andrade Buzzo
04. As histórias magras de Rubem Fonseca de Cassionei Niches Petry
05. Concurso literário, caminho para a publicação de Eugenia Zerbini


Mais Eduardo Mineo
Mais Acessadas de Eduardo Mineo em 2007
01. O físico que era médico - 23/4/2007
02. A comédia de um solteiro - 3/12/2007
03. A propósito de Chapolin e Chaves - 24/9/2007
04. Eduardo Mineo, muito prazer - 9/4/2007
05. My fair opinion - 30/4/2007


Mais Especial 10 anos sem Francis
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/3/2007
21h27min
Se conseguiremos, não sei. Mas se ficarmos presos a teorias e posturas pseudo-direitistas ou pseudo-esquerdistas acho que não. A energia está no mundo, no planeta, nas pessoas. E para movimentá-la temos que ter homens como Paulo Francis, com o seu vigor, com a sua inteligência, veracidade/voracidade. Era autêntico. E isso é que falta no meio jornalístico/cultural. Não compactuava com muitas de suas idéias, mas o admirava pelo que era, pelo que escrevia e dizia. Então, sempre vale a pena escrever sobre uns caras como ele. Nunca é demais! Abraço. Adriana
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA
DARCY ANN UMPHRED
MANOLE
(1994)
R$ 50,00



IGREJA NO BRASIL - DIRETÓRIO LITÚRGICO - 1996
CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
CNBB
(1996)
R$ 7,00



NOVELA DAS SETE: 1986, O ANO QUE DEVERIA DAR CERTO
LINDINOR SÁ LARANGEIRAS
LITTERIS
(1986)
R$ 26,28



WHERED YOU GO, BERNADETTE: A NOVEL
MARIA SEMPLE
LITTLE BROWN AND COMPANY
(2012)
R$ 30,00



A IGREJA DOS TEMPOS CLÁSSICOS (I)
DANIEL ROPS
QUADRANTE
(2000)
R$ 75,00



ENGAGE LEVEL 2 STUDENT BOOK AND WORKBOOK
ALICIA ARTUSI; GREGORY J. MANIN
OXFORD DO BRASIL
(2011)
R$ 20,00



POR UM NASCIMENTO CONSCIENTE
HAROLDO E FLÁVIA DE FARIA CASTRO
GROUND
(1977)
R$ 10,00



ATLÂNTIDA O OITAVO CONTINENTE
CHARLES BERLITZ
CIRCULO DO LIVRO
R$ 16,80



CORAGEM. O PRAZER DE VIVER PERIGOSAMENTE
OSHO
CULTRIX
(1999)
R$ 20,00



EDUCAÇÃO - UM NOVO OLHAR
ROSANA ANDRÉIA
FOCO
(2019)
R$ 40,00





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês